aboutsummaryrefslogtreecommitdiff
diff options
context:
space:
mode:
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/articles/contributing/article.sgml592
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/books/faq/book.sgml11408
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/books/handbook/advanced-networking/chapter.sgml2
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/books/handbook/basics/chapter.sgml2
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/books/handbook/book.sgml84
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/books/handbook/boot/chapter.sgml2
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/books/handbook/colophon.sgml14
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/books/handbook/config/chapter.sgml2
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/books/handbook/introduction/chapter.sgml2
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/books/handbook/l10n/chapter.sgml2
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/books/handbook/linuxemu/chapter.sgml2
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/books/handbook/mail/chapter.sgml2
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/books/handbook/mirrors/chapter.sgml1800
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/books/handbook/pgpkeys/chapter.sgml6
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/books/handbook/ports/chapter.sgml2
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/books/handbook/preface/preface.sgml4
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/books/handbook/printing/chapter.sgml2
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/books/handbook/security/chapter.sgml2
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/books/handbook/serialcomms/chapter.sgml2
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/books/handbook/users/chapter.sgml2
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/books/handbook/x11/chapter.sgml2
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/htdocs/FAQ/index.html10
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/share/sgml/mailing-lists.ent300
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/share/sgml/newsgroups.ent2
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/share/sgml/teams.ent26
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/share/sgml/trademarks.ent110
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/share/sgml/translators.ent2
-rw-r--r--pt_BR.ISO8859-1/share/sgml/words.ent2
28 files changed, 7194 insertions, 7194 deletions
diff --git a/pt_BR.ISO8859-1/articles/contributing/article.sgml b/pt_BR.ISO8859-1/articles/contributing/article.sgml
index b57481d6a9..c39d937707 100644
--- a/pt_BR.ISO8859-1/articles/contributing/article.sgml
+++ b/pt_BR.ISO8859-1/articles/contributing/article.sgml
@@ -20,7 +20,7 @@
<abstract>
<para>Este artigo descreve as diferentes maneiras pelas quais um
- indiv&iacute;duo ou uma organiza&ccedil;&atilde;o podem
+ indivíduo ou uma organização podem
contribuir com o projeto FreeBSD.</para>
</abstract>
@@ -28,7 +28,7 @@
<author>
<firstname>Jordan</firstname>
<surname>Hubbard</surname>
- <contrib>Colabora&ccedil;&atilde;o de </contrib>
+ <contrib>Colaboração de </contrib>
</author>
</authorgroup>
@@ -39,69 +39,69 @@
<indexterm><primary>Contribuindo</primary></indexterm>
- <para>Ent&atilde;o voc&ecirc; quer contribuir com o FreeBSD? Isso
- &eacute; &oacute;timo! O FreeBSD depende das
- contribui&ccedil;&otilde;es da sua base de usu&aacute;rios para
- sobreviver. Suas contribui&ccedil;&otilde;es n&atilde;o
- s&atilde;o apenas apreciadas, elas s&atilde;o vitais para que o
+ <para>Então você quer contribuir com o FreeBSD? Isso
+ é ótimo! O FreeBSD depende das
+ contribuições da sua base de usuários para
+ sobreviver. Suas contribuições não
+ são apenas apreciadas, elas são vitais para que o
FreeBSD continue crescendo.</para>
- <para>Ao contr&aacute;rio do que algumas pessoas podem tentar
- faz&ecirc;-lo acreditar, voc&ecirc; n&atilde;o precisa ser um
+ <para>Ao contrário do que algumas pessoas podem tentar
+ fazê-lo acreditar, você não precisa ser um
programador super experiente ou amigo pessoal de um membro do
<literal>Core Team</literal> do FreeBSD para ter suas
- contribui&ccedil;&otilde;es aceitas. Um grande e crescente
- n&uacute;mero de colaboradores internacionais, de idades e de
- &aacute;reas t&eacute;cnicas extremamente variadas desenvolvem o
- FreeBSD. H&aacute; sempre mais trabalho a ser realizado do que
- pessoas dispon&iacute;veis para faz&ecirc;-lo. Toda e qualquer
- ajuda &eacute; sempre bem vinda.</para>
-
- <para>O projeto FreeBSD &eacute; respons&aacute;vel por todo um
- sistema operacional, ou seja, &eacute; respons&aacute;vel por
+ contribuições aceitas. Um grande e crescente
+ número de colaboradores internacionais, de idades e de
+ áreas técnicas extremamente variadas desenvolvem o
+ FreeBSD. Há sempre mais trabalho a ser realizado do que
+ pessoas disponíveis para fazê-lo. Toda e qualquer
+ ajuda é sempre bem vinda.</para>
+
+ <para>O projeto FreeBSD é responsável por todo um
+ sistema operacional, ou seja, é responsável por
muito mais que apenas um <literal>kernel</literal> ou alguns
- utilit&aacute;rios dispersos. Da forma como est&aacute;, o nosso
+ utilitários dispersos. Da forma como está, o nosso
<filename>TODO</filename>, possui tarefas em uma escala muito
- ampla: da documenta&ccedil;&atilde;o, da realiza&ccedil;&atilde;o
- de beta testes e de apresenta&ccedil;&atilde;o, ao instalador do
+ ampla: da documentação, da realização
+ de beta testes e de apresentação, ao instalador do
sistema e desenvolvimento altamente especializado de componentes
para o <literal>kernel</literal>. Pessoas de todos os
- n&iacute;veis de habilidade, de qualquer &aacute;rea
- t&eacute;cnica, certamente podem ajudar o projeto de alguma
+ níveis de habilidade, de qualquer área
+ técnica, certamente podem ajudar o projeto de alguma
forma.</para>
- <para>As institui&ccedil;&otilde;es comerciais envolvidas em
- projetos relacionados ao FreeBSD; tamb&eacute;m, s&atilde;o
- encorajadas a nos contatar. Voc&ecirc; necessita de uma
- extens&atilde;o especial para fazer seu produto funcionar?
- Voc&ecirc; ir&aacute; nos encontrar receptivos aos seus pedidos,
- desde que eles n&atilde;o sejam demasiadamente descabidos.
- Voc&ecirc; est&aacute; trabalhando em um produto que agrega valor
- ao sistema? Por favor, deixe-nos saber! N&oacute;s talvez
+ <para>As instituições comerciais envolvidas em
+ projetos relacionados ao FreeBSD; também, são
+ encorajadas a nos contatar. Você necessita de uma
+ extensão especial para fazer seu produto funcionar?
+ Você irá nos encontrar receptivos aos seus pedidos,
+ desde que eles não sejam demasiadamente descabidos.
+ Você está trabalhando em um produto que agrega valor
+ ao sistema? Por favor, deixe-nos saber! Nós talvez
possamos trabalhar em conjunto em algum aspecto dele. O mundo do
<foreignphrase>software</foreignphrase> livre desafia muitos dos
conceitos existentes sobre como um
- <foreignphrase>software</foreignphrase> &eacute; desenvolvido,
- vendido e mantido; e, n&oacute;s o incitamos a dar ao menos uma
+ <foreignphrase>software</foreignphrase> é desenvolvido,
+ vendido e mantido; e, nós o incitamos a dar ao menos uma
segunda olhada.</para>
<sect1 id="contrib-what">
- <title>O que &eacute; necess&aacute;rio?</title>
+ <title>O que é necessário?</title>
<para>A seguinte lista de tarefas e sub-projetos representa uma
- am&aacute;lgama de v&aacute;rias listas de
- <filename>TODO</filename> e solicita&ccedil;&otilde;es enviadas
- por usu&aacute;rios.</para>
+ amálgama de várias listas de
+ <filename>TODO</filename> e solicitações enviadas
+ por usuários.</para>
<sect2 id="non-programmer-tasks">
- <title>Tarefas em execu&ccedil;&atilde;o por
- n&atilde;o-programadores.</title>
+ <title>Tarefas em execução por
+ não-programadores.</title>
- <para>Muitas das pessoas que est&atilde;o envolvidas com o
- FreeBSD n&atilde;o s&atilde;o programadores. O projeto inclui
- autores de documenta&ccedil;&atilde;o, <literal>Web
+ <para>Muitas das pessoas que estão envolvidas com o
+ FreeBSD não são programadores. O projeto inclui
+ autores de documentação, <literal>Web
designers</literal>, e pessoal de suporte. Tudo o que estas
- pessoas precisam para contribuir &eacute; algum tempo livre
+ pessoas precisam para contribuir é algum tempo livre
para investir e vontade de aprender.</para>
<orderedlist>
@@ -110,97 +110,97 @@
periodicamente. Se algo estiver mal explicado,
desatualizado ou mesmo completamente errado; por favor,
deixe-nos saber. Ou melhor, envie-nos uma
- corre&ccedil;&atilde;o. (SGML n&atilde;o &eacute;
- dif&iacute;cil de aprender, mas n&atilde;o h&aacute;
- nenhuma obje&ccedil;&atilde;o &agrave; submiss&otilde;es
+ correção. (SGML não é
+ difícil de aprender, mas não há
+ nenhuma objeção à submissões
em formato ASCII).</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>Ajude a traduzir a documenta&ccedil;&atilde;o do
- FreeBSD para a sua l&iacute;ngua nativa. Se a
- documenta&ccedil;&atilde;o j&aacute; existir no seu
- idioma, voc&ecirc; pode ajudar a traduzir novos documentos
- ou verificar se as tradu&ccedil;&otilde;es existentes
- est&atilde;o atualizadas. Primeiro, verifique o <ulink
+ <para>Ajude a traduzir a documentação do
+ FreeBSD para a sua língua nativa. Se a
+ documentação já existir no seu
+ idioma, você pode ajudar a traduzir novos documentos
+ ou verificar se as traduções existentes
+ estão atualizadas. Primeiro, verifique o <ulink
url="../../books/fdp-primer/translations.html">FAQ sobre
- tradu&ccedil;&otilde;es</ulink> no &a.ptbr.p.fdpp;.
- Voc&ecirc; n&atilde;o estar&aacute; se comprometendo a
+ traduções</ulink> no &a.ptbr.p.fdpp;.
+ Você não estará se comprometendo a
traduzir todos os documentos do FreeBSD fazendo isto
- &mdash; como um volunt&aacute;rio, voc&ecirc; pode
+ &mdash; como um voluntário, você pode
traduzir muitos ou poucos documentos, quantos desejar.
- Uma vez que algu&eacute;m come&ccedil;a a traduzir, outros
- quase sempre se juntam ao esfor&ccedil;o. Se voc&ecirc;
+ Uma vez que alguém começa a traduzir, outros
+ quase sempre se juntam ao esforço. Se você
somente tiver tempo livre ou energia para traduzir uma
- pequena parte da documenta&ccedil;&atilde;o; por favor,
- traduza as instru&ccedil;&otilde;es de
- instala&ccedil;&atilde;o.</para>
+ pequena parte da documentação; por favor,
+ traduza as instruções de
+ instalação.</para>
</listitem>
<listitem>
<para>Leia a &a.questions; e o &ng.misc; ocasionalmente (ou
- regularmente se poss&iacute;vel). Pode ser muito
- recompensador compartilhar a sua experi&ecirc;ncia e
+ regularmente se possível). Pode ser muito
+ recompensador compartilhar a sua experiência e
ajudar outras pessoas a resolverem seus problemas; Muitas
- vezes apenas este processo o levar&aacute; &agrave;
- aprender coisas! Estes f&oacute;runs tamb&eacute;m podem
- ser uma fonte de id&eacute;ias para assuntos aos quais se
+ vezes apenas este processo o levará à
+ aprender coisas! Estes fóruns também podem
+ ser uma fonte de idéias para assuntos aos quais se
dedicar.</para>
</listitem>
</orderedlist>
</sect2>
<sect2 id="ongoing-programmer-tasks">
- <title>Tarefas em execu&ccedil;&atilde;o por
+ <title>Tarefas em execução por
programadores</title>
<para>A maioria das tarefas listadas aqui requerem um
- investimento consider&aacute;vel de tempo ou conhecimento
+ investimento considerável de tempo ou conhecimento
profundo do kernel do FreeBSD; ou, ambos. Entretanto,
- tamb&eacute;m existem muitas tarefas &uacute;teis que
- s&atilde;o apropriadas para os <quote>hackers de final de
+ também existem muitas tarefas úteis que
+ são apropriadas para os <quote>hackers de final de
semana</quote>.</para>
<orderedlist>
<listitem>
- <para>Se voc&ecirc; executar o FreeBSD-CURRENT e tiver uma
- boa conex&atilde;o Internet, existe uma m&aacute;quina
+ <para>Se você executar o FreeBSD-CURRENT e tiver uma
+ boa conexão Internet, existe uma máquina
<hostid role="fqdn">current.FreeBSD.org</hostid> que
- produz um lan&ccedil;amento
+ produz um lançamento
(<foreignphrase>release</foreignphrase>) completo uma vez
por dia &mdash; tente instalar diariamente o
- lan&ccedil;amento mais recente gerado e relate todas as
+ lançamento mais recente gerado e relate todas as
falhas encontradas no processo.</para>
</listitem>
<listitem>
<para>Leia a &a.bugs;. Pode existir um problema o qual
- voc&ecirc; possa comentar construtivamente ou mesmo uma
- corre&ccedil;&atilde;o que possa testar. Ou, voc&ecirc;
+ você possa comentar construtivamente ou mesmo uma
+ correção que possa testar. Ou, você
pode ainda tentar reparar um dos problemas sozinho.</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>Se voc&ecirc; souber de qualquer problema que tenha
+ <para>Se você souber de qualquer problema que tenha
sido corrigido com sucesso no <literal>-CURRENT</literal>
- e cuja corre&ccedil;&atilde;o n&atilde;o tenha sido
- aplicada ao <literal>-STABLE</literal> ap&oacute;s um
- intervalo razo&aacute;vel de tempo (normalmente algumas
+ e cuja correção não tenha sido
+ aplicada ao <literal>-STABLE</literal> após um
+ intervalo razoável de tempo (normalmente algumas
semanas), envie ao
<foreignphrase>committer</foreignphrase> um lembrete
educado.</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>Mova as contribui&ccedil;&otilde;es de
+ <para>Mova as contribuições de
<foreignphrase>software</foreignphrase> para
- <filename>src/contrib</filename> na &aacute;rvore do
- c&oacute;digo fonte.</para>
+ <filename>src/contrib</filename> na árvore do
+ código fonte.</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>Tenha certeza que o c&oacute;digo dispon&iacute;vel em
- <filename>src/contrib</filename> est&aacute;
+ <para>Tenha certeza que o código disponível em
+ <filename>src/contrib</filename> está
atualizado.</para>
</listitem>
@@ -219,30 +219,30 @@
</listitem>
<listitem>
- <para>Se voc&ecirc; contribuiu com algum dos
+ <para>Se você contribuiu com algum dos
<literal>ports</literal>, envie suas
- corre&ccedil;&otilde;es de volta aos autores originais
- (isto tornar&aacute; sua vida mais f&aacute;cil quando
- eles lan&ccedil;arem a pr&oacute;xima
- vers&atilde;o).</para>
+ correções de volta aos autores originais
+ (isto tornará sua vida mais fácil quando
+ eles lançarem a próxima
+ versão).</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>Consiga c&oacute;pias de padr&otilde;es formais tais
- como &posix;. Voc&ecirc; pode obter alguns
+ <para>Consiga cópias de padrões formais tais
+ como &posix;. Você pode obter alguns
<foreignphrase>links</foreignphrase> sobre estes
- padr&otilde;es no s&iacute;tio www <ulink
+ padrões no sítio www <ulink
url="http://www.FreeBSD.org/projects/c99/index.html">FreeBSD
- C99 e Projeto de Conformidade com Padr&otilde;es
+ C99 e Projeto de Conformidade com Padrões
Posix</ulink>. Compare o comportamento do FreeBSD
- &agrave;quele requerido pelo padr&atilde;o. Se o
+ àquele requerido pelo padrão. Se o
comportamento diferir, particularmente em pontos sutis ou
- obscuros da especifica&ccedil;&atilde;o, envie-nos um
- <literal>PR</literal> sobre ele. Se voc&ecirc; for capaz,
+ obscuros da especificação, envie-nos um
+ <literal>PR</literal> sobre ele. Se você for capaz,
descubra como corrigi-lo e inclua um
<literal>patch</literal> em seu <literal>PR</literal>. Se
- voc&ecirc; acredita que o padr&atilde;o est&aacute;
- errado, pe&ccedil;a ao comit&ecirc; de padr&otilde;es que
+ você acredita que o padrão está
+ errado, peça ao comitê de padrões que
considere a pergunta.</para>
</listitem>
@@ -254,167 +254,167 @@
<sect2>
<title>Trabalhe no banco de dados de <literal>PR</literal>
- (relat&oacute;rio de problemas)</title>
+ (relatório de problemas)</title>
- <indexterm><primary>base de dados de relat&oacute;rios de
+ <indexterm><primary>base de dados de relatórios de
problemas</primary></indexterm>
<para>A <ulink
url="http://www.FreeBSD.org/cgi/query-pr-summary.cgi">Lista
de <literal>PRs</literal> do FreeBSD</ulink> mostra todos os
- relat&oacute;rios de problemas ativos no momento e os pedidos
- de melhoria que foram submetidos pelos usu&aacute;rios do
+ relatórios de problemas ativos no momento e os pedidos
+ de melhoria que foram submetidos pelos usuários do
FreeBSD. O banco de dados inclui tarefas para programadores e
- para n&atilde;o-programadores. Consulte os
- <literal>PRs</literal> abertos, e veja se algum deles &eacute;
+ para não-programadores. Consulte os
+ <literal>PRs</literal> abertos, e veja se algum deles é
de seu interesse. Alguns deles podem ser tarefas muito
simples que necessitam apenas que um par extra de olhos olhe
- para eles e confirme que a corre&ccedil;&atilde;o proposta
+ para eles e confirme que a correção proposta
funciona. Outros podem ser muito mais complexos, ou podem nem
- ter vindo com uma corre&ccedil;&atilde;o.</para>
+ ter vindo com uma correção.</para>
- <para>Comece com os <literal>PR</literal>s que ainda n&atilde;o
- foram atribu&iacute;dos a ningu&eacute;m. Se um
- <literal>PR</literal> estiver atribu&iacute;do a outra pessoa,
- mas se parecer com algo que voc&ecirc; possa cuidar, envie um
+ <para>Comece com os <literal>PR</literal>s que ainda não
+ foram atribuídos a ninguém. Se um
+ <literal>PR</literal> estiver atribuído a outra pessoa,
+ mas se parecer com algo que você possa cuidar, envie um
e-mail para a pessoa encarregada do mesmo e pergunte se
- voc&ecirc; pode trabalhar nele &mdash; ele pode j&aacute; ter
+ você pode trabalhar nele &mdash; ele pode já ter
um <literal>patch</literal> pronto para ser testado, ou
- voc&ecirc; pode discutir novas id&eacute;ias com ele.</para>
+ você pode discutir novas idéias com ele.</para>
</sect2>
</sect1>
<sect1 id="contrib-how">
<title>Como contribuir</title>
- <para>Contribui&ccedil;&otilde;es para o sistema geralmente caem
+ <para>Contribuições para o sistema geralmente caem
em uma ou mais das seguintes 5 categorias:</para>
<sect2 id="contrib-general">
- <title>Relat&oacute;rios de Erro e Coment&aacute;rios em
+ <title>Relatórios de Erro e Comentários em
Geral</title>
- <para>Uma id&eacute;ia ou sugest&atilde;o t&eacute;cnica de
+ <para>Uma idéia ou sugestão técnica de
interesse <emphasis>geral</emphasis> deve ser enviada para a
&a.hackers;. Da mesma forma, pessoas com interesse neste tipo
- de assunto (e uma toler&acirc;ncia para um
+ de assunto (e uma tolerância para um
<emphasis>alto</emphasis> volume de mensagens!), devem se
- inscrever na &a.hackers; atrav&eacute;s do envio de um e-mail
+ inscrever na &a.hackers; através do envio de um e-mail
para &a.majordomo;. Consulte o <ulink
url="../../books/handbook/eresources.html#ERESOURCES-MAIL">&a.ptbr.p.handbook;</ulink>
- para maiores informa&ccedil;&otilde;es sobre esta e outras
- listas de discuss&atilde;o.</para>
+ para maiores informações sobre esta e outras
+ listas de discussão.</para>
- <para>Se voc&ecirc; encontrar um erro ou estiver enviando uma
- altera&ccedil;&atilde;o espec&iacute;fica; por favor,
- fa&ccedil;a o relat&oacute;rio utilizando o programa
+ <para>Se você encontrar um erro ou estiver enviando uma
+ alteração específica; por favor,
+ faça o relatório utilizando o programa
&man.send-pr.1; ou a sua <ulink
url="../../../../send-pr.html">interface WWW
- equivalente</ulink>. A n&atilde;o ser que ele exceda 65KB,
+ equivalente</ulink>. A não ser que ele exceda 65KB,
inclua qualquer <literal>patch</literal> diretamente no
- relat&oacute;rio. Se o <literal>patch</literal> &eacute;
- destinado a ser aplicado na &aacute;rvore de c&oacute;digo,
- coloque a palavra <literal>[PATCH]</literal> na sin&oacute;pse
- do relat&oacute;rio. Quando incluir um
- <literal>patch</literal>, <emphasis>n&atilde;o</emphasis> o
- fa&ccedil;a utilizando copiar-e-colar porque ao copiar-e-colar
- os <literal>tabs</literal> ser&atilde;o convertidos para
- espa&ccedil;os, e tornar&aacute; o <literal>patch</literal>
- inutiliz&aacute;vel. Se o <literal>patch</literal>
+ relatório. Se o <literal>patch</literal> é
+ destinado a ser aplicado na árvore de código,
+ coloque a palavra <literal>[PATCH]</literal> na sinópse
+ do relatório. Quando incluir um
+ <literal>patch</literal>, <emphasis>não</emphasis> o
+ faça utilizando copiar-e-colar porque ao copiar-e-colar
+ os <literal>tabs</literal> serão convertidos para
+ espaços, e tornará o <literal>patch</literal>
+ inutilizável. Se o <literal>patch</literal>
ultrapassar 20KB considere a possibilidade de comprimi-lo e
- utilizar o &man.uuencode.1; antes de envi&aacute;-lo.</para>
+ utilizar o &man.uuencode.1; antes de enviá-lo.</para>
- <para>Depois de enviar o relat&oacute;rio, voce deve receber uma
- confirma&ccedil;&atilde;o junto com um n&uacute;mero de
- registro. Guarde este n&uacute;mero de registro, de forma que
- voc&ecirc; possa nos manter atualizados sobre o seu problema
+ <para>Depois de enviar o relatório, voce deve receber uma
+ confirmação junto com um número de
+ registro. Guarde este número de registro, de forma que
+ você possa nos manter atualizados sobre o seu problema
enviando um e-mail para
<email>bug-followup@FreeBSD.org</email>. Coloque o
- n&uacute;mero no assunto da mensagem, por ex. <literal>"Re:
- kern/3377"</literal>. Informa&ccedil;&otilde;es adicionais
- sobre qualquer relat&oacute;rio de problema
+ número no assunto da mensagem, por ex. <literal>"Re:
+ kern/3377"</literal>. Informações adicionais
+ sobre qualquer relatório de problema
(<foreignphrase>Problem Report</foreignphrase>) devem ser
submetidas desta forma.</para>
- <para>Se voc&ecirc; n&atilde;o receber a
- confirma&ccedil;&atilde;o em prazo razo&aacute;vel (3 dias a 1
- semana, dependendo da sua conex&atilde;o de e-mail), ou
- est&aacute; por alguma raz&atilde;o impossibilitado de
- utilizar o comando &man.send-pr.1; ; ent&atilde;o, voc&ecirc;
- pode pedir que algu&eacute;m o envie para voc&ecirc; enviando
+ <para>Se você não receber a
+ confirmação em prazo razoável (3 dias a 1
+ semana, dependendo da sua conexão de e-mail), ou
+ está por alguma razão impossibilitado de
+ utilizar o comando &man.send-pr.1; ; então, você
+ pode pedir que alguém o envie para você enviando
e-mail para &a.bugs;.</para>
- <para>Consulte tamb&eacute;m <ulink
+ <para>Consulte também <ulink
url="../../articles/problem-reports/article.html">este
- artigo</ulink> sobre como escrever um bom relat&oacute;rio
+ artigo</ulink> sobre como escrever um bom relatório
de problema.</para>
</sect2>
<sect2>
- <title>Altera&ccedil;&otilde;es na
- Documenta&ccedil;&atilde;o</title>
+ <title>Alterações na
+ Documentação</title>
<indexterm><primary>Envio de
- documenta&ccedil;&atilde;o</primary></indexterm>
+ documentação</primary></indexterm>
- <para>Altera&ccedil;&otilde;es na documenta&ccedil;&atilde;o
- s&atilde;o administradas pela &a.doc;. Por favor, verifique o
+ <para>Alterações na documentação
+ são administradas pela &a.doc;. Por favor, verifique o
<ulink
url="../../books/fdp-primer/index.html">&a.ptbr.p.fdpp;</ulink>
- para obter instru&ccedil;&otilde;es detalhadas. Envie suas
- colabora&ccedil;&otilde;es e altera&ccedil;&otilde;es
- (inclusive as pequenas s&atilde;o bem vindas!) usando o
+ para obter instruções detalhadas. Envie suas
+ colaborações e alterações
+ (inclusive as pequenas são bem vindas!) usando o
&man.send-pr.1; como descrito no <link
- linkend="contrib-general"> Relat&oacute;rios de Erro e
- Coment&aacute;rios em Geral</link>.</para>
+ linkend="contrib-general"> Relatórios de Erro e
+ Comentários em Geral</link>.</para>
</sect2>
<sect2>
- <title>Altera&ccedil;&otilde;es no C&oacute;digo Fonte
+ <title>Alterações no Código Fonte
Existente</title>
<indexterm><primary>FreeBSD-CURRENT</primary></indexterm>
- <para>Uma adi&ccedil;&atilde;o ou altera&ccedil;&atilde;o ao
- c&oacute;digo fonte existente &eacute; um caso um pouco mais
- complicado e depende muito de qu&atilde;o desatualizado
- voc&ecirc; est&aacute; em rela&ccedil;&atilde;o ao estado
+ <para>Uma adição ou alteração ao
+ código fonte existente é um caso um pouco mais
+ complicado e depende muito de quão desatualizado
+ você está em relação ao estado
atual de desenvolvimento do FreeBSD. Existe um
- lan&ccedil;amento (<foreignphrase>release</foreignphrase>)
+ lançamento (<foreignphrase>release</foreignphrase>)
especial em andamento do FreeBSD conhecido como
- <quote>FreeBSD-CURRENT</quote> o qual &eacute; disponibilizado
+ <quote>FreeBSD-CURRENT</quote> o qual é disponibilizado
em uma grande variedade de formas para a comodidade dos
desenvolvedores que trabalham ativamente no sistema. Consulte
o <ulink url="
../../books/handbook/current-stable.html">&a.ptbr.p.handbook;</ulink>
- para maiores informa&ccedil;&otilde;es sobre como obter e
+ para maiores informações sobre como obter e
utilizar o FreeBSD-CURRENT.</para>
- <para>Trabalhar com vers&otilde;es antigas do c&oacute;digo,
+ <para>Trabalhar com versões antigas do código,
infelizmente, muitas vezes significa que as suas
- altera&ccedil;&otilde;es ser&atilde;o demasiadamente obsoletas
- ou muito divergentes para possibilitar uma f&aacute;cil
- re-integra&ccedil;&atilde;o ao FreeBSD. As possibilidades de
- que isso ocorra podem ser minimizadas um pouco atrav&eacute;s
- da sua inscri&ccedil;&atilde;o nas listas &a.announce; e
- &a.current;, nas quais as discuss&otilde;es sobre o estado
+ alterações serão demasiadamente obsoletas
+ ou muito divergentes para possibilitar uma fácil
+ re-integração ao FreeBSD. As possibilidades de
+ que isso ocorra podem ser minimizadas um pouco através
+ da sua inscrição nas listas &a.announce; e
+ &a.current;, nas quais as discussões sobre o estado
atual do sistema ocorrem.</para>
- <para>Supondo que voc&ecirc; consiga obter acesso &agrave;
- c&oacute;digo fonte do sistema razoavelmente atualizado para
- basear as suas altera&ccedil;&otilde;es nele, o pr&oacute;ximo
- passo &eacute; produzir um conjunto de
+ <para>Supondo que você consiga obter acesso à
+ código fonte do sistema razoavelmente atualizado para
+ basear as suas alterações nele, o próximo
+ passo é produzir um conjunto de
<literal>diffs</literal> para enviar aos mantenedores do
- FreeBSD. Isto &eacute; feito com o comando
+ FreeBSD. Isto é feito com o comando
&man.diff.1;.</para>
<para>O formato preferido do &man.diff.1; para enviar um
- <literal>patch</literal>, &eacute; o formato de sa&iacute;da
+ <literal>patch</literal>, é o formato de saída
unificada gerado por <command>diff -u</command>. No entando,
para <literal>patches</literal> que alterem substancialmente
- uma regi&atilde;o do c&oacute;digo, o formato de sa&iacute;da
+ uma região do código, o formato de saída
de contexto gerada por <command>diff -c</command> pode ser
- mais leg&iacute;vel e por isso preferido.</para>
+ mais legível e por isso preferido.</para>
<indexterm>
<primary><command>diff</command></primary>
@@ -427,8 +427,8 @@
ou
<screen>&prompt.user; <userinput>diff -c -r olddir newdir</userinput></screen>
geraria o tal conjunto de <literal>diffs</literal> de contexto
- para um dado arquivo de c&oacute;digo ou para uma hierarquia
- de diret&oacute;rios.</para>
+ para um dado arquivo de código ou para uma hierarquia
+ de diretórios.</para>
<para>Da mesma forma,
<screen>&prompt.user; <userinput>diff -u oldfile newfile</userinput></screen>
@@ -440,137 +440,137 @@
<para>Consulte o manual do &man.diff.1; para maiores
detalhes.</para>
- <para>Uma vez que voc&ecirc; tenha o conjunto de
- <literal>diffs</literal> (os quais voc&ecirc; pode testar com
- o comando &man.patch.1;), voc&ecirc; deve submet&ecirc;-los
- para inclus&atilde;o no FreeBSD. Utilize o comando
+ <para>Uma vez que você tenha o conjunto de
+ <literal>diffs</literal> (os quais você pode testar com
+ o comando &man.patch.1;), você deve submetê-los
+ para inclusão no FreeBSD. Utilize o comando
&man.send-pr.1; como descrito no <link
- linkend="contrib-general">Relat&oacute;rios de Erro e
- Coment&aacute;rios em Geral</link>.
- <emphasis>N&atilde;o</emphasis> envie os
+ linkend="contrib-general">Relatórios de Erro e
+ Comentários em Geral</link>.
+ <emphasis>Não</emphasis> envie os
<literal>diffs</literal> apenas para a &a.hackers; ou eles
- ser&atilde;o perdidos! N&oacute;s apreciamos extremamente a
- sua submiss&atilde;o (este &eacute; um projeto
- volunt&aacute;rio!); porque n&oacute;s somos ocupados,
- n&oacute;s podemos n&atilde;o ter como trat&aacute;-la
- imediatamente, mas ela permanecer&aacute; em nosso bando de
- dados de <literal>PRs</literal> at&eacute; que n&oacute;s o
- fa&ccedil;amos. Marque a sua submiss&atilde;o incluindo a
- palavra <literal>[PATCH]</literal> na sin&oacute;pse do
- relat&oacute;rio.</para>
+ serão perdidos! Nós apreciamos extremamente a
+ sua submissão (este é um projeto
+ voluntário!); porque nós somos ocupados,
+ nós podemos não ter como tratá-la
+ imediatamente, mas ela permanecerá em nosso bando de
+ dados de <literal>PRs</literal> até que nós o
+ façamos. Marque a sua submissão incluindo a
+ palavra <literal>[PATCH]</literal> na sinópse do
+ relatório.</para>
<indexterm>
<primary><command>uuencode</command></primary>
</indexterm>
- <para>Se voc&ecirc; sentir que &eacute; apropriado (por ex.
- voc&ecirc; adicionou, deletou ou renomeou arquivos), empacote
- as suas mudan&ccedil;as em um arquivo <command>tar</command> e
+ <para>Se você sentir que é apropriado (por ex.
+ você adicionou, deletou ou renomeou arquivos), empacote
+ as suas mudanças em um arquivo <command>tar</command> e
execute o programa &man.uuencode.1; nele. Arquivos criados
- com o &man.shar.1; tamb&eacute;m s&atilde;o bem vindos.</para>
-
- <para>Se suas mudan&ccedil;as s&atilde;o de uma natureza
- potencialmente sens&iacute;vel, por ex. voc&ecirc;
- est&aacute; inseguro sob quais pol&iacute;ticas de direito
- autoral as novas vers&otilde;es ser&atilde;o
- distribu&iacute;das ou se voc&ecirc; simplesmente n&atilde;o
- est&aacute; pronto para liber&aacute;-las sem realizar
- primeiro uma revis&atilde;o cuidadosa; ent&atilde;o,
- voc&ecirc; deve envi&aacute;-las diretamente para o &a.core;
- ao inv&eacute;s de submet&ecirc;-las com o &man.send-pr.1;. A
- &a.core; alcan&ccedil;a um grupo muito menor de pessoas que
- cuidam de muitas das tarefas di&aacute;rias do FreeBSD.
- Observe que este grupo tamb&eacute;m &eacute; <emphasis>muito
- ocupado</emphasis> e assim voc&ecirc; s&oacute; deve enviar
- um e-mail a eles se for realmente necess&aacute;rio.</para>
+ com o &man.shar.1; também são bem vindos.</para>
+
+ <para>Se suas mudanças são de uma natureza
+ potencialmente sensível, por ex. você
+ está inseguro sob quais políticas de direito
+ autoral as novas versões serão
+ distribuídas ou se você simplesmente não
+ está pronto para liberá-las sem realizar
+ primeiro uma revisão cuidadosa; então,
+ você deve enviá-las diretamente para o &a.core;
+ ao invés de submetê-las com o &man.send-pr.1;. A
+ &a.core; alcança um grupo muito menor de pessoas que
+ cuidam de muitas das tarefas diárias do FreeBSD.
+ Observe que este grupo também é <emphasis>muito
+ ocupado</emphasis> e assim você só deve enviar
+ um e-mail a eles se for realmente necessário.</para>
<para>Por favor, consulte a &man.intro.9; e a &man.style.9; para
- obter alguma informa&ccedil;&atilde;o sobre o estilo de
- codifica&ccedil;&atilde;o. N&oacute;s apreciar&iacute;amos se
- voc&ecirc; estivesse ao menos ciente destas
- informa&ccedil;&otilde;es antes de submeter o seu
- c&oacute;digo.</para>
+ obter alguma informação sobre o estilo de
+ codificação. Nós apreciaríamos se
+ você estivesse ao menos ciente destas
+ informações antes de submeter o seu
+ código.</para>
</sect2>
<sect2>
- <title>C&oacute;digo Novo ou Pacotes Principais de Valor
+ <title>Código Novo ou Pacotes Principais de Valor
Adicional (<foreignphrase>Major Value-Added
Packages</foreignphrase>)</title>
- <para>No caso de uma contribui&ccedil;&atilde;o significativa de
- um trabalho de grande porte, ou a adi&ccedil;&atilde;o de uma
- nova caracter&iacute;stica importante ao FreeBSD, torna-se
- quase sempre necess&aacute;rio que se envie as
- altera&ccedil;&otilde;es em um arquivo <literal>tar
- uuencoded</literal> ou ent&atilde;o que se fa&ccedil;a o
+ <para>No caso de uma contribuição significativa de
+ um trabalho de grande porte, ou a adição de uma
+ nova característica importante ao FreeBSD, torna-se
+ quase sempre necessário que se envie as
+ alterações em um arquivo <literal>tar
+ uuencoded</literal> ou então que se faça o
<foreignphrase>upload</foreignphrase> das mesmas para um
servidor WWW ou FTP para que as outras pessoas possam
- acess&aacute;-las. Se voc&ecirc; n&atilde;o possui acesso a
+ acessá-las. Se você não possui acesso a
um servidor WWW ou FTP, pergunte em uma lista de
- discuss&atilde;o apropriada do FreeBSD se algu&eacute;m pode
- hospedar essas altera&ccedil;&otilde;es para
- voc&ecirc;.</para>
+ discussão apropriada do FreeBSD se alguém pode
+ hospedar essas alterações para
+ você.</para>
<para>Quando se trabalha com grandes quantidades de
- c&oacute;digo, o sens&iacute;vel assunto de direitos autorais
+ código, o sensível assunto de direitos autorais
invariavelmente vem a tona. Os direitos autorais aceitos para
- os c&oacute;digos inclu&iacute;dos no FreeBSD
- s&atilde;o:</para>
+ os códigos incluídos no FreeBSD
+ são:</para>
<orderedlist>
<listitem>
<indexterm><primary>Licensa BSD</primary></indexterm>
<para>Os direitos autorais BSD. Este tipo de licensa
- &eacute; a mais prefer&iacute;vel devido a sua natureza
- <quote>n&atilde;o restritiva</quote> e pela sua afinidade
+ é a mais preferível devido a sua natureza
+ <quote>não restritiva</quote> e pela sua afinidade
com iniciativas comerciais. Longe de desencorajar o uso
comercial, o Projeto FreeBSD encoraja ativamente tais
- participa&ccedil;&otilde;es, uma vez que estes interesses
+ participações, uma vez que estes interesses
comerciais podem eventualmente se converter em
- investimentos no pr&oacute;prio FreeBSD.</para>
+ investimentos no próprio FreeBSD.</para>
</listitem>
<listitem>
<indexterm><primary>GPL</primary><see>GNU General Public
License</see></indexterm>
- <indexterm><primary>Licen&ccedil;a P&uacute;blica Geral GNU
+ <indexterm><primary>Licença Pública Geral GNU
(<foreignphrase>GNU General Public
License</foreignphrase>)</primary></indexterm>
- <para>A licensa p&uacute;blica geral GNU, ou
- <quote>GPL</quote>. Esta licensa n&atilde;o &eacute;
- t&atilde;o popular conosco, devido aos esfor&ccedil;os
+ <para>A licensa pública geral GNU, ou
+ <quote>GPL</quote>. Esta licensa não é
+ tão popular conosco, devido aos esforços
extras que exigem de qualquer pessoa que venha a utilizar
- o c&oacute;digo com finalidades comerciais, mas dada a
- grande quantidade de c&oacute;digo GPL que n&oacute;s
+ o código com finalidades comerciais, mas dada a
+ grande quantidade de código GPL que nós
necessitamos atualmente (compilador, montador assembler,
formatador de texto, etc) seria tolice recusar
- contribui&ccedil;&otilde;es adicionais sob esta licensa.
- O c&oacute;digo sob a GPL tamb&eacute;m vai para uma parte
- diferente da &aacute;rvore, mais especificamente para
+ contribuições adicionais sob esta licensa.
+ O código sob a GPL também vai para uma parte
+ diferente da árvore, mais especificamente para
<filename>/sys/gnu</filename> ou
- <filename>/usr/src/gnu</filename>, de forma que &eacute;
- muito f&aacute;cil identific&aacute;-lo para qualquer um
+ <filename>/usr/src/gnu</filename>, de forma que é
+ muito fácil identificá-lo para qualquer um
que a GPL representa um problema.</para>
</listitem>
</orderedlist>
- <para>As contribui&ccedil;&otilde;es que v&ecirc;m sob qualquer
+ <para>As contribuições que vêm sob qualquer
outro tipo de licensa devem ser cuidadosamente revisadas antes
- de sua inclus&atilde;o no FreeBSD ser considerada.
- Contribui&ccedil;&otilde;es com algum tipo de
- restri&ccedil;&atilde;o particular ao seu uso comercial
- s&atilde;o geralmente rejeitadas, embora os autores sejam
- sempre incentivados a tornarem tais altera&ccedil;&atilde;o
- dispon&iacute;veis por meio de canais pr&oacute;prios.</para>
+ de sua inclusão no FreeBSD ser considerada.
+ Contribuições com algum tipo de
+ restrição particular ao seu uso comercial
+ são geralmente rejeitadas, embora os autores sejam
+ sempre incentivados a tornarem tais alteração
+ disponíveis por meio de canais próprios.</para>
<para>Para colocar o seu trabalho sob licensa
<quote>estilo-BSD</quote>, inclua o texto abaixo no
- in&iacute;cio de cada um dos arquivos que voc&ecirc; deseja
+ início de cada um dos arquivos que você deseja
proteger, substituindo o texto entre <literal>%%</literal> com
- as informa&ccedil;&otilde;es apropriadas:</para>
+ as informações apropriadas:</para>
<programlisting>Copyright (c) %%proper_years_here%%
%%your_name_here%%, %%your_state%% %%your_zip%%.
@@ -599,7 +599,7 @@ THIS SOFTWARE, EVEN IF ADVISED OF THE POSSIBILITY OF SUCH DAMAGE.
&#36;Id&#36;</programlisting>
- <para>Para a sua comodidade, uma c&oacute;pia deste texto pode
+ <para>Para a sua comodidade, uma cópia deste texto pode
ser encontrada em
<filename>/usr/share/examples/etc/bsd-style-copyright
</filename>.</para>
@@ -608,76 +608,76 @@ THIS SOFTWARE, EVEN IF ADVISED OF THE POSSIBILITY OF SUCH DAMAGE.
<sect2>
<title>Dinheiro, Hardware ou Acesso Internet</title>
- <para>N&oacute;s ficamos sempre muito felizes em aceitar
- doa&ccedil;&otilde;es para agregar a causa do Projeto FreeBSD,
- em um esfor&ccedil;o volunt&aacute;rio como o nosso, um pouco
- pode significar muito! Doa&ccedil;&otilde;es de
- <foreignphrase>hardware</foreignphrase> tamb&eacute;m
- s&atilde;o muito importantes para expandir a nossa lista de
- perif&eacute;ricos suportados, uma vez que normalmente
- n&atilde;o temos recursos para comprar estes &iacute;tens
- n&oacute;s mesmos.</para>
+ <para>Nós ficamos sempre muito felizes em aceitar
+ doações para agregar a causa do Projeto FreeBSD,
+ em um esforço voluntário como o nosso, um pouco
+ pode significar muito! Doações de
+ <foreignphrase>hardware</foreignphrase> também
+ são muito importantes para expandir a nossa lista de
+ periféricos suportados, uma vez que normalmente
+ não temos recursos para comprar estes ítens
+ nós mesmos.</para>
<sect3>
<title><anchor id="donations"/>Doando Dinheiro</title>
- <para>A Funda&ccedil;&atilde;o FreeBSD &eacute; uma entidade
+ <para>A Fundação FreeBSD é uma entidade
sem fins lucrativos e isenta de impostos, estabelecida com o
objetivo de promover os objetivos do Projeto FreeBSD. Como
- uma entidade 501(c)3, a funda&ccedil;&atilde;o &eacute;
+ uma entidade 501(c)3, a fundação é
isenta de recolher as taxas do governo federal, bem como as
- do Estado do Colorado. As doa&ccedil;&otilde;es para uma
- entidade isenta de impostos s&atilde;o freq&uuml;entemente
- dedut&iacute;veis dos impostos federais.</para>
+ do Estado do Colorado. As doações para uma
+ entidade isenta de impostos são freq&uuml;entemente
+ dedutíveis dos impostos federais.</para>
- <para>As doa&ccedil;&otilde;es podem ser enviadas
- atrav&eacute;s de cheques para: <address> The FreeBSD
+ <para>As doações podem ser enviadas
+ através de cheques para: <address> The FreeBSD
Foundation <street>7321 Brockway Dr.</street>
<city>Boulder</city>, <state>CO</state>
<postcode>80303</postcode> <country>USA</country>
</address>
</para>
- <para>A Funda&ccedil;&atilde;o FreeBSD &eacute; agora capaz de
- receber doa&ccedil;&otilde;es atrav&eacute;s da web com o
- PayPal. Para fazer uma doa&ccedil;&atilde;o; por favor,
+ <para>A Fundação FreeBSD é agora capaz de
+ receber doações através da web com o
+ PayPal. Para fazer uma doação; por favor,
visite o <ulink
- url="http://www.freebsdfoundation.org">s&iacute;tio
- www</ulink> da Funda&ccedil;&atilde;o.</para>
+ url="http://www.freebsdfoundation.org">sítio
+ www</ulink> da Fundação.</para>
- <para>Maiores informa&ccedil;&otilde;es sobre a
- Funda&ccedil;&atilde;o FreeBSD podem ser obtidas no
+ <para>Maiores informações sobre a
+ Fundação FreeBSD podem ser obtidas no
documento <ulink
url="http://people.freebsd.org/~jdp/foundation/announcement.html">A
- Funda&ccedil;&atilde;o FreeBSD - Uma
- introdu&ccedil;&atilde;o</ulink>. Para contatar a
- Funda&ccedil;&atilde;o por e-mail, escreva para
+ Fundação FreeBSD - Uma
+ introdução</ulink>. Para contatar a
+ Fundação por e-mail, escreva para
<email>bod@FreeBSDFoundation.org</email>.</para>
</sect3>
<sect3>
<title>Doando <foreignphrase>Hardware</foreignphrase></title>
- <indexterm><primary>doac&otilde;es</primary></indexterm>
+ <indexterm><primary>doacões</primary></indexterm>
<para>O projeto de FreeBSD aceita alegremente
- doa&ccedil;&otilde;es de
+ doações de
<foreignphrase>hardware</foreignphrase> para as quais pode
encontrar bom uso. Se voce estiver interessado em doar
componentes de <foreignphrase>hardware</foreignphrase>; por
favor, contate o <ulink
- url="http://www.FreeBSD.org/donations/">Escrit&oacute;rio
+ url="http://www.FreeBSD.org/donations/">Escritório
de Relacionamento com Doadores</ulink>.</para>
</sect3>
<sect3>
<title>Doando Acesso Internet</title>
- <para>N&oacute;s sempre podemos utilizar novos s&iacute;tios
- espelho para os servi&ccedil;os de FTP, WWW ou
- <command>cvsup</command>. Se voc&ecirc; desejar se tornar
- um s&iacute;tio espelho; por favor, consulte o artigo <ulink
+ <para>Nós sempre podemos utilizar novos sítios
+ espelho para os serviços de FTP, WWW ou
+ <command>cvsup</command>. Se você desejar se tornar
+ um sítio espelho; por favor, consulte o artigo <ulink
url="../../articles/hubs/index.html">Espelhando o FreeBSD
- </ulink> para maiores informa&ccedil;&otilde;es.</para>
+ </ulink> para maiores informações.</para>
</sect3>
</sect2>
</sect1>
diff --git a/pt_BR.ISO8859-1/books/faq/book.sgml b/pt_BR.ISO8859-1/books/faq/book.sgml
index 302f9e9b98..65bbf909f8 100644
--- a/pt_BR.ISO8859-1/books/faq/book.sgml
+++ b/pt_BR.ISO8859-1/books/faq/book.sgml
@@ -20,7 +20,7 @@
<title>Perguntas mais freq&uuml;entes sobre FreeBSD 2.X, 3.X e
4.X</title>
- <corpauthor>Projeto de Documenta&ccedil;&atilde;o do FreeBSD</corpauthor>
+ <corpauthor>Projeto de Documentação do FreeBSD</corpauthor>
<copyright>
<year>1995</year>
@@ -31,7 +31,7 @@
<year>2000</year>
<year>2001</year>
<year>2002</year>
- <holder>Projeto de Documenta&ccedil;&atilde;o do FreeBSD</holder>
+ <holder>Projeto de Documentação do FreeBSD</holder>
</copyright>
&legalnotice;
@@ -39,23 +39,23 @@
<releaseinfo>$FreeBSD$</releaseinfo>
<abstract>
- <para>Estas s&atilde;o as Perguntas Mais Freq&uuml;entes
- (<literal>FAQ</literal>) para as vers&otilde;es 2.X, 3.X e 4.X
+ <para>Estas são as Perguntas Mais Freq&uuml;entes
+ (<literal>FAQ</literal>) para as versões 2.X, 3.X e 4.X
do FreeBSD. Deve-se assumir que todos os assuntos aqui
- tratados s&atilde;o relevantes para FreeBSD 2.0.5 ou
- posterior, a n&atilde;o ser que o contr&aacute;rio esteja
+ tratados são relevantes para FreeBSD 2.0.5 ou
+ posterior, a não ser que o contrário esteja
explicitamente denotado. Todos os assuntos assinalados com
- &lt;XXX&gt; est&atilde;o em processo de desenvolvimento. Se
- voc&ecirc; estiver interessado em ajudar este projeto, envie
- e-mail para &a.doc;. A vers&atilde;o mais atualizada deste
- documento est&aacute; sempre dispon&iacute;vel no <ulink
+ &lt;XXX&gt; estão em processo de desenvolvimento. Se
+ você estiver interessado em ajudar este projeto, envie
+ e-mail para &a.doc;. A versão mais atualizada deste
+ documento está sempre disponível no <ulink
url="../../../../index.html">servidor WWW do
- FreeBSD</ulink>. Tamb&eacute;m pode ser obtida como um
- &uacute;nico grande arquivo <ulink
+ FreeBSD</ulink>. Também pode ser obtida como um
+ único grande arquivo <ulink
url="book.html">HTML</ulink> via HTTP; ou, como texto puro,
ou nos formatos postscript, PDF, etc. no <ulink
url="ftp://ftp.FreeBSD.org/pub/FreeBSD/doc/">servidor FTP do
- FreeBSD</ulink>. Voc&ecirc; tamb&eacute;m pode querer
+ FreeBSD</ulink>. Você também pode querer
<ulink url="../../../../search/index.html">realizar uma busca
nas Perguntas Mais Freq&uuml;entes
(<literal>FAQ</literal>)</ulink>.</para>
@@ -63,64 +63,64 @@
</bookinfo>
<chapter id="introduction">
- <title>Introdu&ccedil;&atilde;o</title>
+ <title>Introdução</title>
- <para>Bem vindo &agrave;s Perguntas Mais Freq&uuml;entes
- (<literal>FAQ</literal>) para as vers&otilde;es 2.X &agrave; 4.X
+ <para>Bem vindo às Perguntas Mais Freq&uuml;entes
+ (<literal>FAQ</literal>) para as versões 2.X à 4.X
do FreeBSD!</para>
- <para>Como &eacute; de costume em Perguntas Mais Freq&uuml;entes
+ <para>Como é de costume em Perguntas Mais Freq&uuml;entes
(<literal>FAQ</literal>) da Usenet, este documento pretende
cobrir as perguntas mais freq&uuml;entes relacionadas ao sistema
- operacional FreeBSD (e claro, respond&ecirc;-las todas!).
+ operacional FreeBSD (e claro, respondê-las todas!).
Embora originalmente tais documentos tivessem apenas a
- finalidade de reduzir a utiliza&ccedil;&atilde;o da largura de
+ finalidade de reduzir a utilização da largura de
banda da rede ao evitar que o mesmo tipo de pergunta antiga
fosse sempre repetida, <literal>FAQs</literal> tornaram-se
reconhecidamente uma fonte valiosa de
- informa&ccedil;&otilde;es.</para>
+ informações.</para>
- <para>In&uacute;meros esfor&ccedil;os foram feitos para tornar
- este <literal>FAQ</literal> o mais informativo poss&iacute;vel;
- se voc&ecirc; tiver alguma sugest&atilde;o de como esse
+ <para>Inúmeros esforços foram feitos para tornar
+ este <literal>FAQ</literal> o mais informativo possível;
+ se você tiver alguma sugestão de como esse
documento pode ser melhorado, sinta-se a vontade para enviar
- suas sugest&otilde;es por e-mail para o &a.faq;.</para>
+ suas sugestões por e-mail para o &a.faq;.</para>
<qandaset>
<qandaentry>
<question id="what-is-FreeBSD">
- <para>O que &eacute; FreeBSD?</para>
+ <para>O que é FreeBSD?</para>
</question>
<answer>
- <para>Em s&iacute;ntese, FreeBSD &eacute; um sistema
+ <para>Em síntese, FreeBSD é um sistema
operacional <foreignphrase>UN*X-like</foreignphrase> para
plataformas i386 e Alpha/AXP, baseado no
<quote>4.4BSD-Lite</quote> da Universidade da
- Calif&oacute;rnia em Berkeley, com alguns aprimoramentos
+ Califórnia em Berkeley, com alguns aprimoramentos
adotados do <quote>4.4BSD-Lite2</quote>. O FreeBSD
- tamb&eacute;m &eacute; baseado, indiretamente, na
- convers&atilde;o de William Jolitz conhecida como
+ também é baseado, indiretamente, na
+ conversão de William Jolitz conhecida como
<quote>386BSD</quote> para a plataforma i386 do
- <quote>Net/2</quote> da Universidade da Calif&oacute;rnia,
- em Berkeley; apesar que pouqu&iacute;ssimo c&oacute;digo
+ <quote>Net/2</quote> da Universidade da Califórnia,
+ em Berkeley; apesar que pouquíssimo código
originado do 386BSD ainda exista no FreeBSD. Uma
- descri&ccedil;&atilde;o mais abrangente do que &eacute;
+ descrição mais abrangente do que é
FreeBSD e como o sistema funciona, pode ser encontrada na
- <ulink url="../../../../index.html">p&aacute;gina
+ <ulink url="../../../../index.html">página
principal do FreeBSD</ulink>.</para>
- <para>O FreeBSD &eacute; amplamente utilizado por empresas,
- Provedores de Servi&ccedil;o Internet, pesquisadores,
- profissionais de inform&aacute;tica, estudantes e
- usu&aacute;rios dom&eacute;sticos no mundo todo, para
- trabalho, educa&ccedil;&atilde;o e
- recrea&ccedil;&atilde;o. Alguns destes exemplos podem ser
+ <para>O FreeBSD é amplamente utilizado por empresas,
+ Provedores de Serviço Internet, pesquisadores,
+ profissionais de informática, estudantes e
+ usuários domésticos no mundo todo, para
+ trabalho, educação e
+ recreação. Alguns destes exemplos podem ser
observados na <ulink
url="../../../../gallery/index.html">Galeria
FreeBSD,</ulink>.</para>
- <para>Para informa&ccedil;&otilde;es mais detalhadas sobre o
+ <para>Para informações mais detalhadas sobre o
FreeBSD, por favor, leia o <ulink
url="../handbook/index.html">&a.ptbr.p.handbook;</ulink>.</para>
</answer>
@@ -132,72 +132,72 @@
</question>
<answer>
- <para>O objetivo do Projeto FreeBSD &eacute; oferecer
+ <para>O objetivo do Projeto FreeBSD é oferecer
<foreignphrase>software</foreignphrase> que possa ser
utilizado para qualquer finalidade e sem
- obriga&ccedil;&otilde;es anexadas &agrave; esse
- c&oacute;digo. Muitos de n&oacute;s investimos
- significantemente no c&oacute;digo (e no projeto como um
- todo), e com certeza n&atilde;o nos importar&iacute;amos
- em receber algum tipo de compensa&ccedil;&atilde;o
+ obrigações anexadas à esse
+ código. Muitos de nós investimos
+ significantemente no código (e no projeto como um
+ todo), e com certeza não nos importaríamos
+ em receber algum tipo de compensação
financeira neste momento ou qualquer outro no futuro, mas
- ningu&eacute;m no projeto insistir&aacute; nisso.
+ ninguém no projeto insistirá nisso.
Acreditamos que a nossa primeira e mais importante
- miss&atilde;o &eacute; oferecer c&oacute;digo para toda e
+ missão é oferecer código para toda e
qualquer pessoa, que possa ser utilizado para qualquer
- prop&oacute;sito, de forma que esse c&oacute;digo
- ofere&ccedil;a o maior n&uacute;mero poss&iacute;vel de
- benef&iacute;cios e formas de uso. N&oacute;s acreditamos
- que este &eacute; um dos objetivos fundamentais do
- <foreignphrase>Software</foreignphrase> Livre, e &eacute;
- um dos quais n&oacute;s apoiamos com entusiasmo.</para>
-
- <para>O c&oacute;digo fonte em nossa &aacute;rvore que
- &eacute; distribu&iacute;do sob a <ulink
- url="http://www.FreeBSD.org/copyright/COPYING">Licen&ccedil;a
- P&uacute;blica Geral GNU (GPL)</ulink> ou sob a <ulink
+ propósito, de forma que esse código
+ ofereça o maior número possível de
+ benefícios e formas de uso. Nós acreditamos
+ que este é um dos objetivos fundamentais do
+ <foreignphrase>Software</foreignphrase> Livre, e é
+ um dos quais nós apoiamos com entusiasmo.</para>
+
+ <para>O código fonte em nossa árvore que
+ é distribuído sob a <ulink
+ url="http://www.FreeBSD.org/copyright/COPYING">Licença
+ Pública Geral GNU (GPL)</ulink> ou sob a <ulink
url="http://www.FreeBSD.org/copyright/COPYING.LIB">
- Licen&ccedil;a P&uacute;blica Geral de Bibliotecas GNU
+ Licença Pública Geral de Bibliotecas GNU
(LGPL)</ulink> inclue, pode-se dizer, algumas
- obriga&ccedil;&otilde;es anexadas a ele; contudo tais
- restri&ccedil;&otilde;es visam garantir o acesso livre a
- esse c&oacute;digo, e n&atilde;o o contr&aacute;rio.
- Devido &agrave; complexidades adicionais que envolvem a
- utiliza&ccedil;&atilde;o comercial de software licenciado
- sob GPL, n&oacute;s procuramos substituir tais softwares
+ obrigações anexadas a ele; contudo tais
+ restrições visam garantir o acesso livre a
+ esse código, e não o contrário.
+ Devido à complexidades adicionais que envolvem a
+ utilização comercial de software licenciado
+ sob GPL, nós procuramos substituir tais softwares
sob a mais relaxada <ulink
- url="http://www.FreeBSD.org/copyright/freebsd-license.html">licen&ccedil;a
+ url="http://www.FreeBSD.org/copyright/freebsd-license.html">licença
de direito autoral FreeBSD</ulink> sempre que
- poss&iacute;vel;.</para>
+ possível;.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="bsd-license-restrictions">
- <para>A licen&ccedil;a FreeBSD tem alguma
- restri&ccedil;&atilde;o?</para>
+ <para>A licença FreeBSD tem alguma
+ restrição?</para>
</question>
<answer>
- <para>Sim. Entrentanto, essas restri&ccedil;&otilde;es
- n&atilde;o definem regras a respeito de como o
- c&oacute;digo deve ser utilizado, mas de como voc&ecirc;
- deve tratar o Projeto FreeBSD ao utilizar c&oacute;digo
- distribu&iacute;do pelo mesmo. Se voc&ecirc; tem
- s&eacute;rias d&uacute;vidas sobre o licen&ccedil;iamento,
+ <para>Sim. Entrentanto, essas restrições
+ não definem regras a respeito de como o
+ código deve ser utilizado, mas de como você
+ deve tratar o Projeto FreeBSD ao utilizar código
+ distribuído pelo mesmo. Se você tem
+ sérias dúvidas sobre o licençiamento,
sinta-se a vontade para ler a <ulink
url="http://www.FreeBSD.org/copyright/freebsd-license.html">
- licen&ccedil;a</ulink>. Para os meramente curiosos, a
- licen&ccedil;a pode ser resumida em:</para>
+ licença</ulink>. Para os meramente curiosos, a
+ licença pode ser resumida em:</para>
<itemizedlist>
<listitem>
- <para>N&atilde;o alegue que o c&oacute;digo foi escrito
- por voc&ecirc;.</para>
+ <para>Não alegue que o código foi escrito
+ por você.</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>N&atilde;o nos processe se o c&oacute;digo
+ <para>Não nos processe se o código
falhar.</para>
</listitem>
</itemizedlist>
@@ -211,57 +211,57 @@
</question>
<answer>
- <para>Para maioria das pessoas, sim. Mas essa n&atilde;o
- &eacute; uma pergunta t&atilde;o simples assim.</para>
+ <para>Para maioria das pessoas, sim. Mas essa não
+ é uma pergunta tão simples assim.</para>
- <para>A maioria das pessoas, na verdade, n&atilde;o utiliza
- um sistema operacional. As aplica&ccedil;&otilde;es
- utilizadas pelos usu&aacute;rios &eacute; que realmente
- usam o sistema operacional. O FreeBSD &eacute; projetado
+ <para>A maioria das pessoas, na verdade, não utiliza
+ um sistema operacional. As aplicações
+ utilizadas pelos usuários é que realmente
+ usam o sistema operacional. O FreeBSD é projetado
de forma a oferecer um ambiente robusto e completo para as
- aplica&ccedil;&otilde;es. Suporta uma enorme variedade de
- navegadores internet, de su&iacute;tes de
- escrit&oacute;rio, clientes de e-mail, programas de
- manipula&ccedil;&atilde;o gr&aacute;fica, ambientes de
- programa&ccedil;&atilde;o, servidores e servi&ccedil;os de
- rede, e praticamente tudo mais que voc&ecirc; pode
- desejar. A maioria destas aplica&ccedil;&otilde;es podem
- ainda ser gerenciadas atrav&eacute;s da <ulink
- url="http://www.freebsd.org/ports/">Cole&ccedil;&atilde;o
+ aplicações. Suporta uma enorme variedade de
+ navegadores internet, de suítes de
+ escritório, clientes de e-mail, programas de
+ manipulação gráfica, ambientes de
+ programação, servidores e serviços de
+ rede, e praticamente tudo mais que você pode
+ desejar. A maioria destas aplicações podem
+ ainda ser gerenciadas através da <ulink
+ url="http://www.freebsd.org/ports/">Coleção
de <literal>Ports</literal></ulink>.</para>
- <para>Em circunst&acirc;ncias nas quais precise usar uma
- aplica&ccedil;&atilde;o dispon&iacute;vel apenas para um
- determinado sistema operacional, n&atilde;o &eacute;
- poss&iacute;vel substituir aquele sistema operacional.
- Entretanto, h&aacute; uma boa chance que alguma
- aplica&ccedil;&atilde;o similar &agrave; que voc&ecirc;
- precisa, exista para FreeBSD. Se voc&ecirc; quer ter,
- desde um s&oacute;lido conjunto de
- aplica&ccedil;&otilde;es para escrit&oacute;rio,
- at&eacute; um robusto e altamente escal&aacute;vel
+ <para>Em circunstâncias nas quais precise usar uma
+ aplicação disponível apenas para um
+ determinado sistema operacional, não é
+ possível substituir aquele sistema operacional.
+ Entretanto, há uma boa chance que alguma
+ aplicação similar à que você
+ precisa, exista para FreeBSD. Se você quer ter,
+ desde um sólido conjunto de
+ aplicações para escritório,
+ até um robusto e altamente escalável
servidor Internet, ou simplesmente uma
- esta&ccedil;&atilde;o de trabalho confi&aacute;vel, onde
- voc&ecirc; possa realizar seu trabalho sem
- interrup&ccedil;&otilde;es, FreeBSD provavelmente vai
- suprir todas as suas necessidades. In&uacute;meras
- pessoas pelo mundo todo, desde usu&aacute;rios novatos
- &agrave; administradores de sistemas UNIX experientes usam
- FreeBSD como seu &uacute;nico sistema operacional para
+ estação de trabalho confiável, onde
+ você possa realizar seu trabalho sem
+ interrupções, FreeBSD provavelmente vai
+ suprir todas as suas necessidades. Inúmeras
+ pessoas pelo mundo todo, desde usuários novatos
+ à administradores de sistemas UNIX experientes usam
+ FreeBSD como seu único sistema operacional para
<foreignphrase>desktop</foreignphrase>.</para>
- <para>Se voc&ecirc; est&aacute; migrando para FreeBSD a
+ <para>Se você está migrando para FreeBSD a
partir de algum outro ambiente UNIX, provavelmente
- j&aacute; sabe quase tudo o que precisa pra come&ccedil;ar
+ já sabe quase tudo o que precisa pra começar
a se envolver com o sistema. Entretanto, se o seu
- hist&oacute;rico em computa&ccedil;&atilde;o envolveu
+ histórico em computação envolveu
somente sistemas operacionais baseados em ambientes
- gr&aacute;ficos como Windows e antigos Mac OS, ser&aacute;
- necess&aacute;rio investir algum tempo a mais aprendendo a
+ gráficos como Windows e antigos Mac OS, será
+ necessário investir algum tempo a mais aprendendo a
maneira UNIX de fazer as coisas. Este
<literal>FAQ</literal> e o <ulink
url="../handbook/index.html">&a.ptbr.p.handbook;</ulink>
- s&atilde;o excelentes formas de come&ccedil;ar sua
+ são excelentes formas de começar sua
jornada.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -275,236 +275,236 @@
<itemizedlist>
<listitem>
<para>Pode ser utilizado sem nenhum encargo
- monet&aacute;rio, inclusive para uso comercial.</para>
+ monetário, inclusive para uso comercial.</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>O c&oacute;digo fonte completo do sistema
- operacional &eacute; livremente distribu&iacute;do, e
+ <para>O código fonte completo do sistema
+ operacional é livremente distribuído, e
pode ser adquirido gratuitamente. O menor
- n&uacute;mero poss&iacute;vel de
- restri&ccedil;&otilde;es foram colocadas sobre o uso
- do sistema, sua distribui&ccedil;&atilde;o e sua
- incorpora&ccedil;&atilde;o &agrave; outro projeto
- (comercial ou n&atilde;o).</para>
+ número possível de
+ restrições foram colocadas sobre o uso
+ do sistema, sua distribuição e sua
+ incorporação à outro projeto
+ (comercial ou não).</para>
</listitem>
<listitem>
<para>Qualquer pessoa que tiver feito alguma
- corre&ccedil;&atilde;o ou aprimoramento do
- c&oacute;digo do sistema pode livremente enviar suas
- altera&ccedil;&otilde;es e ter seu c&oacute;digo
- adicionado &agrave; &aacute;rvore de c&oacute;digo
- fonte do sistema (obviamente sujeito a pr&eacute;vias
- an&aacute;lises).</para>
+ correção ou aprimoramento do
+ código do sistema pode livremente enviar suas
+ alterações e ter seu código
+ adicionado à árvore de código
+ fonte do sistema (obviamente sujeito a prévias
+ análises).</para>
</listitem>
</itemizedlist>
- <para>&Eacute; importante ressaltar que a palavra de origem
- inglesa <quote>free</quote> em portugu&ecirc;s pode ser
+ <para>É importante ressaltar que a palavra de origem
+ inglesa <quote>free</quote> em português pode ser
traduzida como <quote>livre</quote> e
- <quote>gratuito</quote>. Al&eacute;m disso, a palavra
- <quote>free</quote> est&aacute; sendo usada aqui com dois
- significados: <quote>sem custo</quote> e <quote>voc&ecirc;
+ <quote>gratuito</quote>. Além disso, a palavra
+ <quote>free</quote> está sendo usada aqui com dois
+ significados: <quote>sem custo</quote> e <quote>você
pode fazer o que quiser</quote>. <quote>Free</quote> no
nome do sistema operacional remete aos dois significados
da palavra. O sistema pode ser utilizado <quote>sem
nenhum custo</quote>, e pode ser utilizado <quote>da
- forma que voc&ecirc; quiser</quote>. Exceto por algumas
- poucas coisinhas que voc&ecirc; n&atilde;o pode fazer com
- o FreeBSD (por exemplo, fingir que foi voc&ecirc; quem o
- escreveu), voc&ecirc; pode realmente fazer o que bem
+ forma que você quiser</quote>. Exceto por algumas
+ poucas coisinhas que você não pode fazer com
+ o FreeBSD (por exemplo, fingir que foi você quem o
+ escreveu), você pode realmente fazer o que bem
entender com o sistema.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="latest-version">
- <para>Qual a vers&atilde;o mais recente do FreeBSD?</para>
+ <para>Qual a versão mais recente do FreeBSD?</para>
</question>
<answer>
- <para>A vers&atilde;o <ulink
+ <para>A versão <ulink
url="ftp://ftp.FreeBSD.org/pub/FreeBSD/releases/i386/&rel.current;-RELEASE/">&rel.current;</ulink>
- &eacute; a vers&atilde;o <emphasis>RELEASE</emphasis> mais
- recente; lan&ccedil;ada em &rel.current.date;. Esta
- tamb&eacute;m &eacute; a vers&atilde;o
+ é a versão <emphasis>RELEASE</emphasis> mais
+ recente; lançada em &rel.current.date;. Esta
+ também é a versão
<emphasis>STABLE</emphasis> mais recente.</para>
- <para>Resumidamente, <emphasis>-STABLE</emphasis> &eacute; a
- s&eacute;rie voltada para Provedores de Servi&ccedil;o de
- Internet, usu&aacute;rios corporativos, ou qualquer
- usu&aacute;rio que deseje estabilidade e um n&uacute;mero
- m&iacute;nimo de altera&ccedil;&otilde;es e novas
- caracter&iacute;sticas adotadas do
+ <para>Resumidamente, <emphasis>-STABLE</emphasis> é a
+ série voltada para Provedores de Serviço de
+ Internet, usuários corporativos, ou qualquer
+ usuário que deseje estabilidade e um número
+ mínimo de alterações e novas
+ características adotadas do
<foreignphrase>snapshot</foreignphrase>
- <emphasis>-CURRENT</emphasis>. Lan&ccedil;amentos podem
+ <emphasis>-CURRENT</emphasis>. Lançamentos podem
vir de qualquer um dos ramos de desenvolvimento; a
- s&eacute;rie <emphasis>-CURRENT</emphasis>, todavia,
- deveria ser utilizada apenas por usu&aacute;rios
+ série <emphasis>-CURRENT</emphasis>, todavia,
+ deveria ser utilizada apenas por usuários
preparados para um ambiente em constante
- modifica&ccedil;&atilde;o, inst&aacute;vel em muitas de
- suas caracter&iacute;sticas e extremamente sem garantias
+ modificação, instável em muitas de
+ suas características e extremamente sem garantias
(ao menos, quando comparado ao
<emphasis>-STABLE</emphasis>).</para>
- <para>Lan&ccedil;amentos s&atilde;o realizados <link
+ <para>Lançamentos são realizados <link
linkend="release-freq">de alguns em alguns meses</link>.
- Muitos usu&aacute;rios mant&eacute;m o c&oacute;digo fonte
- de seus sistemas em mais sincronia com a &aacute;rvore de
+ Muitos usuários mantém o código fonte
+ de seus sistemas em mais sincronia com a árvore de
desenvolvimento do FreeBSD (veja as perguntas sobre <link
linkend="current">FreeBSD-CURRENT</link> e <link
linkend="stable">FreeBSD-STABLE</link>) que isto, fazer
- isto &eacute; uma demonstra&ccedil;&atilde;o de interesse
- e compromisso visto que o c&oacute;digo fonte sofre
- constantes modifica&ccedil;&otilde;es.</para>
+ isto é uma demonstração de interesse
+ e compromisso visto que o código fonte sofre
+ constantes modificações.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="current">
- <para>O que &eacute; FreeBSD-CURRENT?</para>
+ <para>O que é FreeBSD-CURRENT?</para>
</question>
<answer>
<para><ulink
url="../handbook/cutting-edge.html#CURRENT">FreeBSD-CURRENT</ulink>
- &eacute; a vers&atilde;o de desenvolvimento do sistema
- operacional, que brevemente se tornar&aacute; a
- s&eacute;rie 5.0-<literal>RELEASE</literal>. Exatamente
- por ser uma s&eacute;rie de desenvolvimento, e portanto
+ é a versão de desenvolvimento do sistema
+ operacional, que brevemente se tornará a
+ série 5.0-<literal>RELEASE</literal>. Exatamente
+ por ser uma série de desenvolvimento, e portanto
sem garantias de estabilidade, o uso desse sistema
- operacional &eacute; de interesse exclusivo de
- desenvolvedores que trabalham no sistema, usu&aacute;rios
+ operacional é de interesse exclusivo de
+ desenvolvedores que trabalham no sistema, usuários
extremamente experientes que acompanham e analisam
(testam) o novo sistema ou daqueles que o fazem por
<foreignphrase>hobby</foreignphrase>. Veja a <ulink
- url="../handbook/cutting-edge.html#CURRENT">se&ccedil;&atilde;o
+ url="../handbook/cutting-edge.html#CURRENT">seção
relevante</ulink> no <ulink
url="../handbook/index.html">&a.ptbr.p.handbook;</ulink>.</para>
- <para>Se voc&ecirc; n&atilde;o tem familiaridade com o
- sistema operacional, n&atilde;o &eacute; um usu&aacute;rio
- experiente ou n&atilde;o consegue distinguir a
- diferen&ccedil;a entre um problema de verdade e um
- problema tempor&aacute;rio, ent&atilde;o &eacute;
- desaconselh&aacute;vel que voc&ecirc; use o
- FreeBSD-CURRENT. Essa s&eacute;rie, as vezes, evolui de
- forma extremamente r&aacute;pida, e pode se tornar
- extremamente inst&aacute;vel e subutiliz&aacute;vel por
- v&aacute;rios dias seguidos. Usu&aacute;rios do
+ <para>Se você não tem familiaridade com o
+ sistema operacional, não é um usuário
+ experiente ou não consegue distinguir a
+ diferença entre um problema de verdade e um
+ problema temporário, então é
+ desaconselhável que você use o
+ FreeBSD-CURRENT. Essa série, as vezes, evolui de
+ forma extremamente rápida, e pode se tornar
+ extremamente instável e subutilizável por
+ vários dias seguidos. Usuários do
FreeBSD-CURRENT devem ser capazes de analisar qualquer
problema no sistema, e apenas relatar a falha se o
problema tratar-se de um erro ou um engano no
- desenvolvimento do mesmo ao inv&eacute;s de
- <quote>pequenos problemas tempor&aacute;rios de
+ desenvolvimento do mesmo ao invés de
+ <quote>pequenos problemas temporários de
instabilidade
(<foreignphrase>glitches</foreignphrase>)</quote>.
- Perguntas sobre o porqu&ecirc; de <quote>make world
- produzir erros a respeito de grupos</quote> s&atilde;o
+ Perguntas sobre o porquê de <quote>make world
+ produzir erros a respeito de grupos</quote> são
devidamente ignoradas ou escrachadas na lista de
- discuss&atilde;o da s&eacute;rie -CURRENT.</para>
+ discussão da série -CURRENT.</para>
<para>Diariamente, <ulink
url="../../../../releases/snapshots.html"><foreignphrase>snapshots</foreignphrase></ulink>
- s&atilde;o lan&ccedil;ados baseados no estado atual de
+ são lançados baseados no estado atual de
desenvolvimento dos ramos -CURRENT e -STABLE. Atualmente,
- distribui&ccedil;&otilde;es ocasionais de
- <foreignphrase>snapshots</foreignphrase> est&atilde;o
- sendo disponibilizadas. Os objetivos por tr&aacute;s do
- lan&ccedil;amento de cada
- <foreignphrase>snapshot</foreignphrase> s&atilde;o:</para>
+ distribuições ocasionais de
+ <foreignphrase>snapshots</foreignphrase> estão
+ sendo disponibilizadas. Os objetivos por trás do
+ lançamento de cada
+ <foreignphrase>snapshot</foreignphrase> são:</para>
<itemizedlist>
<listitem>
- <para>Testar a vers&atilde;o mais recente do programa de
- instala&ccedil;&atilde;o.</para>
+ <para>Testar a versão mais recente do programa de
+ instalação.</para>
</listitem>
<listitem>
<para>Dar a oportunidade para aqueles que querem usar o
- -CURRENT ou o -STABLE - mas n&atilde;o tem tempo ou
- n&atilde;o tem uma conex&atilde;o Internet
- r&aacute;pida o suficiente para estarem diariamente
- sincronizados com a vers&atilde;o mais atualizada do
- c&oacute;digo no projeto.</para>
+ -CURRENT ou o -STABLE - mas não tem tempo ou
+ não tem uma conexão Internet
+ rápida o suficiente para estarem diariamente
+ sincronizados com a versão mais atualizada do
+ código no projeto.</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>Manter um ponto de refer&ecirc;ncia fixo, em
- rela&ccedil;&atilde;o ao c&oacute;digo em
- desenvolvimento e o c&oacute;digo dispon&iacute;vel
- at&eacute; ent&atilde;o, para o caso de n&oacute;s
+ <para>Manter um ponto de referência fixo, em
+ relação ao código em
+ desenvolvimento e o código disponível
+ até então, para o caso de nós
seriamente <quote>quebrarmos</quote> alguma coisa.
(Embora CVS normalmente previna que desastres
- horr&iacute;veis como este aconte&ccedil;am :)</para>
+ horríveis como este aconteçam :)</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>Garantir que todas as novas caracter&iacute;sticas
- e fun&ccedil;&otilde;es do sistema que precisem ser
- testadas, tenham o maior n&uacute;mero poss&iacute;vel
+ <para>Garantir que todas as novas características
+ e funções do sistema que precisem ser
+ testadas, tenham o maior número possível
de pessoas potencialmente testando-as.</para>
</listitem>
</itemizedlist>
- <para>Sob nenhuma circunst&acirc;ncia, nenhum
+ <para>Sob nenhuma circunstância, nenhum
<foreignphrase>snapshot</foreignphrase> -CURRENT pode ser
considerado software de <quote>qualidade de
- produ&ccedil;&atilde;o</quote> para qualquer que seja o
- prop&oacute;sito, e por mais maduro que o c&oacute;digo
- -CURRENT atual possa parecer. Se a inten&ccedil;&atilde;o
- &eacute; usar um sistema est&aacute;vel e completamente
- testado, voc&ecirc; dever&aacute; usar apenas
- lan&ccedil;amentos, ou
+ produção</quote> para qualquer que seja o
+ propósito, e por mais maduro que o código
+ -CURRENT atual possa parecer. Se a intenção
+ é usar um sistema estável e completamente
+ testado, você deverá usar apenas
+ lançamentos, ou
<foreignphrase>snapshots</foreignphrase> do ramo
-STABLE.</para>
<para>Os <foreignphrase>snapshots</foreignphrase>
- lan&ccedil;ados podem ser diretamente acessados em <ulink
+ lançados podem ser diretamente acessados em <ulink
url="ftp://current.FreeBSD.org/pub/FreeBSD/">
ftp://current.FreeBSD.org/pub/FreeBSD/</ulink> para a
- s&eacute;rie 5.0-CURRENT e em <ulink
+ série 5.0-CURRENT e em <ulink
url="ftp://releng4.FreeBSD.org/pub/FreeBSD">
releng4.FreeBSD.org</ulink> para
- <foreignphrase>snapshots</foreignphrase> da s&eacute;rie
+ <foreignphrase>snapshots</foreignphrase> da série
4-STABLE. <foreignphrase>Snapshots</foreignphrase> para a
- s&eacute;rie 3-STABLE n&atilde;o est&atilde;o sendo
+ série 3-STABLE não estão sendo
produzidos na data em que este documento foi escrito (Maio
de 2000).</para>
- <para>Normalmente, os snapshots s&atilde;o gerados uma vez
- ao dia, para todas as s&eacute;ries em desenvolvimento
+ <para>Normalmente, os snapshots são gerados uma vez
+ ao dia, para todas as séries em desenvolvimento
ativo.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="stable">
- <para>Qual o conceito por tr&aacute;s do
+ <para>Qual o conceito por trás do
FreeBSD-STABLE?</para>
</question>
<answer>
- <para>Nos prim&oacute;rdios do projeto quando o FreeBSD
- 2.0.5 foi lan&ccedil;ado, a &aacute;rvore de
+ <para>Nos primórdios do projeto quando o FreeBSD
+ 2.0.5 foi lançado, a árvore de
desenvolvimento do sistema foi dividida em dois ramos. Um
ramo foi chamado <ulink
url="../handbook/current-stable.html#STABLE">-STABLE</ulink>
e o outro <ulink
url="../handbook/current-stable.html#CURRENT">-CURRENT</ulink>.
- O FreeBSD-STABLE &eacute; direcionado para Provedores de
- Servi&ccedil;os de Internet e para outros empreendimentos
- comerciais que n&atilde;o pretendem conviver com
- mudan&ccedil;as bruscas ou testar novas
- caracter&iacute;sticas experimentais do sistema. Ele
- recebe apenas c&oacute;digo que tenha sido totalmente
- testado, corre&ccedil;&otilde;es de problemas e outras
- pequenas inova&ccedil;&otilde;es incrementais. O
+ O FreeBSD-STABLE é direcionado para Provedores de
+ Serviços de Internet e para outros empreendimentos
+ comerciais que não pretendem conviver com
+ mudanças bruscas ou testar novas
+ características experimentais do sistema. Ele
+ recebe apenas código que tenha sido totalmente
+ testado, correções de problemas e outras
+ pequenas inovações incrementais. O
FreeBSD-CURRENT, por outro lado, tem sido uma linha sem
- interrup&ccedil;&otilde;es visando ao 5.0-RELEASE (e
- al&eacute;m) desde o lan&ccedil;amento 2.0. Se uma
- pequena ilustra&ccedil;&atilde;o em arte ASCII ajudasse,
+ interrupções visando ao 5.0-RELEASE (e
+ além) desde o lançamento 2.0. Se uma
+ pequena ilustração em arte ASCII ajudasse,
isto seria o que pareceria:</para>
@@ -531,7 +531,7 @@
| (Mai 1999) (Set 1999) (Dez 1999) (Jun 2000) (Jul 2000)
|
| [4.0-STABLE]
- *BRANCH* 4.0 (Mar 2000) -&gt; 4.1 -&gt; 4.1.1 -&gt; 4.2 -&gt; 4.3 -&gt; 4.4 -&gt; ... Lan&ccedil;amentos 4.x futuro ...
+ *BRANCH* 4.0 (Mar 2000) -&gt; 4.1 -&gt; 4.1.1 -&gt; 4.2 -&gt; 4.3 -&gt; 4.4 -&gt; ... Lançamentos 4.x futuro ...
|
| (Jul 2000) (Set 2000) (Nov 2000)
\|/
@@ -539,91 +539,91 @@
[5.0-CURRENT continua]</programlisting>
- <para>O ramo 2.2-STABLE saiu de produ&ccedil;&atilde;o com o
- lan&ccedil;amento 2.2.8. O ramo 3-STABLE saiu de
- produ&ccedil;&atilde;o com o lan&ccedil;amento 3.5.1, que
- foi tamb&eacute;m o &uacute;ltimo -RELEASE 3.X. As
- &uacute;nicas modifica&ccedil;&otilde;es ainda realizadas
- em quaisquer destes ramos s&atilde;o praticamente
- relacionados apenas &agrave; corre&ccedil;&otilde;es de
- seguran&ccedil;a.</para>
+ <para>O ramo 2.2-STABLE saiu de produção com o
+ lançamento 2.2.8. O ramo 3-STABLE saiu de
+ produção com o lançamento 3.5.1, que
+ foi também o último -RELEASE 3.X. As
+ únicas modificações ainda realizadas
+ em quaisquer destes ramos são praticamente
+ relacionados apenas à correções de
+ segurança.</para>
- <para>O 4-STABLE &eacute; o ramo -STABLE em desenvolvimento
- ativo. A vers&atilde;o mais recente da s&eacute;rie
- 4-STABLE &eacute; &rel.current;-RELEASE, lan&ccedil;ada em
+ <para>O 4-STABLE é o ramo -STABLE em desenvolvimento
+ ativo. A versão mais recente da série
+ 4-STABLE é &rel.current;-RELEASE, lançada em
&rel.current.date;.</para>
- <para>O ramo 5-CURRENT est&aacute; lentamente progredindo
- para o que se tornar&aacute; o FreeBSD 5.0-RELEASE e
- al&eacute;m. Veja <link linkend="current">O que &eacute;
+ <para>O ramo 5-CURRENT está lentamente progredindo
+ para o que se tornará o FreeBSD 5.0-RELEASE e
+ além. Veja <link linkend="current">O que é
FreeBSD-CURRENT?</link> para obter mais
- informa&ccedil;&otilde;es sobre este ramo.</para>
+ informações sobre este ramo.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="release-freq">
- <para>Quando s&atilde;o realizados lan&ccedil;amentos
+ <para>Quando são realizados lançamentos
FreeBSD?</para>
</question>
<answer>
- <para>O &a.re; lan&ccedil;a uma nova vers&atilde;o do
- FreeBSD, em m&eacute;dia, a cada 4 meses. As datas de
- lan&ccedil;amento s&atilde;o anunciadas com uma certa
- anteced&ecirc;ncia, de forma que os desenvolvedores
+ <para>O &a.re; lança uma nova versão do
+ FreeBSD, em média, a cada 4 meses. As datas de
+ lançamento são anunciadas com uma certa
+ antecedência, de forma que os desenvolvedores
trabalhando no sistema saibam quando seus projetos
- precisam estar terminados e testados. Um per&iacute;odo
- de testes antecede cada novo lan&ccedil;amento, de forma a
- garantir que a adi&ccedil;&atilde;o de novas
- caracter&iacute;sticas n&atilde;o comprometa a
- estabilidade do lan&ccedil;amento. Muitos usu&aacute;rios
- consideram tais precau&ccedil;&otilde;es uma das
+ precisam estar terminados e testados. Um período
+ de testes antecede cada novo lançamento, de forma a
+ garantir que a adição de novas
+ características não comprometa a
+ estabilidade do lançamento. Muitos usuários
+ consideram tais precauções uma das
principais vantagens do projeto FreeBSD, mesmo admitindo
que, as vezes, esperar que as novidades sejam adotadas
pelo ramo -STABLE possa ser um pouco frustante.</para>
- <para>Mais informa&ccedil;&otilde;es sobre o processo de
- engenharia de lan&ccedil;amento (incluindo a
- programa&ccedil;&atilde;o de novos lan&ccedil;amentos)
- podem ser obtidas nas p&aacute;ginas de <ulink
+ <para>Mais informações sobre o processo de
+ engenharia de lançamento (incluindo a
+ programação de novos lançamentos)
+ podem ser obtidas nas páginas de <ulink
url="http://www.FreeBSD.org/releng/index.html">engenharia
- de lan&ccedil;amento</ulink> no s&iacute;tio WWW do
+ de lançamento</ulink> no sítio WWW do
FreeBSD.</para>
<para>Para as pessoas que precisam, ou desejam um pouco mais
- de emo&ccedil;&atilde;o,
- <foreignphrase>snapshots</foreignphrase> bin&aacute;rios
- s&atilde;o feitos diariamente como discutido acima.</para>
+ de emoção,
+ <foreignphrase>snapshots</foreignphrase> binários
+ são feitos diariamente como discutido acima.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="responsible">
- <para>Quem &eacute; respons&aacute;vel pelo FreeBSD?</para>
+ <para>Quem é responsável pelo FreeBSD?</para>
</question>
<answer>
- <para>As principais decis&otilde;es relacionadas ao Projeto
- FreeBSD, como os objetivos e dire&ccedil;&atilde;o geral
- do projeto, e quem tem permiss&atilde;o para adicionar
- c&oacute;digo &agrave; &aacute;rvore de c&oacute;digo,
- s&atilde;o tomadas por um <ulink
+ <para>As principais decisões relacionadas ao Projeto
+ FreeBSD, como os objetivos e direção geral
+ do projeto, e quem tem permissão para adicionar
+ código à árvore de código,
+ são tomadas por um <ulink
url="../../articles/contributors/article.html#STAFF-CORE">grupo
central (<literal>core team</literal>)</ulink> composto
de 9 pessoas. Existe um grupo muito maior, composto de
mais de 200 desenvolvedores, denominados <ulink
url="../../articles/contributors/article.html#STAFF-COMMITTERS"><foreignphrase>committers</foreignphrase></ulink>,
- que tem autoriza&ccedil;&atilde;o para fazer
- altera&ccedil;&otilde;es diretamente na &aacute;rvore de
- c&oacute;digo do FreeBSD.</para>
+ que tem autorização para fazer
+ alterações diretamente na árvore de
+ código do FreeBSD.</para>
- <para>Entretanto, a maioria das altera&ccedil;&otilde;es
- n&atilde;o triviais s&atilde;o previamente discutidas nas
+ <para>Entretanto, a maioria das alterações
+ não triviais são previamente discutidas nas
<link linkend="mailing"> listas de
- discuss&otilde;es</link>, e n&atilde;o existe
- restri&ccedil;&atilde;o quanto a quem pode participar das
- discuss&otilde;es.</para>
+ discussões</link>, e não existe
+ restrição quanto a quem pode participar das
+ discussões.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -633,49 +633,49 @@
</question>
<answer>
- <para>Todo lan&ccedil;amento significativo do FreeBSD
- est&aacute; dispon&iacute;vel via FTP an&ocirc;nimo no
+ <para>Todo lançamento significativo do FreeBSD
+ está disponível via FTP anônimo no
<ulink
- url="ftp://ftp.FreeBSD.org/pub/FreeBSD/">s&iacute;tio
+ url="ftp://ftp.FreeBSD.org/pub/FreeBSD/">sítio
FTP do Projeto FreeBSD</ulink>:</para>
<itemizedlist>
<listitem>
- <para>Para obter o lan&ccedil;amento 3.X-STABLE
+ <para>Para obter o lançamento 3.X-STABLE
corrente, 3.5.1-RELEASE, veja <ulink
- url="ftp://ftp.FreeBSD.org/pub/FreeBSD/releases/i386/3.5.1-RELEASE/">diret&oacute;rio
+ url="ftp://ftp.FreeBSD.org/pub/FreeBSD/releases/i386/3.5.1-RELEASE/">diretório
3.5.1-RELEASE</ulink>.</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>O lan&ccedil;amento 4-STABLE corrente,
+ <para>O lançamento 4-STABLE corrente,
&rel.current;-RELEASE pode ser encontrado no <ulink
- url="ftp://ftp.FreeBSD.org/pub/FreeBSD/releases/i386/&rel.current;-RELEASE/">diret&oacute;rio
+ url="ftp://ftp.FreeBSD.org/pub/FreeBSD/releases/i386/&rel.current;-RELEASE/">diretório
&rel.current;-RELEASE</ulink>.</para>
</listitem>
<listitem>
<para><ulink
url="ftp://releng4.FreeBSD.org/pub/FreeBSD/"><foreignphrase>Snapshots</foreignphrase>
- 4.X</ulink> s&atilde;o normalmente criados uma vez
+ 4.X</ulink> são normalmente criados uma vez
ao dia.</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>Lan&ccedil;amentos <ulink
+ <para>Lançamentos <ulink
url="ftp://current.FreeBSD.org/pub/FreeBSD/"><foreignphrase>Snapshot</foreignphrase>
- 5.0</ulink> s&atilde;o feitos uma vez ao dia no ramo
- <link linkend="current">-CURRENT</link>, &uacute;til
+ 5.0</ulink> são feitos uma vez ao dia no ramo
+ <link linkend="current">-CURRENT</link>, útil
apenas tanto para aqueles que gostam de viver no
limite quanto para aqueles que precisam usar a
- vers&atilde;o mais recente poss&iacute;vel com todas
- as &uacute;ltimas caracter&iacute;sticas; sejam pessoas
+ versão mais recente possível com todas
+ as últimas características; sejam pessoas
conduzindo testes ou desenvolvedores.</para>
</listitem>
</itemizedlist>
- <para>Informa&ccedil;&atilde;o sobre como obter o FreeBSD em
- CD, DVD, e outras m&iacute;dias, pode ser encontrada no
+ <para>Informação sobre como obter o FreeBSD em
+ CD, DVD, e outras mídias, pode ser encontrada no
<ulink
url="../handbook/mirrors.html">&a.ptbr.p.handbook;</ulink>.</para>
</answer>
@@ -683,65 +683,65 @@
<qandaentry>
<question id="access-pr">
- <para>Como eu acesso o banco de dados de Relat&oacute;rios
+ <para>Como eu acesso o banco de dados de Relatórios
de Problemas?</para>
</question>
<answer>
- <para>A base de dados de Relat&oacute;rios de Problemas
- &eacute; um banco de pedidos de altera&ccedil;&otilde;es
- realizados pelos usu&aacute;rios. Todos os pedidos de
- altera&ccedil;&atilde;o j&aacute; realizados podem ser
- consultados (ou novos submetidos) atrav&eacute;s de
+ <para>A base de dados de Relatórios de Problemas
+ é um banco de pedidos de alterações
+ realizados pelos usuários. Todos os pedidos de
+ alteração já realizados podem ser
+ consultados (ou novos submetidos) através de
nossas interfaces PR WWW para <ulink
url="http://www.FreeBSD.org/send-pr.html">submeter
(novos pedidos)</ulink> e <ulink
url="http://www.FreeBSD.org/cgi/query-pr-summary.cgi?query">consultar
- (j&aacute; submetidos)</ulink>.
- O comando &man.send-pr.1; tamb&eacute;m pode ser usado
- para submeter relat&oacute;rios de problema e pedidos
- de altera&ccedil;&atilde;o por meio de correio
- eletr&ocirc;nico.</para>
+ (já submetidos)</ulink>.
+ O comando &man.send-pr.1; também pode ser usado
+ para submeter relatórios de problema e pedidos
+ de alteração por meio de correio
+ eletrônico.</para>
- <para>Antes de enviar um relat&oacute;rio de problema, por
+ <para>Antes de enviar um relatório de problema, por
favor, leia o artigo <ulink
url="../../articles/problem-reports/article.html">Escrevendo
- Relat&oacute;rios de Problemas para o FreeBSD</ulink>,
- que d&aacute; boas dicas de como escrever um bom
- relat&oacute;rio de problema.</para>
+ Relatórios de Problemas para o FreeBSD</ulink>,
+ que dá boas dicas de como escrever um bom
+ relatório de problema.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="become-web-mirror">
- <para>Como eu me torno um espelho do s&iacute;tio WWW
+ <para>Como eu me torno um espelho do sítio WWW
FreeBSD?</para>
</question>
<answer>
- <para>Existam v&aacute;rias formas de espelhar o
- s&iacute;tio WWW do FreeBSD.</para>
+ <para>Existam várias formas de espelhar o
+ sítio WWW do FreeBSD.</para>
<itemizedlist>
<listitem>
- <para>Voc&ecirc; pode obter os arquivos j&aacute;
+ <para>Você pode obter os arquivos já
formatados a partir de um servidor CVSup FreeBSD
usando o aplicativo <filename
role="package">net/cvsup</filename>. O arquivo
<filename>/usr/share/examples/cvsup/www-supfile</filename>
- oferece um exemplo de configura&ccedil;&atilde;o do
+ oferece um exemplo de configuração do
CVSup para espelhar o servidor WWW do projeto
FreeBSD.</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>Voc&ecirc; pode obter o c&oacute;digo fonte do
- s&iacute;tio WWW do projeto FreeBSD a partir de
+ <para>Você pode obter o código fonte do
+ sítio WWW do projeto FreeBSD a partir de
qualquer servidor FTP do projeto usando sua ferramento
de espelhamento ftp favorita. Considere que estes
- fontes devem ser processados para public&aacute;-los
- em formato WWW tradicional. Voc&ecirc; pode
- come&ccedil;ar a espelhar o projeto a partir de <ulink
+ fontes devem ser processados para publicá-los
+ em formato WWW tradicional. Você pode
+ começar a espelhar o projeto a partir de <ulink
url="ftp://ftp.FreeBSD.org/pub/FreeBSD/FreeBSD-current/www">ftp://ftp.FreeBSD.org/pub/FreeBSD/FreeBSD-current/www</ulink>.</para>
</listitem>
</itemizedlist>
@@ -750,14 +750,14 @@
<qandaentry>
<question id="other-info-sources">
- <para>Que outras fontes de informa&ccedil;&otilde;es sobre o
+ <para>Que outras fontes de informações sobre o
FreeBSD existem?</para>
</question>
<answer>
<para>Por gentileza, queira verificar a lista de <ulink
- url="http://www.FreeBSD.org/docs.html">Documenta&ccedil;&atilde;o</ulink>
- no s&iacute;tio WWW principal <ulink
+ url="http://www.FreeBSD.org/docs.html">Documentação</ulink>
+ no sítio WWW principal <ulink
url="http://www.FreeBSD.org">FreeBSD</ulink>.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -765,7 +765,7 @@
</chapter>
<chapter id="support">
- <title>Documenta&ccedil;&atilde;o e Suporte</title>
+ <title>Documentação e Suporte</title>
<qandaset>
<qandaentry>
@@ -774,11 +774,11 @@
</question>
<answer>
- <para>O projeto FreeBSD produz um grande n&uacute;mero de
- documentos dispon&iacute;veis em <ulink
+ <para>O projeto FreeBSD produz um grande número de
+ documentos disponíveis em <ulink
url="http://www.freebsd.org/docs.html">http://www.FreeBSD.org/docs.html</ulink>.
- Al&eacute;m destes, outros livros recomendados s&atilde;o
- referenciados nas Bibliografias dispon&iacute;veis ao
+ Além destes, outros livros recomendados são
+ referenciados nas Bibliografias disponíveis ao
final deste <literal>FAQ</literal> e do
&a.ptbr.p.handbook;.</para>
</answer>
@@ -786,19 +786,19 @@
<qandaentry>
<question id="doc-formats">
- <para>A documenta&ccedil;&atilde;o est&aacute;
- dispon&iacute;vel em outros formatos, como texto puro
+ <para>A documentação está
+ disponível em outros formatos, como texto puro
(ASCII) ou Postscript?</para>
</question>
<answer>
- <para>Claro. A documenta&ccedil;&atilde;o pode ser obtida
- em uma variedade de formatos e op&ccedil;&otilde;es de
- compress&atilde;o no servidor FTP do FreeBSD, sob o
- diret&oacute;rio <ulink
+ <para>Claro. A documentação pode ser obtida
+ em uma variedade de formatos e opções de
+ compressão no servidor FTP do FreeBSD, sob o
+ diretório <ulink
url="ftp://ftp.FreeBSD.org/pub/FreeBSD/doc/">/pub/FreeBSD/doc/</ulink>.</para>
- <para>A documenta&ccedil;&atilde;o &eacute; organizada em
+ <para>A documentação é organizada em
diversas categorias, como:</para>
<itemizedlist>
@@ -808,14 +808,14 @@
</listitem>
<listitem>
- <para>A codifica&ccedil;&atilde;o e l&iacute;ngua do
- conte&uacute;do do documento. Tal
- categoriza&ccedil;&atilde;o &eacute; baseada nos nomes
- de localiza&ccedil;&atilde;o, que podem ser
+ <para>A codificação e língua do
+ conteúdo do documento. Tal
+ categorização é baseada nos nomes
+ de localização, que podem ser
encontrados sob <filename>/usr/share/locale</filename>
no seu FreeBSD. Atualmente existem documentos nas
- seguintes l&iacute;nguas e
- codifica&ccedil;&otilde;es:</para>
+ seguintes línguas e
+ codificações:</para>
<informaltable frame="none">
<tgroup cols="2">
@@ -832,13 +832,13 @@
<row>
<entry><literal>en_US.ISO8859-1</literal></entry>
- <entry>Ingl&ecirc;s Americano</entry>
+ <entry>Inglês Americano</entry>
</row>
<row>
<entry><literal>de_DE.ISO8859-1</literal></entry>
- <entry>Alem&atilde;o</entry>
+ <entry>Alemão</entry>
</row>
<row>
@@ -851,26 +851,26 @@
<row>
<entry><literal>fr_FR.ISO8859-1</literal></entry>
- <entry>Franc&ecirc;s</entry>
+ <entry>Francês</entry>
</row>
<row>
<entry><literal>ja_JP.eucJP</literal></entry>
- <entry>Japon&ecirc;s (codifica&ccedil;&atilde;o
+ <entry>Japonês (codificação
EUC)</entry>
</row>
<row>
<entry><literal>ru_RU.KOI8-R</literal></entry>
- <entry>Russo (codifica&ccedil;&atilde;o
+ <entry>Russo (codificação
KOI8-R)</entry>
</row>
<row>
<entry><literal>zh_TW.Big5</literal></entry>
- <entry>Chin&ecirc;s (codifica&ccedil;&atilde;o
+ <entry>Chinês (codificação
Big5)</entry>
</row>
</tbody>
@@ -878,25 +878,25 @@
</informaltable>
<note>
- <para>Alguns documentos podem n&atilde;o estar
- dispon&iacute;veis em todas as
- l&iacute;nguas.</para>
+ <para>Alguns documentos podem não estar
+ disponíveis em todas as
+ línguas.</para>
</note>
</listitem>
<listitem>
- <para>Formato da documenta&ccedil;&atilde;o. A
- documenta&ccedil;&atilde;o &eacute; produzida em
- v&aacute;rios formatos. Cada qual com suas vantagens
- e desvantagens. Alguns formatos s&atilde;o mais
+ <para>Formato da documentação. A
+ documentação é produzida em
+ vários formatos. Cada qual com suas vantagens
+ e desvantagens. Alguns formatos são mais
apropriados para leitura on-line, enquanto outros
- s&atilde;o mais agrad&eacute;veis est&eacute;ticamente
+ são mais agradéveis estéticamente
em formato impresso. Disponibilizar a
- documenta&ccedil;&atilde;o em todos estes formatos,
- garante que os leitores poder&atilde;o sempre ler os
+ documentação em todos estes formatos,
+ garante que os leitores poderão sempre ler os
trechos de seu interesse, tanto no monitor do seu
computador quanto em papel impresso. Atualmente os
- formatos dispon&iacute;veis s&atilde;o:</para>
+ formatos disponíveis são:</para>
<informaltable frame="none">
<tgroup cols="2">
@@ -912,14 +912,14 @@
<row>
<entry><literal>html-split</literal></entry>
- <entry>Uma s&eacute;rie de pequenos documentos
+ <entry>Uma série de pequenos documentos
HTML, devidamente ligados.</entry>
</row>
<row>
<entry><literal>html</literal></entry>
- <entry>Um &uacute;nico grande arquivo HTML
+ <entry>Um único grande arquivo HTML
contendo todo o documento.</entry>
</row>
@@ -935,7 +935,7 @@
<entry><literal>pdf</literal></entry>
<entry>PDF (Formato de Documento
- Port&aacute;vel) da Adobe</entry>
+ Portável) da Adobe</entry>
</row>
<row>
@@ -949,18 +949,18 @@
<entry>RTF (Formato de Texto Enriquecido) da
Microsoft<footnote>
- <para>A n&uacute;mera&ccedil;&atilde;o de
- p&aacute;gina n&atilde;o &eacute;
+ <para>A númeração de
+ página não é
automaticamente atualizada quando este
- tipo de arquivo &eacute; aberto no Word.
+ tipo de arquivo é aberto no Word.
Digite <keycombo
action="simul"><keycap>CTRL</keycap><keycap>A</keycap></keycombo>,
<keycombo
action="simul"><keycap>CTRL</keycap><keycap>END</keycap></keycombo>,
<keycap>F9</keycap> depois de abrir o
documento no Word, para atualizar a
- numera&ccedil;&atilde;o das
- p&aacute;ginas.</para>
+ numeração das
+ páginas.</para>
</footnote>
</entry>
</row>
@@ -976,18 +976,18 @@
</listitem>
<listitem>
- <para>As t&eacute;cnicas de compress&atilde;o e
+ <para>As técnicas de compressão e
empacotamento dos arquivos. Atualmente, 3 destes
- formatos est&atilde;o em uso:</para>
+ formatos estão em uso:</para>
<orderedlist>
<listitem>
<para>Para o formato <literal>html-split</literal>,
- os arquivos s&atilde;o todos empacotados com
- &man.tar.1;. O resultado &eacute; um arquivo
- <literal>.tar</literal> que &eacute;
+ os arquivos são todos empacotados com
+ &man.tar.1;. O resultado é um arquivo
+ <literal>.tar</literal> que é
posteriormente comprimido usando as
- t&eacute;cnicas de compress&atilde;o detalhadas a
+ técnicas de compressão detalhadas a
seguir.</para>
</listitem>
@@ -998,9 +998,9 @@
(por exemplo, <filename>book.pdb</filename>,
<filename>book.html</filename>, e outros).</para>
- <para>Estes arquivos s&atilde;o, ent&atilde;o
- comprimidos utilizando tr&ecirc;s t&eacute;cnicas
- de compress&atilde;o:</para>
+ <para>Estes arquivos são, então
+ comprimidos utilizando três técnicas
+ de compressão:</para>
<informaltable frame="none">
<tgroup cols="2">
@@ -1008,7 +1008,7 @@
<row>
<entry>Tipo</entry>
- <entry>Descri&ccedil;&atilde;o</entry>
+ <entry>Descrição</entry>
</row>
</thead>
@@ -1016,9 +1016,9 @@
<row>
<entry><literal>zip</literal></entry>
- <entry>Formato Zip. Se voc&ecirc; quiser
+ <entry>Formato Zip. Se você quiser
descomprimir este formato no FreeBSD,
- ser&aacute; necess&aacute;rio instalar o
+ será necessário instalar o
<literal>port</literal> <filename
role="package">archivers/unzip</filename>
antes.</entry>
@@ -1036,7 +1036,7 @@
<row>
<entry><literal>bz2</literal></entry>
- <entry>Formato BZip2. Esse formato &eacute;
+ <entry>Formato BZip2. Esse formato é
menos popular que os outros, mas
geralmente produz arquivos menores.
Instale o <literal>port</literal>
@@ -1050,53 +1050,53 @@
</informaltable>
<para>Portanto, o &a.ptbr.p.handbook; em formato
- Postscript comprimido com o BZip2 ser&aacute;
+ Postscript comprimido com o BZip2 será
armazenado como <filename>book.ps.bz2</filename>
- sob o diret&oacute;rio
+ sob o diretório
<filename>handbook/</filename>.</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>A documenta&ccedil;&atilde;o formatada
- est&aacute; dispon&iacute;vel ainda como um pacote
+ <para>A documentação formatada
+ está disponível ainda como um pacote
FreeBSD.</para>
</listitem>
</orderedlist>
</listitem>
</itemizedlist>
- <para>Ap&oacute;s escolher o formato e o mecanismo de
- compress&atilde;o, voc&ecirc; deve decidir se vai ou
- n&atilde;o pegar o documento em formato de
+ <para>Após escolher o formato e o mecanismo de
+ compressão, você deve decidir se vai ou
+ não pegar o documento em formato de
<emphasis>pacote</emphasis> FreeBSD.</para>
- <para>A vantagem de baixar e instalar os pacotes &eacute;
- que a documenta&ccedil;&atilde;o pode ent&atilde;o ser
+ <para>A vantagem de baixar e instalar os pacotes é
+ que a documentação pode então ser
gerenciada usando os comandos de gerenciamento de pacotes
FreeBSD, como &man.pkg.add.1; e &man.pkg.delete.1;.</para>
- <para>Se decidir baixar e instalar o pacote, ent&atilde;o
- voc&ecirc; deve conhecer o nome do arquivo antes de
- come&ccedil;ar. Os arquivos de
- documenta&ccedil;&atilde;o-como-pacotes est&atilde;o
- estocados em um diret&oacute;rio chamado
+ <para>Se decidir baixar e instalar o pacote, então
+ você deve conhecer o nome do arquivo antes de
+ começar. Os arquivos de
+ documentação-como-pacotes estão
+ estocados em um diretório chamado
<filename>packages</filename>. Cada arquivo de pacote
- segue o padr&atilde;o de nome
+ segue o padrão de nome
<filename><replaceable>document-name</replaceable>.<replaceable>lang</replaceable>.<replaceable>encoding</replaceable>.<replaceable>format</replaceable>.tgz</filename>.</para>
<para>Por exemplo, o <literal>FAQ</literal>, em
- l&iacute;ngua Inglesa e formato PDF, estar&aacute; no
+ língua Inglesa e formato PDF, estará no
pacote de nome
<filename>faq.en_US.ISO8859-1.pdf.tgz</filename>.</para>
- <para>Sabendo isto, voc&ecirc; pode usar o seguinte comando
+ <para>Sabendo isto, você pode usar o seguinte comando
pra instalar o pacote contendo o <literal>FAQ</literal> na
- l&iacute;ngua Inglesa e formato PDF:</para>
+ língua Inglesa e formato PDF:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>pkg_add
ftp://ftp.FreeBSD.org/pub/FreeBSD/doc/packages/faq.en_US.ISO8859-1.pdf.tgz</userinput></screen>
- <para>Depois disso, voc&ecirc; pode usar o &man.pkg.info.1;
+ <para>Depois disso, você pode usar o &man.pkg.info.1;
pra determinar onde o documento foi instalado.</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>pkg_info -f faq.en_US.ISO8859-1.pdf</userinput>
@@ -1111,74 +1111,74 @@ File: +COMMENT (ignored)
File: +DESC (ignored)</screen>
<para>Como pode ver, <filename>book.pdf</filename>
- ter&aacute; sido instalado sob
+ terá sido instalado sob
<filename>/usr/share/doc/en_US.ISO8859-1/books/faq</filename>.</para>
- <para>Se voc&ecirc; preferir n&atilde;o usar pacotes,
- ser&aacute; necess&aacute;rio baixar os arquivos
- comprimidos, depois descomprim&iacute;-los e copiar os
+ <para>Se você preferir não usar pacotes,
+ será necessário baixar os arquivos
+ comprimidos, depois descomprimí-los e copiar os
documentos apropriados para os lugares corretos.</para>
- <para>Por exemplo, a vers&atilde;o do <literal>FAQ</literal>
- dividido em v&aacute;rios arquivos HTML, comprimido usando
+ <para>Por exemplo, a versão do <literal>FAQ</literal>
+ dividido em vários arquivos HTML, comprimido usando
&man.gzip.1;, pode ser encontrado no arquivo
<filename>doc/en_US.ISO8859-1/books/faq/book.html-split.tar.gz</filename>.
- Para baixar e descomprimir aquele arquivo, voc&ecirc;
+ Para baixar e descomprimir aquele arquivo, você
deveria fazer o seguinte.</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>fetch ftp://ftp.FreeBSD.org/pub/FreeBSD/doc/en_US.ISO8859-1/books/faq/book.html-split.tar.gz</userinput>
&prompt.root; <userinput>gzip -d book.html-split.tar.gz</userinput>
&prompt.root; <userinput>tar xvf book.html-split.tar</userinput></screen>
- <para>Ser&aacute; criada, ent&atilde;o, uma s&eacute;rie de
+ <para>Será criada, então, uma série de
arquivos <filename>.html</filename>. O principal arquivo
- &eacute; chamado <filename>index.html</filename> contendo
- o &iacute;ndice, material introdut&oacute;rio e links para
- outras partes do documento. Posteriormente, voc&ecirc;
- pode copiar ou mover esses arquivos pra onde voc&ecirc;
+ é chamado <filename>index.html</filename> contendo
+ o índice, material introdutório e links para
+ outras partes do documento. Posteriormente, você
+ pode copiar ou mover esses arquivos pra onde você
quiser.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="mailing">
- <para>Onde posso obter informa&ccedil;&otilde;es sobre as
- listas de discuss&atilde;o FreeBSD?</para>
+ <para>Onde posso obter informações sobre as
+ listas de discussão FreeBSD?</para>
</question>
<answer>
- <para>Voc&ecirc; pode encontrar uma vasta gama de
- informa&ccedil;&otilde;es na <ulink
- url="../handbook/eresources.html#ERESOURCES-MAIL">se&ccedil;&atilde;o
+ <para>Você pode encontrar uma vasta gama de
+ informações na <ulink
+ url="../handbook/eresources.html#ERESOURCES-MAIL">seção
do &a.ptbr.p.handbook; sobre listas de
- discuss&atilde;o</ulink>.</para>
+ discussão</ulink>.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="y2k">
- <para>Onde encontro informa&ccedil;&otilde;es sobre a
+ <para>Onde encontro informações sobre a
compatibilidade FreeBSD ano 2000 (FreeBSD Y2K)?</para>
</question>
<answer>
- <para>Informa&ccedil;&otilde;es completas na <ulink
- url="../../../../y2kbug.html">p&aacute;gina FreeBSD
+ <para>Informações completas na <ulink
+ url="../../../../y2kbug.html">página FreeBSD
Y2K</ulink>.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="newsgroups">
- <para>Que grupos de not&iacute;cias (<foreignphrase>news
+ <para>Que grupos de notícias (<foreignphrase>news
groups</foreignphrase>) existem sobre o FreeBSD?</para>
</question>
<answer>
- <para>Informa&ccedil;&otilde;es completas podem ser
+ <para>Informações completas podem ser
encontradas na <ulink
- url="../handbook/eresources-news.html">se&ccedil;&atilde;o
- do &a.ptbr.p.handbook; sobre grupos de not&iacute;cias
+ url="../handbook/eresources-news.html">seção
+ do &a.ptbr.p.handbook; sobre grupos de notícias
(<foreignphrase>newsgroups</foreignphrase>)</ulink>.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -1198,15 +1198,15 @@ File: +DESC (ignored)</screen>
<listitem>
<para>O canal <literal>#FreeBSD</literal> na <ulink
url="http://www.efnet.org/index.php">EFNet</ulink>
- &eacute; essencialmente um f&oacute;rum sobre FreeBSD,
- mas n&atilde;o entre no canal se voc&ecirc; procura
- suporte t&eacute;cnico, nem se voc&ecirc; est&aacute;
+ é essencialmente um fórum sobre FreeBSD,
+ mas não entre no canal se você procura
+ suporte técnico, nem se você está
procurando uma maneira de evitar a leitura de
- p&aacute;ginas de manual ou fazer suas pr&oacute;prias
- pesquisas. Este &eacute; essencialmente um canal de
+ páginas de manual ou fazer suas próprias
+ pesquisas. Este é essencialmente um canal de
bate-papo geral. Assuntos como sexo, esportes ou
- armas nucleares s&atilde;o t&atilde;o comuns quanto
- FreeBSD no canal. Lembre-se, Voc&ecirc; Foi Avisado!
+ armas nucleares são tão comuns quanto
+ FreeBSD no canal. Lembre-se, Você Foi Avisado!
Para conectar-se, use o servidor
<hostid>irc.chat.org</hostid>.</para>
</listitem>
@@ -1214,9 +1214,9 @@ File: +DESC (ignored)</screen>
<listitem>
<para>O canal <literal>#FreeBSDhelp</literal> na <ulink
url="http://www.efnet.org/index.php">EFNet</ulink>
- &eacute; dedicado a suporte e auxilio de
- usu&aacute;rios de FreeBSD. Os participantes neste
- canal s&atilde;o bem mais receptivos a perguntas que
+ é dedicado a suporte e auxilio de
+ usuários de FreeBSD. Os participantes neste
+ canal são bem mais receptivos a perguntas que
os do canal <literal>#FreeBSD</literal>.</para>
</listitem>
@@ -1233,36 +1233,36 @@ File: +DESC (ignored)</screen>
url="http://www.undernet.org/">UNDERNET</ulink> pode
ser acessado em <literal>us.undernet.org</literal> nos
Estados Unidos, e <literal>eu.undernet.org</literal>
- na Europa. Partindo do princ&iacute;pio que esse
- &eacute; um canal de ajuda, esteja preparado para ler
+ na Europa. Partindo do princípio que esse
+ é um canal de ajuda, esteja preparado para ler
todos os documentos a que for referido.</para>
</listitem>
<listitem>
<para>O canal <literal>#FreeBSD</literal> na <ulink
url="http://www.hybnet.net/">HybNet</ulink>
- <emphasis>&eacute;</emphasis> um canal de ajuda. Uma
+ <emphasis>é</emphasis> um canal de ajuda. Uma
lista de servidores pode ser encontrada no <ulink
- url="http://www.hybnet.net/">s&iacute;tio WWW da
+ url="http://www.hybnet.net/">sítio WWW da
HybNet</ulink>.</para>
</listitem>
</itemizedlist>
- <para>Cada um destes canais &eacute; independente, e
- exatamente por estarem em redes distintas, n&atilde;o
- &eacute; conectada ou relacionada entre si. Os estilos de
- bate-papo em cada um dos canais s&atilde;o bastante
- distintos, pode ser necess&aacute;rio testar cada um para
- descobrir qual &aacute; mais adequado ao seu estilo
+ <para>Cada um destes canais é independente, e
+ exatamente por estarem em redes distintas, não
+ é conectada ou relacionada entre si. Os estilos de
+ bate-papo em cada um dos canais são bastante
+ distintos, pode ser necessário testar cada um para
+ descobrir qual á mais adequado ao seu estilo
pessoal de bate-papo. Como em toda rede de bate-papo
retransmitido via Internet (<acronym>IRC</acronym>), nem
- considere acessar os canais se voc&ecirc; ofende-se
- facilmente ou se voc&ecirc; n&atilde;o se d&aacute; bem
+ considere acessar os canais se você ofende-se
+ facilmente ou se você não se dá bem
com muita gente jovem (e alguns bem velhos) que usam as
mais irregulares formas de escrita e
- conversa&ccedil;&atilde;o poss&iacute;vel, quase sempre
- assassinando sem o menor pudor todos os princ&iacute;pios
- verbais - de qualquer l&iacute;ngua que seja.</para>
+ conversação possível, quase sempre
+ assassinando sem o menor pudor todos os princípios
+ verbais - de qualquer língua que seja.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -1274,24 +1274,24 @@ File: +DESC (ignored)</screen>
<answer>
<para>DaemonNews oferece treinamento em e suporte comercial
- ao FreeBSD. Mais informa&ccedil;&otilde;es podem ser
- obtidas no s&iacute;tio WWW <ulink
+ ao FreeBSD. Mais informações podem ser
+ obtidas no sítio WWW <ulink
url="http://www.bsdmall.com/">BSD Mall</ulink>.</para>
<para>FreeBSD Services oferece suporte comercial ao FreeBSD
- no Reino Unido (al&eacute;m de vender o FreeBSD em
- m&iacute;dia DVD). Veja o <ulink
- url="http://www.freebsd-services.com">s&iacute;tio
+ no Reino Unido (além de vender o FreeBSD em
+ mídia DVD). Veja o <ulink
+ url="http://www.freebsd-services.com">sítio
WWW</ulink> deles para maiores
- informa&ccedil;&otilde;es.</para>
+ informações.</para>
<para>A FreeBSD Mall oferece suporte comercial ao FreeBSD.
- Maiores informa&ccedil;&otilde;es podem ser obtidas no
- <ulink url="http://www.freebsdmall.com/">s&iacute;tio
+ Maiores informações podem ser obtidas no
+ <ulink url="http://www.freebsdmall.com/">sítio
WWW deles</ulink>.</para>
- <para>Qualquer outra organiza&ccedil;&atilde;o que
- ofere&ccedil;a treinamento em ou suporte ao FreeBSD deve
+ <para>Qualquer outra organização que
+ ofereça treinamento em ou suporte ao FreeBSD deve
entrar em contato com o projeto para serem listadas
aqui.</para>
</answer>
@@ -1310,7 +1310,7 @@ File: +DESC (ignored)</screen>
</author>
</chapterinfo>
- <title>Instala&ccedil;&atilde;o</title>
+ <title>Instalação</title>
<qandaset>
<qandaentry>
@@ -1320,27 +1320,27 @@ File: +DESC (ignored)</screen>
</question>
<answer>
- <para>At&eacute; a vers&atilde;o 3.1 era necess&aacute;rio
- apenas um disquete para instala&ccedil;&atilde;o do
+ <para>Até a versão 3.1 era necessário
+ apenas um disquete para instalação do
FreeBSD, o disco era o
<filename>floppies/boot.flp</filename>. Contudo, depois
- que o 3.1 foi lan&ccedil;ado, o Projeto adicionou ao
- <foreignphrase>kernel</foreignphrase> gen&eacute;rico o
+ que o 3.1 foi lançado, o Projeto adicionou ao
+ <foreignphrase>kernel</foreignphrase> genérico o
suporte a uma grande variedade de dispositivos, de forma
- que ele passou a consumir mais espa&ccedil;o. Por este
- motivo, desde a s&eacute;rie 3.X s&atilde;o
- necess&aacute;rios dois disquetes, o
+ que ele passou a consumir mais espaço. Por este
+ motivo, desde a série 3.X são
+ necessários dois disquetes, o
<filename>floppies/kernel.flp</filename> e o
<filename>floppies/mfsroot.flp</filename>. Essas imagens
precisam ser copiadas para disquetes, usando ferramentas
como o <command>fdimage</command> ou o &man.dd.1;.</para>
- <para>Caso seja necess&aacute;rio baixar da rede a
- distribui&ccedil;&atilde;o do sistema (por exemplo, para
- uma instala&ccedil;&atilde;o por meio de um sistema de
- arquivos DOS), voc&ecirc; ter&aacute; que obter as
- seguintes estruturas da distribui&ccedil;&atilde;o
- padr&atilde;o:</para>
+ <para>Caso seja necessário baixar da rede a
+ distribuição do sistema (por exemplo, para
+ uma instalação por meio de um sistema de
+ arquivos DOS), você terá que obter as
+ seguintes estruturas da distribuição
+ padrão:</para>
<itemizedlist>
<listitem>
@@ -1364,12 +1364,12 @@ File: +DESC (ignored)</screen>
</listitem>
</itemizedlist>
- <para>Para obter instru&ccedil;&otilde;es completas sobre o
- procedimento de instala&ccedil;&atilde;o do FreeBSD e
+ <para>Para obter instruções completas sobre o
+ procedimento de instalação do FreeBSD e
maiores detalhes sobre os meios de
- instala&ccedil;&atilde;o, por gentileza, consulte a <ulink
- url="../handbook/install.html">se&ccedil;&atilde;o de
- instala&ccedil;&atilde;o</ulink> no
+ instalação, por gentileza, consulte a <ulink
+ url="../handbook/install.html">seção de
+ instalação</ulink> no
&a.ptbr.p.handbook;.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -1377,71 +1377,71 @@ File: +DESC (ignored)</screen>
<qandaentry>
<question id="floppy-image-too-large">
<para>O que eu devo fazer se as imagens de disquete
- n&atilde;o couberem em um &uacute;nico disco?</para>
+ não couberem em um único disco?</para>
</question>
<answer>
<para>Um disquete de 3.5 polegadas (1,44 MB) armazena
- at&eacute; 1474560 bytes de dados. O tamanho da imagem de
- inicializa&ccedil;&atilde;o &eacute; de exatamente 1474560
+ até 1474560 bytes de dados. O tamanho da imagem de
+ inicialização é de exatamente 1474560
bytes.</para>
<para>Erros comuns, cometidos na
- prepara&ccedil;&atilde;o dos discos de
- inicializa&ccedil;&atilde;o, s&atilde;o:</para>
+ preparação dos discos de
+ inicialização, são:</para>
<itemizedlist>
<listitem>
<para>Baixar a imagem de disco via
<acronym>FTP</acronym> sem utilizar o modo de
- transfer&ecirc;ncia
- <emphasis>bin&aacute;rio</emphasis>.</para>
+ transferência
+ <emphasis>binário</emphasis>.</para>
<para>Alguns clientes de FTP - especialmente navegadores
- de Internet - costumam usar por padr&atilde;o o modo
- de transfer&ecirc;ncia <emphasis>ascii</emphasis> nas
- sess&otilde;es FTP, e para normalizar o arquivo de
+ de Internet - costumam usar por padrão o modo
+ de transferência <emphasis>ascii</emphasis> nas
+ sessões FTP, e para normalizar o arquivo de
acordo com o sistema, eles tentam alterar os
caracteres finais de cada linha do arquivo.
Invariavelmente esse comportamento resulta em baixar
- uma imagem de inicializa&ccedil;&atilde;o
+ uma imagem de inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) corrompida.
- Verifique o tamanho da imagem que voc&ecirc; tem em
- m&atilde;os, se &eacute; exatamente do mesmo tamanho
- da imagem no servidor. Caso o tamanho n&atilde;o seja
- <emphasis>exatamente</emphasis> o mesmo, voc&ecirc;
- pode suspeitar do arquivo que voc&ecirc;
+ Verifique o tamanho da imagem que você tem em
+ mãos, se é exatamente do mesmo tamanho
+ da imagem no servidor. Caso o tamanho não seja
+ <emphasis>exatamente</emphasis> o mesmo, você
+ pode suspeitar do arquivo que você
baixou.</para>
- <para>Para garantir que esse problema n&atilde;o ocorra,
+ <para>Para garantir que esse problema não ocorra,
digite <emphasis>binary</emphasis> na prompt de
comando do seu cliente FTP, ou defina as
- prefer&ecirc;ncias do programa para utilizar o modo
- bin&aacute;rio. A&iacute; sim, fa&ccedil;a baixe da
- rede a imagem de inicializa&ccedil;&atilde;o.</para>
+ preferências do programa para utilizar o modo
+ binário. Aí sim, faça baixe da
+ rede a imagem de inicialização.</para>
</listitem>
<listitem>
<para>Usar o comando <command>copy</command> do DOS (ou
simplesmente copiar, por meio da Interface
- Gr&aacute;fica do sistema) para transferir a imagem de
- inicializa&ccedil;&atilde;o para o disquete.</para>
+ Gráfica do sistema) para transferir a imagem de
+ inicialização para o disquete.</para>
<para>Programas como o <command>copy</command>
- n&atilde;o v&atilde;o funcionar para copiar a imagem
- de inicializa&ccedil;&atilde;o direto para o disquete,
+ não vão funcionar para copiar a imagem
+ de inicialização direto para o disquete,
exatamente porque a imagem foi criada de forma que ela
seja carregada diretamente. A imagem tem o
- conte&uacute;do completo que o disquete deve ter, com
+ conteúdo completo que o disquete deve ter, com
seus dados alocados trilha-a-trilha, e portanto
- n&atilde;o pode ser copiado para o disquete como um
- simples arquivo. Voc&ecirc; tem que copiar a imagem
+ não pode ser copiado para o disquete como um
+ simples arquivo. Você tem que copiar a imagem
para o disquete usando alguma ferramenta de
- <quote>c&oacute;pia crua</quote> (raw copy, como o
+ <quote>cópia crua</quote> (raw copy, como o
<command>fdimage</command> ou o
<command>rawrite</command>) como descrito no <ulink
url="../handbook/install.html">guia de
- instala&ccedil;&atilde;o do FreeBSD</ulink>.</para>
+ instalação do FreeBSD</ulink>.</para>
</listitem>
</itemizedlist>
</answer>
@@ -1449,114 +1449,114 @@ File: +DESC (ignored)</screen>
<qandaentry>
<question id="install-instructions-location">
- <para>Onde est&atilde;o as instru&ccedil;&otilde;es para
+ <para>Onde estão as instruções para
instalar o FreeBSD?</para>
</question>
<answer>
- <para>As instru&ccedil;&otilde;es de
- instala&ccedil;&atilde;o do FreeBSD podem ser encontradas
+ <para>As instruções de
+ instalação do FreeBSD podem ser encontradas
na <ulink
- url="../handbook/install.html">se&ccedil;&atilde;o de
- instala&ccedil;&atilde;o do FreeBSD no
+ url="../handbook/install.html">seção de
+ instalação do FreeBSD no
&a.ptbr.p.handbook;</ulink>.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="need-to-run">
- <para>O que &eacute; preciso para usar o FreeBSD?</para>
+ <para>O que é preciso para usar o FreeBSD?</para>
</question>
<answer>
- <para>Voc&ecirc; vai precisar, no m&iacute;nimo de um PC 386
- com 5MB de mem&oacute;ria RAM e no m&iacute;nimo 60 MB em
- disco. Essa configura&ccedil;&atilde;o permite o uso de
- uma placa de v&iacute;deo MDA simples, mas para usar o
- X11R6 &eacute; necess&aacute;rio uma placa de v&iacute;deo
- VGA ou mais avan&ccedil;ada.</para>
+ <para>Você vai precisar, no mínimo de um PC 386
+ com 5MB de memória RAM e no mínimo 60 MB em
+ disco. Essa configuração permite o uso de
+ uma placa de vídeo MDA simples, mas para usar o
+ X11R6 é necessário uma placa de vídeo
+ VGA ou mais avançada.</para>
- <para>Para mais informa&ccedil;&otilde;es consulte <xref
+ <para>Para mais informações consulte <xref
linkend="hardware"/></para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="four-meg-ram-install">
- <para>Eu tenho apenas 4 MB de mem&oacute;ria RAM. Posso
+ <para>Eu tenho apenas 4 MB de memória RAM. Posso
usar o FreeBSD?</para>
</question>
<answer>
- <para>O FreeBSD 2.1.7 foi a &uacute;ltima vers&atilde;o do
- sistema que rodava com apenas 4MB de mem&oacute;ria. A
- partir do FreeBSD 2.2, &eacute; necess&aacute;rio no
- m&iacute;nimo 5MB de mem&oacute;ria para usar o
+ <para>O FreeBSD 2.1.7 foi a última versão do
+ sistema que rodava com apenas 4MB de memória. A
+ partir do FreeBSD 2.2, é necessário no
+ mínimo 5MB de memória para usar o
sistema.</para>
- <para>Praticamente todas as vers&otilde;es do FreeBSD podem
- <emphasis>rodar</emphasis> com 4MB de mem&oacute;ria RAM,
- contudo, a instala&ccedil;&atilde;o do sistema operacional
- n&atilde;o pode ser feita com apenas 4MB. Voc&ecirc; pode
- colocar mais mem&oacute;ria para o processo de
- instala&ccedil;&atilde;o do sistema, e depois de
- instalado, voltar a m&aacute;quina para apenas 4MB de
- mem&oacute;ria, ou como alternativa, instale o seu disco
- r&iacute;gido em uma m&aacute;quina com mais de 4MB,
- efetue a instala&ccedil;&atilde;o do sistema, e depois
- instale o seu disco de volta na m&aacute;quina com apenas
+ <para>Praticamente todas as versões do FreeBSD podem
+ <emphasis>rodar</emphasis> com 4MB de memória RAM,
+ contudo, a instalação do sistema operacional
+ não pode ser feita com apenas 4MB. Você pode
+ colocar mais memória para o processo de
+ instalação do sistema, e depois de
+ instalado, voltar a máquina para apenas 4MB de
+ memória, ou como alternativa, instale o seu disco
+ rígido em uma máquina com mais de 4MB,
+ efetue a instalação do sistema, e depois
+ instale o seu disco de volta na máquina com apenas
4MB.</para>
- <para>O FreeBSD 2.1.7 n&atilde;o ir&aacute; instalar em
- sistemas que usam 640 Kb de mem&oacute;ria base + 3 MB de
- mem&oacute;ria extendida. Se sua placa m&atilde;e pode
- fazer o remapeamento da mem&oacute;ria
+ <para>O FreeBSD 2.1.7 não irá instalar em
+ sistemas que usam 640 Kb de memória base + 3 MB de
+ memória extendida. Se sua placa mãe pode
+ fazer o remapeamento da memória
<quote>subutilizada</quote> que vai sobrar dos 640kB da
- regi&atilde;o de 1MB, ai sim, voc&ecirc; vai conseguir
+ região de 1MB, ai sim, você vai conseguir
usar o FreeBSD 2.1.7. Entre no Setup da sua BIOS, procure
- a op&ccedil;&atilde;o ``remap'' e habilite-a. Talvez
- voc&ecirc; tenha que desabilitar a op&ccedil;&atilde;o de
- ROM shadowing. Com certeza &eacute; mais f&aacute;cil
- voc&ecirc; conseguir mais 4MB apenas para a
- instala&ccedil;&atilde;o, compilar um
+ a opção ``remap'' e habilite-a. Talvez
+ você tenha que desabilitar a opção de
+ ROM shadowing. Com certeza é mais fácil
+ você conseguir mais 4MB apenas para a
+ instalação, compilar um
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> customizado e
portanto menor, e ai sim, tirar esses 4MB sobresalentes e
- usar o sistema com apenas os 4MB originais. Tamb&eacute;m
- &eacute; poss&iacute;vel instalar o FreeBSD 2.0.5 e depois
- <quote>atualiz&aacute;-lo</quote> para o 2.1.7 com a
- op&ccedil;&atilde;o ``upgrade'' dispon&iacute;vel no
- programa de instala&ccedil;&atilde;o do FreeBSD
+ usar o sistema com apenas os 4MB originais. Também
+ é possível instalar o FreeBSD 2.0.5 e depois
+ <quote>atualizá-lo</quote> para o 2.1.7 com a
+ opção ``upgrade'' disponível no
+ programa de instalação do FreeBSD
2.1.7.</para>
- <para>Depois de instalado o sistema, voc&ecirc; pode
+ <para>Depois de instalado o sistema, você pode
compilar um <foreignphrase>kernel</foreignphrase>
- personalizado, que provavelmente ir&aacute; permitir que o
- sistema seja usado com 4MB de mem&oacute;ria apenas.
- Existem relatos de sucesso na utiliza&ccedil;&atilde;o do
- sistema com apenas 2MB de mem&oacute;ria, contudo, nesse
- caso &eacute; praticamente imposs&iacute;vel usar alguma
- outra aplica&ccedil;&atilde;o junto ao sistema
+ personalizado, que provavelmente irá permitir que o
+ sistema seja usado com 4MB de memória apenas.
+ Existem relatos de sucesso na utilização do
+ sistema com apenas 2MB de memória, contudo, nesse
+ caso é praticamente impossível usar alguma
+ outra aplicação junto ao sistema
operacional.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="custom-boot-floppy">
- <para>Como eu crio meu pr&oacute;prio disquete de
- instala&ccedil;&atilde;o?</para>
+ <para>Como eu crio meu próprio disquete de
+ instalação?</para>
</question>
<answer>
- <para>Atualmente n&atilde;o existe uma forma de
+ <para>Atualmente não existe uma forma de
<emphasis>simplesmente criar</emphasis> um disco de
- instala&ccedil;&atilde;o personalizado. Para criar um
- disquete personalizado voc&ecirc; ter&aacute; que preparar
- todo um novo <literal>release</literal>, o qual, a&iacute;
- sim, teria instru&ccedil;&otilde;es de
- instala&ccedil;&atilde;o.</para>
+ instalação personalizado. Para criar um
+ disquete personalizado você terá que preparar
+ todo um novo <literal>release</literal>, o qual, aí
+ sim, teria instruções de
+ instalação.</para>
<para>Para montar um <literal>release</literal>
- personalizado siga as instru&ccedil;&otilde;es do artigo
+ personalizado siga as instruções do artigo
de <ulink
url="../../articles/releng/article.html">Engenharia de
<literal>Release</literal></ulink> article.</para>
@@ -1569,7 +1569,7 @@ File: +DESC (ignored)</screen>
</question>
<answer>
- <para>De uma olhada na p&aacute;gina de <ulink url="../../articles/multi-os/index.html">m&uacute;ltiplos-SO</ulink>.</para>
+ <para>De uma olhada na página de <ulink url="../../articles/multi-os/index.html">múltiplos-SO</ulink>.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -1579,100 +1579,100 @@ File: +DESC (ignored)</screen>
</question>
<answer>
- <para>Sim. Primeiro voc&ecirc; deve instalar o seu Windows,
+ <para>Sim. Primeiro você deve instalar o seu Windows,
e depois instalar o FreeBSD. O gerenciador de
- inicializa&ccedil;&atilde;o
+ inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) do FreeBSD vai ser
instalado na MBR do seu disco, e vai conseguir controlar o
- inicializa&ccedil;&atilde;o entre o FreeBSD e seu Windows.
- Se voc&ecirc; instalar o Windows depois do FreeBSD, a
- instala&ccedil;&atilde;o dele ir&aacute; sobrescrever o
- setor de inicializa&ccedil;&atilde;o
+ inicialização entre o FreeBSD e seu Windows.
+ Se você instalar o Windows depois do FreeBSD, a
+ instalação dele irá sobrescrever o
+ setor de inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) do seu disco, e
conseq&uuml;entemente seu gerenciador de
- inicializa&ccedil;&atilde;o
+ inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>), sem avisar ou pedir
- qualquer confirma&ccedil;&atilde;o. Se esse for o caso,
- leia a pr&oacute;xima se&ccedil;&atilde;o.</para>
+ qualquer confirmação. Se esse for o caso,
+ leia a próxima seção.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="win95-damaged-boot-manager">
<para>O Windows 95/98 sobrescreveu meu gerenciador de
- inicializa&ccedil;&atilde;o
+ inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>)! Como eu instalo ele
de volta?</para>
</question>
<answer>
- <para>Voc&ecirc; pode reinstalar o gerenciador de
- inicializa&ccedil;&atilde;o
+ <para>Você pode reinstalar o gerenciador de
+ inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) do FreeBSD de uma
das 3 maneiras:</para>
<itemizedlist>
<listitem>
- <para>Sob o DOS, entre no diret&oacute;rio tools/ da sua
- distribui&ccedil;&atilde;o do FreeBSD (seu CDROM por
+ <para>Sob o DOS, entre no diretório tools/ da sua
+ distribuição do FreeBSD (seu CDROM por
exemplo) e procure o programa
<filename>bootinst.exe</filename>. Depois, execute-o
da seguinte forma:</para>
<screen><prompt>...\TOOLS&gt;</prompt> <userinput>bootinst.exe boot.bin</userinput></screen>
- <para>e o gerenciador de inicializa&ccedil;&atilde;o
- (<foreignphrase>boot</foreignphrase>) ser&aacute;
+ <para>e o gerenciador de inicialização
+ (<foreignphrase>boot</foreignphrase>) será
reinstalado.</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>Fa&ccedil;a a inicializa&ccedil;&atilde;o do
- FreeBSD pelos disquetes de instala&ccedil;&atilde;o ou
- pelo CDROM novamente. Entre na op&ccedil;&atilde;o
+ <para>Faça a inicialização do
+ FreeBSD pelos disquetes de instalação ou
+ pelo CDROM novamente. Entre na opção
&quot;Custom&quot; do menu de
- instala&ccedil;&atilde;o, escolha a o &iacute;tem de
- parti&ccedil;&otilde;es (Partition), selecione o drive
+ instalação, escolha a o ítem de
+ partições (Partition), selecione o drive
do disco que continha o seu gerenciador de
- inicializa&ccedil;&atilde;o
+ inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) (normalmente, se
- trata do primeiro disco) e ent&atilde;o voc&ecirc;
- entra no editor de parti&ccedil;&otilde;es. N&atilde;o
- fa&ccedil;a nenhuma altera&ccedil;&atilde;o, apenas
+ trata do primeiro disco) e então você
+ entra no editor de partições. Não
+ faça nenhuma alteração, apenas
aperte a tecla W (Write). O programa de
- instala&ccedil;&atilde;o ir&aacute; pedir a
- confirma&ccedil;&atilde;o, se voc&ecirc; quer gravar
- suas informa&ccedil;&otilde;es mesmo sem ter feito
- nenhuma altera&ccedil;&atilde;o. Escolha Sim. O
- programa ir&aacute; perguntar se voc&ecirc; deseja
- instalar o gerenciador de inicializa&ccedil;&atilde;o
+ instalação irá pedir a
+ confirmação, se você quer gravar
+ suas informações mesmo sem ter feito
+ nenhuma alteração. Escolha Sim. O
+ programa irá perguntar se você deseja
+ instalar o gerenciador de inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) do FreeBSD ou se
- voc&ecirc; deseja deixar o setor de
- inicializa&ccedil;&atilde;o
+ você deseja deixar o setor de
+ inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) intacto (ou
- instalar um setor de inicializa&ccedil;&atilde;o
- (<foreignphrase>boot</foreignphrase>) padr&atilde;o)
+ instalar um setor de inicialização
+ (<foreignphrase>boot</foreignphrase>) padrão)
exatamente como no instante da primeira
- instala&ccedil;&atilde;o do FreeBSD. Escolha
+ instalação do FreeBSD. Escolha
<quote>Boot Manager</quote>. Agora o gerenciador de
- inicializa&ccedil;&atilde;o
- (<foreignphrase>boot</foreignphrase>) ser&aacute;
+ inicialização
+ (<foreignphrase>boot</foreignphrase>) será
reinstalado no disco. Saia do programa de
- instala&ccedil;&atilde;o e reinicie o processo de
- inicializa&ccedil;&atilde;o pelo HD
+ instalação e reinicie o processo de
+ inicialização pelo HD
normalmente.</para>
</listitem>
<listitem>
<para>Inicie o FreeBSD com o disquete (ou CD) de
- inicializa&ccedil;&atilde;o tradicional, escolha a
- op&ccedil;&atilde;o <quote>Fixit</quote> no menu do
+ inicialização tradicional, escolha a
+ opção <quote>Fixit</quote> no menu do
sysinstall. Escolha entre o disquete de
- corre&ccedil;&atilde;o ou o segundo CDROM (a
- op&ccedil;&atilde;o <quote>live</quote> na
- distribui&ccedil;&atilde;o padr&atilde;o do FreeBSD)
+ correção ou o segundo CDROM (a
+ opção <quote>live</quote> na
+ distribuição padrão do FreeBSD)
no menu a seguir, e entre na shell de
- corre&ccedil;&atilde;o do sistema. Em seguida execute
+ correção do sistema. Em seguida execute
o comando:</para>
<screen><prompt>Fixit#</prompt> <userinput>fdisk -B -b /boot/boot0 <replaceable>bootdevice</replaceable></userinput></screen>
@@ -1681,7 +1681,7 @@ File: +DESC (ignored)</screen>
pela device controladora do seu disco, como por
exemplo, <devicename>ad0</devicename> (para o primeiro
disco IDE),<devicename>ad4</devicename> (para o
- primeiro disco IDE na controladora secund&aacute;ria),
+ primeiro disco IDE na controladora secundária),
<devicename>da0</devicename> (para o primeiro disco
SCSI), etc.</para>
</listitem>
@@ -1691,18 +1691,18 @@ File: +DESC (ignored)</screen>
<qandaentry>
<question id="boot-on-thinkpad">
- <para>O meu IBM Thinkpad s&eacute;rie A, T ou X trava
+ <para>O meu IBM Thinkpad série A, T ou X trava
sempre, quando eu tento inicializar
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) o FreeBSD. Como eu
resolvo isso?</para>
</question>
<answer>
- <para>Um bug nas primeiras vers&otilde;es da BIOS da IBM
- nessas m&aacute;quinas, erroneamente identifica as
- parti&ccedil;&otilde;es FreeBSD como
- parti&ccedil;&otilde;es FAT especiais. Quando a BIOS
- tenta reconhecer a parti&ccedil;&atilde;o FreeBSD, o
+ <para>Um bug nas primeiras versões da BIOS da IBM
+ nessas máquinas, erroneamente identifica as
+ partições FreeBSD como
+ partições FAT especiais. Quando a BIOS
+ tenta reconhecer a partição FreeBSD, o
sistema trava.</para>
<para>De acordo com a IBM<footnote><para>Em um e-mail
@@ -1717,7 +1717,7 @@ File: +DESC (ignored)</screen>
<row>
<entry>Modelo</entry>
- <entry>Revis&atilde;o da BIOS</entry>
+ <entry>Revisão da BIOS</entry>
</row>
</thead>
@@ -1767,44 +1767,44 @@ File: +DESC (ignored)</screen>
</tgroup>
</informaltable>
- <para>Existem relatos de que as revis&otilde;es posteriores
+ <para>Existem relatos de que as revisões posteriores
das BIOS IBM re-introduziram esse bug. <ulink
url="http://www.FreeBSD.org/cgi/getmsg.cgi?fetch=200565+208320+/usr/local/www/db/text/2001/freebsd-mobile/20010429.freebsd-mobile">Essa
mensagem</ulink> enviada por Jacques Vidrine para a
- &a.mobile; descreve uma s&eacute;rie de procedimentos que
+ &a.mobile; descreve uma série de procedimentos que
podem funcionar no seu laptop IBM, caso seja uma
- vers&atilde;o um pouco mais nova, e que n&atilde;o consiga
+ versão um pouco mais nova, e que não consiga
inicializar (<foreignphrase>boot</foreignphrase>) o
- FreeBSD corretamente. Voc&ecirc; pode ainda fazer uma
- atualiza&ccedil;&atilde;o ou desatualiza&ccedil;&atilde;o
+ FreeBSD corretamente. Você pode ainda fazer uma
+ atualização ou desatualização
(upgrade ou downgrade) da BIOS.</para>
- <para>Se a BIOS &eacute; mais antiga, e voc&ecirc;
- n&atilde;o considera sua atualiza&ccedil;&atilde;o, existe
- uma op&ccedil;&atilde;o que pode sanar seu problema. A
- instala&ccedil;&atilde;o do FreeBSD pode ser feita
- alterando-se a identifica&ccedil;&atilde;o da
- parti&ccedil;&atilde;o (partition ID) do sistema, e depois
- instalar novos setores de inicializa&ccedil;&atilde;o
+ <para>Se a BIOS é mais antiga, e você
+ não considera sua atualização, existe
+ uma opção que pode sanar seu problema. A
+ instalação do FreeBSD pode ser feita
+ alterando-se a identificação da
+ partição (partition ID) do sistema, e depois
+ instalar novos setores de inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) que podem controlar
uma partition ID diferente.</para>
- <para>O primeiro passo &eacute; restaurar o seu laptop ao
+ <para>O primeiro passo é restaurar o seu laptop ao
ponto onde ele pode fazer os auto-testes, ou seja, os
- testes b&aacute;sicos de I/O da BIOS. Para fazer isso,
- basta ligar o computador de forma que ele n&atilde;o
- consiga encontrar a parti&ccedil;&atilde;o prim&aacute;ria
- do FreeBSD. A maneira mais simples de faze-lo, &eacute;
- retirando o disco r&iacute;gido do seu laptop, e
+ testes básicos de I/O da BIOS. Para fazer isso,
+ basta ligar o computador de forma que ele não
+ consiga encontrar a partição primária
+ do FreeBSD. A maneira mais simples de faze-lo, é
+ retirando o disco rígido do seu laptop, e
temporariamente ligando-o em um ThinkPad mais antigo (como
oThinkPad 600) ou em um PC comum, com um cabo de
- convers&atilde;o apropriado. Uma vez feito isso, basta
- apagar a parti&ccedil;&atilde;o FreeBSD e colocar o disco
+ conversão apropriado. Uma vez feito isso, basta
+ apagar a partição FreeBSD e colocar o disco
de volta no laptop. Agora sim, o ThinkPad deve estar de
volta ao estado onde ele pode reconhecer o disco.</para>
- <para>Com a m&aacute;quina funcionando, basta seguir as
- pr&oacute;ximas instru&ccedil;&otilde;es para fazer o seu
+ <para>Com a máquina funcionando, basta seguir as
+ próximas instruções para fazer o seu
FreeBSD instalar:</para>
<procedure>
@@ -1813,32 +1813,32 @@ File: +DESC (ignored)</screen>
<filename>boot1</filename> e
<filename>boot2</filename> no site <ulink
url="http://people.FreeBSD.org/~bmah/ThinkPad/">http://people.FreeBSD.org/~bmah/ThinkPad/</ulink>.
- Coloque esses arquivos em algum lugar onde voc&ecirc;
- possa acess&aacute;-los posteriormente.</para>
+ Coloque esses arquivos em algum lugar onde você
+ possa acessá-los posteriormente.</para>
</step>
<step>
<para>Instale o FreeBSD normalmente no ThinkPad.
- <emphasis>N&atilde;o</emphasis> use o modo
+ <emphasis>Não</emphasis> use o modo
<literal>Dangerously Dedicated</literal>.
- <emphasis>N&atilde;o</emphasis> reinicie o sistema
- quando o processo de instala&ccedil;&atilde;o for
- conclu&iacute;do.</para>
+ <emphasis>Não</emphasis> reinicie o sistema
+ quando o processo de instalação for
+ concluído.</para>
</step>
<step>
- <para>V&aacute; para a <quote>Shell Hologr&aacute;fica
- de Emerg&ecirc;ncia</quote> (<keycombo
+ <para>Vá para a <quote>Shell Holográfica
+ de Emergência</quote> (<keycombo
action="simul"><keycap>ALT</keycap>
<keycap>F4</keycap></keycombo>) ou inicie uma shell
- de recupera&ccedil;&atilde;o -
+ de recuperação -
<quote>fixit</quote></para>
</step>
<step>
<para>Use o &man.fdisk.8; para alterar a partition ID de
<literal>165</literal> para <literal>166</literal>
- (166 &eacute; o ID usado pelo OpenBSD).</para>
+ (166 é o ID usado pelo OpenBSD).</para>
</step>
<step>
@@ -1851,30 +1851,30 @@ File: +DESC (ignored)</screen>
<para>Use o &man.disklabel.8; para escrever o
<filename>boot1</filename> e o
<filename>boot2</filename> na sua
- parti&ccedil;&atilde;o FreeBSD.</para>
+ partição FreeBSD.</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>disklabel -B -b boot1 -s boot2 ad0s<replaceable>n</replaceable></userinput></screen>
- <para><replaceable>n</replaceable> &eacute; o
- n&uacute;mero da parti&ccedil;&atilde;o onde o FreeBSD
- est&aacute; instalado.</para>
+ <para><replaceable>n</replaceable> é o
+ número da partição onde o FreeBSD
+ está instalado.</para>
</step>
<step>
<para>Reinicie o sistema. O gerenciador de
- inicializa&ccedil;&atilde;o
+ inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>)
- oferecer&aacute; a op&ccedil;&atilde;o de iniciar o
+ oferecerá a opção de iniciar o
<literal>OpenBSD</literal>, mas na verdade essa
- op&ccedil;&atilde;o estar&aacute; iniciando o
+ opção estará iniciando o
FreeBSD.</para>
</step>
</procedure>
- <para>Agora, se voc&ecirc; quer manter os sistemas
+ <para>Agora, se você quer manter os sistemas
operacionais OpenBSD e FreeBSD no mesmo laptop ThinkPad,
- pode considerar isso um exerc&iacute;cio pr&aacute;tico
- que fica a crit&eacute;rio do leitor.</para>
+ pode considerar isso um exercício prático
+ que fica a critério do leitor.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -1885,29 +1885,29 @@ File: +DESC (ignored)</screen>
</question>
<answer>
- <para>At&eacute; a vers&atilde;o 3.0, o FreeBSD tinha um
- utilit&aacute;rio chamado <command>bad144</command>, que
+ <para>Até a versão 3.0, o FreeBSD tinha um
+ utilitário chamado <command>bad144</command>, que
automaticamente remapeava os bad blocks. Atualmente, os
- discos IDE modernos s&atilde;o capazes de fazer isso
+ discos IDE modernos são capazes de fazer isso
sozinhos, portanto o <command>bad144</command> foi
- retirado da &aacute;rvore do FreeBSD. Se sua
- inten&ccedil;&atilde;o &eacute; instalar o FreeBSD 3.0 ou
- alguma vers&atilde;o mais recente, n&oacute;s sinceramente
- aconselhamos que voc&ecirc; compre um novo disco. Se
- voc&ecirc; n&atilde;o quer comprar um disco novo,
- ent&atilde;o use o FreeBSD 2.X.</para>
-
- <para>Se voc&ecirc; esta tendo problemas de bad block com
- algum disco IDE moderno, provavelmente o disco ser&aacute;
- perdido em breve, j&aacute; que ele est&aacute; t&atilde;o
- corrompido que a controladora interna n&atilde;o
- est&aacute; conseguindo corrigir e remapear os bad blocks.
- Sugerimos que voc&ecirc; compre um disco novo logo, e
- realize c&oacute;pia de seguran&ccedil;a
+ retirado da árvore do FreeBSD. Se sua
+ intenção é instalar o FreeBSD 3.0 ou
+ alguma versão mais recente, nós sinceramente
+ aconselhamos que você compre um novo disco. Se
+ você não quer comprar um disco novo,
+ então use o FreeBSD 2.X.</para>
+
+ <para>Se você esta tendo problemas de bad block com
+ algum disco IDE moderno, provavelmente o disco será
+ perdido em breve, já que ele está tão
+ corrompido que a controladora interna não
+ está conseguindo corrigir e remapear os bad blocks.
+ Sugerimos que você compre um disco novo logo, e
+ realize cópia de segurança
(<foreignphrase>backup</foreignphrase>) dos dados,
enquanto o disco ainda funciona.</para>
- <para>Se o drive de disco &eacute; SCSI e est&aacute;
+ <para>Se o drive de disco é SCSI e está
apresentando bad blocks, leia <link linkend="awre">essa
resposta</link>.</para>
</answer>
@@ -1915,8 +1915,8 @@ File: +DESC (ignored)</screen>
<qandaentry>
<question id="bad144-3x-4x">
- <para>Eu acabei de atualizar o sistema da s&eacute;rie 3.X
- para 4.X, e a minha primeira inicializa&ccedil;&atilde;o
+ <para>Eu acabei de atualizar o sistema da série 3.X
+ para 4.X, e a minha primeira inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) falhou com a
mensagem <errorname>bad sector table not
supported</errorname></para>
@@ -1925,15 +1925,15 @@ File: +DESC (ignored)</screen>
<answer>
<para>O FreeBSD 3.X e anteriores suportavam o programa
<command>bad144</command>, que automaticamente remapeava
- bad blocks. O FreeBSD 4.X e posteriores n&atilde;o
+ bad blocks. O FreeBSD 4.X e posteriores não
suportam mais esse programa, devido ao fato que os
controladores de discos IDE atuais conseguem remapear bad
blocks automaticamente. Leia <link
linkend="install-bad-blocks">essa pergunta</link> para
- mais informa&ccedil;&otilde;es.</para>
+ mais informações.</para>
<para>Para corrigir esse problema depois de uma
- atualiza&ccedil;&atilde;o, &eacute; necess&aacute;rio
+ atualização, é necessário
mover fisicamente o disco com problemas para um outro
sistema FreeBSD funcional e usar o &man.disklabel.8; da
forma discutida a seguir.</para>
@@ -1942,21 +1942,21 @@ File: +DESC (ignored)</screen>
<qandaentry>
<question id="find-bad144">
- <para>Como eu fa&ccedil;o se um disco tem
- informa&ccedil;&otilde;es criadas pelo
+ <para>Como eu faço se um disco tem
+ informações criadas pelo
<command>bad144</command> antes de atualizar o sistema, e
depois de atualizado para o FreeBSD 4.0 ou posterior, a
- inicializa&ccedil;&atilde;o falha?</para>
+ inicialização falha?</para>
</question>
<answer>
<para>Use o &man.disklabel.8; para identificar esse ambiente.
<command>disklabel -r <replaceable>drive
device</replaceable></command> vai te mostrar o
- conte&uacute;do do disco. Procure o campo
+ conteúdo do disco. Procure o campo
<literal>flags</literal>. Se encontrar a
- informa&ccedil;&atilde;o <literal>flags: badsect</literal>
- &eacute; porque esse disco est&aacute; usando o bad144.
+ informação <literal>flags: badsect</literal>
+ é porque esse disco está usando o bad144.
Por exemplo, o disco a seguir tem o
<command>bad144</command> habilitado:</para>
@@ -1975,71 +1975,71 @@ sectors/track: 63</screen>
<question id="disable-bad144">
<para>Como eu removo o <command>bad144</command> do meu
sistema anterior ao 4.X de forma que eu possa
- atualiz&aacute;-lo com seguran&ccedil;a?</para>
+ atualizá-lo com segurança?</para>
</question>
<answer>
<para>Use o comando <command>disklabel -e -rwd0</command>
- para editar as informa&ccedil;&otilde;es do seu disco.
+ para editar as informações do seu disco.
Basta retirar a palavra <literal>badsect</literal> do seu
- campo flags, salvar a altera&ccedil;&atilde;o e sair do
- programa. O bad144 ainda estar&aacute; ocupando algum
- espa&ccedil;o no seu disco, mas ele estar&aacute;
- funcional para s&eacute;rie 4.X e posteriores.</para>
+ campo flags, salvar a alteração e sair do
+ programa. O bad144 ainda estará ocupando algum
+ espaço no seu disco, mas ele estará
+ funcional para série 4.X e posteriores.</para>
- <para>Caso seu disco tenha um n&uacute;mero muito alto de
- bad blocks, &eacute; recomendado a troca do disco.</para>
+ <para>Caso seu disco tenha um número muito alto de
+ bad blocks, é recomendado a troca do disco.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="boot-floppy-strangeness">
<para>Coisas estranhas acontecem quando inicio o sistema com
- o disco de instala&ccedil;&atilde;o! O que est&aacute;
+ o disco de instalação! O que está
acontecendo?</para>
</question>
<answer>
- <para>Se sua m&aacute;quina est&aacute; desligando ou
- espont&acirc;neamente reiniciando sempre que voc&ecirc;
+ <para>Se sua máquina está desligando ou
+ espontâneamente reiniciando sempre que você
tenta iniciar o sistema com o disco de
- instala&ccedil;&atilde;o, aqui v&atilde;o algumas
- perguntas que voc&ecirc; deveria fazer a si mesmo:</para>
+ instalação, aqui vão algumas
+ perguntas que você deveria fazer a si mesmo:</para>
<orderedlist>
<listitem>
- <para>O disco de instala&ccedil;&atilde;o foi feito a
- partir de um disquete novo, rec&eacute;m formatado e
- completamente livre de erros (de prefer&ecirc;ncia
+ <para>O disco de instalação foi feito a
+ partir de um disquete novo, recém formatado e
+ completamente livre de erros (de preferência
algum disco que acabou de sair da caixa, ao
- contr&aacute;rio desse seu disco que estava perdido
- h&aacute; quase 3 anos debaixo da cama)?</para>
+ contrário desse seu disco que estava perdido
+ há quase 3 anos debaixo da cama)?</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>Voc&ecirc; baixou da rede a imagem em modo
- bin&aacute;rio? (n&atilde;o se envergonhe, at&eacute;
- o melhor de n&oacute;s j&aacute; baixou um arquivo
- bin&aacute;rio em modo ASCII ao menos uma vez na
+ <para>Você baixou da rede a imagem em modo
+ binário? (não se envergonhe, até
+ o melhor de nós já baixou um arquivo
+ binário em modo ASCII ao menos uma vez na
vida!)</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>No Windows 95 ou 98, voc&ecirc; usou o
+ <para>No Windows 95 ou 98, você usou o
<command>fdimage</command> ou o
<command>rawrite</command> em modo DOS? Esses sistemas
operacionais as vezes interferem na forma com que os
programas escrevem dados diretamente no hardware,
- exatamente o que o processo de cria&ccedil;&atilde;o
- da imagem de disco faz, mesmo que voc&ecirc; execute
- um prompt do DOS no ambiente gr&aacute;fico o problema
+ exatamente o que o processo de criação
+ da imagem de disco faz, mesmo que você execute
+ um prompt do DOS no ambiente gráfico o problema
pode ocorrer.</para>
</listitem>
</orderedlist>
- <para>Ainda existem not&iacute;cias de arquivos de imagens
+ <para>Ainda existem notícias de arquivos de imagens
sendo corrompidos pelo Netscape, durante o
- <foreignphrase>download</foreignphrase>, por isso &eacute;
+ <foreignphrase>download</foreignphrase>, por isso é
mais seguro utilizar um cliente de FTP diferente.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -2047,31 +2047,31 @@ sectors/track: 63</screen>
<qandaentry>
<question id="no-install-cdrom">
<para>Eu inicializei o FreeBSD a partir do meu CDROM ATAPI,
- mas o programa de instala&ccedil;&atilde;o diz que o CDROM
- n&atilde;o foi encontrado. Para onde ele foi?</para>
+ mas o programa de instalação diz que o CDROM
+ não foi encontrado. Para onde ele foi?</para>
</question>
<answer>
- <para>A causa desse problema curioso &eacute; a
- configura&ccedil;&atilde;o errada do seu drive de CDROM.
+ <para>A causa desse problema curioso é a
+ configuração errada do seu drive de CDROM.
Hoje em dia muitos PCs vem com o CDROM instalado como
escravo na segunda controladora IDE, sem nenhum disco ou
- drive &oacute;ptico do tipo mestre na mesma controladora.
- De acordo com as especifica&ccedil;&otilde;es ATAPI esse
- tipo de configura&ccedil;&atilde;o &eacute; incorreta e
+ drive óptico do tipo mestre na mesma controladora.
+ De acordo com as especificações ATAPI esse
+ tipo de configuração é incorreta e
ilegal. Alguns sistemas, como o Windows, simplesmente
- ignoram uma s&eacute;rie de especifica&ccedil;&otilde;es
+ ignoram uma série de especificações
legais na arquitetura de computadores pessoais, e acabam
- oferecendo suporte a essa configura&ccedil;&atilde;o
- err&ocirc;nea - o que mais tarde pode causar outros
+ oferecendo suporte a essa configuração
+ errônea - o que mais tarde pode causar outros
conflitos. Depois que o sistema inicia, a BIOS passa a
- ignorar esse drive, e por isso o FreeBSD n&atilde;o
- consegue encontr&aacute;-lo, para completar a
- instala&ccedil;&atilde;o.</para>
+ ignorar esse drive, e por isso o FreeBSD não
+ consegue encontrá-lo, para completar a
+ instalação.</para>
<para>Reconfigure o seu computador de forma que o CDROM
esteja como mestre na sua controladora IDE, ou que exista
- um outro perif&eacute;rico como mestre na controladora
+ um outro periférico como mestre na controladora
onde o CD estiver como escravo.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -2083,17 +2083,17 @@ sectors/track: 63</screen>
</question>
<answer>
- <para>Claro. Use o cabo laplink padr&atilde;o. Caso
- necess&aacute;rio, verifique a <ulink
- url="../handbook/plip.html">se&ccedil;&atilde;o de
+ <para>Claro. Use o cabo laplink padrão. Caso
+ necessário, verifique a <ulink
+ url="../handbook/plip.html">seção de
PLIP</ulink> do &a.ptbr.p.handbook; para obter detalhes
- sobre a instala&ccedil;&atilde;o do FreeBSD via rede em
+ sobre a instalação do FreeBSD via rede em
porta paralela.</para>
- <para>Se voc&ecirc; est&aacute; usando o FreeBSD 3.X ou
- anterior, d&ecirc; uma olhada na p&aacute;gina de <ulink
- url="http://www.FreeBSD.org/docs.html#PAO">Computa&ccedil;&atilde;o
- M&oacute;vel</ulink>.</para>
+ <para>Se você está usando o FreeBSD 3.X ou
+ anterior, dê uma olhada na página de <ulink
+ url="http://www.FreeBSD.org/docs.html#PAO">Computação
+ Móvel</ulink>.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -2104,126 +2104,126 @@ sectors/track: 63</screen>
<answer>
<note>
- <para>Por <quote>geometria</quote>, n&oacute;s entendemos
- o n&uacute;mero de cilindros, cabe&ccedil;as e
- setores/trilhas de um disco. Por conveni&ecirc;ncia,
- vamos nos referir &agrave; esses dados como C/H/S
- (Cylinders/Heads/Sectores). &Eacute; a partir dessa
- informa&ccedil;&atilde;o que a BIOS dos PCs definem
- quais &aacute;reas de um disco podem ser usadas para
+ <para>Por <quote>geometria</quote>, nós entendemos
+ o número de cilindros, cabeças e
+ setores/trilhas de um disco. Por conveniência,
+ vamos nos referir à esses dados como C/H/S
+ (Cylinders/Heads/Sectores). É a partir dessa
+ informação que a BIOS dos PCs definem
+ quais áreas de um disco podem ser usadas para
leitura/escrita.</para>
</note>
- <para>A geometria de disco costuma causar uma s&eacute;rie
- de confus&otilde;es entre administradores de sistemas
- menos experientes. Para come&ccedil;ar, a geometria
- <emphasis>f&iacute;sica</emphasis> de um disco SCSI
- &eacute; totalmente irrelevante, pois o FreeBSD trabalha
- com blocos de discos. Na verdade, n&atilde;o existe
- exatamente <quote>a</quote> geometria f&iacute;sica de um
+ <para>A geometria de disco costuma causar uma série
+ de confusões entre administradores de sistemas
+ menos experientes. Para começar, a geometria
+ <emphasis>física</emphasis> de um disco SCSI
+ é totalmente irrelevante, pois o FreeBSD trabalha
+ com blocos de discos. Na verdade, não existe
+ exatamente <quote>a</quote> geometria física de um
disco, visto que a densidade de um setor varia de acordo
com os discos. Os fabricantes chamam de <quote>geometria
- f&iacute;sica</quote> as especifica&ccedil;&otilde;es
- que eles definem para que o menor espa&ccedil;o
- poss&iacute;vel em disco seja desperdi&ccedil;ado. Em
+ física</quote> as especificações
+ que eles definem para que o menor espaço
+ possível em disco seja desperdiçado. Em
discos IDE, o FreeBSD trabalha com as
- informa&ccedil;&otilde;es de C/H/S, mas todos os
+ informações de C/H/S, mas todos os
dispositivos modernos, internamente convertem essa
- informa&ccedil;&otilde;es em refer&ecirc;ncias a blocos de
+ informações em referências a blocos de
disco.</para>
- <para>O que importa, portanto, &eacute; a geometria
- <emphasis>l&oacute;gica</emphasis>. O valor l&oacute;gico
- &eacute; a resposta que a BIOS obt&eacute;m quando
+ <para>O que importa, portanto, é a geometria
+ <emphasis>lógica</emphasis>. O valor lógico
+ é a resposta que a BIOS obtém quando
pergunto <quote>qual sua geometria?</quote> ao disco.
- &Eacute; esse valor, ent&atilde;o, que &eacute; usado para
+ É esse valor, então, que é usado para
definir a forma de acesso ao dispositivo de armazenamento.
- O FreeBSD usa as informa&ccedil;&otilde;es da BIOS quando
+ O FreeBSD usa as informações da BIOS quando
inicializa (<foreignphrase>boot</foreignphrase>), e por
- isso &eacute; extremamente importante obter essa
- informa&ccedil;&atilde;o de maneira correta. No geral, se
- voc&ecirc; tem mais de um sistema operacional no mesmo
- disco, eles devem concordar no valor l&oacute;gico da
- geometria do disco, caso contr&aacute;rio voc&ecirc;
- ter&aacute; s&eacute;rios problemas ao iniciar o
+ isso é extremamente importante obter essa
+ informação de maneira correta. No geral, se
+ você tem mais de um sistema operacional no mesmo
+ disco, eles devem concordar no valor lógico da
+ geometria do disco, caso contrário você
+ terá sérios problemas ao iniciar o
sistema.</para>
- <para>Em discos SCSI, a geometria &agrave; ser utilizada
- depende do suporte &agrave; tradu&ccedil;&atilde;o
+ <para>Em discos SCSI, a geometria à ser utilizada
+ depende do suporte à tradução
extendida definido na sua controladora de disco
- (normalmente esse suporte &eacute; chamado de
+ (normalmente esse suporte é chamado de
<quote>support for DOS disks &gt;1GB</quote>, que
- identifica o suporte &agrave; discos DOS cuja capacidade
- de armazenamento &eacute; maior que 1GB - ou alguma
- identifica&ccedil;&atilde;o similar.). Se essa
- op&ccedil;&atilde;o est&aacute; desabilitada, ent&atilde;o
- o C/H/S do disco ser&aacute; de
- <replaceable>N</replaceable> cilindros, 64 cabe&ccedil;as
+ identifica o suporte à discos DOS cuja capacidade
+ de armazenamento é maior que 1GB - ou alguma
+ identificação similar.). Se essa
+ opção está desabilitada, então
+ o C/H/S do disco será de
+ <replaceable>N</replaceable> cilindros, 64 cabeças
e 32 setores/trilhas, onde o valor
<replaceable>N</replaceable> equivale a capacidade (em MB)
do disco. Por exemplo, um disco de 2GB teria 2048
- cilindros, 64 cabe&ccedil;as e 32 setores/trilhas.</para>
+ cilindros, 64 cabeças e 32 setores/trilhas.</para>
- <para>Se a op&ccedil;&atilde;o <emphasis>estiver</emphasis>
- habilitada (normalmente ela &eacute; habilitada por
- padr&atilde;o, para sanar algumas limita&ccedil;&otilde;es
+ <para>Se a opção <emphasis>estiver</emphasis>
+ habilitada (normalmente ela é habilitada por
+ padrão, para sanar algumas limitações
de sistemas baseados em MSDOS), e a capacidade do disco
forma maior que 1GB, os valores C/H/S do disco
- ser&atilde;o M cilindros, 63 setores por trilha
- (<emphasis>n&atilde;o</emphasis> 64) e 255 cabe&ccedil;as,
+ serão M cilindros, 63 setores por trilha
+ (<emphasis>não</emphasis> 64) e 255 cabeças,
sendo 'M' a capacidade do disco, em MB, dividido por
- 7.844238 (!). Ent&atilde;o, por exemplo, o mesmo disco de
- 2GB nessa situa&ccedil;&atilde;o teria 261 cilindros, 63
- setores por trilha e 255 cabe&ccedil;as.</para>
+ 7.844238 (!). Então, por exemplo, o mesmo disco de
+ 2GB nessa situação teria 261 cilindros, 63
+ setores por trilha e 255 cabeças.</para>
- <para>Se voc&ecirc; n&atilde;o entendeu o porque disso, ou
+ <para>Se você não entendeu o porque disso, ou
se o seu FreeBSD falha no momento de reconhecer a
geometria correta do seu disco durante a
- instala&ccedil;&atilde;o, existe uma forma de tentar
+ instalação, existe uma forma de tentar
resolver esse problema. Crie uma pequena
- parti&ccedil;&atilde;o do tipo DOS no seu disco, e
+ partição do tipo DOS no seu disco, e
verifique se a BIOS consegue identificar corretamente a
geometria do mesmo. Caso consiga, a
- instala&ccedil;&atilde;o vai se completar com
- tranq&uuml;ilidade, e a pequena parti&ccedil;&atilde;o DOS
+ instalação vai se completar com
+ tranq&uuml;ilidade, e a pequena partição DOS
pode sempre ser deletada, com o editor de
- parti&ccedil;&otilde;es do FreeBSD.</para>
+ partições do FreeBSD.</para>
- <para>Como alternativa, existe uma aplica&ccedil;&atilde;o
- gratuitamente dispon&iacute;vel com a
- distribui&ccedil;&atilde;o do FreeBSD, chamada de
+ <para>Como alternativa, existe uma aplicação
+ gratuitamente disponível com a
+ distribuição do FreeBSD, chamada de
<filename>pfdisk.exe</filename>. Ela pode ser encontrada
- sob o diret&oacute;rio <filename>tools</filename> no CDROM
+ sob o diretório <filename>tools</filename> no CDROM
do FreeBSD ou nos servidores FTP do projeto. Esse
programa serve para descobrir qual a geometria usada por
outros sistemas operacionais no disco local. Nesse caso,
esse valor pode ser definido no editor de
- parti&ccedil;&otilde;es do FreeBSD.</para>
+ partições do FreeBSD.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="disk-divide-restrictions">
- <para>Existem restri&ccedil;&otilde;es quanto ao
+ <para>Existem restrições quanto ao
particionamento de discos?</para>
</question>
<answer>
- <para>Sim, existem. A principal delas, &eacute; que a
- parti&ccedil;&atilde;o <quote>root</quote> n&atilde;o pode
- ter mais de 1024 cilindros, sen&atilde;o a BIOS n&atilde;o
+ <para>Sim, existem. A principal delas, é que a
+ partição <quote>root</quote> não pode
+ ter mais de 1024 cilindros, senão a BIOS não
consegue iniciar o <foreignphrase>kernel</foreignphrase>
- do sistema a partir dessa parti&ccedil;&atilde;o. (Note
- que essa &eacute; uma limita&ccedil;&atilde;o das BIOS dos
- computadores pessoais, e n&atilde;o do FreeBSD).</para>
+ do sistema a partir dessa partição. (Note
+ que essa é uma limitação das BIOS dos
+ computadores pessoais, e não do FreeBSD).</para>
- <para>Em um disco SCSI, essa limita&ccedil;&atilde;o implica
- que a parti&ccedil;&atilde;o raiz (root) deve estar
+ <para>Em um disco SCSI, essa limitação implica
+ que a partição raiz (root) deve estar
alocada nos primeiros 1024MB do disco (ou nos primeiros
- 4096MB, caso o suporte a tradu&ccedil;&atilde;o extendida
+ 4096MB, caso o suporte a tradução extendida
esteja habilitada - veja pergunta anterior). Em discos
IDE, o valor correspondente equivale a 504MB para
- parti&ccedil;&atilde;o raiz (root).</para>
+ partição raiz (root).</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -2236,30 +2236,30 @@ sectors/track: 63</screen>
<answer>
<para>O FreeBSD reconhece apenas o <quote>Ontrack Disk
Manager</quote>. Outros gerenciadores de discos
- n&atilde;o s&atilde;o suportados.</para>
+ não são suportados.</para>
- <para>Se sua inten&ccedil;&atilde;o &eacute; usar o disco
- com FreeBSD, voc&ecirc; n&atilde;o precisa de um
+ <para>Se sua intenção é usar o disco
+ com FreeBSD, você não precisa de um
gerenciador de discos. Basta configurar o disco para o
- total de espa&ccedil;o que a BIOS reconhece (normalmente
+ total de espaço que a BIOS reconhece (normalmente
504MB) e o FreeBSD vai conseguir identificar o tamanho
- real do disco. Se voc&ecirc; estiver usando um disco
- antigo com uma controladora MFM, ser&aacute;
- necess&aacute;rio avisar ao FreeBSD quantos cilindros o
+ real do disco. Se você estiver usando um disco
+ antigo com uma controladora MFM, será
+ necessário avisar ao FreeBSD quantos cilindros o
disco tem.</para>
<para>Caso queira usar o disco com FreeBSD e algum outro
- sistema operacional, provavelmente tamb&eacute;m
- n&atilde;o ser&aacute; necess&aacute;rio um gerenciador de
- discos. Certifique-se apenas que a parti&ccedil;&atilde;o
- de inicializa&ccedil;&atilde;o
+ sistema operacional, provavelmente também
+ não será necessário um gerenciador de
+ discos. Certifique-se apenas que a partição
+ de inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) do FreeBSD e a
- parti&ccedil;&atilde;o do outro sistema operacional
+ partição do outro sistema operacional
estejam nos primeiros 1024 cilindros do disco.
Normalmente, para administradores de sistemas que tomam
- decis&otilde;es racionais, 20MB de espa&ccedil;o em uma
- parti&ccedil;&atilde;o de inicializa&ccedil;&atilde;o
- (<foreignphrase>boot</foreignphrase>) &eacute; mais que o
+ decisões racionais, 20MB de espaço em uma
+ partição de inicialização
+ (<foreignphrase>boot</foreignphrase>) é mais que o
suficiente.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -2268,16 +2268,16 @@ sectors/track: 63</screen>
<question id="missing-os">
<para>Quando eu inicio o FreeBSD, eu obtenho a mensagem
<errorname>Missing Operating System</errorname>. O que
- est&aacute; acontecendo?</para>
+ está acontecendo?</para>
</question>
<answer>
- <para>Esse &eacute; um caso t&oacute;pico do FreeBSD e o DOS
+ <para>Esse é um caso tópico do FreeBSD e o DOS
ou qualquer outro sistema operacional discordando de suas
- defini&ccedil;&otilde;es em rela&ccedil;&atilde;o a <link
+ definições em relação a <link
linkend="geometry">geometria</link> do disco.
- Provavelmente voc&ecirc; ter&aacute; que reinstalar o
- FreeBSD, mas se seguir as instru&ccedil;&otilde;es citadas
+ Provavelmente você terá que reinstalar o
+ FreeBSD, mas se seguir as instruções citadas
nas perguntas anteriores, raramente esse problema vai
acontecer.</para>
</answer>
@@ -2285,20 +2285,20 @@ sectors/track: 63</screen>
<qandaentry>
<question id="stop-at-boot-manager">
- <para>Porque eu n&atilde;o consigo passar da tela
+ <para>Porque eu não consigo passar da tela
<prompt>F?</prompt> do gerenciador de
- inicializa&ccedil;&atilde;o
+ inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>)?</para>
</question>
<answer>
- <para>Esse &eacute; mais um sintoma do problema descrito na
+ <para>Esse é mais um sintoma do problema descrito na
pergunta anterior. A geometria que a sua BIOS reconhece
- n&atilde;o equivale ao valor definido no FreeBSD! Se a sua
+ não equivale ao valor definido no FreeBSD! Se a sua
controladora de disco ou sua BIOS suportam o modo de
- tradu&ccedil;&atilde;o de cilindros (normalmente chamado
+ tradução de cilindros (normalmente chamado
de <quote>&gt;1GB drive support</quote>), tente alterar
- essa op&ccedil;&atilde;o e reinstalar o FreeBSD.</para>
+ essa opção e reinstalar o FreeBSD.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -2309,43 +2309,43 @@ sectors/track: 63</screen>
</question>
<answer>
- <para>Geralmente n&atilde;o, mas &eacute; altamente
- recomend&aacute;vel que voc&ecirc; instale ao menos os
+ <para>Geralmente não, mas é altamente
+ recomendável que você instale ao menos os
fontes <literal>base</literal>, que incluem
- in&uacute;meros arquivos mencionados ao longo desse
+ inúmeros arquivos mencionados ao longo desse
documento, como as fontes do sistema,
<literal>sys</literal> que inclui as fontes do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> do FreeBSD, sem os
- quais n&atilde;o se pode criar um
+ quais não se pode criar um
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> personalizado.
- N&atilde;o existe qualquer depend&ecirc;ncia do sistema
- operacional em rela&ccedil;&atilde;o aos seus fontes; com
- a &uacute;nica exce&ccedil;&atilde;o do programa
- &man.config.8;, o resto do sistema operacional n&atilde;o
+ Não existe qualquer dependência do sistema
+ operacional em relação aos seus fontes; com
+ a única exceção do programa
+ &man.config.8;, o resto do sistema operacional não
precisa dos fontes para funcionar. Os outros fontes do
sistema operacional - exceto os fontes do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> - podem ser montados
remotamente (via NFS, por exemplo) em qualquer lugar, e
- ainda assim novos bin&aacute;rios podem ser compilados a
- partir dos mesmos. Devido a restri&ccedil;&atilde;o
- &uacute;nica dos fontes do
- <foreignphrase>kernel</foreignphrase>, &eacute;
- recomend&aacute;vel que os outros fontes n&atilde;o sejam
+ ainda assim novos binários podem ser compilados a
+ partir dos mesmos. Devido a restrição
+ única dos fontes do
+ <foreignphrase>kernel</foreignphrase>, é
+ recomendável que os outros fontes não sejam
diretamente montados sob <filename>/usr/src</filename> mas
sim, que sejam montados separadamente e depois
- interligados com links simb&oacute;licos
+ interligados com links simbólicos
apropriados.</para>
- <para>Tendo todos os fontes dispon&iacute;veis, e sabendo
- reconstruir o sistema a partir dos mesmos, ser&aacute;
- muito mais f&aacute;cil manter o FreeBSD sincronizado e
+ <para>Tendo todos os fontes disponíveis, e sabendo
+ reconstruir o sistema a partir dos mesmos, será
+ muito mais fácil manter o FreeBSD sincronizado e
atualizado com futuros releases.</para>
<para>Para escolher um subconjunto dos fontes do sistema,
- escolha a op&ccedil;&atilde;o <literal>Custom</literal>
- quando estiver na op&ccedil;&atilde;o
+ escolha a opção <literal>Custom</literal>
+ quando estiver na opção
<literal>Distributions</literal> do programa de
- instala&ccedil;&atilde;o do sistema.</para>
+ instalação do sistema.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -2359,28 +2359,28 @@ sectors/track: 63</screen>
<answer>
<para>Construir um novo
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> costumava ser uma
- obriga&ccedil;&atilde;o na instala&ccedil;&atilde;o do
+ obrigação na instalação do
FreeBSD, mas hoje em dia existe uma interface de
- configura&ccedil;&atilde;o do
+ configuração do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> muito mais
- amig&aacute;vel, que permite a redefini&ccedil;&atilde;o
+ amigável, que permite a redefinição
de recursos do sistema. Para acessar essa ferramenta,
basta inicializar (<foreignphrase>boot</foreignphrase>) o
- sistema com a op&ccedil;&atilde;o <option>-c</option> no
+ sistema com a opção <option>-c</option> no
prompt de (<literal>boot:</literal>). Em especial, os
- principais perif&eacute;ricos ISA - normalmente os mais
- problem&aacute;ticos - podem ser facilmente configurados
- com essa op&ccedil;&atilde;o.</para>
+ principais periféricos ISA - normalmente os mais
+ problemáticos - podem ser facilmente configurados
+ com essa opção.</para>
- <para>Ainda &eacute; recomend&aacute;vel que se construa um
+ <para>Ainda é recomendável que se construa um
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> personalizado,
apenas com suporte aos equipamentos e
- caracter&iacute;sticas do sistema que voc&ecirc; precisa,
+ características do sistema que você precisa,
de forma a economizar recursos no sistema (especialmente
- mem&oacute;ria RAM), mas essa recompila&ccedil;&atilde;o
- n&atilde;o &eacute; mais uma obriga&ccedil;&atilde;o na
- maioria dos sistemas - mas &eacute; sem d&uacute;vida um
- h&aacute;bito saud&aacute;vel.</para>
+ memória RAM), mas essa recompilação
+ não é mais uma obrigação na
+ maioria dos sistemas - mas é sem dúvida um
+ hábito saudável.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -2388,57 +2388,57 @@ sectors/track: 63</screen>
<question id="password-encryption">
<para>Eu devo usar criptografia DES, Blowfish, ou MD5 para
senhas do sistema? Como eu defino qual delas o
- usu&aacute;rio deve usar?</para>
+ usuário deve usar?</para>
</question>
<answer>
- <para>O formato padr&atilde;o para senhas no FreeBSD
- &eacute; a criptografia <emphasis>MD5</emphasis>. Esse
- padr&atilde;o &eacute; considerado mais seguro do que os
+ <para>O formato padrão para senhas no FreeBSD
+ é a criptografia <emphasis>MD5</emphasis>. Esse
+ padrão é considerado mais seguro do que os
formatos tradicionais de senhas Unix, que normalmente eram
- baseados no algor&iacute;timo <emphasis>DES</emphasis>. O
+ baseados no algorítimo <emphasis>DES</emphasis>. O
FreeBSD ainda pode trabalhar com senhas em formato DES
- caso voc&ecirc; precise compartilh&aacute;-las com
+ caso você precise compartilhá-las com
sistemas que ainda armazenam suas senhas no formato antigo
- e menos seguro - dos sistemas Unix originais (para isso
- voc&ecirc; ter&aacute; que instalar a
- distribui&ccedil;&atilde;o <quote>crypto</quote> via
- sysinstall ou apartir do c&oacute;digo fonte). Instalando
+ você terá que instalar a
+ distribuição <quote>crypto</quote> via
+ sysinstall ou apartir do código fonte). Instalando
as bibliotecas crypto ser&aacute possivel utilizar outros
tipos de criptografia, como o formato Blowfish, que
- &eacute; ainda mais seguro do que o MD5. A
- defini&ccedil;&atilde;o de qual codifica&ccedil;&atilde;o
- utilizar &eacute; definida no campo
+ é ainda mais seguro do que o MD5. A
+ definição de qual codificação
+ utilizar é definida no campo
<quote>passwd_format</quote> do arquivo de
- configura&ccedil;&otilde;es de login, o
+ configurações de login, o
<filename>/etc/login.conf</filename>. Esse campo deve ter
o valor <quote>des</quote>, <quote>blf</quote> (caso suas
- bibliotecas estejam dispon&iacute;veis) ou
- <quote>md5</quote>. Veja a p&aacute;gina de manuais do
+ bibliotecas estejam disponíveis) ou
+ <quote>md5</quote>. Veja a página de manuais do
&man.login.conf.5; para maiores
- informa&ccedil;&otilde;es.</para>
+ informações.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="boot-floppy-hangs">
- <para>Por que o disco de inicializa&ccedil;&atilde;o
+ <para>Por que o disco de inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) inicia, mas trava na
tela <literal>Probing Devices...</literal>?</para>
</question>
<answer>
- <para>Se voc&ecirc; tem um drive Zip IDE ou um Jaz conectado
+ <para>Se você tem um drive Zip IDE ou um Jaz conectado
ao seu computador, remova-o e tente de novo. A
- inicializa&ccedil;&atilde;o
+ inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) de
- instala&ccedil;&atilde;o do sistema se confunde as vezes
- quando esses dispositivos est&atilde;o dispon&iacute;veis
- no computador. Depois da instala&ccedil;&atilde;o os
- drives s&atilde;o reconhecidos e controlados normalmente.
- Provavelmente - esperamos - esse problema ser&aacute;
- corrigido nas pr&oacute;ximas vers&otilde;es.</para>
+ instalação do sistema se confunde as vezes
+ quando esses dispositivos estão disponíveis
+ no computador. Depois da instalação os
+ drives são reconhecidos e controlados normalmente.
+ Provavelmente - esperamos - esse problema será
+ corrigido nas próximas versões.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -2446,51 +2446,51 @@ sectors/track: 63</screen>
<question id="panic-on-install-reboot">
<para>Por que ocorre o erro <errorname>panic: can't mount
root</errorname>, quando eu reinicio o sistema, depois
- de t&ecirc;-lo instalado.</para>
+ de tê-lo instalado.</para>
</question>
<answer>
<para>Esse problema costuma ocorrer por conta de uma pequena
- confus&atilde;o entre os blocos do setor de
- inicializa&ccedil;&atilde;o
+ confusão entre os blocos do setor de
+ inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) do disco, e as
- defini&ccedil;&otilde;es de disco no
- <foreignphrase>kernel</foreignphrase>. &Eacute; um erro
- t&iacute;pico apenas de sistemas com dois discos IDE,
- quando os mesmos est&atilde;o definidos como disco mestre
+ definições de disco no
+ <foreignphrase>kernel</foreignphrase>. É um erro
+ típico apenas de sistemas com dois discos IDE,
+ quando os mesmos estão definidos como disco mestre
e escravo, mas em controladoras distintas, e com o FreeBSD
- instalado na controladora secund&aacute;ria. Os blocos de
- inicializa&ccedil;&atilde;o
+ instalado na controladora secundária. Os blocos de
+ inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) acham que o sistema
- est&aacute; instalado no segundo disco IDE (o segundo
+ está instalado no segundo disco IDE (o segundo
disco reconhecido pela BIOS) enquanto o
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> assume o primeiro
disco na segunda controladora IDE. Depois do
reconhecimento dos equipamentos do sistema o
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> tenta montar a
- parti&ccedil;&atilde;o raiz no disco que o bloco de
- inicializa&ccedil;&atilde;o
+ partição raiz no disco que o bloco de
+ inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) acredita ser o disco
- de inicializa&ccedil;&atilde;o
+ de inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>), wd1, ao
- inv&eacute;s do disco correto na segunda controladora,
- wd2, e por isso o processo de inicializa&ccedil;&atilde;o
+ invés do disco correto na segunda controladora,
+ wd2, e por isso o processo de inicialização
falha.</para>
- <para>Para corrigir esse problema, voc&ecirc; tem tr&ecirc;s
- op&ccedil;&otilde;es:</para>
+ <para>Para corrigir esse problema, você tem três
+ opções:</para>
<orderedlist>
<listitem>
<para>No FreeBSD 3.3 e posteriores, reincie o sistema e
aperte <keycap>Enter</keycap> na tela <literal>Booting
kernel in 10 seconds; hit [Enter] to
- interrupt</literal>. Voc&ecirc; ser&aacute;
+ interrupt</literal>. Você será
direcionado ao <literal>boot loader</literal>.</para>
<para>Depois, digite <literal> set
root_disk_unit="<replaceable>disk_number</replaceable>"</literal>.
- <replaceable>disk_number</replaceable> dever&aacute;
+ <replaceable>disk_number</replaceable> deverá
ser <literal>0</literal> se o FreeBSD estiver
instalado como mestre na primeira controladora IDE,
<literal>1</literal> se for o escravo na primeira
@@ -2500,9 +2500,9 @@ sectors/track: 63</screen>
<para>Depois digite <literal>boot</literal>, e seu sistema deve ser iniciado corretamente.</para>
- <para>Para tornar essa altera&ccedil;&atilde;o
- permanente, (para que voc&ecirc; n&atilde;o tenha que
- digitar isso na m&atilde;o toda vez que seu FreeBSD
+ <para>Para tornar essa alteração
+ permanente, (para que você não tenha que
+ digitar isso na mão toda vez que seu FreeBSD
tiver que reiniciar) basta colocar a linha <literal>
root_disk_unit="<replaceable>disk_number</replaceable>"</literal>
no arquivo
@@ -2510,14 +2510,14 @@ sectors/track: 63</screen>
</listitem>
<listitem>
- <para>Se voc&ecirc; estiver usando o FreeBSD 3.2 ou
- alguma vers&atilde;o anterior, digite
+ <para>Se você estiver usando o FreeBSD 3.2 ou
+ alguma versão anterior, digite
<literal>1:wd(2,a)kernel</literal> na prompt de
- inicializa&ccedil;&atilde;o do sistema e aperte
+ inicialização do sistema e aperte
<keycap>Enter</keycap>. Se o sistema iniciar
normalmente, execute o comando <command>echo
"1:wd(2,a)kernel" &gt; /boot.config</command> para
- tornar essa altera&ccedil;&atilde;o permanente.</para>
+ tornar essa alteração permanente.</para>
</listitem>
<listitem>
@@ -2529,7 +2529,7 @@ sectors/track: 63</screen>
<para><ulink
url="../handbook/kernelconfig.html">Recompile o
<foreignphrase>kernel</foreignphrase></ulink>,
- altere as linhas de configura&ccedil;&atilde;o wd
+ altere as linhas de configuração wd
para: </para>
<programlisting>controller wdc0 at isa? port "IO_WD1" bio irq 14 vector wdintr
@@ -2541,9 +2541,9 @@ disk wd1 at wdc1 drive 0 # change from wd2 to wd1
disk wd2 at wdc1 drive 1 # change from wd3 to wd2</programlisting>
<para>E instale o novo
- <foreignphrase>kernel</foreignphrase>. Se voc&ecirc;
+ <foreignphrase>kernel</foreignphrase>. Se você
mudou seu disco e quer voltar ele para
- configura&ccedil;&atilde;o original, mude a ordem
+ configuração original, mude a ordem
deles no PC e reinicie o sistema. Seu sistema deve
iniciar com sucesso.</para>
</listitem>
@@ -2553,45 +2553,45 @@ disk wd2 at wdc1 drive 1 # change from wd3 to wd2</programlisting
<qandaentry>
<question id="memory-limits">
- <para>Quais s&atilde;o as limita&ccedil;&otilde;es de
- mem&oacute;ria?</para>
+ <para>Quais são as limitações de
+ memória?</para>
</question>
<answer>
- <para>A limita&ccedil;&atilde;o de mem&oacute;ria &eacute;
- de 4 gigabytes. Essa defini&ccedil;&atilde;o foi testada,
+ <para>A limitação de memória é
+ de 4 gigabytes. Essa definição foi testada,
veja a <ulink
- url="ftp://ftp.cdrom.com/archive-info/configuration">configura&ccedil;&atilde;o
+ url="ftp://ftp.cdrom.com/archive-info/configuration">configuração
do wcarchive</ulink> para obter mais detalhes. Se
- voc&ecirc; pretende instalar essa quantidade de
- mem&oacute;ria no FreeBSD, seja cuidadoso. D&ecirc;
- prefer&ecirc;ncia para mem&oacute;rias ECC e reduza a
- capacidade de carga usando modules de mem&oacute;ria de 9
- chips, ai inv&eacute;s dos m&oacute;dulos de 18
+ você pretende instalar essa quantidade de
+ memória no FreeBSD, seja cuidadoso. Dê
+ preferência para memórias ECC e reduza a
+ capacidade de carga usando modules de memória de 9
+ chips, ai invés dos módulos de 18
chips.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="ffs-limits">
- <para>Qual a limita&ccedil;&atilde;o para o sistema de
+ <para>Qual a limitação para o sistema de
arquivos FFS?</para>
</question>
<answer>
<para>Para o sistema de arquivos FFS, o limite
- m&aacute;ximo, na teoria &eacute; de 8 terabytes (para
- blocos de 2K), ou 16TB para o tamanho padr&atilde;o dos
- blocos, que &eacute; de 8K. Na pr&aacute;tica os limites
+ máximo, na teoria é de 8 terabytes (para
+ blocos de 2K), ou 16TB para o tamanho padrão dos
+ blocos, que é de 8K. Na prática os limites
variam de 1TB a 4TB de acordo com algumas
- modifica&ccedil;&otilde;es no sistema de arquivos.</para>
+ modificações no sistema de arquivos.</para>
- <para>O tamanho m&aacute;ximo para um arquivo no sistema FFS
- &eacute; de 1G de blocos (4TB) caso os blocos sejam de
+ <para>O tamanho máximo para um arquivo no sistema FFS
+ é de 1G de blocos (4TB) caso os blocos sejam de
4K.</para>
<table>
- <title>Tamanho m&aacute;ximo dos arquivos.</title>
+ <title>Tamanho máximo dos arquivos.</title>
<tgroup cols="5">
<thead>
@@ -2674,25 +2674,25 @@ disk wd2 at wdc1 drive 1 # change from wd3 to wd2</programlisting
<para>Quando o sistema de arquivos possui blocos de 4K, o
triplo de blocos indiretores funcionam, e o limite
- m&aacute;ximo do sistema de arquivos deveria ser atingido,
- mas a triplica&ccedil;&atilde;o dos blocos indiretores
+ máximo do sistema de arquivos deveria ser atingido,
+ mas a triplicação dos blocos indiretores
(representados aproximadamente pelo resultado de 1K^3 +
- 1K^2 + 1K) se limita ao valor (err&ocirc;neo) de 1G-1 no
- n&uacute;mero de blocos do sistema de arquivos. O limite
- do n&uacute;mero de blocos deveria ser 2G-1. Mas por
- causa de alguns problemas com o n&uacute;mero dos blocos
- no sistema de arquivos, esse valor n&atilde;o pode ser
- alcan&ccedil;ado quando o tamanho dos blocos no sistema de
- arquivos &eacute; 4K.</para>
+ 1K^2 + 1K) se limita ao valor (errôneo) de 1G-1 no
+ número de blocos do sistema de arquivos. O limite
+ do número de blocos deveria ser 2G-1. Mas por
+ causa de alguns problemas com o número dos blocos
+ no sistema de arquivos, esse valor não pode ser
+ alcançado quando o tamanho dos blocos no sistema de
+ arquivos é 4K.</para>
<para>Em blocos com tamanho de 8K ou maiores, o limite geral
- &eacute; de 2G-1 no n&uacute;mero de blocos do sistema de
+ é de 2G-1 no número de blocos do sistema de
arquivos, exceto no FreeBSD -STABLE onde o triplo indireto
- do n&uacute;mero de blocos pode ser alcan&ccedil;ado, de
- forma que o limite m&aacute;ximo do sistema de arquivos
- seja representado pela equa&ccedil;&atilde;o
+ do número de blocos pode ser alcançado, de
+ forma que o limite máximo do sistema de arquivos
+ seja representado pela equação
((blocksize/4)^2 + (blocksize/4)), e sob o -CURRENT onde a
- exce&ccedil;&atilde;o desse limite pode causar
+ exceção desse limite pode causar
problemas.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -2706,64 +2706,64 @@ disk wd2 at wdc1 drive 1 # change from wd3 to wd2</programlisting
</question>
<answer>
- <para>Voc&ecirc; pode carregar um novo
+ <para>Você pode carregar um novo
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> ao especifica-lo
- diretamente no segundo est&aacute;gio do processo de
- inicializa&ccedil;&atilde;o, simplesmente apertando
+ diretamente no segundo estágio do processo de
+ inicialização, simplesmente apertando
qualquer tecla quando o pipe ( | ) aparecer, antes que o
- loader seja carregado. Provavelmente voc&ecirc; atualizou
+ loader seja carregado. Provavelmente você atualizou
todo o sistema operacional, mas recompilou apenas o
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>, <emphasis>sem dar
- um make world</emphasis>. Essa a&ccedil;&atilde;o
- &eacute; arriscada e n&atilde;o &eacute; suportada.
- Fa&ccedil;a um Make World!!!!</para>
+ um make world</emphasis>. Essa ação
+ é arriscada e não é suportada.
+ Faça um Make World!!!!</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="upgrade-3x-4x">
- <para>Como eu atualizo meu sistema da s&eacute;rie 3.X para 4.X?</para>
+ <para>Como eu atualizo meu sistema da série 3.X para 4.X?</para>
</question>
<answer>
- <para>&Eacute; <emphasis>altamente</emphasis>
- recomend&aacute;vel que voc&ecirc; use
- <foreignphrase>snapshots</foreignphrase> bin&aacute;rios
+ <para>É <emphasis>altamente</emphasis>
+ recomendável que você use
+ <foreignphrase>snapshots</foreignphrase> binários
para fazer isso. <foreignphrase>Snapshots</foreignphrase>
- bin&aacute;rio do 4-STABLE podem ser encontrados em <ulink
+ binário do 4-STABLE podem ser encontrados em <ulink
url="ftp://releng4.FreeBSD.org/">ftp://releng4.FreeBSD.org/</ulink>.</para>
- <para>Devido &agrave;s in&uacute;meras
- altera&ccedil;&otilde;es da s&eacute;rie 3.X para
- s&eacute;rie 4-STABLE, uma atualiza&ccedil;&atilde;o
+ <para>Devido às inúmeras
+ alterações da série 3.X para
+ série 4-STABLE, uma atualização
direta, a partir dos fontes, corre grande riscos de
- falhar. A atualiza&ccedil;&atilde;o dos fontes pode ser
- feita, inclusive desde as prim&oacute;rdias vers&otilde;es
- 2.X at&eacute; as mais recentes 4-STABLE ou at&eacute;
- mesmo 5-CURRENT, mas essa atualiza&ccedil;&atilde;o deve
- ser realizada em v&aacute;rios est&aacute;gios. Primeiro,
- atualize a sua s&eacute;rie 3.X pra vers&atilde;o mais
+ falhar. A atualização dos fontes pode ser
+ feita, inclusive desde as primórdias versões
+ 2.X até as mais recentes 4-STABLE ou até
+ mesmo 5-CURRENT, mas essa atualização deve
+ ser realizada em vários estágios. Primeiro,
+ atualize a sua série 3.X pra versão mais
recente, a 3-STABLE (<literal>RELENG_3</literal>). Depois
atualize para o 4.1.1-RELEASE
(<literal>RELENG_4_1_1_RELEASE</literal>). Finalmente,
tente atualizar para o 4-STABLE
(<literal>RELENG_4</literal>).</para>
- <para>Se voc&ecirc; pretende atualizar seu sistema a partir
+ <para>Se você pretende atualizar seu sistema a partir
dos fontes, por gentileza, refira-se ao <ulink
url="../handbook/cutting-edge.html">&a.ptbr.p.handbook;</ulink>
- para maiores informa&ccedil;&otilde;es.</para>
+ para maiores informações.</para>
<caution>
- <para>A atualiza&ccedil;&atilde;o direta por meio dos
- fontes nunca &eacute; aconselh&aacute;vel para
- usu&aacute;rios inexperientes, a
- atualiza&ccedil;&atilde;o da s&eacute;rie 3.X para 4.X
- portanto &eacute; menos aconselh&aacute;vel ainda,
- portanto, caso voc&ecirc; n&atilde;o tenha
- experi&ecirc;ncias com esse processo de
- atualiza&ccedil;&atilde;o, leia todas as
- instru&ccedil;&otilde;es dispon&iacute;veis no
+ <para>A atualização direta por meio dos
+ fontes nunca é aconselhável para
+ usuários inexperientes, a
+ atualização da série 3.X para 4.X
+ portanto é menos aconselhável ainda,
+ portanto, caso você não tenha
+ experiências com esse processo de
+ atualização, leia todas as
+ instruções disponíveis no
&a.ptbr.p.handbook; com cuidado.</para>
</caution>
</answer>
@@ -2771,25 +2771,25 @@ disk wd2 at wdc1 drive 1 # change from wd3 to wd2</programlisting
<qandaentry>
<question id="security-profiles">
- <para>Onde est&atilde;o essas
- <quote>especifica&ccedil;&otilde;es de
- seguran&ccedil;a</quote>?</para>
+ <para>Onde estão essas
+ <quote>especificações de
+ segurança</quote>?</para>
</question>
<answer>
- <para>Uma <quote>especifica&ccedil;&atilde;o de
- seguran&ccedil;a</quote> se refere a um conjunto de
- configura&ccedil;&otilde;es e de op&ccedil;&otilde;es no
- sistema, que tendem a garantir um n&iacute;vel
- desej&aacute;vel de seguran&ccedil;a, por meio de definir
- ou desabilitar algumas op&ccedil;&otilde;es e programas no
+ <para>Uma <quote>especificação de
+ segurança</quote> se refere a um conjunto de
+ configurações e de opções no
+ sistema, que tendem a garantir um nível
+ desejável de segurança, por meio de definir
+ ou desabilitar algumas opções e programas no
FreeBSD. Para maiores detalhes, veja a
- se&ccedil;&atilde;o de <ulink
+ seção de <ulink
url="../handbook/install-post.html#SECURITYPROFILE">
- Especifica&ccedil;&atilde;o de Seguran&ccedil;a</ulink>
+ Especificação de Segurança</ulink>
no <ulink
- url="../handbook/install-post.html">cap&iacute;tulo de
- p&oacute;s-instala&ccedil;&atilde;o</ulink> do
+ url="../handbook/install-post.html">capítulo de
+ pós-instalação</ulink> do
&a.ptbr.p.handbook;.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -2802,30 +2802,30 @@ disk wd2 at wdc1 drive 1 # change from wd3 to wd2</programlisting
<qandaset>
<qandaentry>
<question id="architectures">
- <para>O FreeBSD suporta outras arquiteturas al&eacute;m da
+ <para>O FreeBSD suporta outras arquiteturas além da
x86?</para>
</question>
<answer>
<para>Sim. Atualmente o FreeBSD tem suporte para
arquiteturas Intel x86 e DEC (agora Compaq) Alpha.
- Tamb&eacute;m existe um interesse conhecido no
+ Também existe um interesse conhecido no
<literal>port</literal> FreeBSD para plataforma SPARC.
Caso exista interesse em participar desse projeto ou saber
- mais informa&ccedil;&otilde;es sobre
+ mais informações sobre
<literal>port</literal> para esta arquitetura, queira
- juntar-se &agrave; lista de discuss&atilde;o do &a.sparc;.
+ juntar-se à lista de discussão do &a.sparc;.
As plataformas IA-64 e Power-PC foram recentemente
- adicionadas &agrave; lista de arquiteturas que
- ser&atilde;o futuramente suportadas; entre na lista do
- &a.ia64; e/ou &a.ppc; para mais informa&ccedil;&otilde;es
- sobre tais arquiteturas. Para discuss&otilde;es gerais
+ adicionadas à lista de arquiteturas que
+ serão futuramente suportadas; entre na lista do
+ &a.ia64; e/ou &a.ppc; para mais informações
+ sobre tais arquiteturas. Para discussões gerais
sobre outras arquiteturas, entre na lista de
- discuss&atilde;o &a.platforms;.</para>
+ discussão &a.platforms;.</para>
- <para>Caso seu computador seja de uma arquitetura n&atilde;o
+ <para>Caso seu computador seja de uma arquitetura não
suportada pelo FreeBSD e precise de uma
- solu&ccedil;&atilde;o imediata, n&oacute;s sugerimos uma
+ solução imediata, nós sugerimos uma
olhada no <ulink
url="http://www.netbsd.org/">NetBSD</ulink> ou <ulink
url="http://www.openbsd.org/">OpenBSD</ulink>.</para>
@@ -2839,48 +2839,48 @@ disk wd2 at wdc1 drive 1 # change from wd3 to wd2</programlisting
</question>
<answer>
- <para>Essa &eacute; uma discuss&atilde;o tradicional nas
- listas do FreeBSD. Partindo do princ&iacute;pio que os
- tipos de equipamentos e suas caracter&iacute;sticas
- alteram-se de forma muita r&aacute;pida, e que n&oacute;s
- tentamos suportar essas mudan&ccedil;as e torn&aacute;-las
- suportadas, &eacute; <emphasis>fortemente
- recomendado</emphasis> que voc&ecirc; sempre leia as
+ <para>Essa é uma discussão tradicional nas
+ listas do FreeBSD. Partindo do princípio que os
+ tipos de equipamentos e suas características
+ alteram-se de forma muita rápida, e que nós
+ tentamos suportar essas mudanças e torná-las
+ suportadas, é <emphasis>fortemente
+ recomendado</emphasis> que você sempre leia as
<ulink url="&rel.current.hardware;">Notas de
- Hardware</ulink> e fa&ccedil;a uma busca nos <ulink
- url="http://www.freebsd.org/search/#mailinglists">hist&oacute;rico
- das listas de discuss&atilde;o</ulink> antes de
+ Hardware</ulink> e faça uma busca nos <ulink
+ url="http://www.freebsd.org/search/#mailinglists">histórico
+ das listas de discussão</ulink> antes de
perguntar sobre os melhores e mais novos equipamentos
- dispon&iacute;veis. &Eacute; muito prov&aacute;vel que as
- informa&ccedil;&otilde;es que voc&ecirc; quer sobre
- determinado equipamento tenham sido discutidas h&aacute;
+ disponíveis. É muito provável que as
+ informações que você quer sobre
+ determinado equipamento tenham sido discutidas há
menos de uma semana.</para>
- <para>Caso voc&ecirc; esteja procurando
- informa&ccedil;&otilde;es sobre
+ <para>Caso você esteja procurando
+ informações sobre
<foreignphrase>laptops</foreignphrase>, verifique o
- hist&oacute;rico da lista FreeBSD-mobile. Do
- contr&aacute;rio, o hist&oacute;rico da FreeBSD-questions
- ser&aacute; o mais indicado, ou de alguma lista
- espec&iacute;fica sobre o tipo de hardware em
- quest&atilde;o.</para>
+ histórico da lista FreeBSD-mobile. Do
+ contrário, o histórico da FreeBSD-questions
+ será o mais indicado, ou de alguma lista
+ específica sobre o tipo de hardware em
+ questão.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="supported-hard-drives">
- <para>Que tipos de discos r&iacute;gido o FreeBSD
+ <para>Que tipos de discos rígido o FreeBSD
suporta?</para>
</question>
<answer>
<para>O FreeBSD suporta discos EIDE e SCSI (com alguma
- controladora compat&iacute;vel; veja a pr&oacute;xima
+ controladora compatível; veja a próxima
pergunta) e todos os outros discos que usam a interface de
controle original da <quote>Western Digital</quote> (MFM,
- RLL, ESDI, e &eacute; claro IDE). Algumas controladoras
- ESDI que usam interfaces de controle propriet&aacute;ria
- n&atilde;o funcionar&atilde;o no FreeBSD: mude para
+ RLL, ESDI, e é claro IDE). Algumas controladoras
+ ESDI que usam interfaces de controle proprietária
+ não funcionarão no FreeBSD: mude para
controladoras do tipo WD1002/3/6/7 ou algum clone dessa
interface.</para>
</answer>
@@ -2888,7 +2888,7 @@ disk wd2 at wdc1 drive 1 # change from wd3 to wd2</programlisting
<qandaentry>
<question id="supported-scsi-controllers">
- <para>Quais controladoras SCSI s&atilde;o suportadas pelo
+ <para>Quais controladoras SCSI são suportadas pelo
FreeBSD?</para>
</question>
@@ -2901,16 +2901,16 @@ disk wd2 at wdc1 drive 1 # change from wd3 to wd2</programlisting
<qandaentry>
<question id="supported-cdrom-drives">
- <para>Quais drives de CDROM s&atilde;o suportados pelo
+ <para>Quais drives de CDROM são suportados pelo
FreeBSD?</para>
</question>
<answer>
- <para>Quaisquer drives SCSI ligados &agrave; controladoras
- suportadas s&atilde;o controladas pelo FreeBSD.</para>
+ <para>Quaisquer drives SCSI ligados à controladoras
+ suportadas são controladas pelo FreeBSD.</para>
- <para>As seguintes interfaces propriet&aacute;rias de CDROM
- tamb&eacute;m s&atilde;o suportadas:</para>
+ <para>As seguintes interfaces proprietárias de CDROM
+ também são suportadas:</para>
<itemizedlist>
<listitem>
@@ -2923,7 +2923,7 @@ disk wd2 at wdc1 drive 1 # change from wd3 to wd2</programlisting
</listitem>
<listitem>
- <para>CDROM Sound Blaster n&atilde;o-SCSI.</para>
+ <para>CDROM Sound Blaster não-SCSI.</para>
</listitem>
<listitem>
@@ -2931,40 +2931,40 @@ disk wd2 at wdc1 drive 1 # change from wd3 to wd2</programlisting
</listitem>
<listitem>
- <para>CDROMs IDE compat&iacute;veis com o padr&atilde;o
+ <para>CDROMs IDE compatíveis com o padrão
ATAPI.</para>
</listitem>
</itemizedlist>
- <para>Todo equipamento n&atilde;o-SCSI &eacute;
+ <para>Todo equipamento não-SCSI é
reconhecidamente mais lento do que os SCSI, e alguns
- drives de CDROM ATAPI podem n&atilde;o funcionar
+ drives de CDROM ATAPI podem não funcionar
corretamente.</para>
- <para>A partir da vers&atilde;o 2.2, todos os CDROM do
- FreeBSD distribu&iacute;dos pela FreeBSD Mall podem ser
+ <para>A partir da versão 2.2, todos os CDROM do
+ FreeBSD distribuídos pela FreeBSD Mall podem ser
iniciados (booting) diretamente pela unidade de CD.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="supported-cdrw-drives">
- <para>Quais drives de CD-RW s&atilde;o suportados pelo
+ <para>Quais drives de CD-RW são suportados pelo
FreeBSD?</para>
</question>
<answer>
<para>O FreeBSD suporta qualquer tipo de unidade CD-RW ou
- CD-R IDE compat&iacute;veis com o padr&atilde;o ATAPI. No
- FreeBSD 4.0 e posteriores, leia a p&aacute;gina de manual
- do &man.burncd.8;.Em vers&otilde;es anteriores, veja os
- exemplos de utiliza&ccedil;&atilde;o desses equipamentos
+ CD-R IDE compatíveis com o padrão ATAPI. No
+ FreeBSD 4.0 e posteriores, leia a página de manual
+ do &man.burncd.8;.Em versões anteriores, veja os
+ exemplos de utilização desses equipamentos
em <filename>/usr/share/examples/atapi</filename>.</para>
- <para>O FreeBSD tamb&eacute;m suporta qualquer drive de CD-R
+ <para>O FreeBSD também suporta qualquer drive de CD-R
ou CD-RW do tipo SCSI. Instale o aplicativo
<command>cdrecord</command> a partir da
- cole&ccedil;&atilde;o de <literal>ports</literal> ou como
+ coleção de <literal>ports</literal> ou como
pacote, e tenha certeza de ter o device
<devicename>pass</devicename> compilado no seu
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>.</para>
@@ -2977,97 +2977,97 @@ disk wd2 at wdc1 drive 1 # change from wd3 to wd2</programlisting
</question>
<answer>
- <para>O FreeBSD suporta ZIP Drives do tipo SCSI, &eacute;
+ <para>O FreeBSD suporta ZIP Drives do tipo SCSI, é
claro. Essa unidade deve ser configurada apenas nos SCSI
- ID n&uacute;meros 5 ou 6, mas se a sua BIOS tem suporte
- &agrave inicializ&atilde;&ccedil;o(boot) pela unidade
- SCSI, essa caracter&iacute;stica pode ser usada sem
- problemas. N&atilde;o est&aacute; claro exatamente quais
- adaptadores SCSI suportam a caracter&iacute;stica de
- inicializ&atilde;&ccedil;o(boot) em IDs diferentes de 0 ou
- 1, portanto ser&aacute; necess&aacute;rio consultar o
+ ID números 5 ou 6, mas se a sua BIOS tem suporte
+ &agrave inicializãço(boot) pela unidade
+ SCSI, essa característica pode ser usada sem
+ problemas. Não está claro exatamente quais
+ adaptadores SCSI suportam a característica de
+ inicializãço(boot) em IDs diferentes de 0 ou
+ 1, portanto será necessário consultar o
manual do seu equipamento para obter
- informa&ccedil;&otilde;es mais precisas sobre esse
+ informações mais precisas sobre esse
recurso.</para>
- <para>Os ZIP Drives padr&atilde;o ATAPI (IDE) s&atilde;o
- suportados pelo FreeBSD desde a vers&atilde;o 2.2.6 e em
+ <para>Os ZIP Drives padrão ATAPI (IDE) são
+ suportados pelo FreeBSD desde a versão 2.2.6 e em
todas as posteriores.</para>
<para>O FreeBSD tem suporte ainda a ZIP Drives de Porta
- Paralela desde a vers&atilde;o 3.0. Caso seu sistema seja
- dessa vers&atilde;o ou superior, verifique o suporte a
+ Paralela desde a versão 3.0. Caso seu sistema seja
+ dessa versão ou superior, verifique o suporte a
<devicename>scbus0</devicename>,
<devicename>da0</devicename>,
<devicename>ppbus0</devicename>,
<devicename>vp0</devicename> no seu
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> (o
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> GENERIC tem todos
- esses suportes, exceto &agrave; device
+ esses suportes, exceto à device
<devicename>vp0</devicename>). Com esses suportes
presentes no <foreignphrase>kernel</foreignphrase>, o
- drive de Porta Paralela deve estar dispon&iacute;vel em
+ drive de Porta Paralela deve estar disponível em
<devicename>/dev/da0s4</devicename>. Os discos ZIP podem
ser montados usando o comando <command>mount /dev/da0s4
/mnt</command> OU (discos formatados como DOS)
<command>mount_msdos /dev/da0s4 /mnt</command>, como
- &eacute; de costume.</para>
+ é de costume.</para>
- <para>Verifique tamb&eacute;m o <link
+ <para>Verifique também o <link
linkend="jaz"><literal>FAQ</literal> sobre discos
- remov&iacute;veis</link> dispon&iacute;vel ainda nesse
- cap&iacute;tulo, e <link linkend="disklabel">as notas
- sobre <quote>formata&ccedil;&atilde;o</quote></link> no
- cap&iacute;tulo de Administra&ccedil;&atilde;o.</para>
+ removíveis</link> disponível ainda nesse
+ capítulo, e <link linkend="disklabel">as notas
+ sobre <quote>formatação</quote></link> no
+ capítulo de Administração.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="jaz-zip-removable-support">
<para>O FreeBSD suporta discos JAZ, EZ ou outras unidades
- remov&iacute;veis?</para>
+ removíveis?</para>
</question>
<answer>
- <para>Fora a vers&atilde;o IDE dos discos EZ, os outros
- discos s&atilde;o todos do tipo SCSI, e portanto devem
+ <para>Fora a versão IDE dos discos EZ, os outros
+ discos são todos do tipo SCSI, e portanto devem
todos ser reconhecidos como discos SCSI no FreeBSD. O
drive EZ tipo IDE deve ser reconhecido como disco
IDE.</para>
- <para><anchor id="jaz"/>N&atilde;o h&aacute; uma certeza
- quanto &agrave; forma que o FreeBSD trata uma
- altera&ccedil;&atilde;o de m&iacute;dia enquanto o sistema
- est&aacute; em pleno uso, ent&atilde;o &eacute;
- necess&aacute;rio desmontar a unidade antes de trocar de
+ <para><anchor id="jaz"/>Não há uma certeza
+ quanto à forma que o FreeBSD trata uma
+ alteração de mídia enquanto o sistema
+ está em pleno uso, então é
+ necessário desmontar a unidade antes de trocar de
disco e garantir que qualquer unidade externa esteja
ligada quando o sistema for bootado, de forma que o
- FreeBSD possa reconhec&ecirc;-las.</para>
+ FreeBSD possa reconhecê-las.</para>
<para>Veja essa <link linkend="disklabel">nota sobre
- <quote>formata&ccedil;&atilde;o</quote></link>.</para>
+ <quote>formatação</quote></link>.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="multiport-serial-support">
- <para>Que dispositivos seriais de m&uacute;ltiplas portas
- s&atilde;o suportados pelo FreeBSD?</para>
+ <para>Que dispositivos seriais de múltiplas portas
+ são suportados pelo FreeBSD?</para>
</question>
<answer>
<para>Existe uma lista dessas unidades na
- se&ccedil;&atilde;o de <ulink
+ seção de <ulink
url="../handbook/install.html#INSTALL-MISC">Dispositivos
Diversos</ulink> do &a.ptbr.p.handbook;.</para>
- <para>Alguns dispositivos clones parecem tamb&eacute;m
+ <para>Alguns dispositivos clones parecem também
funcionar normalmente no sistema, em especial equipamentos
- que se dizem ser AST compat&iacute;veis.</para>
+ que se dizem ser AST compatíveis.</para>
- <para>Verifique a p&aacute;gina de manual do &man.sio.4; para
- obter mais informa&ccedil;&otilde;es quanto &agrave;
- configura&ccedil;&atilde;o desses dispositivos.</para>
+ <para>Verifique a página de manual do &man.sio.4; para
+ obter mais informações quanto à
+ configuração desses dispositivos.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -3078,10 +3078,10 @@ disk wd2 at wdc1 drive 1 # change from wd3 to wd2</programlisting
<answer>
<para>O suporte a dispositivos USB foi adicionado no FreeBSD
- desde a vers&atilde;o 3.1. Contudo, na vers&atilde;o 3.1,
- o suporte ainda &eacute; muito preliminar, e alguns
- equipamentos podem n&atilde;o funcionar antes da
- vers&atilde;o 3.2. Caso voc&ecirc; queira usar o suporte
+ desde a versão 3.1. Contudo, na versão 3.1,
+ o suporte ainda é muito preliminar, e alguns
+ equipamentos podem não funcionar antes da
+ versão 3.2. Caso você queira usar o suporte
a teclados USB, tente o seguinte.</para>
<procedure>
@@ -3091,7 +3091,7 @@ disk wd2 at wdc1 drive 1 # change from wd3 to wd2</programlisting
<step>
<para>Adicione as seguintes linhas no arquivo de
- configura&ccedil;&atilde;o do seu
+ configuração do seu
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>, e
recompile-o.</para>
@@ -3101,7 +3101,7 @@ device usb
device ukbd
options KBD_INSTALL_CDEV</programlisting>
- <para>Em vers&otilde;es anteriores &agrave; 4.0,
+ <para>Em versões anteriores à 4.0,
use:</para>
<programlisting>controller uhci0
@@ -3112,7 +3112,7 @@ options KBD_INSTALL_CDEV</programlisting>
</step>
<step>
- <para>No diret&oacute;rio <filename>/dev</filename>,
+ <para>No diretório <filename>/dev</filename>,
crie os seguintes devices:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>cd /dev</userinput>
@@ -3133,82 +3133,82 @@ usbd_flags=""</programlisting>
teclado USB aparece como
<devicename>/dev/kbd1</devicename> , se ambos estiverem
conectados ao sistema. Se estiver somente o teclado USB,
- ele estar&aacute; como
+ ele estará como
<devicename>/dev/ukbd0</devicename>.</para>
- <para>Caso queira usar o teclado USB no console, &eacute;
- necess&aacute;rio informar explicitamente ao driver do
+ <para>Caso queira usar o teclado USB no console, é
+ necessário informar explicitamente ao driver do
console que ele deve usar esse teclado. Isso pode ser
feito com o seguinte comando em tempo de
- inicializa&ccedil;&atilde;o do sistema:</para>
+ inicialização do sistema:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>kbdcontrol -k /dev/kbd1 &lt; /dev/ttyv0 &gt; /dev/null</userinput></screen>
- <para>Note que se o teclado USB for o &uacute;nico teclado
- dispon&iacute;vel, ele ser&aacute; acessado via
+ <para>Note que se o teclado USB for o único teclado
+ disponível, ele será acessado via
<devicename>/dev/kbd0</devicename>, portanto a linha de
comando deve-se parecer com:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>kbdcontrol -k /dev/kbd0 &lt; /dev/ttyv0 &gt; /dev/null</userinput></screen>
- <para>O arquivo <filename>/etc/rc.i386</filename> &eacute;
+ <para>O arquivo <filename>/etc/rc.i386</filename> é
um bom lugar para colocar o comando acima.</para>
<para>Depois de configurado, o teclado USB deve funcionar
- tamb&eacute;m no ambiente X, sem nenhuma outra
- configura&ccedil;&atilde;o especial.</para>
+ também no ambiente X, sem nenhuma outra
+ configuração especial.</para>
<para>Conectar e desconectar o teclado USB com o sistema
- ligado ainda n&atilde;o &eacute; um comportamento
- completamente suportado, portando &eacute;
- aconselh&aacute;vel ligar o teclado antes de iniciar o
- sistema e apenas deslig&aacute;-lo depois que o computador
- estiver desligado, para evitar poss&iacute;veis
+ ligado ainda não é um comportamento
+ completamente suportado, portando é
+ aconselhável ligar o teclado antes de iniciar o
+ sistema e apenas desligá-lo depois que o computador
+ estiver desligado, para evitar possíveis
problemas.</para>
- <para>Veja a p&aacute;gina de manual do &man.ukbd.4; para
- maiores informa&ccedil;&otilde;es.</para>
+ <para>Veja a página de manual do &man.ukbd.4; para
+ maiores informações.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="busmouse">
- <para>Eu tenho um mouse de barramento n&atilde;o tradicional.
+ <para>Eu tenho um mouse de barramento não tradicional.
Como o configuro?</para>
</question>
<answer>
<para>O FreeBSD suporta o barramento de mouse tradicional do
tipo InPort fabricados pela Microsoft, Logitech e ATI. O
- suporte a esse perif&eacute;rico &eacute; compilado por
- padr&atilde;o no <foreignphrase>kernel</foreignphrase>
- GENERIC do FreeBSD na vers&atilde;o 2.X, mas n&atilde;o
- &eacute; suportado por padr&atilde;o na vers&atilde;o 3.0
- e posteriores. Se voc&ecirc; quer recompilar um
+ suporte a esse periférico é compilado por
+ padrão no <foreignphrase>kernel</foreignphrase>
+ GENERIC do FreeBSD na versão 2.X, mas não
+ é suportado por padrão na versão 3.0
+ e posteriores. Se você quer recompilar um
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> com suporte ao
barramento de mouse, adicionando a linha ao seu arquivo de
- configura&ccedil;&atilde;o:</para>
+ configuração:</para>
<para>No FreeBSD 3.0 e anteriores, adicione:</para>
<programlisting>device mse0 at isa? port 0x23c tty irq5 vector mseintr</programlisting>
- <para>Na s&eacute;rie 3.X do FreeBSD, a linha deve
+ <para>Na série 3.X do FreeBSD, a linha deve
ser:</para>
<programlisting>device mse0 at isa? port 0x23c tty irq5</programlisting>
- <para>E na s&eacute;rie 4.X e posteriores, a linha deve
+ <para>E na série 4.X e posteriores, a linha deve
ser:</para>
<programlisting>device mse0 at isa? port 0x23c irq5</programlisting>
<para>Barramentos de mouse costumam ter uma interface
- dedicada que permite definir o endere&ccedil;o de
- mem&oacute;ria e a IRQ que a placa vai funcionar. Nesse
- caso, refira-se ao manual do seu equipamento e &agrave;
- p&aacute;gina de manual do &man.mse.4; para maiores
- informa&ccedil;&otilde;es.</para>
+ dedicada que permite definir o endereço de
+ memória e a IRQ que a placa vai funcionar. Nesse
+ caso, refira-se ao manual do seu equipamento e à
+ página de manual do &man.mse.4; para maiores
+ informações.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -3219,69 +3219,69 @@ usbd_flags=""</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>Em vers&otilde;es posteriores ao 2.2.5, o
+ <para>Em versões posteriores ao 2.2.5, o
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> do FreeBSD inclui
- por padr&atilde;o o suporte ao device
- <devicename>psm</devicename>, que controlar&aacute; seu
- mouse PS/2 desde o momento de inicializa&ccedil;&atilde;o
+ por padrão o suporte ao device
+ <devicename>psm</devicename>, que controlará seu
+ mouse PS/2 desde o momento de inicialização
do sistema.</para>
<para>Caso seu FreeBSD seja 2.1.X ou similar, o suporte a
- PS/2 pode ser inclu&iacute;do no
+ PS/2 pode ser incluído no
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>, no momento da
- instala&ccedil;&atilde;o, ou mesmo depois desse processo,
- com a op&ccedil;&atilde;o <option>-c</option> na tela de
+ instalação, ou mesmo depois desse processo,
+ com a opção <option>-c</option> na tela de
<command>boot:</command> do sistema. O suporte nesse caso
- &eacute; desabilitado por padr&atilde;o e por isso deve
+ é desabilitado por padrão e por isso deve
ser explicitamente habilitado.</para>
- <para>Caso sua vers&atilde;o de FreeBSD seja antiga,
+ <para>Caso sua versão de FreeBSD seja antiga,
adicione a seguinte linha ao seu
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> e
recompile-o:</para>
- <para>No FreeBSD 3.0 e anteriores, a linha &eacute;:</para>
+ <para>No FreeBSD 3.0 e anteriores, a linha é:</para>
<programlisting>device psm0 at isa? port "IO_KBD" conflicts tty irq 12 vector psmintr</programlisting>
- <para>No FreeBSD 3.1 e posteriores da mesma s&eacute;rie, a
+ <para>No FreeBSD 3.1 e posteriores da mesma série, a
linha deve ser:</para>
<programlisting>device psm0 at isa? tty irq 12</programlisting>
- <para>No FreeBSD 4.0 e posteriores, a linha &eacute;:</para>
+ <para>No FreeBSD 4.0 e posteriores, a linha é:</para>
<programlisting>device psm0 at atkbdc? irq 12</programlisting>
- <para>Veja a se&ccedil;&atilde;o de <ulink
- url="../handbook/kernelconfig.html">configura&ccedil;&atilde;o
+ <para>Veja a seção de <ulink
+ url="../handbook/kernelconfig.html">configuração
do <foreignphrase>kernel</foreignphrase></ulink> no
- &a.ptbr.p.handbook; caso voc&ecirc; n&atilde;o tenha
- experi&ecirc;ncia com a compila&ccedil;&atilde;o do
+ &a.ptbr.p.handbook; caso você não tenha
+ experiência com a compilação do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>.</para>
<para>Uma vez detectado o <devicename>psm0</devicename>
- durante a inicializa&ccedil;&atilde;o
+ durante a inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) do seu sistema,
tenha certeza de que existe uma entrada
<devicename>psm0</devicename> no
- <filename>/dev</filename>. Fa&ccedil;a o seguinte:</para>
+ <filename>/dev</filename>. Faça o seguinte:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>cd /dev; sh MAKEDEV psm0</userinput></screen>
- <para>logado como usu&aacute;rio
+ <para>logado como usuário
<username>root</username>.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="moused">
- <para>&Eacute; poss&iacute;vel usar mouse de alguma forma,
+ <para>É possível usar mouse de alguma forma,
fora do sistema X Windows?</para>
</question>
<answer>
- <para>Se estiver utilizando o driver padr&atilde;o de
+ <para>Se estiver utilizando o driver padrão de
console, o syscons, pode-se usar o mouse para copiar &amp;
colar texto. Execute o mouse daemon,
<command>moused</command>, para habilitar o mouse nos
@@ -3291,53 +3291,53 @@ usbd_flags=""</programlisting>
&prompt.root; <userinput>vidcontrol -m on</userinput></screen>
<para>Onde <replaceable>xxxx</replaceable> deve ser
- substitu&iacute;do pelo nome de device do seu mouse e
+ substituído pelo nome de device do seu mouse e
<replaceable>yyyy</replaceable> pelo tipo de protocolo do
- mesmo. Veja a p&aacute;gina de manual do &man.moused.8;
- para maiores informa&ccedil;&otilde;es quanto aos tipos de
+ mesmo. Veja a página de manual do &man.moused.8;
+ para maiores informações quanto aos tipos de
protocolos suportados.</para>
- <para>&Eacute; prov&aacute;vel que voc&ecirc; queira usar o
+ <para>É provável que você queira usar o
mouse daemon automaticamente, sempre que o FreeBSD for
- iniciado. Na vers&atilde;o 2.2.1, defina as seguintes
- vari&aacute;veis, no arquivo
+ iniciado. Na versão 2.2.1, defina as seguintes
+ variáveis, no arquivo
<filename>/etc/sysconfig</filename>.</para>
<programlisting>mousedtype="yyyy"
mousedport="xxxx"
mousedflags=""</programlisting>
- <para>Da vers&atilde;o 2.2.2 at&eacute; a 3.0, defina as
- seguintes vari&aacute;veis no
+ <para>Da versão 2.2.2 até a 3.0, defina as
+ seguintes variáveis no
<filename>/etc/rc.conf</filename>.</para>
<programlisting>moused_type="yyyy"
moused_port="xxxx"
moused_flags=""</programlisting>
- <para>Da vers&atilde;o 3.1 em diante, caso voc&ecirc; tenha
- um mouse PS/2 &eacute; necess&aacute;rio apenas adicionar
- a op&ccedil;&atilde;o
+ <para>Da versão 3.1 em diante, caso você tenha
+ um mouse PS/2 é necessário apenas adicionar
+ a opção
<literal>moused_enable=&quot;YES&quot;</literal> no
arquivo <filename>/etc/rc.conf</filename>.</para>
- <para>E se a inten&ccedil;&atilde;o &eacute; usar o mouse em
- todos os terminais virtuais ao inv&eacute;s de apenas no
+ <para>E se a intenção é usar o mouse em
+ todos os terminais virtuais ao invés de apenas no
console, insira a seguinte linha no
<filename>/etc/rc.conf</filename>.</para>
<programlisting>allscreens_flags="-m on"</programlisting>
- <para>Desde a vers&atilde;o 2.2.6 do FreeBSD, o mouse daemon
- &eacute; capaz de detectar o tipo de protocolo do mouse
- automaticamente, a n&atilde;o ser que o dispositivo em
- quest&atilde;o seja um mouse serial muito velho. Defina
+ <para>Desde a versão 2.2.6 do FreeBSD, o mouse daemon
+ é capaz de detectar o tipo de protocolo do mouse
+ automaticamente, a não ser que o dispositivo em
+ questão seja um mouse serial muito velho. Defina
<literal>auto</literal> para que o programa identifique o
protocolo do mouse automaticamente.</para>
- <para>Quando o daemon est&aacute; rodando, o acesso ao
+ <para>Quando o daemon está rodando, o acesso ao
dispositivo deve ser coordenado entre ele e qualquer outra
- aplica&ccedil;&atilde;o, como o X-Windows, por exemplo.
+ aplicação, como o X-Windows, por exemplo.
Leia uma <link linkend="x-and-moused">outra
pergunta</link> sobre esse assunto.</para>
</answer>
@@ -3352,20 +3352,20 @@ moused_flags=""</programlisting>
<answer>
<para>Uma vez configurado o mouse (<link
linkend="moused">veja a pergunta anterior</link>),
- aperte o bot&atilde;o 1 (bot&atilde;o esquerdo) do mouse e
- mova o cursor por toda a regi&atilde;o desejada,
- selecionando o texto em quest&atilde;o. Depois, basta
- apertar o bot&atilde;o 2 (do meio) ou o bot&atilde;o 3
- (direito) para colar o conte&uacute;do selecionado
+ aperte o botão 1 (botão esquerdo) do mouse e
+ mova o cursor por toda a região desejada,
+ selecionando o texto em questão. Depois, basta
+ apertar o botão 2 (do meio) ou o botão 3
+ (direito) para colar o conteúdo selecionado
anteriormente.</para>
- <para>A partir da vers&atilde;o 2.2.6 o bot&atilde;o 2 cola
- o texto copiado, enquanto o bot&atilde;o 3 ``extende'' a
- regi&atilde;o selecionada. Caso seu mouse n&atilde;o
- tenha o bot&atilde;o do meio, &eacute; poss&iacute;vel
- remapear (ou emular) os bot&otilde;es do perif&eacute;rico
- usando algumas op&ccedil;&otilde;es espec&iacute;ficas do
- mouse daemon. Veja a p&aacute;gina de manual do
+ <para>A partir da versão 2.2.6 o botão 2 cola
+ o texto copiado, enquanto o botão 3 ``extende'' a
+ região selecionada. Caso seu mouse não
+ tenha o botão do meio, é possível
+ remapear (ou emular) os botões do periférico
+ usando algumas opções específicas do
+ mouse daemon. Veja a página de manual do
&man.moused.8; para maiores detalhes.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -3376,12 +3376,12 @@ moused_flags=""</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>No FreeBSD 3.1 existe um suporte preliminar &agrave;
- recursos USB que n&atilde;o funciona muito bem dependendo
- da situa&ccedil;&atilde;o. A partir da vers&atilde;o 4.0
- o FreeBSD suporta dispositivos USB por padr&atilde;o. Caso
+ <para>No FreeBSD 3.1 existe um suporte preliminar à
+ recursos USB que não funciona muito bem dependendo
+ da situação. A partir da versão 4.0
+ o FreeBSD suporta dispositivos USB por padrão. Caso
queira usar um mouse USB no FreeBSD 3.X, siga as seguintes
- instru&ccedil;&otilde;es.</para>
+ instruções.</para>
<procedure>
<step>
@@ -3399,8 +3399,8 @@ device ohci
device usb
device ums</programlisting>
- <para>Em vers&otilde;es anteriores &agrave; 4.0 o
- suporte &agrave; ser adicionado &eacute;:</para>
+ <para>Em versões anteriores à 4.0 o
+ suporte à ser adicionado é:</para>
<programlisting>controller uhci0
controller ohci0
@@ -3409,9 +3409,9 @@ device ums0</programlisting>
</step>
<step>
- <para>Entre no diret&oacute;rio
+ <para>Entre no diretório
<filename>/dev</filename> e crie os devices
- necess&aacute;rios:</para>
+ necessários:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>cd /dev</userinput>
&prompt.root; <userinput>./MAKEDEV ums0</userinput></screen>
@@ -3428,8 +3428,8 @@ moused_flags=""
usbd_enable="YES"
usbd_flags=""</programlisting>
- <para>Veja a <link linkend="moused">se&ccedil;&atilde;o
- anterior</link> para uma discuss&atilde;o mais
+ <para>Veja a <link linkend="moused">seção
+ anterior</link> para uma discussão mais
detalhada sobre o moused.</para>
</step>
@@ -3437,14 +3437,14 @@ usbd_flags=""</programlisting>
<para>Para configurar o mouse USB no X, edite o
<filename>XF86Config</filename> e, caso esteja usando
o XFree86 3.3.2 ou posterior, adicione as seguintes
- linhas na se&ccedil;&atilde;o
+ linhas na seção
<emphasis>Pointer</emphasis>:</para>
<programlisting>Device "/dev/sysmouse"
Protocol "Auto"</programlisting>
- <para>Caso esteja usando uma vers&atilde;o anterior do
- Xfree86, adicione tamb&eacute;m na se&ccedil;&atilde;o
+ <para>Caso esteja usando uma versão anterior do
+ Xfree86, adicione também na seção
<emphasis>Pointer</emphasis> as seguintes
linhas:</para>
@@ -3453,16 +3453,16 @@ Protocol "SysMouse"</programlisting>
</step>
</procedure>
- <para>Leia tamb&eacute;m uma <link
+ <para>Leia também uma <link
linkend="x-and-moused">outra pergunta</link> sobre o uso
do mouse em ambiente X.</para>
<para>Conectar e desconectar o teclado USB com o sistema
- ligado ainda n&atilde;o &eacute; um comportamento
- completamente suportado, portando &eacute;
- aconselh&aacute;vel ligar o teclado antes de iniciar o
- sistema e apenas deslig&aacute;-lo depois que o computador
- estiver desligado, para evitar poss&iacute;veis
+ ligado ainda não é um comportamento
+ completamente suportado, portando é
+ aconselhável ligar o teclado antes de iniciar o
+ sistema e apenas desligá-lo depois que o computador
+ estiver desligado, para evitar possíveis
problemas.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -3470,25 +3470,25 @@ Protocol "SysMouse"</programlisting>
<qandaentry>
<question id="mouse-wheel-buttons">
<para>Eu tenho um mouse do tipo Wheel com uma rodinha e
- bot&otilde;es adicionais. Posso us&aacute;-lo no
+ botões adicionais. Posso usá-lo no
FreeBSD?</para>
</question>
<answer>
- <para>A resposta, infelizmente &eacute;,
+ <para>A resposta, infelizmente é,
<quote>Depende</quote>. Esse tipo de mouse tem algumas
- caracter&iacute;sticas especiais que requerem o uso de
+ características especiais que requerem o uso de
<foreignphrase>drivers</foreignphrase> especiais na
- maioria dos casos. A n&atilde;o ser que o device do seu
- mouse tenha suporte espec&iacute;fico, ou se a
- aplica&ccedil;&atilde;o em quest&atilde;o reconhecer esse
- tipo de equipamento, ele ir&aacute; funcionar simplesmente
- como um mouse tradicional de dois ou tr&ecirc;s
- bot&otilde;es.</para>
-
- <para>Mais informa&ccedil;&otilde;es sobre o uso de mouse do
+ maioria dos casos. A não ser que o device do seu
+ mouse tenha suporte específico, ou se a
+ aplicação em questão reconhecer esse
+ tipo de equipamento, ele irá funcionar simplesmente
+ como um mouse tradicional de dois ou três
+ botões.</para>
+
+ <para>Mais informações sobre o uso de mouse do
tipo Wheel em ambiente X Windows, refira-se a essa <link
- linkend="x-and-wheel">se&ccedil;&atilde;o</link>.</para>
+ linkend="x-and-wheel">seção</link>.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -3500,7 +3500,7 @@ Protocol "SysMouse"</programlisting>
<answer>
<para>O suporte ao mouse PS/2 no FreeBSD 3.2 e anteriores
- &eacute; falho quanto a mouses do tipo Wheel, incluindo o
+ é falho quanto a mouses do tipo Wheel, incluindo o
modelo M-S48 da Logitech e seus similares OEM. Aplique o
seguinte patch no arquivo
<filename>/sys/i386/isa/psm.c</filename> e recompile seu
@@ -3545,7 +3545,7 @@ diff -u -r1.60.2.1 -r1.60.2.2
/* request a data packet and extract sync. bits */
if (get_mouse_status(sc->kbdc, stat, 1, 3) < 3) {</programlisting>
- <para>Em vers&otilde;es posteriores &agrave; 3.2, o suporte
+ <para>Em versões posteriores à 3.2, o suporte
deve funcionar.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -3558,29 +3558,29 @@ diff -u -r1.60.2.1 -r1.60.2.2
<answer>
<para>Por gentileza, <link linkend="ps2mouse">leia a
- pergunta anterior</link>. Verifique tamb&eacute;m a
+ pergunta anterior</link>. Verifique também a
<ulink
- url="http://www.FreeBSD.org/docs.html#PAO">p&aacute;gina
- de Computa&ccedil;&atilde;o M&oacute;vel</ulink> do
+ url="http://www.FreeBSD.org/docs.html#PAO">página
+ de Computação Móvel</ulink> do
Projeto.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="tape-support">
- <para>Que tipos de dispositivos de fitas s&atilde;o
+ <para>Que tipos de dispositivos de fitas são
suportados pelo FreeBSD?</para>
</question>
<answer>
<para>O FreeBSD suporta dispositivos de fitas do tipo SCSI e
QIC-36 (com interface QIC-02). Tal suporte inclui drives
- 8-mm (tamb&eacute;m conhecidos como Exabyte) e unidades de
+ 8-mm (também conhecidos como Exabyte) e unidades de
fita DAT.</para>
- <para>Alguns dispositivos 8-mm mais antigos n&atilde;o
- s&atilde;o compat&iacute;veis com o padr&atilde;o SCSI-2 e
- por isso podem n&atilde;o funcionar bem no FreeBSD.</para>
+ <para>Alguns dispositivos 8-mm mais antigos não
+ são compatíveis com o padrão SCSI-2 e
+ por isso podem não funcionar bem no FreeBSD.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -3590,26 +3590,26 @@ diff -u -r1.60.2.1 -r1.60.2.2
</question>
<answer>
- <para>O FreeBSD suporta alternadores (tamb&eacute;m
- conhecidos com carross&eacute;is) SCSI, usando o device
+ <para>O FreeBSD suporta alternadores (também
+ conhecidos com carrosséis) SCSI, usando o device
&man.ch.4; e o comando &man.chio.1;. Os detalhes
relativos a como controlar o alternador de fitas podem ser
- encontrados na p&aacute;gina de manual do
+ encontrados na página de manual do
&man.chio.1;.</para>
- <para>Caso voc&ecirc; n&atilde;o esteja usando o
+ <para>Caso você não esteja usando o
<application>AMANDA</application> ou qualquer outro
produto que entenda o funcionamento dos alternadores,
lembre-se que tal equipamento simplesmente alterna a
- posi&ccedil;&atilde;o da fita, de um compartimento para
+ posição da fita, de um compartimento para
outro, e portanto deve-se saber em qual compartimento a
- fita est&aacute; e para qual ela deve voltar.</para>
+ fita está e para qual ela deve voltar.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="sound-card-support">
- <para>Quais placas de som s&atilde;o suportadas pelo
+ <para>Quais placas de som são suportadas pelo
FreeBSD?</para>
</question>
@@ -3617,20 +3617,20 @@ diff -u -r1.60.2.1 -r1.60.2.2
<para>O FreeBSD suporta as placas SoundBlaster, SoundBlaster
Pro, SoundBlaster 16, Pro Audio Spectrum 16, AdLib e
Gravis UltraSound. Existe ainda um suporte - limitado,
- &eacute; verdade - para as placas MPU-401 e placas MIDI
- compat&iacute;veis. Placas de som que estiverem em
- conformidade com a especifica&ccedil;&atilde;o MSS
- (Microsoft Sound System) tamb&eacute;m s&atilde;o
+ é verdade - para as placas MPU-401 e placas MIDI
+ compatíveis. Placas de som que estiverem em
+ conformidade com a especificação MSS
+ (Microsoft Sound System) também são
suportadas pela controladora pcm do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>.</para>
<note>
- <para>Esse suporte &eacute; espec&iacute;fico para apenas
+ <para>Esse suporte é específico para apenas
som! Exceto no caso das placas SoundBlaster, o suporte
- n&atilde;o inclui controle de joysticks, CDROMs ou SCSI.
+ não inclui controle de joysticks, CDROMs ou SCSI.
A interface SCSI da SoundBlaster e alguns CDROMs
- n&atilde;o-SCSI s&atilde;o suportados, mas o sistema
- n&atilde;o pode iniciar(booting) a partir desses
+ não-SCSI são suportados, mas o sistema
+ não pode iniciar(booting) a partir desses
dispositivos.</para>
</note>
</answer>
@@ -3638,7 +3638,7 @@ diff -u -r1.60.2.1 -r1.60.2.2
<qandaentry>
<question id="es1370-silent-pcm">
- <para>Qual a solu&ccedil;&atilde;o para falta de som da
+ <para>Qual a solução para falta de som da
minha placa es1370 com o controlador pcm?</para>
</question>
@@ -3656,7 +3656,7 @@ diff -u -r1.60.2.1 -r1.60.2.2
</question>
<answer>
- <para>Veja a se&ccedil;&atilde;o de <ulink
+ <para>Veja a seção de <ulink
url="../handbook/install.html#INSTALL-NICS">Placas
Ethernet</ulink> do &a.ptbr.p.handbook; para uma lista
detalhada dos dispostivos suportados.</para>
@@ -3665,34 +3665,34 @@ diff -u -r1.60.2.1 -r1.60.2.2
<qandaentry>
<question id="no-math-coprocessor">
- <para>Eu n&atilde;o tenho um co-processador
- matem&aacute;tico. Isso &eacute; ruim?</para>
+ <para>Eu não tenho um co-processador
+ matemático. Isso é ruim?</para>
</question>
<answer>
<note>
- <para>Vale apenas para propriet&aacute;rios de
- 386/486SX/486SLC - outras m&aacute;quinas ter&atilde;o
- um co-processador integrado &agrave; CPU.</para>
+ <para>Vale apenas para proprietários de
+ 386/486SX/486SLC - outras máquinas terão
+ um co-processador integrado à CPU.</para>
</note>
<para>No geral, a falta de um co-processador
- matem&aacute;tico n&atilde;o traz nenhum problema, mas
- existem algumas circunst&acirc;ncias onde voc&ecirc;
- encontrar&aacute; s&eacute;rias limita&ccedil;&otilde;es,
- seja no desempenho ou na precis&atilde;o da
- emula&ccedil;&atilde;o dos seus c&aacute;lculos (veja a
- se&ccedil;&atilde;o de <link
- linkend="emul">emula&ccedil;&atilde;o FP</link>). Por
- exemplo, a renderiza&ccedil;&atilde;o de c&iacute;rculos e
- arcos no ambiente gr&aacute;fico ser&aacute; uma tarefa
- muito lenta. &Eacute; recomend&aacute;vel comprar um
- co-processador matem&aacute;tico; vale a pena.</para>
+ matemático não traz nenhum problema, mas
+ existem algumas circunstâncias onde você
+ encontrará sérias limitações,
+ seja no desempenho ou na precisão da
+ emulação dos seus cálculos (veja a
+ seção de <link
+ linkend="emul">emulação FP</link>). Por
+ exemplo, a renderização de círculos e
+ arcos no ambiente gráfico será uma tarefa
+ muito lenta. É recomendável comprar um
+ co-processador matemático; vale a pena.</para>
<note>
- <para>Alguns co-processadores matem&aacute;ticos
- s&atilde;o melhores que outros. &Eacute; estranho ter
- que dizer isso, mas ningu&eacute;m nunca se deu mal ao
+ <para>Alguns co-processadores matemáticos
+ são melhores que outros. É estranho ter
+ que dizer isso, mas ninguém nunca se deu mal ao
comprar co-processadores Intel, portanto tenha certeza
absoluta que o produto vai funcionar com o FreeBSD antes
de comprar um clone.</para>
@@ -3722,10 +3722,10 @@ diff -u -r1.60.2.1 -r1.60.2.2
<answer>
<para>O FreeBSD suporta <acronym>APM</acronym> em alguns
computadores. Por gentileza, refira-se ao arquivo
- <filename>LINT</filename> de configura&ccedil;&atilde;o do
+ <filename>LINT</filename> de configuração do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>; procure pela
palavra <acronym>APM</acronym>. Mais
- informa&ccedil;&otilde;es na p&aacute;gina de manual do
+ informações na página de manual do
&man.apm.4;.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -3733,21 +3733,21 @@ diff -u -r1.60.2.1 -r1.60.2.2
<qandaentry>
<question id="micron-hang-boot">
<para>Por que placas Micron travam na
- inicializa&ccedil;&atilde;o(boot)?</para>
+ inicialização(boot)?</para>
</question>
<answer>
- <para>Algumas placas-m&atilde;e Micron n&atilde;o tem
- conformidade na implementa&ccedil;&atilde;o de sua BIOS e
+ <para>Algumas placas-mãe Micron não tem
+ conformidade na implementação de sua BIOS e
por isso confundem o FreeBSD no momento da
- inicializa&ccedil;&atilde;o(boot), pois os equipamentos em
- quest&atilde;o n&atilde;o foram configurados nos
- endere&ccedil;os que a BIOS reportou.</para>
+ inicialização(boot), pois os equipamentos em
+ questão não foram configurados nos
+ endereços que a BIOS reportou.</para>
- <para>Procure a op&ccedil;&atilde;o <quote>Plug and Play
+ <para>Procure a opção <quote>Plug and Play
Operating System</quote> - ou algo parecido - na sua
BIOS e desabilite-a para corrigir o problema. Mais
- informa&ccedil;&otilde;es sobre esse problema podem ser
+ informações sobre esse problema podem ser
encontradas em <ulink
url="http://cesdis.gsfc.nasa.gov/linux/drivers/vortex.html#micron">http://cesdis.gsfc.nasa.gov/linux/drivers/vortex.html#micron</ulink>.</para>
</answer>
@@ -3755,62 +3755,62 @@ diff -u -r1.60.2.1 -r1.60.2.2
<qandaentry>
<question id="newer-adaptec-support">
- <para>Por que o FreeBSD n&atilde;o reconhece nenhuma
+ <para>Por que o FreeBSD não reconhece nenhuma
controladora SCSI Adaptec?</para>
</question>
<answer>
- <para>As s&eacute;ries mais novas (AIC789x) dos chips
- Adaptec tem suporte no modo CAM SCSI, que ser&aacute;
- redefinido na vers&atilde;o 3.0 do FreeBSD. Na
- vers&atilde;o 2.2-STABLE, voc&ecirc; pode aplicar as
- corre&ccedil;&otilde;es dispon&iacute;veis em <ulink
+ <para>As séries mais novas (AIC789x) dos chips
+ Adaptec tem suporte no modo CAM SCSI, que será
+ redefinido na versão 3.0 do FreeBSD. Na
+ versão 2.2-STABLE, você pode aplicar as
+ correções disponíveis em <ulink
url="ftp://ftp.FreeBSD.org/pub/FreeBSD/development/cam/">ftp://ftp.FreeBSD.org/pub/FreeBSD/development/cam/</ulink>.
- Caso voc&ecirc; precise instalar um sistema com essas
+ Caso você precise instalar um sistema com essas
controladoras, existe um disquete de
- inicializa&ccedil;&atilde;o(boot) com suporta a CAM,
- dispon&iacute;vel em <ulink
+ inicialização(boot) com suporta a CAM,
+ disponível em <ulink
url="http://people.FreeBSD.org/~abial/cam-boot/">
http://people.FreeBSD.org/~abial/cam-boot/</ulink>. Nos
dois casos leia o arquivo README antes de tomar qualquer
- a&ccedil;&atilde;o.</para>
+ ação.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="internal-plugnplay-modem">
- <para>Por que o FreeBSD n&atilde;o encontra o meu Modem Plug
+ <para>Por que o FreeBSD não encontra o meu Modem Plug
&amp; Play interno?</para>
</question>
<answer>
- <para>Ser&aacute; necess&aacute;rio adicionar o ID PnP do
+ <para>Será necessário adicionar o ID PnP do
modem na lista de drivers seriais do sistema para que ele
- reconhe&ccedil;a-o normalmente. Isso requer hackear um
+ reconheça-o normalmente. Isso requer hackear um
pouco o sistema. Pra habilitar o suporte Plug &amp; Play,
compile um novo <foreignphrase>kernel</foreignphrase> com
- a op&ccedil;&atilde;o <literal>controller pnp0</literal> e
+ a opção <literal>controller pnp0</literal> e
reinicie o seu FreeBSD. O
- <foreignphrase>kernel</foreignphrase> ir&aacute; mostrar
+ <foreignphrase>kernel</foreignphrase> irá mostrar
os IDs PnP de todos os dispositivos que ele encontrar, no
- momento da inicializa&ccedil;&atilde;o(boot). Copie o ID
- PnP do modem em quest&atilde;o para a tabela no arquivo
+ momento da inicialização(boot). Copie o ID
+ PnP do modem em questão para a tabela no arquivo
<filename>/sys/i386/isa/sio.c</filename>, por volta da
- linha 2777. Procure a express&atilde;o
+ linha 2777. Procure a expressão
<literal>SUP1310</literal> na estrutura
<literal>siopnp_ids[]</literal> para encontrar essa
tabela. Recompile o seu
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>, instale-o e
reinicie o sistema. Seu modem deve ser encontrado.</para>
- <para>Provavelmente ser&aacute; necess&aacute;rio configurar
+ <para>Provavelmente será necessário configurar
o dispositivo PnP manualmente, usando o comando
<literal>pnp</literal> no momento do boot, como a
seguir:</para>
<programlisting>pnp 1 0 enable os irq0 3 drq0 0 port0 0x2f8</programlisting>
- <para>para for&ccedil;ar detec&ccedil;&atilde;o do
+ <para>para forçar detecção do
modem.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -3823,26 +3823,26 @@ diff -u -r1.60.2.1 -r1.60.2.2
<answer>
<para>O FreeBSD suporta alguns software modems por meio de
- programas adicionais. A aplica&ccedil;&atilde;o <filename
- role="package">comms/ltmdm</filename> dispon&iacute;vel
- na cole&ccedil;&atilde;o de <literal>Ports</literal> do
+ programas adicionais. A aplicação <filename
+ role="package">comms/ltmdm</filename> disponível
+ na coleção de <literal>Ports</literal> do
FreeBSD suporta os modems baseados no popular chipset
- Lucent LT. A aplica&ccedil;&atilde;o <filename
+ Lucent LT. A aplicação <filename
role="package">comms/mwavem</filename> suporta o modem
em laptops IBM Thinkpad 600 e 700.</para>
- <para>N&atilde;o &eacute; poss&iacute;vel instalar o FreeBSD
+ <para>Não é possível instalar o FreeBSD
via software modem, visto que os programas adicionais para
- controlar esse equipamento s&oacute; podem ser
- configurados depois que o sistema operacional j&aacute;
- est&aacute; instalado.</para>
+ controlar esse equipamento só podem ser
+ configurados depois que o sistema operacional já
+ está instalado.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="serial-console-prompt">
- <para>Como eu fa&ccedil;o para o interpretador(prompt) de
- inicializa&ccedil;&atilde;o(boot): aparecer no console
+ <para>Como eu faço para o interpretador(prompt) de
+ inicialização(boot): aparecer no console
serial?</para>
</question>
@@ -3850,13 +3850,13 @@ diff -u -r1.60.2.1 -r1.60.2.2
<orderedlist>
<listitem>
<para>Construa um <foreignphrase>kernel</foreignphrase>
- com a op&ccedil;&atilde;o <literal>options
+ com a opção <literal>options
COMCONSOLE</literal>.</para>
</listitem>
<listitem>
<para>Crie o arquivo /boot.config e coloque os
- caracteres <option>-P</option> como o &uacute;nico
+ caracteres <option>-P</option> como o único
texto no arquivo. </para>
</listitem>
@@ -3867,29 +3867,29 @@ diff -u -r1.60.2.1 -r1.60.2.2
<para>Leia o arquivo
<filename>/usr/src/sys/i386/boot/biosboot/README.serial</filename>
- para mais informa&ccedil;&otilde;es.</para>
+ para mais informações.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="micron-3comnic-failure">
- <para>Por que a placa de rede PCI da 3Com n&atilde;o
+ <para>Por que a placa de rede PCI da 3Com não
funciona com motherboards Micron?</para>
</question>
<answer>
- <para>Algumas placas-m&atilde;e Micron n&atilde;o tem
- conformidade na implementa&ccedil;&atilde;o de sua BIOS e
+ <para>Algumas placas-mãe Micron não tem
+ conformidade na implementação de sua BIOS e
por isso confundem o FreeBSD no momento do boot, pois os
- equipamentos em quest&atilde;o n&atilde;o foram
- configurados nos endere&ccedil;os que a BIOS
+ equipamentos em questão não foram
+ configurados nos endereços que a BIOS
reportou.</para>
- <para>Procure a op&ccedil;&atilde;o <quote>Plug and Play
+ <para>Procure a opção <quote>Plug and Play
Operating System</quote> - ou algo parecido - na sua
BIOS e desabilite-a para corrigir o problema.</para>
- <para>Mais informa&ccedil;&otilde;es sobre esse problema
+ <para>Mais informações sobre esse problema
podem ser encontradas em <ulink
url="http://cesdis.gsfc.nasa.gov/linux/drivers/vortex.html#micron">http://cesdis.gsfc.nasa.gov/linux/drivers/vortex.html#micron</ulink></para>
</answer>
@@ -3897,21 +3897,21 @@ diff -u -r1.60.2.1 -r1.60.2.2
<qandaentry>
<question id="smp-support">
- <para>O FreeBSD suporta Multiprocessamento Sim&eacute;trico
+ <para>O FreeBSD suporta Multiprocessamento Simétrico
(SMP)?</para>
</question>
<answer>
- <para>SMP &eacute; suportado a partir do FreeBSD 3.0-STABLE.
- O suporte ao SMP (multiprocessamento sim&eacute;trico)
- n&atilde;o est&aacute; dispon&iacute;vel por padr&atilde;o
+ <para>SMP é suportado a partir do FreeBSD 3.0-STABLE.
+ O suporte ao SMP (multiprocessamento simétrico)
+ não está disponível por padrão
no <foreignphrase>kernel</foreignphrase>
- <emphasis>GENERIC</emphasis>, portanto &eacute;
- necess&aacute;rio compilar um novo
+ <emphasis>GENERIC</emphasis>, portanto é
+ necessário compilar um novo
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> para habilitar o
suporte SMP. Veja o arquivo
<filename>/sys/i386/conf/LINT</filename> para descobrir
- quais op&ccedil;&otilde;es s&atilde;o necess&aacute;rias
+ quais opções são necessárias
adicionar ao seu
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>.</para>
</answer>
@@ -3919,14 +3919,14 @@ diff -u -r1.60.2.1 -r1.60.2.2
<qandaentry>
<question id="asusk7v-boot-failure">
- <para>O disquete de inicializa&ccedil;&atilde;o(boot) trava
- em um computador cuja placa-m&atilde;e &eacute; a ASUS
- K7V. O que eu fa&ccedil;o?</para>
+ <para>O disquete de inicialização(boot) trava
+ em um computador cuja placa-mãe é a ASUS
+ K7V. O que eu faço?</para>
</question>
<answer>
- <para>Entre na configura&ccedil;&atilde;o da BIOS da sua
- placa e desligue a op&ccedil;&atilde;o <quote>boot virus
+ <para>Entre na configuração da BIOS da sua
+ placa e desligue a opção <quote>boot virus
protection</quote>.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -3934,25 +3934,25 @@ diff -u -r1.60.2.1 -r1.60.2.2
</chapter>
<chapter id="troubleshoot">
- <title>Resolu&ccedil;&atilde;o de Problemas</title>
+ <title>Resolução de Problemas</title>
<qandaset>
<qandaentry>
<question id="awre">
- <para>O que fazer quando meu disco r&iacute;gido tiver bad
+ <para>O que fazer quando meu disco rígido tiver bad
blocks?
</para>
</question>
<answer>
<para>Com controladoras SCSI, o drive (HD) deveria ser capaz
- de remapear blocos ruins e corrig&iacute;-los
- automaticamente. Por&eacute;m, muitos desses discos
- mant&eacute;m essa fun&ccedil;&atilde;o desabilitada por
- alguma raz&atilde;o misteriosa...</para>
+ de remapear blocos ruins e corrigí-los
+ automaticamente. Porém, muitos desses discos
+ mantém essa função desabilitada por
+ alguma razão misteriosa...</para>
- <para>Para habilitar essa fun&ccedil;&atilde;o &eacute;
- necess&aacute;rio editar o primeiro modo de p&aacute;gina
+ <para>Para habilitar essa função é
+ necessário editar o primeiro modo de página
do dispositivo, o qual pode ser feito com o comando abaixo
(como <username>root</username>)</para>
@@ -3964,222 +3964,222 @@ diff -u -r1.60.2.1 -r1.60.2.2
<programlisting>AWRE (Auto Write Reallocation Enbld): 1
ARRE (Auto Read Reallocation Enbld): 1</programlisting>
- <para>Os par&aacute;grafos seguintes foram enviados por Ted
+ <para>Os parágrafos seguintes foram enviados por Ted
Mittelstaedt <email>tedm@toybox.placo.com</email>:</para>
- <para>Para os discos IDE, qualquer bad block &eacute;
+ <para>Para os discos IDE, qualquer bad block é
considerado um sinal de dificuldade em potencial. Todos
- os discos IDE modernos j&aacute; v&ecirc;m com um
+ os discos IDE modernos já vêm com um
remapeador interno que realoca bad blocks por outros
blocos em bom estado, automaticamente. Todos os disco
- r&iacute;gido IDE fabricados hoje em dia oferecem
+ rígido IDE fabricados hoje em dia oferecem
garantias extensas.</para>
<para>Se ainda quiser tentar salvar um drive IDE com bad
blocks, pode fazer um download do programa de
- diagn&oacute;stico e corre&ccedil;&atilde;o do
- pr&oacute;prio fabricante do disco r&iacute;gido.
- &Agrave;s vezes estes programas podem fixar e
- for&ccedil;ar eletronicamente o disco a marcar estes
- blocos ruins e desativ&aacute;-los.</para>
-
- <para>Em discos ESDI, RLL e MFM, a exist&ecirc;ncia de bad
- blocks &eacute; normal e n&atilde;o representa nenhum
+ diagnóstico e correção do
+ próprio fabricante do disco rígido.
+ Às vezes estes programas podem fixar e
+ forçar eletronicamente o disco a marcar estes
+ blocos ruins e desativá-los.</para>
+
+ <para>Em discos ESDI, RLL e MFM, a existência de bad
+ blocks é normal e não representa nenhum
sinal de dificuldade,geralmente. Em um PC, a placa
controladora das unidades de disco e, a BIOS se encarregam
da tarefa de re-mapear os bad blocks. Isso funciona em
- sistemas operacionais como DOS que usa c&oacute;digo da
- BIOS para acessar o disco. Por&eacute;m, o driver
- (software controlador) do FreeBSD n&atilde;o trabalha ou
+ sistemas operacionais como DOS que usa código da
+ BIOS para acessar o disco. Porém, o driver
+ (software controlador) do FreeBSD não trabalha ou
acessa comandos da BIOS para para interagir com o drive
- (HD), ent&atilde;o um mecanismo chamado bad144, existente
+ (HD), então um mecanismo chamado bad144, existente
no FreeBSD, acaba substituindo esta funcionalidade. O
- bad144 s&oacute; trabalha com o drive wd (portanto,
- n&atilde;o &eacute; suportado no FreeBSD 4.0), e
- n&atilde;o pode ser usado com drive SCSI. O bad144
+ bad144 só trabalha com o drive wd (portanto,
+ não é suportado no FreeBSD 4.0), e
+ não pode ser usado com drive SCSI. O bad144
trabalha marcando e organizando setores ruins encontrados
no HD, em um arquivo especial no disco.</para>
- <para>Uma caracter&iacute;stica do bad144 - o bloco
- danificado &eacute; colocado em um arquivo especial
- situado na &uacute;ltima trilha do disco. Como este
- arquivo cont&eacute;m uma lista de setores defeituosos que
- pode incluir valores perto do in&iacute;cio do disco, onde
- o /kernel pode estar alocado, esse arquivo dever&aacute;
- ser acess&iacute;vel ao bootstrap para que o programa -
+ <para>Uma característica do bad144 - o bloco
+ danificado é colocado em um arquivo especial
+ situado na última trilha do disco. Como este
+ arquivo contém uma lista de setores defeituosos que
+ pode incluir valores perto do início do disco, onde
+ o /kernel pode estar alocado, esse arquivo deverá
+ ser acessível ao bootstrap para que o programa -
por meio da BIOS - leia o
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>; isso significa que
- o disco usado com bad144 n&atilde;o deve exceder 1024
- cilindros, 16 cabe&ccedil;as, e 63 setores, logo, temos um
+ o disco usado com bad144 não deve exceder 1024
+ cilindros, 16 cabeças, e 63 setores, logo, temos um
limite efetivo de 500MB para discos mapeados com o
bad144..</para>
<para>Para ativar o uso do bad144, simplesmente defina a
- op&ccedil;&atilde;o de procurar por <quote>Bad
+ opção de procurar por <quote>Bad
Block</quote> como ON na tela do fdisk do FreeBSD,
- durante a instala&ccedil;&atilde;o. Essas
- instru&ccedil;&otilde;es funcionam a partir do FreeBSD
+ durante a instalação. Essas
+ instruções funcionam a partir do FreeBSD
2.2.7, e o disco deve ter menos que 1024 cilindros.
Geralmente recomenda-se que a unidade de disco esteja em
- opera&ccedil;&atilde;o durante pelo menos 4 horas antes de
- executar o bad144, permitindo assim a expans&atilde;o
- t&eacute;rmica do HD.</para>
+ operação durante pelo menos 4 horas antes de
+ executar o bad144, permitindo assim a expansão
+ térmica do HD.</para>
<para>Se o disco tem mais de 1024 cilindros (como um disco
ESDI grande) a controladora ESDI usa um tipo de
- tradu&ccedil;&atilde;o especial em modo DOS. A device wd
- tamb&eacute;m entende esses mesmos modos de
- tradu&ccedil;&atilde;o e convers&atilde;o, isso se o
+ tradução especial em modo DOS. A device wd
+ também entende esses mesmos modos de
+ tradução e conversão, isso se o
<quote>tradutor</quote> de geometria for ativado como
<quote>geometria fixa</quote>, quando particionado pelo
- fdisk. Voc&ecirc; tamb&eacute;m n&atilde;o deve usar o
+ fdisk. Você também não deve usar o
modo <quote>dangerously dedicated</quote> para criar
- parti&ccedil;&otilde;es do FreeBSD, pois isso ignora o
+ partições do FreeBSD, pois isso ignora o
tipo de geometria. Embora o fdisk use a geometria
- definida pelo usu&aacute;rio, ele continua reconhecendo o
- tamanho verdadeiro do disco, e tentar&aacute; criar uma
- parti&ccedil;&atilde;o maior para o FreeBSD. Se a
+ definida pelo usuário, ele continua reconhecendo o
+ tamanho verdadeiro do disco, e tentará criar uma
+ partição maior para o FreeBSD. Se a
geometria de disco for alterada para geometria
- traduzida(translated geometry), a parti&ccedil;&atilde;o
- DEVE ser criada manualmente, informando os n&uacute;meros
+ traduzida(translated geometry), a partição
+ DEVE ser criada manualmente, informando os números
de blocos do HD.</para>
- <para>Um truque r&aacute;pido &eacute; usar um disco grande
+ <para>Um truque rápido é usar um disco grande
ESDI com uma controladora ESDI, iniciar(booting) o sistema
- com um disco DOS e formatar uma parti&ccedil;&atilde;o
+ com um disco DOS e formatar uma partição
DOS. Depois reiniciar o sistema com um disco de
- instala&ccedil;&atilde;o do FreeBSD, e anotar o
- n&uacute;mero e tamanho dos blocos que ser&atilde;o
+ instalação do FreeBSD, e anotar o
+ número e tamanho dos blocos que serão
apresentados na tela do fdisk para a
- parti&ccedil;&atilde;o DOS. Redefina a geometria do disco
- com os valores anotados, apague a parti&ccedil;&atilde;o
- DOS e crie uma parti&ccedil;&atilde;o FreeBSD
+ partição DOS. Redefina a geometria do disco
+ com os valores anotados, apague a partição
+ DOS e crie uma partição FreeBSD
<quote>cooperativa</quote>. Defina essa
- parti&ccedil;&atilde;o como boot&aacute;vel e habilite o
+ partição como bootável e habilite o
reconhecimento de bad blocks. Na
- instala&ccedil;&atilde;o, o bad144 &eacute; carregado
+ instalação, o bad144 é carregado
antes que qualquer outro sistema de arquivos seja criado
- (voc&ecirc; pode ver isso com um
+ (você pode ver isso com um
<keycombo
action="simul"><keycap>Alt</keycap><keycap>F2</keycap></keycombo>).
- Se houver problemas na cria&ccedil;&atilde;o do arquivo de
- defini&ccedil;&otilde;es de setor danificado (o arquivo de
- badsector) &eacute; porque a geometria definida &eacute;
+ Se houver problemas na criação do arquivo de
+ definições de setor danificado (o arquivo de
+ badsector) é porque a geometria definida é
maior do que o seu valor real - reinicie o sistema e
comece todos os procedimentos novamente, inclusive o
- particionamento e formata&ccedil;&atilde;o da
- parti&ccedil;&atilde;o DOS.</para>
+ particionamento e formatação da
+ partição DOS.</para>
- <para>Se o remapeamento j&aacute; estiver habilitado e os
+ <para>Se o remapeamento já estiver habilitado e os
problemas com bad block continuarem, considere a
- substitui&ccedil;&atilde;o imediata do disco, pois os
- danos e os bad blocks aumentar&atilde;o consideravelmente
+ substituição imediata do disco, pois os
+ danos e os bad blocks aumentarão consideravelmente
com o passar do tempo.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="bustek742a-eisa-scsi">
- <para>Por que o FreeBSD n&atilde;o reconhece a minha
+ <para>Por que o FreeBSD não reconhece a minha
controladora SCSI EISA Bustek 742a?</para>
</question>
<answer>
- <para>As informa&ccedil;&otilde;es a seguir s&atilde;o para
- o modelo 742a, mas provavelmente tamb&eacute;m servem para
+ <para>As informações a seguir são para
+ o modelo 742a, mas provavelmente também servem para
as placas Buslogic. (Bustek = Buslogic).</para>
- <para>Existem duas <quote>vers&otilde;es</quote>
- tradicionais da placa 742a. S&atilde;o os equipamentos de
- revis&atilde;o A-G e de revis&atilde;o H; as letras de
- cada revis&atilde;o s&atilde;o colocadas depois do
- n&uacute;mero de fabrica&ccedil;&atilde;o, ao lado das
+ <para>Existem duas <quote>versões</quote>
+ tradicionais da placa 742a. São os equipamentos de
+ revisão A-G e de revisão H; as letras de
+ cada revisão são colocadas depois do
+ número de fabricação, ao lado das
placas. A placa 742a possui 2 chips ROM acoplados, o
- primeiro &eacute; o chip da BIOS e o segundo &eacute; o do
- Firmware. Para o FreeBSD a vers&atilde;o da BIOS &eacute;
- irrelevante, mas a vers&atilde;o do Firmware &eacute; uma
- informa&ccedil;&atilde;o fundamental. &Eacute;
- interessante dizer que, se voc&ecirc; fizer uma chamada ao
- departamento de suporte da Buslogic, eles ir&atilde;o te
- enviar um upgrade desses ROMs, e &eacute; muito bom sempre
- manter a vers&atilde;o mais recente do ROM do seu Firmware
- para a vers&atilde;o de revis&atilde;o do seu
+ primeiro é o chip da BIOS e o segundo é o do
+ Firmware. Para o FreeBSD a versão da BIOS é
+ irrelevante, mas a versão do Firmware é uma
+ informação fundamental. É
+ interessante dizer que, se você fizer uma chamada ao
+ departamento de suporte da Buslogic, eles irão te
+ enviar um upgrade desses ROMs, e é muito bom sempre
+ manter a versão mais recente do ROM do seu Firmware
+ para a versão de revisão do seu
equipamento.</para>
- <para>As placas cuja letra de revis&atilde;o &eacute; A-G
- aceitam apenas atualiza&ccedil;&otilde;es da BIOS/Firmware
- de vers&atilde;o 2.41/2.21 respectivamente. A
- revis&atilde;o H (REV H) aceita as vers&otilde;es mais
- recentes da BIOS/Firmware at&eacute; a vers&atilde;o
- 4.70/3.37. A principal diferen&ccedil;a entre as
- vers&otilde;es do Firmware &eacute; que a vers&atilde;o
+ <para>As placas cuja letra de revisão é A-G
+ aceitam apenas atualizações da BIOS/Firmware
+ de versão 2.41/2.21 respectivamente. A
+ revisão H (REV H) aceita as versões mais
+ recentes da BIOS/Firmware até a versão
+ 4.70/3.37. A principal diferença entre as
+ versões do Firmware é que a versão
3.37 tem suporte a<quote>round robin</quote>.</para>
- <para>As placas Buslogic tamb&eacute;m tem um n&uacute;mero
+ <para>As placas Buslogic também tem um número
serial. Caso seu equipamento seja antigo, tente abrir uma
chamada no departamento de RMA da Buslogic e informe-os o
- n&uacute;mero de s&eacute;rie da sua placa. Se ela
- estiver entre os seriais de abrang&ecirc;ncia, a Buslogic
- vai aceitar seu equipamento para revis&atilde;o.</para>
-
- <para>O FreeBSD 2.1 aceita apenas as revis&otilde;es de
- Firmware at&eacute; o 2.21. Caso o seu Firmware seja mais
- antigo do que o 2.21 sua placa n&atilde;o ser&aacute;
- reconhecida como Buslogic. Contudo, &eacute;
- poss&iacute;vel que o equipamento seja reconhecido como
- Adaptec 1540, j&aacute; que os Firmware mais antigos da
+ número de série da sua placa. Se ela
+ estiver entre os seriais de abrangência, a Buslogic
+ vai aceitar seu equipamento para revisão.</para>
+
+ <para>O FreeBSD 2.1 aceita apenas as revisões de
+ Firmware até o 2.21. Caso o seu Firmware seja mais
+ antigo do que o 2.21 sua placa não será
+ reconhecida como Buslogic. Contudo, é
+ possível que o equipamento seja reconhecido como
+ Adaptec 1540, já que os Firmware mais antigos da
Buslogic possuem um modo de
- <quote>emula&ccedil;&atilde;o</quote> da AHA1540, o que
- n&atilde;o &eacute; uma boa coisa, para uma placa
+ <quote>emulação</quote> da AHA1540, o que
+ não é uma boa coisa, para uma placa
EISA.</para>
- <para>Caso seu Firmware seja antigo e voc&ecirc; conseguiu
- obter uma revis&atilde;o para a vers&atilde;o 2.21,
- n&atilde;o se esque&ccedil;a que &eacute;
- necess&aacute;rio alterar o jumper W1 da
- posi&ccedil;&atilde;o A-B (padr&atilde;o) para
- posi&ccedil;&atilde;o B-C ao atualizar a placa.</para>
+ <para>Caso seu Firmware seja antigo e você conseguiu
+ obter uma revisão para a versão 2.21,
+ não se esqueça que é
+ necessário alterar o jumper W1 da
+ posição A-B (padrão) para
+ posição B-C ao atualizar a placa.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="hpnetserver-scsi-failure">
- <para>Por que o FreeBSD n&atilde;o detecta a controladora
+ <para>Por que o FreeBSD não detecta a controladora
SCSI do Netserver HP??</para>
</question>
<answer>
- <para>Isso j&aacute; &eacute; um problema conhecido. A
+ <para>Isso já é um problema conhecido. A
controladora SCSI on-board EISA dos servidores HP
- Netserver est&atilde;o no slot EISA n&uacute;mero 11,
+ Netserver estão no slot EISA número 11,
portanto todos os <quote>verdadeiros</quote> slots EISA
- est&atilde;o na sua frente. O endere&ccedil;o definido
- para os slots EISA &gt;= 10 ocupa um endere&ccedil;o
+ estão na sua frente. O endereço definido
+ para os slots EISA &gt;= 10 ocupa um endereço
compartilhado com o barramento PCI, e portanto entra em
- conflito com seus recursos. Essa &eacute; uma
- situa&ccedil;&atilde;o onde a configura&ccedil;&atilde;o
- autom&aacute;tica do FreeBSD n&atilde;o se comporta muito
+ conflito com seus recursos. Essa é uma
+ situação onde a configuração
+ automática do FreeBSD não se comporta muito
bem.</para>
- <para>Portanto o que voc&ecirc; deve fazer, &eacute; fingir
- que n&atilde;o existe limita&ccedil;&atilde;o quanto ao
- intervalo de endere&ccedil;os, definindo a
- op&ccedil;&atilde;o option <literal>EISA_SLOTS</literal>
+ <para>Portanto o que você deve fazer, é fingir
+ que não existe limitação quanto ao
+ intervalo de endereços, definindo a
+ opção option <literal>EISA_SLOTS</literal>
do <foreignphrase>kernel</foreignphrase> para o valor 12.
Configure e compile um novo
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>, conforme descrito
no <ulink
- url="../handbook/kernelconfig.html">cap&iacute;tulo de
- configura&ccedil;&atilde;o do
+ url="../handbook/kernelconfig.html">capítulo de
+ configuração do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> no
&a.ptbr.p.handbook;</ulink>.</para>
- <para>Obviamente esse problema &eacute; ainda maior quando
- se trata de uma nova instala&ccedil;&atilde;o. Para
- corrigir esse problema &eacute; necess&aacute;rio uma
- pequena altera&ccedil;&atilde;o no modo
- <emphasis>UserConfig</emphasis>. N&atilde;o use a
- interface de configura&ccedil;&atilde;o
+ <para>Obviamente esse problema é ainda maior quando
+ se trata de uma nova instalação. Para
+ corrigir esse problema é necessário uma
+ pequena alteração no modo
+ <emphasis>UserConfig</emphasis>. Não use a
+ interface de configuração
<quote>visual</quote> do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>, use a Interface de
Linha de Comando (CLI), simplesmente digitando:</para>
@@ -4188,46 +4188,46 @@ ARRE (Auto Read Reallocation Enbld): 1</programlisting>
quit</programlisting>
<para>na tela do modo CLI, e continue a
- instala&ccedil;&atilde;o do FreeBSD como de costume. De
- qualquer forma, &eacute; recomend&aacute;vel recompilar e
+ instalação do FreeBSD como de costume. De
+ qualquer forma, é recomendável recompilar e
instalar um novo <foreignphrase>kernel</foreignphrase>
- depois da instala&ccedil;&atilde;o do sistema..</para>
+ depois da instalação do sistema..</para>
- <para>Futuras vers&otilde;es do FreeBSD ter&atilde;o esse
+ <para>Futuras versões do FreeBSD terão esse
problema corrigido automaticamente.</para>
<note>
- <para>N&atilde;o use discos em modo <literal>dangerously
+ <para>Não use discos em modo <literal>dangerously
dedicated</literal> com um HP Netserver. Veja <link
linkend="dedicate">essa nota</link> para maiores
- informa&ccedil;&otilde;es.</para>
+ informações.</para>
</note>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="cmd640-ide">
- <para>O que est&aacute; havendo com minha controladora IDE
+ <para>O que está havendo com minha controladora IDE
CMD640?</para>
</question>
<answer>
- <para>Est&aacute; com defeito! N&atilde;o suporta mais
- comandos nos dois canais de forma simult&acirc;nea.</para>
+ <para>Está com defeito! Não suporta mais
+ comandos nos dois canais de forma simultânea.</para>
- <para>Existe uma corre&ccedil;&atilde;o dispon&iacute;vel e
- automaticamente habilitada, se voc&ecirc; usa uma
+ <para>Existe uma correção disponível e
+ automaticamente habilitada, se você usa uma
controladora com esse chip. Para maiores detalhes,
- refira-se a p&aacute;gina de manual da controladora de
+ refira-se a página de manual da controladora de
disco (&man.wd.4;).</para>
- <para>Se o FreeBSD em quest&atilde;o &eacute; o FreeBSD
- 2.2.1 ou 2.2.2 com essa controladora em quest&atilde;o, e
- voc&ecirc; quer usar o segundo canal, compile um novo
+ <para>Se o FreeBSD em questão é o FreeBSD
+ 2.2.1 ou 2.2.2 com essa controladora em questão, e
+ você quer usar o segundo canal, compile um novo
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> com a
- op&ccedil;&atilde;o <literal>options "CMD640"</literal>
- habilitada. Essa configura&ccedil;&atilde;o &eacute;
- padr&atilde;o para o FreeBSD 2.2.5 e posteriores.</para>
+ opção <literal>options "CMD640"</literal>
+ habilitada. Essa configuração é
+ padrão para o FreeBSD 2.2.5 e posteriores.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -4238,28 +4238,28 @@ quit</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>Normalmente esse problema &eacute; causado por um
- conflito de interrup&ccedil;&otilde;es (por exemplo, duas
- placas usando a mesma IRQ). O FreeBSD at&eacute; a
- vers&atilde;o 2.0.5R costumava ser tolerante quanto a esse
+ <para>Normalmente esse problema é causado por um
+ conflito de interrupções (por exemplo, duas
+ placas usando a mesma IRQ). O FreeBSD até a
+ versão 2.0.5R costumava ser tolerante quanto a esse
problema e a placa de rede continuava funcionando mesmo
- com IRQ conflitantes. Contudo desde a vers&atilde;o
- 2.0.5R os conflitos de interrup&ccedil;&otilde;es
- n&atilde;o s&atilde;o mais tolerados. Inicie o sistema
- com a op&ccedil;&atilde;o de boot -c e mude as device
+ com IRQ conflitantes. Contudo desde a versão
+ 2.0.5R os conflitos de interrupções
+ não são mais tolerados. Inicie o sistema
+ com a opção de boot -c e mude as device
ed0/de0/... para o valor correspondente ao da
placa.</para>
<para>Caso esteja usando um conector BNC na sua placa de
- rede, &eacute; prov&aacute;vel que existam device timeout
- por causa de m&aacute; termina&ccedil;&atilde;o do
+ rede, é provável que existam device timeout
+ por causa de má terminação do
barramento. Pra tirar isso a limpo coloque um terminador
direto na placa (sem cabos) e veja se as mensagens de erro
param.</para>
- <para>Algumas placas compat&iacute;veis NE2000
- apresentar&atilde;o esse problema caso a porta UTP
- n&atilde;o receba sinal de link, ou se o cabo estiver
+ <para>Algumas placas compatíveis NE2000
+ apresentarão esse problema caso a porta UTP
+ não receba sinal de link, ou se o cabo estiver
desconectado.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -4271,27 +4271,27 @@ quit</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>Esse cart&atilde;o tem um h&aacute;bito
- horr&iacute;vel de perder suas informa&ccedil;&otilde;es
- de configura&ccedil;&atilde;o. Redefina as
- informa&ccedil;&otilde;es da placa usando o programa de
+ <para>Esse cartão tem um hábito
+ horrível de perder suas informações
+ de configuração. Redefina as
+ informações da placa usando o programa de
DOS chamado <command>3c5x9.exe</command>.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="printer-slow">
- <para>Minha impressora paralela est&aacute; ridiculamente
+ <para>Minha impressora paralela está ridiculamente
lenta. O que devo fazer?</para>
</question>
<answer>
- <para>Se o &uacute;nico problema &eacute; a lerdeza
- terr&iacute;vel da sua impressora, tente mudar seu <ulink
+ <para>Se o único problema é a lerdeza
+ terrível da sua impressora, tente mudar seu <ulink
url="../handbook/printing-intro-setup.html#PRINTING-PARALLEL-PORT-MODE">modo
- da porta de impress&atilde;o</ulink> conforme discutido
- na se&ccedil;&atilde;o de <ulink
- url="../handbook/printing-intro-setup.html">Configura&ccedil;&atilde;o
+ da porta de impressão</ulink> conforme discutido
+ na seção de <ulink
+ url="../handbook/printing-intro-setup.html">Configuração
de Impressoras</ulink> no &a.ptbr.p.handbook;.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -4303,171 +4303,171 @@ quit</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>Erros de sinal 11 s&atilde;o fruto de tentativas de
- acesso indevido a mem&oacute;ria. Esse acesso normalmente
- &eacute; controlado pelo sistema operacional, e quando o
- sistema n&atilde;o permite acessar determinados
- endere&ccedil;os, o processo &eacute; morto com signal 11.
+ <para>Erros de sinal 11 são fruto de tentativas de
+ acesso indevido a memória. Esse acesso normalmente
+ é controlado pelo sistema operacional, e quando o
+ sistema não permite acessar determinados
+ endereços, o processo é morto com signal 11.
Se isso estiver acontecendo em intervalos
- aleat&oacute;rios de tempo, &eacute; preciso investigar as
+ aleatórios de tempo, é preciso investigar as
causas com cuidado.</para>
- <para>Esse problema normalmente &eacute; atribu&iacute;do
+ <para>Esse problema normalmente é atribuído
a:</para>
<orderedlist>
<listitem>
<para>Se o problema ocorre apenas em um programa
- espec&iacute;fico que voc&ecirc; mesmo esta
- desenvolvendo, se trata de um bug no c&oacute;digo do
+ específico que você mesmo esta
+ desenvolvendo, se trata de um bug no código do
seu programa.</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>Se o problema &eacute; com algum programa que faz
- parte da base do FreeBSD, &eacute; poss&iacute;vel que
- tamb&eacute;m seja um problema de bug no c&oacute;digo
- em quest&atilde;o. Contudo, esses problemas costumam
- ser corrigidos antes que os usu&aacute;rios
- tradicionais percebam sua exist&ecirc;ncia - e
+ <para>Se o problema é com algum programa que faz
+ parte da base do FreeBSD, é possível que
+ também seja um problema de bug no código
+ em questão. Contudo, esses problemas costumam
+ ser corrigidos antes que os usuários
+ tradicionais percebam sua existência - e
necessitem ler este <literal>FAQ</literal> - afinal,
- &eacute; para isso que o -CURRENT existe.</para>
+ é para isso que o -CURRENT existe.</para>
</listitem>
</orderedlist>
- <para>Em especial, uma indica&ccedil;&atilde;o que esse
- problema <emphasis>n&atilde;o</emphasis> &eacute; um bug
- do FreeBSD, &eacute; um erro repetitivo no mesmo instante
- da compila&ccedil;&atilde;o, mas o problema que o
+ <para>Em especial, uma indicação que esse
+ problema <emphasis>não</emphasis> é um bug
+ do FreeBSD, é um erro repetitivo no mesmo instante
+ da compilação, mas o problema que o
compilador apresenta muda de linha a cada nova
- compila&ccedil;&atilde;o.</para>
+ compilação.</para>
- <para>Por exemplo, suponha que voc&ecirc; esteja executando
+ <para>Por exemplo, suponha que você esteja executando
um <quote>make buildworld</quote>, e a
- compila&ccedil;&atilde;o falha na hora de compilar o
+ compilação falha na hora de compilar o
<filename>ls.c</filename> em <filename>ls.o</filename>. Se
- voc&ecirc; rodar o <quote>make buildworld</quote> de novo
- e a compila&ccedil;&atilde;o falha exatamente no mesmo
- trecho do c&oacute;digo, ent&atilde;o o problema realmente
- &eacute; com o fonte da aplica&ccedil;&atilde;o, nesse
+ você rodar o <quote>make buildworld</quote> de novo
+ e a compilação falha exatamente no mesmo
+ trecho do código, então o problema realmente
+ é com o fonte da aplicação, nesse
caso atualize os fontes do FreeBSD e tente novamente.
- Agora se a compila&ccedil;&atilde;o falhar em um trecho
- diferente do c&oacute;digo, &eacute; quase certo que o
- problema seja f&iacute;sico, ou seja, com o seu
+ Agora se a compilação falhar em um trecho
+ diferente do código, é quase certo que o
+ problema seja físico, ou seja, com o seu
equipamento.</para>
<para>O que deve ser feito:</para>
<para>Em primeiro lugar, deve-se usar um debugador, como o
gdb, por exemplo, para encontrar o ponto exato do
- c&oacute;digo que est&aacute; tentando acessar um
- endere&ccedil;o problem&aacute;tico de mem&oacute;ria, e
+ código que está tentando acessar um
+ endereço problemático de memória, e
corrigi-lo.</para>
- <para>Em segundo lugar, verifique se a culpa n&atilde;o
- &eacute; do seu equipamento.</para>
+ <para>Em segundo lugar, verifique se a culpa não
+ é do seu equipamento.</para>
<para>As causas mais comuns para o problema incluem::</para>
<orderedlist>
<listitem>
- <para>Os seus discos r&iacute;gidos podem estar
+ <para>Os seus discos rígidos podem estar
superaquecidos: Verifique se o sistema de
- ventila&ccedil;&atilde;o do seu PC est&aacute;
+ ventilação do seu PC está
funcionando. Verifique coolers internos (da fonte) e
- externos, e verifique se n&atilde;o existe
+ externos, e verifique se não existe
superaquecimento de outros componentes do
computador.</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>O processador est&aacute; superaquecido: Pode ser
+ <para>O processador está superaquecido: Pode ser
porque foi feito um overclock no processador em
- quest&atilde;o, ou no caso mais tradicional, pode ser
+ questão, ou no caso mais tradicional, pode ser
que o cooler tenha parado de funcionar ou que esteja
- sujo e portanto funcionando em rota&ccedil;&atilde;o
- baixa. Em ambos os casos, o primeiro passo &eacute;
+ sujo e portanto funcionando em rotação
+ baixa. Em ambos os casos, o primeiro passo é
garantir que o processador esteja rodando sob as
- mesmas condi&ccedil;&otilde;es que ele foi
- constru&iacute;do para funcionar - por exemplo, com a
+ mesmas condições que ele foi
+ construído para funcionar - por exemplo, com a
velocidade do clock original e com a
- ventila&ccedil;&atilde;o adequada.</para>
+ ventilação adequada.</para>
<para>Caso tenha sido feito overclock no processador,
- lembre-se que &eacute; mais barato usar um computador
+ lembre-se que é mais barato usar um computador
um pouco mais lento, do que trocar o processador da
- m&aacute;quina por causa de um chip fritado ;-)
- Al&eacute;m do que a maioria das pessoas n&atilde;o
- s&atilde;o simpatizantes de overclock, mesmo que
- voc&ecirc; considere a a&ccedil;&atilde;o segura ou
- n&atilde;o.</para>
+ máquina por causa de um chip fritado ;-)
+ Além do que a maioria das pessoas não
+ são simpatizantes de overclock, mesmo que
+ você considere a ação segura ou
+ não.</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>Caso tenha m&uacute;ltiplos pentes de
- mem&oacute;ria SIMM/DIMM, tente deslig&aacute;-los e
+ <para>Caso tenha múltiplos pentes de
+ memória SIMM/DIMM, tente desligá-los e
experimente usar cada pente de uma vez,
- indiviualmente. Com isso &eacute; poss&iacute;vel
- descobrir se o problema &eacute; com algum chip
- DIMM/SIMM ou se o problema &eacute; a
- combina&ccedil;&atilde;o entre os pentes.</para>
+ indiviualmente. Com isso é possível
+ descobrir se o problema é com algum chip
+ DIMM/SIMM ou se o problema é a
+ combinação entre os pentes.</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>Configura&ccedil;&otilde;es super otimistas na
- BIOS da sua placa m&atilde;e s&atilde;o outra causa
- prov&aacute;vel. Algumas BIOS tem
- op&ccedil;&otilde;es que permitem alterar a velocidade
- e frequ&ecirc;ncia de v&aacute;rios recursos.
- Normalmente os valores padr&atilde;o na BIOS
- s&atilde;o os mais conservadores, e portanto devem ser
+ <para>Configurações super otimistas na
+ BIOS da sua placa mãe são outra causa
+ provável. Algumas BIOS tem
+ opções que permitem alterar a velocidade
+ e frequência de vários recursos.
+ Normalmente os valores padrão na BIOS
+ são os mais conservadores, e portanto devem ser
o bastante para controlar corretamente o equipamento;
- contudo algumas op&ccedil;&otilde;es como por exemplo
+ contudo algumas opções como por exemplo
<quote>RAM Speed: Turbo</quote> ou alguma
- op&ccedil;&atilde;o parecida coloca o estado de espera
- para o acesso a mem&oacute;ria em um valor muito
- baixo, e as vezes, por mais otimista que voc&ecirc;
- seja, sua mem&oacute;ria pode n&atilde;o ser
- r&aacute;pida o bastante. O ideal &eacute; definir os
- valores padr&atilde;o da sua BIOS, mas &eacute;
+ opção parecida coloca o estado de espera
+ para o acesso a memória em um valor muito
+ baixo, e as vezes, por mais otimista que você
+ seja, sua memória pode não ser
+ rápida o bastante. O ideal é definir os
+ valores padrão da sua BIOS, mas é
interessante anotar os valores atuais primeiro!</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>Alimenta&ccedil;&atilde;o insuficiente de energia
- na placa-m&atilde;e. Caso exista alguma placa que
- n&atilde;o esteja sendo utilizada, algum disco
- r&iacute;gido ou CDROM, &eacute; interessante
+ <para>Alimentação insuficiente de energia
+ na placa-mãe. Caso exista alguma placa que
+ não esteja sendo utilizada, algum disco
+ rígido ou CDROM, é interessante
desliga-los temporariamente do computador, ou
simplesmente remover o cabo de energia desses
- equipamentos. Mesmo em sub utiliza&ccedil;&atilde;o,
- essas placas e discos est&atilde;o sob constante
- alimenta&ccedil;&atilde;o e talvez sua fonte consiga
+ equipamentos. Mesmo em sub utilização,
+ essas placas e discos estão sob constante
+ alimentação e talvez sua fonte consiga
suprir uma carga menor. Ou tente trocar a fonte do
- seu PC, de prefer&ecirc;ncia por uma com maior poder
- de alimenta&ccedil;&atilde;o (por exemplo, se a sua
- fonte &eacute; de 250 Watts troque por uma de 300
+ seu PC, de preferência por uma com maior poder
+ de alimentação (por exemplo, se a sua
+ fonte é de 250 Watts troque por uma de 300
Watts).</para>
</listitem>
</orderedlist>
<para>Leia ainda o <literal>FAQ</literal> SIG11
- (dispon&iacute;vel a seguir) que tem outras boas
- explica&ccedil;&otilde;es sobre esses problemas. O
- <literal>FAQ</literal> tamb&eacute;m discute como alguns
- programas de teste de mem&oacute;ria podem pensar que um
- pente problem&aacute;tico est&aacute; funcionando
+ (disponível a seguir) que tem outras boas
+ explicações sobre esses problemas. O
+ <literal>FAQ</literal> também discute como alguns
+ programas de teste de memória podem pensar que um
+ pente problemático está funcionando
corretamente.</para>
<para>Finalmente, se nenhum dos casos acima ajudou a
solucionar seu problema, pode ser que exista um bug no
- FreeBSD. Voc&ecirc; deve seguir as
- intru&ccedil;&otilde;oes para enviar um relat&oacute;rio
+ FreeBSD. Você deve seguir as
+ intruçõoes para enviar um relatório
de problemas para o Projeto FreeBSD.</para>
<para>Existe um <literal>FAQ</literal> extenso que cobre
- esse assunto, dispon&iacute;vel <ulink
+ esse assunto, disponível <ulink
url="http://www.bitwizard.nl/sig11/"> no
<literal>FAQ</literal> dos problemas com
SIG11.</ulink></para>
@@ -4479,25 +4479,25 @@ quit</programlisting>
<para>O meu sistema trava com o erro <errorname>Fatal trap
12: page fault in kernel mode</errorname>, ou
<errorname>panic:</errorname>, e sai mostrando uma
- quantidade enorme de informa&ccedil;&otilde;es. O que eu
- fa&ccedil;o?</para>
+ quantidade enorme de informações. O que eu
+ faço?</para>
</question>
<answer>
<para>A equipe de desenvolvimento do FreeBSD tem muito
- interesse nesse tipo de erro, mas &eacute;
- necess&aacute;rio obter algumas informa&ccedil;&otilde;es
- suplementares, do que apenas o erro que voc&ecirc;
- est&aacute; tendo. Copie sua mensagem de erro inteira,
+ interesse nesse tipo de erro, mas é
+ necessário obter algumas informações
+ suplementares, do que apenas o erro que você
+ está tendo. Copie sua mensagem de erro inteira,
consulte o <literal>FAQ</literal> sobre <link
linkend="kernel-panic-troubleshooting"><foreignphrase>kernel</foreignphrase>
panics</link>, compile um
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> em modo de
- debuga&ccedil;&atilde;o e tente analisar o problema.
- Parece uma tarefa dif&iacute;cil, mas n&atilde;o &eacute;
- necess&aacute;rio conhecimento de
- programa&ccedil;&atilde;o; basta seguir as
- instru&ccedil;&otilde;es.</para>
+ debugação e tente analisar o problema.
+ Parece uma tarefa difícil, mas não é
+ necessário conhecimento de
+ programação; basta seguir as
+ instruções.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -4508,27 +4508,27 @@ quit</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>Esse &eacute; um problema conhecido da placa de
- v&iacute;deo ATI Mach 64. O problema &eacute; que essa
- placa usa o endere&ccedil;o <literal>2e8</literal>, o
+ <para>Esse é um problema conhecido da placa de
+ vídeo ATI Mach 64. O problema é que essa
+ placa usa o endereço <literal>2e8</literal>, o
mesmo utilizado pela quarta porta serial dos computadores
pessoais. Devido a um bug (ou uma vantagem?) da
- &man.sio.4; ,essa porta ser&aacute; sempre reconhecida,
- ainda que n&atilde;o exista a quarta porta serial no seu
+ &man.sio.4; ,essa porta será sempre reconhecida,
+ ainda que não exista a quarta porta serial no seu
computador, ou <emphasis>mesmo</emphasis> se o sio3 (a
quarta porta) estiver desabilitado.</para>
- <para>At&eacute; que o bug seja corrigido, voc&ecirc; pode
- usar essa solu&ccedil;&atilde;o:</para>
+ <para>Até que o bug seja corrigido, você pode
+ usar essa solução:</para>
<orderedlist>
<listitem>
- <para>Entre no modo de configura&ccedil;&atilde;o do
+ <para>Entre no modo de configuração do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> com
- op&ccedil;&atilde;o <option>-c</option> na tela de
- inicializa&ccedil;&atilde;o(boot). (Isto colocara o
+ opção <option>-c</option> na tela de
+ inicialização(boot). (Isto colocara o
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> no modo de
- configura&ccedil;&atilde;o).</para>
+ configuração).</para>
</listitem>
<listitem>
@@ -4536,8 +4536,8 @@ quit</programlisting>
<devicename>sio1</devicename>,
<devicename>sio2</devicename> e
<devicename>sio3</devicename> (todas elas). Dessa
- forma ser&aacute; ativada, logo, voc&ecirc; n&atilde;o
- ter&aacute; -&gt; problemas.</para>
+ forma será ativada, logo, você não
+ terá -&gt; problemas.</para>
</listitem>
<listitem>
@@ -4545,102 +4545,102 @@ quit</programlisting>
</listitem>
</orderedlist>
- <para>Caso queira usar as portas seriais, ser&aacute;
- necess&aacute;rio construir um
+ <para>Caso queira usar as portas seriais, será
+ necessário construir um
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> customizado, com as
- seguintes altera&ccedil;&otilde;es: no fonte
+ seguintes alterações: no fonte
<filename>/usr/src/sys/i386/isa/sio.c</filename> encontre
- a ocorr&ecirc;ncia da express&atilde;o
- <literal>0x2e8</literal> e apague essa express&atilde;o e
- a v&iacute;rgula que a antecede (mantenha a outra).
+ a ocorrência da expressão
+ <literal>0x2e8</literal> e apague essa expressão e
+ a vírgula que a antecede (mantenha a outra).
Depois compile o novo
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> normalmente.</para>
- <para>Mesmo depois dessa corre&ccedil;&atilde;o, &eacute;
- prov&aacute;vel que o X Windows ainda n&atilde;o funcione
- como esperado. Se for o caso, garanta que a vers&atilde;o
- do Xfree86 em quest&atilde;o seja ao menos o XFree86 3.3.3
- ou uma vers&atilde;o superior. Esse XFree86 e os
- posteriores tem suporte nativo &agrave;s placas de
- v&iacute;deo Mach64, e tem inclusive um X Server dedicado
+ <para>Mesmo depois dessa correção, é
+ provável que o X Windows ainda não funcione
+ como esperado. Se for o caso, garanta que a versão
+ do Xfree86 em questão seja ao menos o XFree86 3.3.3
+ ou uma versão superior. Esse XFree86 e os
+ posteriores tem suporte nativo às placas de
+ vídeo Mach64, e tem inclusive um X Server dedicado
para tal equipamento.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="reallybigram">
- <para>Por que o FreeBSD s&oacute; detecta 64MB de
- mem&oacute;ria RAM se eu tenho 128MB instalados?</para>
+ <para>Por que o FreeBSD só detecta 64MB de
+ memória RAM se eu tenho 128MB instalados?</para>
</question>
<answer>
- <para>Devido &agrave; maneira que o FreeBSD obt&eacute;m as
- informa&ccedil;&otilde;es quanto ao tamanho da
- mem&oacute;ria dispon&iacute;vel por interm&eacute;dio da
- BIOS, pode acontecer de apenas 16 bits v&aacute;lidos
- serem detectados (65535 Kbytes = 64MB) ou at&eacute;
+ <para>Devido à maneira que o FreeBSD obtém as
+ informações quanto ao tamanho da
+ memória disponível por intermédio da
+ BIOS, pode acontecer de apenas 16 bits válidos
+ serem detectados (65535 Kbytes = 64MB) ou até
menos, dependendo da BIOS (em alguns casos, apenas 16MB).
- Mesmo nessa situa&ccedil;&atilde;o o FreeBSD tenta
- detectar mais que 64MB de mem&oacute;ria, mas esse
+ Mesmo nessa situação o FreeBSD tenta
+ detectar mais que 64MB de memória, mas esse
reconhecimento pode falhar.</para>
<para>Pra corrigir esse problema pode ser usada a
- op&ccedil;&atilde;o do
+ opção do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> descrita a seguir.
- Existe uma forma de obter informa&ccedil;&otilde;es
- completas quanto ao tamanho da mem&oacute;ria, a partir da
- BIOS, mas devido a algumas limita&ccedil;&otilde;es isso
- nem sempre &eacute; poss&iacute;vel hoje em dia.
- Futuramente ser&aacute;. De qualquer forma, temos ainda a
- op&ccedil;&atilde;o do
+ Existe uma forma de obter informações
+ completas quanto ao tamanho da memória, a partir da
+ BIOS, mas devido a algumas limitações isso
+ nem sempre é possível hoje em dia.
+ Futuramente será. De qualquer forma, temos ainda a
+ opção do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> para
- situa&ccedil;&otilde;es onde toda a mem&oacute;ria
- n&atilde;o puder ser reconhecida.</para>
+ situações onde toda a memória
+ não puder ser reconhecida.</para>
<para><literal>options
"MAXMEM=<replaceable>n</replaceable>"</literal></para>
- <para>Onde <replaceable>n</replaceable> equivale &agrave;
- mem&oacute;ria (em Kilobytes) dispon&iacute;vel no
- sistema. Para 128 MB de mem&oacute;ria, use o valor
+ <para>Onde <replaceable>n</replaceable> equivale à
+ memória (em Kilobytes) disponível no
+ sistema. Para 128 MB de memória, use o valor
<literal>131072</literal>.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="panic-kmemmap-too-small">
- <para>Por que o FreeBSD 2.0 entre em p&acirc;nico com a
+ <para>Por que o FreeBSD 2.0 entre em pânico com a
mensagem <errorname>kmem_map too
small!</errorname>?</para>
</question>
<answer>
<note>
- <para>A mensagem em quest&atilde;o tamb&eacute;m pode ser
+ <para>A mensagem em questão também pode ser
<literal>mb_map too small!</literal></para>
</note>
- <para>Essa mensagem de p&acirc;nico indica que o sistema
- ficou sem mem&oacute;ria suficiente pros buffers de rede
+ <para>Essa mensagem de pânico indica que o sistema
+ ficou sem memória suficiente pros buffers de rede
(especificamente, os mbuf clusters). A quantidade de
- mem&oacute;ria virtual dispon&iacute;vel para os clusters
- mbuf pode ser elevada com a op&ccedil;&atilde;o::</para>
+ memória virtual disponível para os clusters
+ mbuf pode ser elevada com a opção::</para>
<para><literal>options
"NMBCLUSTERS=<replaceable>n</replaceable>"</literal></para>
- <para>no arquivo de configura&ccedil;&atilde;o do seu
+ <para>no arquivo de configuração do seu
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>, onde
<replaceable>n</replaceable> equivale ao valor entre
- 512-4096, dependendo do n&uacute;mero de conex&otilde;es
- TCP simult&acirc;neas que voc&ecirc; espera poder
- suportar. O valor 2048 &eacute; recomend&aacute;vel, e
- provavelmente ser&aacute; o bastante para sanar o problema
- que causa o p&acirc;nico em quest&atilde;o O n&uacute;mero
+ 512-4096, dependendo do número de conexões
+ TCP simultâneas que você espera poder
+ suportar. O valor 2048 é recomendável, e
+ provavelmente será o bastante para sanar o problema
+ que causa o pânico em questão O número
de clusters mbuf em uso pode ser monitorado com o comando
<command>netstat -m</command> (veja &man.netstat.1;). O
- valor padr&atilde;o para a vari&aacute;vel NMBCLUSTERS no
- <foreignphrase>kernel</foreignphrase> do FreeBSD &eacute;
+ valor padrão para a variável NMBCLUSTERS no
+ <foreignphrase>kernel</foreignphrase> do FreeBSD é
<literal>512 + MAXUSERS * 16</literal>.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -4653,54 +4653,54 @@ quit</programlisting>
<answer>
<para>O <foreignphrase>kernel</foreignphrase> do FreeBSD
- limita o n&uacute;mero m&aacute;ximo de processos
- simult&acirc;neos existentes no sistema. O n&uacute;mero
- em quest&atilde;o &eacute; baseado na op&ccedil;&atilde;o
+ limita o número máximo de processos
+ simultâneos existentes no sistema. O número
+ em questão é baseado na opção
<literal>MAXUSERS</literal>. do sistema. A
- op&ccedil;&atilde;o <literal>MAXUSERS</literal> afeta
- ainda in&uacute;meros outros limites do
+ opção <literal>MAXUSERS</literal> afeta
+ ainda inúmeros outros limites do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> do FreeBSD, como por
- exemplo os buffers dispon&iacute;veis para o stack de rede
+ exemplo os buffers disponíveis para o stack de rede
do sistema (veja <link
linkend="panic-kmemmap-too-small">esta</link> resposta
anterior). Se o computador estiver sob grande carga,
- provavelmente ser&aacute; necess&aacute;rio aumentar o
- <literal>MAXUSERS</literal>. Essa altera&ccedil;&atilde;o
- aumentar&aacute; os limites do sistema em
- adi&ccedil;&atilde;o ao n&uacute;mero de processos
+ provavelmente será necessário aumentar o
+ <literal>MAXUSERS</literal>. Essa alteração
+ aumentará os limites do sistema em
+ adição ao número de processos
permitido.</para>
- <para>Desde a vers&atilde;o 4.4 do FreeBSD, o valor para
- <literal>MAXUSERS</literal> se tornou configur&aacute;vel,
- n&atilde;o sendo mais necess&aacute;rio recompilar o
+ <para>Desde a versão 4.4 do FreeBSD, o valor para
+ <literal>MAXUSERS</literal> se tornou configurável,
+ não sendo mais necessário recompilar o
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> para
- alter&aacute;-lo, bastando definir a vari&aacute;vel
+ alterá-lo, bastando definir a variável
<varname>kern.maxusers</varname> no arquivo
<filename>/boot/loader.conf</filename>. Em
- vers&otilde;oes mais recentes do FreeBSD, deve-se ajustar
+ versõoes mais recentes do FreeBSD, deve-se ajustar
o <literal>MAXUSERS</literal> em sua
- configura&ccedil;&atilde;o do
+ configuração do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>.</para>
- <para>Caso seu sistema n&atilde;o esteja muito carregado,
- mas o n&uacute;mero de processos simult&acirc;neos ainda
- assim &eacute; alto basta definir a vari&aacute;vel
+ <para>Caso seu sistema não esteja muito carregado,
+ mas o número de processos simultâneos ainda
+ assim é alto basta definir a variável
<varname>kern.maxproc</varname> com o sysctl. Em casos
- especiais, onde esses in&uacute;meros processos
- est&atilde;o sendo executados por um &uacute;nico
- usu&aacute;rio, ser&aacute; preciso alterar ainda alterar
- o valor da vari&aacute;vel
+ especiais, onde esses inúmeros processos
+ estão sendo executados por um único
+ usuário, será preciso alterar ainda alterar
+ o valor da variável
<varname>kern.maxprocperuid</varname> para um a menos do
que o valor de <varname>kern.maxproc</varname>. (deve ser
ao menos 1 processo a menos, visto que ao menos o
&man.init.8; do sistema vai estar sempre em
- execu&ccedil;&atilde;o.)</para>
+ execução.)</para>
- <para>Para tornar uma altera&ccedil;&atilde;o de
- vari&aacute;vel do sysctl permanente, defina-a no arquivo
- <filename>/etc/sysctl.conf</filename> nas vers&otilde;es
- mais recentes do FreeBSD, ou ent&atilde;o no arquivo
- <filename>/etc/rc.local</filename> em vers&otilde;es mais
+ <para>Para tornar uma alteração de
+ variável do sysctl permanente, defina-a no arquivo
+ <filename>/etc/sysctl.conf</filename> nas versões
+ mais recentes do FreeBSD, ou então no arquivo
+ <filename>/etc/rc.local</filename> em versões mais
antigas do sistema.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -4713,13 +4713,13 @@ quit</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>A l&oacute;gica que tenta detectar uma data errada nos
+ <para>A lógica que tenta detectar uma data errada nos
arquivos <filename>/var/db/kvm_*.db</filename> as vezes
- &eacute; falha, o que leva o sistema a entrar em
- p&acirc;nico.</para>
+ é falha, o que leva o sistema a entrar em
+ pânico.</para>
<para>Se for o caso, reinicie seu sistema em modo
- monousu&aacute;rio e fa&ccedil;a:</para>
+ monousuário e faça:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>rm /var/db/kvm_*.db</userinput></screen>
</answer>
@@ -4737,8 +4737,8 @@ quit</programlisting>
Adapter.</para>
<para>Durante o processo de
- inicializa&ccedil;&atilde;o(boot), entre no menu de
- configura&ccedil;&atilde;o do
+ inicialização(boot), entre no menu de
+ configuração do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> e desabilite a
<devicename>uha0</devicename>, que esta causando o
problema.</para>
@@ -4749,26 +4749,26 @@ quit</programlisting>
<question id="aci0-illegal-cable">
<para>Quando eu inicio o sistema, encontro o erro
<errorname>ahc0: illegal cable configuration</errorname>,
- mas o meu cabo est&aacute; certo. O que est&aacute;
+ mas o meu cabo está certo. O que está
havendo?</para>
</question>
<answer>
- <para>A placa-m&atilde;e em quest&atilde;o n&atilde;o
+ <para>A placa-mãe em questão não
consegue se dar bem com o suporte a
- termina&ccedil;&atilde;o autom&aacute;tica do barramento.
- Altere sua BIOS SCSI para a termina&ccedil;&atilde;o
- correta, de acordo com a configura&ccedil;&atilde;o do
- equipamento, ao inv&eacute;s de usar
- termina&ccedil;&atilde;o autom&aacute;tica. O driver
- AIC7XXX n&atilde;o consegue descobrir se o reconhecimento
+ terminação automática do barramento.
+ Altere sua BIOS SCSI para a terminação
+ correta, de acordo com a configuração do
+ equipamento, ao invés de usar
+ terminação automática. O driver
+ AIC7XXX não consegue descobrir se o reconhecimento
externo dos cabos (e conseq&uuml;ente
- auto-termina&ccedil;&atilde;o) est&aacute;
- dispon&iacute;vel, e portanto ele simplesmente assume que
- o suporte existe, caso a configura&ccedil;&atilde;o da
+ auto-terminação) está
+ disponível, e portanto ele simplesmente assume que
+ o suporte existe, caso a configuração da
EEPROM serial esteja definida como automatic termination.
- Sem o reconhecimento de cabo externo o driver ir&aacute;
- sempre configurar a termina&ccedil;&atilde;o de forma
+ Sem o reconhecimento de cabo externo o driver irá
+ sempre configurar a terminação de forma
incorreta, o que compromete a confiabilidade do barramento
SCSI.</para>
</answer>
@@ -4782,40 +4782,40 @@ quit</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>Essa pergunta &eacute; respondida no
- <literal>FAQ</literal> do pr&oacute;prio Sendmail, e
+ <para>Essa pergunta é respondida no
+ <literal>FAQ</literal> do próprio Sendmail, e
diz:-</para>
-<literallayout> * Eu estou tendo problemas de configura&ccedil;&otilde;es local "Local configuration error" como essas:
+<literallayout> * Eu estou tendo problemas de configurações local "Local configuration error" como essas:
553 relay.domain.net config error: mail loops back to myself
554 &lt;user@domain.net&gt;... Local configuration error
Como posso resolver esse problema?
- Voc&ecirc; definiu que as mensagens enviadas para o dom&iacute;nio
- em quest&atilde;o (domain.net) devem ser repassadas para uma outra
- esta&ccedil;&atilde;o espec&iacute;fica (nesse caso para
- relay.domain.net) usando um registro MX, mas essa m&aacute;quina de
- relay n&atilde;o se reconhece como a esta&ccedil;&atilde;o
- respons&aacute;vel pelas mensagens do dom&iacute;nio domain.net.
+ Você definiu que as mensagens enviadas para o domínio
+ em questão (domain.net) devem ser repassadas para uma outra
+ estação específica (nesse caso para
+ relay.domain.net) usando um registro MX, mas essa máquina de
+ relay não se reconhece como a estação
+ responsável pelas mensagens do domínio domain.net.
Adicione domain.net no arquivo /etc/mail/local-host-names
- (caso voc&ecirc; esteja usando FEATURE(use_cw_file)) ou ent&atilde;o
+ (caso você esteja usando FEATURE(use_cw_file)) ou então
adicione a linha "Cw domain.net" em /etc/mail/sendmail.cf.
</literallayout>
- <para>Atualmente a vers&atilde;o mais recente do <ulink
+ <para>Atualmente a versão mais recente do <ulink
url="ftp://rtfm.mit.edu/pub/usenet/news.answers/mail/sendmail-faq"><literal>FAQ</literal>
- do sendmail</ulink> &eacute; mantida em sincronia com as
- vers&otilde;es mais atuais do MTA, mas ela ainda &eacute;
- enviada regularmente para os grupos de not&iacute;cias
+ do sendmail</ulink> é mantida em sincronia com as
+ versões mais atuais do MTA, mas ela ainda é
+ enviada regularmente para os grupos de notícias
<ulink
url="news:comp.mail.sendmail">comp.mail.sendmail</ulink>,
<ulink url="news:comp.mail.misc">comp.mail.misc</ulink>,
<ulink url="news:comp.mail.smail">comp.mail.smail</ulink>,
<ulink url="news:comp.answers">comp.answers</ulink>, e
<ulink url="news:news.answers">news.answers</ulink>.
- Ainda &eacute; poss&iacute;vel receber um c&oacute;pia por
+ Ainda é possível receber um cópia por
e-mail do <literal>FAQ</literal>, enviando uma mensagem
para <email>mail-server@rtfm.mit.edu</email> com o comando
<literal>send
@@ -4826,27 +4826,27 @@ quit</programlisting>
<qandaentry>
<question id="remote-fullscreen">
- <para>Porque algumas aplica&ccedil;&otilde;es que usam tela
- inteira n&atilde;o se comportam muito bem em
- esta&ccedil;&otilde;es remotas?</para>
+ <para>Porque algumas aplicações que usam tela
+ inteira não se comportam muito bem em
+ estações remotas?</para>
</question>
<answer>
- <para>A esta&ccedil;&atilde;o remota deve estar definindo o
+ <para>A estação remota deve estar definindo o
terminal como algum tipo diferente do
- <literal>cons25</literal> que &eacute; o tipo de terminal
+ <literal>cons25</literal> que é o tipo de terminal
usado pelo console do FreeBSD.</para>
- <para>Existem in&uacute;meras corre&ccedil;&otilde;es para
+ <para>Existem inúmeras correções para
esse problema:</para>
<itemizedlist>
<listitem>
- <para>Depois de logar-se na esta&ccedil;&atilde;o
- remota, defina a vari&aacute;vel de ambiente TERM como
+ <para>Depois de logar-se na estação
+ remota, defina a variável de ambiente TERM como
<literal>ansi</literal> ou <literal>sco</literal> caso
- a m&aacute;quina em quest&atilde;o tenha
- informa&ccedil;&otilde;es quanto a esse tipo de
+ a máquina em questão tenha
+ informações quanto a esse tipo de
terminal.</para>
</listitem>
@@ -4854,30 +4854,30 @@ quit</programlisting>
<para>Use um emulador VT100 como o
<application>screen</application> no console do
FreeBSD. O <application>screen</application> oferece
- a possibilidade de usar m&uacute;ltiplas
- sess&otilde;es concorrentes em um mesmo terminal, e
- &eacute; um grande programa. Cada janela do
+ a possibilidade de usar múltiplas
+ sessões concorrentes em um mesmo terminal, e
+ é um grande programa. Cada janela do
<application>screen</application> se comporta como um
- terminal VT100, portanto a vari&aacute;vel TERM deve
+ terminal VT100, portanto a variável TERM deve
ser definida como <literal>vt100</literal>.</para>
</listitem>
<listitem>
<para>Instale a base do <literal>cons25</literal> na
- esta&ccedil;&atilde;o remota. A maneira correta de
+ estação remota. A maneira correta de
faze-lo depende do sistema operacional em
- quest&atilde;o na esta&ccedil;&atilde;o remota.
- Consulte os manuais de administra&ccedil;&atilde;o do
- sistema remoto em quest&atilde;o para descobrir como
+ questão na estação remota.
+ Consulte os manuais de administração do
+ sistema remoto em questão para descobrir como
faze-lo.</para>
</listitem>
<listitem>
<para>Levante um X server do lado FreeBSD da coisa e
- acesse a esta&ccedil;&atilde;o remota usando um
+ acesse a estação remota usando um
terminal baseado no ambiente X, como o
<command>xterm</command> ou o <command>rxvt</command>.
- A vari&aacute;vel TERM deve ser definida
+ A variável TERM deve ser definida
como<literal>xterm</literal> ou
<literal>vt100</literal> no lado remoto.</para>
</listitem>
@@ -4893,154 +4893,154 @@ quit</programlisting>
<answer>
<para>Esse comportamento pode ser causado por diversos
- motivos relacionados a interrup&ccedil;&otilde;es de
+ motivos relacionados a interrupções de
<foreignphrase>hardware</foreignphrase> e/ou software.
- Pode ser devido a algum bug, mas tamb&eacute;m pode
+ Pode ser devido a algum bug, mas também pode
acontecer por causa da natureza de alguns devices. Por
exemplo, usar TCP/IP via porta paralela com uma MTU muito
- grande &eacute; uma boa forma de provocar esse
- comportamento. Aceleradores gr&aacute;ficos tamb&eacute;m
- s&atilde;o eficientes para criar esse tipo de problema,
- nesse caso, sendo necess&aacute;rio analisar as
- configura&ccedil;&otilde;es de interrup&ccedil;&otilde;es
+ grande é uma boa forma de provocar esse
+ comportamento. Aceleradores gráficos também
+ são eficientes para criar esse tipo de problema,
+ nesse caso, sendo necessário analisar as
+ configurações de interrupções
do software.</para>
- <para>Um efeito colateral desse problema s&atilde;o
+ <para>Um efeito colateral desse problema são
processos que morrem<quote>SIGXCPU exceeded cpu time
limit</quote>.</para>
<para>No FreeBSD 3.0 e sistemas posteriores a 29 de Novembro
- de 1998, caso o problema n&atilde;o possa ser solucionado
- de outra forma, uma corre&ccedil;&atilde;o pode ser
- definir a seguinte vari&aacute;vel do sysctl:</para>
+ de 1998, caso o problema não possa ser solucionado
+ de outra forma, uma correção pode ser
+ definir a seguinte variável do sysctl:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>sysctl -w kern.timecounter.method=1</userinput></screen>
<para>Isso causa um impacto de performance, mas dependendo
- do problema que causava esse comportamento, &eacute;
- prov&aacute;vel que nem consiga-se notar a mudan&ccedil;a
+ do problema que causava esse comportamento, é
+ provável que nem consiga-se notar a mudança
nessa performance. Se o problema continuar, mantenha a
- vari&aacute;vel do sysctl habilitada e defina a
- op&ccedil;&atilde;o <literal>NTIMECOUNTER</literal> no
+ variável do sysctl habilitada e defina a
+ opção <literal>NTIMECOUNTER</literal> no
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> para valores
crescentes. Se chegar a um ponto em que foi
- necess&aacute;rio definir
+ necessário definir
<literal>NTIMECOUNTER=20</literal> e o problema ainda
- n&atilde;o tiver sido resolvido, as
- interrup&ccedil;&otilde;es s&atilde;o serias demais e seu
- comportamento n&atilde;o &eacute; confi&aacute;vel.</para>
+ não tiver sido resolvido, as
+ interrupções são serias demais e seu
+ comportamento não é confiável.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="pcm0-not-found">
- <para>Acontece da pcm n&atilde;o ser encontrada, com a
+ <para>Acontece da pcm não ser encontrada, com a
mensagem <errorname>pcm0 not found</errorname> ou
- ent&atilde;o minha placa de som &eacute; encontrada na
+ então minha placa de som é encontrada na
<devicename>pcm1</devicename> mas no meu
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> a entrada se refere
- a <literal>device pcm0</literal>. O que est&aacute;
+ a <literal>device pcm0</literal>. O que está
havendo?</para>
</question>
<answer>
<para>Isso acontece no FreeBSD 3.X com placas de som PCI. A
- <devicename>pcm0</devicename> &eacute; reservada
+ <devicename>pcm0</devicename> é reservada
exclusivamente para placas de som ISA e por isso se a
- placa em quest&atilde;o &eacute; PCI, ela ser&aacute;
+ placa em questão é PCI, ela será
reconhecida como <devicename>pcm1</devicename> e a
- mensagem em quest&atilde;o pode acontecer.
+ mensagem em questão pode acontecer.
</para>
<note>
- <para>N&atilde;o &eacute; poss&iacute;vel evitar a
- mensagem de advert&ecirc;ncia simplesmente alterando o
+ <para>Não é possível evitar a
+ mensagem de advertência simplesmente alterando o
seu <foreignphrase>kernel</foreignphrase> e definindo
<literal>device pcm1</literal> pois isso
- resultar&aacute; na <devicename>pcm1</devicename> sendo
+ resultará na <devicename>pcm1</devicename> sendo
reservada para placas ISA, e o seu equipamento PCI
- ser&aacute; reconhecido na <devicename>pcm2</devicename>
- (e a mensagem de advert&ecirc;ncia <errorname>pcm1 not
- found</errorname> continuar&aacute;).</para>
+ será reconhecido na <devicename>pcm2</devicename>
+ (e a mensagem de advertência <errorname>pcm1 not
+ found</errorname> continuará).</para>
</note>
<para>
- Caso sua placa de som seja PCI ainda ser&aacute; preciso
+ Caso sua placa de som seja PCI ainda será preciso
criar a device <devicename>snd1</devicename> ao
- inv&eacute;s da <devicename>snd0</devicename>:</para>
+ invés da <devicename>snd0</devicename>:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>cd /dev</userinput>
&prompt.root; <userinput>./MAKEDEV snd1</userinput></screen>
- <para>Esse comportamento n&atilde;o ocorre na s&eacute;rie
+ <para>Esse comportamento não ocorre na série
4.X do FreeBSD, muito trabalho foi feito para tornar o
sistema mais <emphasis>PnP-centric</emphasis> e a device
- <devicename>pcm0</devicename> n&atilde;o &eacute; mais
+ <devicename>pcm0</devicename> não é mais
reservada exclusivamente para placas ISA.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="pnp-not-found">
- <para>Porque a minha placa PnP n&atilde;o &eacute; mais
- encontrada (ou &eacute; encontrada como
+ <para>Porque a minha placa PnP não é mais
+ encontrada (ou é encontrada como
<literal>unknown</literal>) desde a
- atualiza&ccedil;&atilde;o para o FreeBSD 4.X?</para>
+ atualização para o FreeBSD 4.X?</para>
</question>
<answer>
- <para>O FreeBSD 4.X &eacute; muito mais
- <emphasis>PnP-centric</emphasis> do que as vers&otilde;es
+ <para>O FreeBSD 4.X é muito mais
+ <emphasis>PnP-centric</emphasis> do que as versões
anteriores, e isso causou alguns efeitos distintos em
algumas placas PnP (como algumas placas de som e alguns
- modems interno por exemplo) que n&atilde;o funcionam mais
+ modems interno por exemplo) que não funcionam mais
da forma como funcionavam no FreeBSD 3.X.</para>
- <para>O motivo para esse comportamento &eacute; explicado no
+ <para>O motivo para esse comportamento é explicado no
seguinte e-mail, que foi enviada na lista
freebsd-questions pelo Reter Wemm, respondendo uma
- pergunta sobre um modem interno que n&atilde;o era mais
+ pergunta sobre um modem interno que não era mais
reconhecido no FreeBSD depois de atualizar o sistema para
- vers&atilde;o 4.X (os coment&aacute;rios entre
+ versão 4.X (os comentários entre
<literal>[]</literal>foram adicionados com a
- inten&ccedil;&atilde;o de explicar melhor o contexto da
+ intenção de explicar melhor o contexto da
mensagem).</para>
<note>
- <para>Os &iacute;ndices dessa cita&ccedil;&atilde;o foram
+ <para>Os índices dessa citação foram
atualizados de seu texto original</para>
</note>
<blockquote>
<para>A bios PNP configurou ele [o modem] e o deixou
- conectado na porta em quest&atilde;o, por isso o estilo
+ conectado na porta em questão, por isso o estilo
antigo [no 3.X] <quote>reconhece</quote> o equipamento
ISA.</para>
- <para>No FreeBSD 4 o c&oacute;digo ISA &eacute; bem mais
- PnP-centric. Era poss&iacute;vel [no 3.X] encontrar uma
+ <para>No FreeBSD 4 o código ISA é bem mais
+ PnP-centric. Era possível [no 3.X] encontrar uma
placa ISA que funcionava com <quote>determinada</quote>
device e depois, o id PNP da mesma device encontrava a
mesma placa novamente, como se fosse uma outra usando os
mesmos recursos do sistema, e por isso ele falhava, como
se fosse um conflito de recursos. Portanto, agora ele
- desabilita o suporta &agrave;s placas
- program&aacute;veis de forma que essa confus&atilde;o e
- dupla detec&ccedil;&atilde;o de
- <foreignphrase>hardware</foreignphrase> n&atilde;o
- ocorra. Essa mudan&ccedil;a implica tamb&eacute;m na
+ desabilita o suporta às placas
+ programáveis de forma que essa confusão e
+ dupla detecção de
+ <foreignphrase>hardware</foreignphrase> não
+ ocorra. Essa mudança implica também na
necessidade de se saber previamente os ids PnP para cada
tipo de equipamento suportado, aumentando um pouco mais
a lista de TODO do suporte PnP no sistema.</para>
</blockquote>
- <para>Para fazer o equipamento voltar a funcionar, &eacute;
- necess&aacute;rio encontrar seu PnP id e
- adicion&aacute;-lo a lista de devices ISA reconhecidas
- como PnP. Essa informa&ccedil;&atilde;o pode ser obtida
+ <para>Para fazer o equipamento voltar a funcionar, é
+ necessário encontrar seu PnP id e
+ adicioná-lo a lista de devices ISA reconhecidas
+ como PnP. Essa informação pode ser obtida
usando &man.pnpinfo.8; que detecta a
- configura&ccedil;&atilde;o dos equipamentos. Por exemplo,
- veja a sa&iacute;da do &man.pnpinfo.8; de um modem
+ configuração dos equipamentos. Por exemplo,
+ veja a saída do &man.pnpinfo.8; de um modem
interno:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>pnpinfo</userinput>
@@ -5074,16 +5074,16 @@ IRQ 5 0
DMA 4 0
IO range check 0x00 activate 0x01</screen>
- <para>A informa&ccedil;&atilde;o que voc&ecirc; quer
- &eacute; a linha <quote>Vendor ID</quote> no come&ccedil;o
- da sa&iacute;da do comando. O valor hexadecimal entre
- par&ecirc;nteses (0x3024a341 esse caso) &eacute; PnP id e
- o conjunto de caracteres que o antecede (PMC2430) &eacute;
- a identifica&ccedil;&atilde;o ASCII &uacute;nica.</para>
+ <para>A informação que você quer
+ é a linha <quote>Vendor ID</quote> no começo
+ da saída do comando. O valor hexadecimal entre
+ parênteses (0x3024a341 esse caso) é PnP id e
+ o conjunto de caracteres que o antecede (PMC2430) é
+ a identificação ASCII única.</para>
- <para>Alternativamente, se o &man.pnpinfo.8; n&atilde;o
- listou sua placa em quest&atilde;o, o &man.pciconf.8; pode
- ser usado preferivelmente. Esta &eacute; a sa&iacute;da
+ <para>Alternativamente, se o &man.pnpinfo.8; não
+ listou sua placa em questão, o &man.pciconf.8; pode
+ ser usado preferivelmente. Esta é a saída
do comando <command>pciconf -vl</command> de uma placa de
som onboard:</para>
@@ -5097,29 +5097,29 @@ chip1@pci0:31:5: class=0x040100 card=0x00931028 chip=0x24158086 rev=0x02
<para>Aqui deve-se usar o valor do <varname>chip</varname>,
<quote>0x24158086</quote>.</para>
- <para>Tais informa&ccedil;&otilde;es (Vendor ID ou valor do
+ <para>Tais informações (Vendor ID ou valor do
chip) precisam ser adicionadas ao arquivo
<filename>/usr/src/sys/isa/sio.c</filename>.</para>
- <para>Primeiro fa&ccedil;a uma c&oacute;pia de
- seguran&ccedil;a do <filename>sio.c</filename> no caso de
- algo dar errado e tamb&eacute;m para que voc&ecirc; possa
+ <para>Primeiro faça uma cópia de
+ segurança do <filename>sio.c</filename> no caso de
+ algo dar errado e também para que você possa
fazer um patch para enviar junto com o seu
- Relat&oacute;rio de Problemas (voc&ecirc; vai enviar um
- PR, n&atilde;o vai?) e depois edite o
+ Relatório de Problemas (você vai enviar um
+ PR, não vai?) e depois edite o
<filename>sio.c</filename> e procure a linha</para>
<programlisting>static struct isa_pnp_id sio_ids[] = {</programlisting>
<para>Depois analise as linhas logo abaixo para encontrar o
lugar apropriado para sua placa. As entradas na tabela
- ficam todas parecidas com essa logo abaixo, e s&atilde;o
- ordenadas de acordo com a identifica&ccedil;&atilde;o
+ ficam todas parecidas com essa logo abaixo, e são
+ ordenadas de acordo com a identificação
ASCII do fabricante do produto a qual deve ser
- inclu&iacute;da como coment&aacute;rio na coluna do lado
- do c&oacute;digo em quest&atilde;o, e junto com a
- <emphasis>descri&ccedil;&atilde;o da placa</emphasis> ou
- parte dela, conforme identificada na sa&iacute;da do
+ incluída como comentário na coluna do lado
+ do código em questão, e junto com a
+ <emphasis>descrição da placa</emphasis> ou
+ parte dela, conforme identificada na saída do
&man.pnpinfo.8;:</para>
<programlisting>{0x0f804f3f, NULL}, /* OZO800f - Zoom 2812 (56k Modem) */
@@ -5146,45 +5146,45 @@ chip1@pci0:31:5: class=0x040100 card=0x00931028 chip=0x24158086 rev=0x02
</question>
<answer>
- <para>O problema &eacute; que o programa que voc&ecirc;
- est&aacute; tentando executar tenta ler alguma
- informa&ccedil;&atilde;o espec&iacute;fica do
+ <para>O problema é que o programa que você
+ está tentando executar tenta ler alguma
+ informação específica do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>, baseando-se no
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> symbol em
- quest&atilde;o, mas por algum motivo, essa
- informa&ccedil;&atilde;o n&atilde;o pode ser encontrada;
- esse erro &eacute; causado por um dos seguintes
+ questão, mas por algum motivo, essa
+ informação não pode ser encontrada;
+ esse erro é causado por um dos seguintes
problemas:</para>
<itemizedlist>
<listitem>
<para>O <foreignphrase>kernel</foreignphrase> e o
- userland do sistema n&atilde;o est&atilde;o em
- sincronia (por exemplo, voc&ecirc; compilou um
+ userland do sistema não estão em
+ sincronia (por exemplo, você compilou um
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> novo e o
instalou sem de dar um
<maketarget>installworld</maketarget>, ou vice-versa),
- e por isso a tabela de informa&ccedil;&otilde;es dos
- <foreignphrase>kernel</foreignphrase> symbols &eacute;
- diferente do que o programa pensa que &eacute;. Se
+ e por isso a tabela de informações dos
+ <foreignphrase>kernel</foreignphrase> symbols é
+ diferente do que o programa pensa que é. Se
esse for o caso basta completar os procedimentos de
- atualiza&ccedil;&atilde;o do sistema (veja o arquivo
+ atualização do sistema (veja o arquivo
<filename>/usr/src/UPDATING</filename> para a correta
- seq&uuml;&ecirc;ncia de a&ccedil;&otilde;es).</para>
+ seq&uuml;ência de ações).</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>O <command>/boot/loader</command> n&atilde;o
- est&aacute; sendo usado para carregar o
+ <para>O <command>/boot/loader</command> não
+ está sendo usado para carregar o
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> dessa
- esta&ccedil;&atilde;o, ao inv&eacute;s dele, o boot2
- (veja &man.boot.8;) est&aacute; sendo usado
- diretamente. Apesar de n&atilde;o ter problema algum
+ estação, ao invés dele, o boot2
+ (veja &man.boot.8;) está sendo usado
+ diretamente. Apesar de não ter problema algum
deixar de usar o <command>/boot/loader</command>, ele
costuma se comportar melhor na hora de tornar os
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> symbols
- dispon&iacute;veis para aplica&ccedil;&otilde;es em
- n&iacute;vel de usu&aacute;rio.</para>
+ disponíveis para aplicações em
+ nível de usuário.</para>
</listitem>
</itemizedlist>
</answer>
@@ -5192,58 +5192,58 @@ chip1@pci0:31:5: class=0x040100 card=0x00931028 chip=0x24158086 rev=0x02
<qandaentry>
<question id="connection-delay">
- <para>Porque demora tanto para a conex&atilde;o se
+ <para>Porque demora tanto para a conexão se
estabelecer via <command>ssh</command> ou
<command>telnet</command>?</para>
</question>
<answer>
<para>O sintoma: existe um atraso muito grande entre o
- estabelecimento da conex&atilde;o TCP e o momento que o
+ estabelecimento da conexão TCP e o momento que o
programa cliente pede a senha (ou no caso do
&man.telnet.1;, quando a tela de login aparece).</para>
<para>O problema: o programa servidor dessa
- transa&ccedil;&atilde;o leva muito tempo tentando resolver
- o nome da esta&ccedil;&atilde;o cliente que est&aacute; se
+ transação leva muito tempo tentando resolver
+ o nome da estação cliente que está se
conectando. A maioria dos servidores, incluindo os
servidores Telnet e SSH que vem junto com o FreeBSD tentam
- resolver o n&uacute;mero IP do cliente no nome da
- esta&ccedil;&atilde;o, para, entre outras coisas, gravar
- essa informa&ccedil;&atilde;o em um arquivo de log para
- refer&ecirc;ncias futuras por parte do
+ resolver o número IP do cliente no nome da
+ estação, para, entre outras coisas, gravar
+ essa informação em um arquivo de log para
+ referências futuras por parte do
administrador.</para>
- <para>A solu&ccedil;&atilde;o: Se o problema acontece apenas
- quando voc&ecirc; (o cliente) tenta se conectar no
- servidor, o problema &eacute; com o lado cliente da
- transa&ccedil;&atilde;o; se o problema acontece com
- qualquer esta&ccedil;&atilde;o que tente se conectar ao
- computador (servidor) ent&atilde;o o problema &eacute; do
+ <para>A solução: Se o problema acontece apenas
+ quando você (o cliente) tenta se conectar no
+ servidor, o problema é com o lado cliente da
+ transação; se o problema acontece com
+ qualquer estação que tente se conectar ao
+ computador (servidor) então o problema é do
lado servidor.</para>
- <para>Se o problema &eacute; com o cliente, a &uacute;nica
- maneira de corrigir o problema &eacute; configurar
+ <para>Se o problema é com o cliente, a única
+ maneira de corrigir o problema é configurar
corretamente o servidor DNS que responde autoritativamente
- pelo endere&ccedil;o da esta&ccedil;&atilde;o. Se for uma
+ pelo endereço da estação. Se for uma
rede local considere esse comportamento um problema do
- servidor, e continue lendo; se a conex&atilde;o deve ser
- estabelecida na rede global (internet) , ent&atilde;o
- entre em contato com o seu Provedor de Servi&ccedil;os
+ servidor, e continue lendo; se a conexão deve ser
+ estabelecida na rede global (internet) , então
+ entre em contato com o seu Provedor de Serviços
Internet e solicite que eles corrijam o problema.</para>
- <para>Se o problema &eacute; do lado servidor, e a rede em
- quest&atilde;o, se trata de uma rede local, ser&aacute;
- necess&aacute;rio configurar o servidor de forma que ele
- consiga resolver os endere&ccedil;os dos clientes em
- nomes. Veja as p&aacute;ginas de manual do &man.hosts.5;
- e &man.named.8; para obter mais informa&ccedil;&otilde;es.
- Se a conex&atilde;o &eacute; na Internet, provavelmente o
- resolvedor (lado cliente do servi&ccedil;o de nomes) do
- seu servidor n&atilde;o est&aacute; funcionando
+ <para>Se o problema é do lado servidor, e a rede em
+ questão, se trata de uma rede local, será
+ necessário configurar o servidor de forma que ele
+ consiga resolver os endereços dos clientes em
+ nomes. Veja as páginas de manual do &man.hosts.5;
+ e &man.named.8; para obter mais informações.
+ Se a conexão é na Internet, provavelmente o
+ resolvedor (lado cliente do serviço de nomes) do
+ seu servidor não está funcionando
corretamente. Pra fazer o teste, tente descobrir o
- endere&ccedil;o IP do site <hostid>www.yahoo.com</hostid>
- por exemplo. Se n&atilde;o funcionar, esta ai o
+ endereço IP do site <hostid>www.yahoo.com</hostid>
+ por exemplo. Se não funcionar, esta ai o
problema.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -5255,34 +5255,34 @@ chip1@pci0:31:5: class=0x040100 card=0x00931028 chip=0x24158086 rev=0x02
</question>
<answer>
- <para>Stray IRQs s&atilde;o sintomas de
+ <para>Stray IRQs são sintomas de
<foreignphrase>hardware</foreignphrase> que interrompe o
- pedido de interrup&ccedil;&atilde;o no meio de um ciclo de
- autoriza&ccedil;&atilde;o de
- interrup&ccedil;&atilde;o.</para>
+ pedido de interrupção no meio de um ciclo de
+ autorização de
+ interrupção.</para>
- <para>Existem tr&ecirc;s formas de tratar o problema:</para>
+ <para>Existem três formas de tratar o problema:</para>
<itemizedlist>
<listitem>
<para>Aprenda a conviver com as mensagens de
- advert&ecirc;ncia. De qualquer forma, todas as
+ advertência. De qualquer forma, todas as
mensagens exceto as 5 primeiras para cada IRQ
- s&atilde;o suprimidas pelo sistema mesmo.</para>
+ são suprimidas pelo sistema mesmo.</para>
</listitem>
<listitem>
<para>Evite o inconveniente alterando de 5 para 0 na
- fun&ccedil;&atilde;o
- <function>isa_strayintr()</function> o n&uacute;mero
+ função
+ <function>isa_strayintr()</function> o número
de mensagens antes de suprimir as
- advert&ecirc;ncias.</para>
+ advertências.</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>Evite as advert&ecirc;ncias instalando algum
+ <para>Evite as advertências instalando algum
equipamento de porta paralela que use a IRQ 7 e o
- driver PPP (&eacute; o usual, na maioria dos sistemas)
+ driver PPP (é o usual, na maioria dos sistemas)
e instale algum driver IDE ou qualquer outro
dispositivo que use a IRQ 15 e seu respectivo
suporte.</para>
@@ -5300,56 +5300,56 @@ chip1@pci0:31:5: class=0x040100 card=0x00931028 chip=0x24158086 rev=0x02
<answer>
<para>
- Esse erro indica que voc&ecirc; excedeu o n&uacute;mero
- m&aacute;ximo de descrevedores (descriptors) de arquivos
- no sistema. Leia a se&ccedil;&atilde;o <ulink
+ Esse erro indica que você excedeu o número
+ máximo de descrevedores (descriptors) de arquivos
+ no sistema. Leia a seção <ulink
url="../handbook/configtuning-kernel-limits.html#KERN-MAXFILES">
kern.maxfiles </ulink>da<ulink
url="../handbook/configtuning-kernel-limits.html">
- cap&iacute;tulo de Ajuste de Limites do
+ capítulo de Ajuste de Limites do
<foreignphrase>Kernel</foreignphrase></ulink> no
&a.ptbr.p.handbook; do FreeBSD para obter mais
- informa&ccedil;&otilde;es sobre o problema.</para>
+ informações sobre o problema.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="laptop-clock-skew">
- <para>Por que o rel&oacute;gio do meu laptop mantem a hora
+ <para>Por que o relógio do meu laptop mantem a hora
incorreta?</para>
</question>
<answer>
<para>Rode o comando &man.dmesg.8;, e procure algumas linhas
- com a express&atilde;o <literal>Timecounter</literal>. A
- &uacute;ltima linha encontrada ser&aacute; o
- rel&oacute;gio que o FreeBSD escolheu, e com certeza ele
- ser&aacute; <literal>TSC</literal>.</para>
+ com a expressão <literal>Timecounter</literal>. A
+ última linha encontrada será o
+ relógio que o FreeBSD escolheu, e com certeza ele
+ será <literal>TSC</literal>.</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>dmesg | grep Timecounter</userinput>
Timecounter "i8254" frequency 1193182 Hz
Timecounter "TSC" frequency 595573479 Hz</screen>
- <para>Essa informa&ccedil;&atilde;o pode ser confirmada ao
- verificar a vari&aacute;vel
+ <para>Essa informação pode ser confirmada ao
+ verificar a variável
<varname>kern.timecounter.hardware</varname> do
&man.sysctl.3;.</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>sysctl kern.timecounter.hardware</userinput>
kern.timecounter.hardware: TSC</screen>
- <para>A BIOS do laptop altera a frequ&ecirc;ncia do
- rel&oacute;gio TSC de forma a modificar a velocidade do
+ <para>A BIOS do laptop altera a frequência do
+ relógio TSC de forma a modificar a velocidade do
processador quando o computador estiver sendo utilizado
com baterias, ou se o mesmo entrar em modo de economia de
- energia. O FreeBSD n&atilde;o faz distin&ccedil;&atilde;o
- entre frequ&ecirc;ncia do clock e modos especiais de
+ energia. O FreeBSD não faz distinção
+ entre frequência do clock e modos especiais de
trabalho, e por isso pode atrasar ou adiantar a hora do
sistema.</para>
- <para>Esse exemplo, o laptop em quest&atilde;o tem dois
- rel&oacute;gios; portanto o <literal>i8254</literal> pode
- ser definido como padr&atilde;o na vari&aacute;vel
+ <para>Esse exemplo, o laptop em questão tem dois
+ relógios; portanto o <literal>i8254</literal> pode
+ ser definido como padrão na variável
<varname>kern.timecounter.hardware</varname> do
&man.sysctl.3;.</para>
@@ -5359,8 +5359,8 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
<para>Agora o seu laptop deve conseguir manter a data e hora
de forma mais precisa.</para>
- <para>Pra tornar essa altera&ccedil;&atilde;o
- autom&aacute;tica, adicione a seguinte linha no arquivo
+ <para>Pra tornar essa alteração
+ automática, adicione a seguinte linha no arquivo
<filename>/etc/sysctl.conf</filename>.</para>
<programlisting>kern.timecounter.hardware=i8254</programlisting>
@@ -5369,34 +5369,34 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
<qandaentry>
<question id="null-null">
- <para>Por que o meu laptop n&atilde;o funciona muito bem na
- hora de identificar cart&otilde;es PCMCIA?</para>
+ <para>Por que o meu laptop não funciona muito bem na
+ hora de identificar cartões PCMCIA?</para>
</question>
<answer>
- <para>Esse problema &eacute; comum em laptops que tem mais
+ <para>Esse problema é comum em laptops que tem mais
de um sistema operacional instalado. Alguns sistemas
- n&atilde;o-BSD fazem os cart&otilde;es PCMCIA ficarem em
+ não-BSD fazem os cartões PCMCIA ficarem em
um estado inconsistente, causando um reconhecimento
- problem&aacute;tico dos dispositivos por parte do
+ problemático dos dispositivos por parte do
<command>pccardd</command>, como por exemplo, detectando
- os cart&otilde;es como
- <errorname>"(null)""(null)"</errorname> ao inv&eacute;s da
+ os cartões como
+ <errorname>"(null)""(null)"</errorname> ao invés da
sua marca e modelo verdadeiros.</para>
- <para>&Eacute; necess&aacute;rio desligar completamente a
- alimenta&ccedil;&atilde;o de energia do equipamento para
+ <para>É necessário desligar completamente a
+ alimentação de energia do equipamento para
garantir que o mesmo seja completamente resetado.
- Desligue completamente o laptop (n&atilde;o suspenda seu
- funcionamento, n&atilde;o o deixe entrar em modo de
+ Desligue completamente o laptop (não suspenda seu
+ funcionamento, não o deixe entrar em modo de
espera, conhecido como standby, a
- alimenta&ccedil;&atilde;o deve ser completamente
+ alimentação deve ser completamente
interrompida), espere alguns - poucos - minutos e reinicie
o laptop. Tudo deve correr bem.</para>
- <para>Alguns laptops s&atilde;o grandes mentirosos quando
+ <para>Alguns laptops são grandes mentirosos quando
afirmam estar desligados. Se o procedimento acima
- n&atilde;o funcionar, tire a bateria do laptop, espere
+ não funcionar, tire a bateria do laptop, espere
alguns minutos e ligue o sistema novamente.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -5404,20 +5404,20 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
<qandaentry>
<question id="boot-read-error">
<para>Por que o bootloader do FreeBSD mostra a mensagem
- <errorname>Read error</errorname> e p&aacute;ra
- completamente logo ap&oacute;s a tela da BIOS?</para>
+ <errorname>Read error</errorname> e pára
+ completamente logo após a tela da BIOS?</para>
</question>
<answer>
<para>O inicializador do FreeBSD reconheceu a geometria de
disco de forma incorreta e por isso esse valor deve ser
definido manualmente com o fdisk(8) ao criar ou modificar
- uma parti&ccedil;&atilde;o FreeBSD.</para>
+ uma partição FreeBSD.</para>
<para>A geometria correta do disco pode ser verificada na
- BIOS do computador. Procure pelo n&uacute;mero de
- cilindros, cabe&ccedil;as e de setores do disco em
- quest&atilde;o.
+ BIOS do computador. Procure pelo número de
+ cilindros, cabeças e de setores do disco em
+ questão.
</para>
<para>No fdisk do &man.sysinstall.8;, aperte a tecla
@@ -5425,27 +5425,27 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
manualmente.
</para>
- <para>Ir&aacute; aparecer uma janela de di&aacute;logo
- perguntando o n&uacute;mero de cilindros, cabe&ccedil;as e
+ <para>Irá aparecer uma janela de diálogo
+ perguntando o número de cilindros, cabeças e
setores do disco. Defina esses valores, conforme anotados
da BIOS do sistema e separados por barras.</para>
- <para>5000 cilindros, 250 cabe&ccedil;as e 60 setores, por
+ <para>5000 cilindros, 250 cabeças e 60 setores, por
exemplo, seria definido como
<userinput>5000/250/60.</userinput>
</para>
<para>Aperte ENTER para confirmar os valores e depois aperte
a tecla <keycap>W</keycap> para escrever as novas
- informa&ccedil;&otilde;es na tabela de
- parti&ccedil;&otilde;es do disco.</para>
+ informações na tabela de
+ partições do disco.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="bootmanager-restore">
<para>Outro sistema operacional destruiu o meu gerenciador
- de inicializa&ccedil;&atilde;o(Boot Manager). Como eu o
+ de inicialização(Boot Manager). Como eu o
recupero?
</para>
</question>
@@ -5454,13 +5454,13 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
<para>Entre no &man.sysinstall.8; e escolha o menu
Configure, seguido do Fdisk. Escolha o disco onde o
gerenciador de boot costumava ficar e aperte a barra de
- <keycap>espa&ccedil;os(space)</keycap>. Depois aperte a
+ <keycap>espaços(space)</keycap>. Depois aperte a
tecla <keycap>W</keycap> para escrever as novas
- informa&ccedil;&otilde;es no disco. Vai aparecer uma
+ informações no disco. Vai aparecer uma
tela, perguntando o que deve ser instalado na MBR do
disco. Escolha o Gerenciador de
- inicializa&ccedil;&atilde;o(Boot Manager), e ele
- ser&aacute; reinstalado.</para>
+ inicialização(Boot Manager), e ele
+ será reinstalado.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -5472,17 +5472,17 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
<answer>
<para>Quer dizer que existe um processo tentando paginar uma
- &aacute;rea da mem&oacute;ria para o disco, e que esse
+ área da memória para o disco, e que esse
processo demorou mais de 20 segundos; portanto falhou.
- &Eacute; prov&aacute;vel que a causa desse erro sejam
+ É provável que a causa desse erro sejam
blocos defeituosos no disco, falha nos cabos, ou
- at&eacute; mesmo algum outro erro de I/O relacionado ao
+ até mesmo algum outro erro de I/O relacionado ao
<foreignphrase>hardware</foreignphrase>. Se o disco
- estiver danificado, ser&atilde;o apresentadas mensagens de
+ estiver danificado, serão apresentadas mensagens de
erro referentes ao mesmo em
- <filename>/var/log/messages</filename> e tamb&eacute;m na
- sa&iacute;da do <command>dmesg</command>. Do
- contr&aacute;rio, verifique seus cabos e
+ <filename>/var/log/messages</filename> e também na
+ saída do <command>dmesg</command>. Do
+ contrário, verifique seus cabos e
conectores.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -5490,21 +5490,21 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
</chapter>
<chapter id="commercial">
- <title>Aplica&ccedil;&otilde;es Comerciais</title>
+ <title>Aplicações Comerciais</title>
<note>
- <para>Esta se&ccedil;&atilde;o se encontra ainda muito
+ <para>Esta seção se encontra ainda muito
escassa, embora esperamos, naturalmente, que as empresas
- fa&ccedil;am adi&ccedil;&otilde;es a ela! :) Os
- desenvolvedores do FreeBSD n&atilde;o tem interesses
+ façam adições a ela! :) Os
+ desenvolvedores do FreeBSD não tem interesses
financeiros em nenhuma das empresas listadas aqui, mas apenas
- as listam como um servi&ccedil;o p&uacute;blico (e sente que o
+ as listam como um serviço público (e sente que o
interesse comercial no FreeBSD pode ter muitos efeitos
positivos na viabilidade do uso do sistema a longo prazo).
- N&oacute;s encorajamos que os vendedores de softwares
- comerciais mandem seus softwares para inclus&atilde;o.
+ Nós encorajamos que os vendedores de softwares
+ comerciais mandem seus softwares para inclusão.
Consulte <ulink url="../../../../commercial/index.html"> a
- p&aacute;gina de Fabricantes</ulink> para obter uma lista
+ página de Fabricantes</ulink> para obter uma lista
maior.</para>
</note>
@@ -5518,35 +5518,35 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
<itemizedlist>
<listitem>
<para><ulink url="http://www.freebsdmall.com/">A FreeBSD
- Mall</ulink> oferece uma vers&atilde;o nativa do
+ Mall</ulink> oferece uma versão nativa do
<ulink
url="http://www.vistasource.com/">VistaSource</ulink>
ApplixWare 5 para o FreeBSD.</para>
- <para>O ApplixWare &eacute; uma poderosa su&iacute;te
- comercial de aplica&ccedil;&otilde;es para
- escrit&oacute;rio no FreeBSD. Ela cont&eacute;m um
- processador de texto, planilha de c&aacute;lculos, um
- programa de apresenta&ccedil;&atilde;o e um pacote
+ <para>O ApplixWare é uma poderosa suíte
+ comercial de aplicações para
+ escritório no FreeBSD. Ela contém um
+ processador de texto, planilha de cálculos, um
+ programa de apresentação e um pacote
para desenho vetorial e outros aplicativos.</para>
- <para>O ApplixWare &eacute; vendido com parte integrante
- da edi&ccedil;&atilde;o de Desktops BSD da FreeBSD
+ <para>O ApplixWare é vendido com parte integrante
+ da edição de Desktops BSD da FreeBSD
Mall.</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>A vers&atilde;o para Linux do <ulink
+ <para>A versão para Linux do <ulink
url="http://www.sun.com/staroffice/">StarOffice</ulink>
funciona sem problemas no FreeBSD. A maneira mais
- f&aacute;cil de instalar a vers&atilde;o para Linux do
- StarOffice &eacute; pela <ulink
- url="../handbook/ports.html">Cole&ccedil;&atilde;o
+ fácil de instalar a versão para Linux do
+ StarOffice é pela <ulink
+ url="../handbook/ports.html">Coleção
de <literal>Ports</literal> do FreeBSD</ulink>.
- Vers&otilde;es futuras da su&iacute;te Open-Source de
- escrit&oacute;rio,<ulink
+ Versões futuras da suíte Open-Source de
+ escritório,<ulink
url="http://www.openoffice.org/">OpenOffice</ulink>
- dever&atilde;o funcionar tamb&eacute;m.</para>
+ deverão funcionar também.</para>
</listitem>
</itemizedlist>
</answer>
@@ -5558,38 +5558,38 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
</question>
<answer>
- <para>O Open Group lan&ccedil;ou o c&oacute;digo fonte do
+ <para>O Open Group lançou o código fonte do
Motif 2.1.30, que pode ser instalado como o pacote
- <literal>open-motif</literal>, ou ent&atilde;o ser
+ <literal>open-motif</literal>, ou então ser
compilado pelo <literal>Ports</literal>. Consulte a
- <ulink url="../handbook/ports.html"> se&ccedil;&atilde;o
+ <ulink url="../handbook/ports.html"> seção
sobre o <literal>Ports</literal> no
&a.ptbr.p.handbook;</ulink> para obter mais
- informa&ccedil;&otilde;es sobre o assunto.
+ informações sobre o assunto.
<note>
- <para>O Open Motif pode ser redistribu&iacute;do apenas
- se sua distribui&ccedil;&atilde;o estiver sendo usada
+ <para>O Open Motif pode ser redistribuído apenas
+ se sua distribuição estiver sendo usada
em sistemas operacionais <ulink
url="http://www.opensource.org/">open
source</ulink>.</para>
</note>
</para>
- <para>Em contrapartida, existem distribui&ccedil;&otilde;es
- comerciais do Motif dispon&iacute;veis. Tais
- distribui&ccedil;&otilde;es contudo n&atilde;o s&atilde;o
- gratuitas, mas suas licen&ccedil;as permitem que ele seja
- utilizando em softwares de c&oacute;digo fechado. Contate
+ <para>Em contrapartida, existem distribuições
+ comerciais do Motif disponíveis. Tais
+ distribuições contudo não são
+ gratuitas, mas suas licenças permitem que ele seja
+ utilizando em softwares de código fechado. Contate
a <link linkend="apps2go">Apps2go</link> para obter
- informa&ccedil;&otilde;es quanto a vers&atilde;o mais
+ informações quanto a versão mais
barata do ELF Motif 2.1.20 para FreeBSD (tanto para i386
quanto para Alpha).<anchor id="apps2go"/></para>
- <para>Existem duas distribui&ccedil;&otilde;es, a
+ <para>Existem duas distribuições, a
<quote>development edition</quote> e a <quote>runtime
edition</quote> (bem mais barata). Tais
- distribui&ccedil;&otilde;es incluem:</para>
+ distribuições incluem:</para>
<itemizedlist>
<listitem>
@@ -5602,31 +5602,31 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
</listitem>
<listitem>
- <para>Bibliotecas ELF est&aacute;ticas e din&acirc;micas
+ <para>Bibliotecas ELF estáticas e dinâmicas
(para serem usadas com FreeBSD 3.0 e
superiores).</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>Applets de demonstra&ccedil;&atilde;o.</para>
+ <para>Applets de demonstração.</para>
</listitem>
</itemizedlist>
- <para>Lembre-se de especificar que voc&ecirc; quer a
- vers&atilde;o para FreeBSD do Motif quando encomendado
- (n&atilde;o esque&ccedil;a de mencionar a arquitetura que
- voc&ecirc; quer tamb&eacute;m)! Vers&otilde;es para
- NetBSD e OpenBSD tamb&eacute;m s&atilde;o vendidas pela
+ <para>Lembre-se de especificar que você quer a
+ versão para FreeBSD do Motif quando encomendado
+ (não esqueça de mencionar a arquitetura que
+ você quer também)! Versões para
+ NetBSD e OpenBSD também são vendidas pela
<emphasis>Apps2go</emphasis>. Atualmente o produto
- &eacute; apenas dispon&iacute;vel para download via
+ é apenas disponível para download via
FTP.</para>
<variablelist>
<varlistentry>
- <term>Mais informa&ccedil;&otilde;es:</term>
+ <term>Mais informações:</term>
<listitem>
<para><ulink url="http://www.apps2go.com/">
- P&aacute;gina WWW da Apps2go</ulink></para>
+ Página WWW da Apps2go</ulink></para>
</listitem>
</varlistentry>
@@ -5650,11 +5650,11 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
</variablelist>
<para>Contate <link linkend="metrox">Metro Link</link> para
- obter informa&ccedil;&otilde;es quanto a vers&atilde;o ELF
- ou a vers&atilde;o a.out do Motif 2.1 para o
+ obter informações quanto a versão ELF
+ ou a versão a.out do Motif 2.1 para o
FreeBSD.</para>
- <para>Tal distribui&ccedil;&atilde;o inclui:</para>
+ <para>Tal distribuição inclui:</para>
<itemizedlist>
<listitem>
@@ -5667,35 +5667,35 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
</listitem>
<listitem>
- <para>Bibliotecas est&aacute;ticas e din&acirc;micas
- (n&atilde;o se esque&ccedil;a de especificar que
- voc&ecirc; quer o formato ELF, caso queira usar com o
+ <para>Bibliotecas estáticas e dinâmicas
+ (não se esqueça de especificar que
+ você quer o formato ELF, caso queira usar com o
FreeBSD 3.0 e posteriores; ou o formato a.out para
usar com FreeBSD 2.2.8 e anteriores).</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>Applets de Demonstra&ccedil;&atilde;o.</para>
+ <para>Applets de Demonstração.</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>P&aacute;ginas de manual previamente
+ <para>Páginas de manual previamente
formatadas.</para>
</listitem>
</itemizedlist>
- <para>Certifique-se de especificar que voc&ecirc; quer a
- vers&atilde;o para FreeBSD do Motif quando
- encomend&aacute;-lo! Vers&otilde;es para Linux
- tamb&eacute;m s&atilde;o vendidas pela <emphasis>Metro
- Link</emphasis>. O produto est&aacute;
- dispon&iacute;vel em CDROM ou download via FTP.</para>
+ <para>Certifique-se de especificar que você quer a
+ versão para FreeBSD do Motif quando
+ encomendá-lo! Versões para Linux
+ também são vendidas pela <emphasis>Metro
+ Link</emphasis>. O produto está
+ disponível em CDROM ou download via FTP.</para>
<para>Contate a <link linkend="xig">Xi Graphics</link> para
- obter informa&ccedil;&otilde;es quanto a vers&atilde;o
+ obter informações quanto a versão
a.out do Motif 2.0 para o FreeBSD.</para>
- <para>A distribui&ccedil;&atilde;o inclui:</para>
+ <para>A distribuição inclui:</para>
<itemizedlist>
<listitem>
@@ -5708,27 +5708,27 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
</listitem>
<listitem>
- <para>Bibliotecas est&aacute;ticas e din&acirc;micas
+ <para>Bibliotecas estáticas e dinâmicas
(para o FreeBSD 2.2.8 e anteriores).</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>Applets de Demonstra&ccedil;&atilde;o.</para>
+ <para>Applets de Demonstração.</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>P&aacute;ginas de manual previamente
+ <para>Páginas de manual previamente
formatadas.</para>
</listitem>
</itemizedlist>
- <para>certifique-se de especificar que voc&ecirc; quer a
- vers&atilde;o para FreeBSD do Motif quando
- encomend&aacute;-lo! Vers&otilde;es para BSDI e para
- Linux tamb&eacute;m s&atilde;o vendidas pela <emphasis>Xi
+ <para>certifique-se de especificar que você quer a
+ versão para FreeBSD do Motif quando
+ encomendá-lo! Versões para BSDI e para
+ Linux também são vendidas pela <emphasis>Xi
Graphics</emphasis>. Atualmente o produto se trata de
um conjunto de 4 disquetes... futuramente se
- tornar&aacute; uma distribui&ccedil;&atilde;o &uacute;nica
+ tornará uma distribuição única
em CD, como o CDE da mesma empresa.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -5740,15 +5740,15 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
<answer>
<para><link linkend="xig">A Xi Graphics</link> costumava
- vender o CDE para o FreeBSD, mas n&atilde;o o faz
+ vender o CDE para o FreeBSD, mas não o faz
mais.</para>
<para><ulink url="http://www.kde.org/">O KDE</ulink>
- &eacute; um Desktop de c&oacute;digo fonte aberto para X11
- similar ao CDE em muitos aspectos. Talvez voc&ecirc;
- tamb&eacute;m aprecie o visual e as caracter&iacute;sticas
+ é um Desktop de código fonte aberto para X11
+ similar ao CDE em muitos aspectos. Talvez você
+ também aprecie o visual e as características
do <ulink url="http://www.xfce.org/">xfce</ulink>. KDE e
- xfce est&atilde;o ambos dispon&iacute;veis no <ulink
+ xfce estão ambos disponíveis no <ulink
url="../../../../ports/index.html">sistema de
<literal>ports</literal> do FreeBSD</ulink>.</para>
</answer>
@@ -5767,28 +5767,28 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
vendem produtos da Accelerated-X para o FreeBSD e para
outros sistemas baseados em Intel.</para>
- <para>O que a Metro Link oferece &eacute; um servidor X de
+ <para>O que a Metro Link oferece é um servidor X de
alta-performance que possui um esquema de
- configura&ccedil;&atilde;o extremamente f&aacute;cil,
- fazendo uso da su&iacute;te de ferramentas de
+ configuração extremamente fácil,
+ fazendo uso da suíte de ferramentas de
gerenciamento de pacotes do FreeBSD, com suporte a
- m&uacute;ltiplas placas de v&iacute;deo simult&acirc;neas
- e &eacute; distribu&iacute;do apenas em forma
- bin&aacute;ria, por meio conveniente de um download via
+ múltiplas placas de vídeo simultâneas
+ e é distribuído apenas em forma
+ binária, por meio conveniente de um download via
FTP. Sem esquecer que, o produto oferecido pela Metro
- Link est&aacute; dispon&iacute;vel a um pre&ccedil;o muito
- razo&aacute;vel, $39 d&oacute;lares.<anchor
+ Link está disponível a um preço muito
+ razoável, $39 dólares.<anchor
id="metrox"/></para>
- <para>A Metro Link vende tamb&eacute;m o Motif e formato ELF
+ <para>A Metro Link vende também o Motif e formato ELF
e a.out para o FreeBSD (veja pergunta anterior).</para>
<variablelist>
<varlistentry>
- <term>informa&ccedil;&otilde;es:</term>
+ <term>informações:</term>
<listitem>
<para><ulink url="http://www.metrolink.com/">
- P&aacute;gina WWW da Metro Link</ulink></para>
+ Página WWW da Metro Link</ulink></para>
</listitem>
</varlistentry>
@@ -5810,30 +5810,30 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
</varlistentry>
</variablelist>
- <para>O produto oferecido pela Xi Graphics &eacute; um
+ <para>O produto oferecido pela Xi Graphics é um
servidor X de alta performance, que oferece uma interface
- f&aacute;cil de configura&ccedil;&atilde;o e com suporte a
- m&uacute;ltiplas placas de v&iacute;deo simult&acirc;neas,
- e &eacute; distribu&iacute;do apenas de forma
- bin&aacute;ria em uma distribui&ccedil;&atilde;o
- &uacute;nica para FreeBSD e Linux. A Xi Graphics oferece
+ fácil de configuração e com suporte a
+ múltiplas placas de vídeo simultâneas,
+ e é distribuído apenas de forma
+ binária em uma distribuição
+ única para FreeBSD e Linux. A Xi Graphics oferece
ainda um servidor X de alta performance com suporte
desenvolvido especificamente para laptops.<anchor
id="xig"/></para>
- <para>Existe uma vers&atilde;o
- de<quote>demonstra&ccedil;&atilde;o de
- compatibilidade</quote> dispon&iacute;vel na
- vers&atilde;o 5.0 do servidor gr&aacute;fico.</para>
+ <para>Existe uma versão
+ de<quote>demonstração de
+ compatibilidade</quote> disponível na
+ versão 5.0 do servidor gráfico.</para>
<para>A Xi Graphics vende ainda o Motif e o CDE para o
FreeBSD (veja acima).</para>
<variablelist>
<varlistentry>
- <term>Mais informa&ccedil;&otilde;es:</term>
+ <term>Mais informações:</term>
<listitem>
- <para><ulink url="http://www.xig.com/"> P&aacute;gina
+ <para><ulink url="http://www.xig.com/"> Página
WWW da Xi Graphics</ulink></para>
</listitem>
</varlistentry>
@@ -5865,15 +5865,15 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
</question>
<answer>
- <para>Sim! Veja a se&ccedil;&atilde;o de <ulink
+ <para>Sim! Veja a seção de <ulink
url="../../../../commercial/software_bycat.html#CATEGORY_DATABASE">
Fabricantes Comerciais</ulink> do Web site do
FreeBSD.</para>
- <para>D&ecirc; uma olhada tamb&eacute;m na
- se&ccedil;&atilde;o de <ulink
+ <para>Dê uma olhada também na
+ seção de <ulink
url="../../../../ports/databases.html">
- Databases</ulink> da Cole&ccedil;&atilde;o de
+ Databases</ulink> da Coleção de
<literal>Ports</literal> do FreeBSD.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -5884,7 +5884,7 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
</question>
<answer>
- <para>Pode. As p&aacute;ginas a seguir descrevem exatamente
+ <para>Pode. As páginas a seguir descrevem exatamente
como configurar o Oracle para Linux no FreeBSD:</para>
<itemizedlist>
@@ -5906,66 +5906,66 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
</chapter>
<chapter id="applications">
- <title>Aplica&ccedil;&otilde;es de Usu&aacute;rio</title>
+ <title>Aplicações de Usuário</title>
<qandaset>
<qandaentry>
<question id="user-apps">
- <para>Ent&atilde;o, onde est&atilde;o todas as
- aplica&ccedil;&otilde;es de usu&aacute;rios?</para>
+ <para>Então, onde estão todas as
+ aplicações de usuários?</para>
</question>
<answer>
- <para>Por gentileza, d&ecirc; uma olhada <ulink
- url="../../../../ports/index.html">na p&aacute;gina do
+ <para>Por gentileza, dê uma olhada <ulink
+ url="../../../../ports/index.html">na página do
<literal>Ports</literal></ulink> para
- informa&ccedil;&otilde;es sobre pacotes de programas
- dispon&iacute;veis na Cole&ccedil;&atilde;o de
+ informações sobre pacotes de programas
+ disponíveis na Coleção de
<literal>Ports</literal> do FreeBSD. A lista atualmente
- ultrapassa &os.numports; aplica&ccedil;&otilde;es e
- est&aacute; crescendo diariamente, ent&atilde;o retorne
- &agrave; p&aacute;gina e verifique freq&uuml;entemente as
- aplica&ccedil;&otilde;es, ou ent&atilde; inscreva-se na
- lista de discuss&atilde;o
+ ultrapassa &os.numports; aplicações e
+ está crescendo diariamente, então retorne
+ à página e verifique freq&uuml;entemente as
+ aplicações, ou entã inscreva-se na
+ lista de discussão
<literal>freebsd-announce</literal> <link
linkend="mailing">mailing list</link> para
- atualiza&ccedil;&otilde;es peri&oacute;dicas ou novas
- adi&ccedil;&otilde;es.</para>
+ atualizações periódicas ou novas
+ adições.</para>
<para>A maioria dos <literal>ports</literal> devem estar
- dispon&iacute;veis para as vers&otilde;es 2.2, 3.x e 4.x,
- e muitos deles devem funcionar tamb&eacute;m em sistemas
- 2.1.x. Cada vez que um lan&ccedil;amento do FreeBSD
- &eacute; produzido, um
- <foreignphrase>snapshot</foreignphrase> da &aacute;rvore
+ disponíveis para as versões 2.2, 3.x e 4.x,
+ e muitos deles devem funcionar também em sistemas
+ 2.1.x. Cada vez que um lançamento do FreeBSD
+ é produzido, um
+ <foreignphrase>snapshot</foreignphrase> da árvore
do <literal>ports</literal> do momento da
- lan&ccedil;amento tamb&eacute;m &eacute; inclu&iacute;da
- no diret&oacute;rio <filename>ports/</filename>.</para>
+ lançamento também é incluída
+ no diretório <filename>ports/</filename>.</para>
- <para>O FreeBSD tamb&eacute;m suporta o conceito de
+ <para>O FreeBSD também suporta o conceito de
<quote>pacote</quote>, que essencialmente nada mais
- &eacute; do que uma distribui&ccedil;&atilde;o
- bin&aacute;ria compactada com o gzip e com um pouco de
- intelig&ecirc;ncia extra embutido nesse pacote, para fazer
- o trabalho que &eacute; requerido para uma
- instala&ccedil;&atilde;o customizada. Um pacote pode ser
+ é do que uma distribuição
+ binária compactada com o gzip e com um pouco de
+ inteligência extra embutido nesse pacote, para fazer
+ o trabalho que é requerido para uma
+ instalação customizada. Um pacote pode ser
instalado e desinstalado repetidas vezes de forma
- f&aacute;cil, sem ter que se conhecer os detalhes
+ fácil, sem ter que se conhecer os detalhes
horrendos dos arquivos que ele inclui.</para>
- <para>Use o menu de instala&ccedil;&atilde;o de pacotes em
+ <para>Use o menu de instalação de pacotes em
<filename>/stand/sysinstall</filename> (sobre a
- op&ccedil;&atilde;o do pos-configuration menu) ou invoque
+ opção do pos-configuration menu) ou invoque
o comando &man.pkg.add.1; nos arquivos de pacotes
- espec&iacute;ficos que voc;&ecirc; quer instalar. Os
+ específicos que voc;ê quer instalar. Os
pacotes podem ser identificados normalmente pelo sufixo
<filename>.tgz</filename> e o pessoal da
- distribui&ccedil;&atilde;o em CDROM tem um
- diret&oacute;rio <filename>/packages/All </filename> no cd
- que cont&eacute; esses arquivos. Eles podem tamb&eacute;m
- ser baixados pela rede para v&aacute;rias vers&otilde;es
- do FreeBSD nos seguintes endere&ccedil;os: do (sobre a
- op&ccedil;&atilde;o PostConfiguration do menu) ou invoque
+ distribuição em CDROM tem um
+ diretório <filename>/packages/All </filename> no cd
+ que conté esses arquivos. Eles podem também
+ ser baixados pela rede para várias versões
+ do FreeBSD nos seguintes endereços: do (sobre a
+ opção PostConfiguration do menu) ou invoque
o comando &man.pkg.add.1;</para>
<variablelist>
@@ -6007,17 +6007,17 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
</varlistentry>
</variablelist>
- <para>ou em um s&iacute;tio espelho mais perto de
- voc&ecirc;.</para>
+ <para>ou em um sítio espelho mais perto de
+ você.</para>
<para>Note que nem todos os <literal>Ports</literal> podem
- estar dispon&iacute;veis em formato de pacotes, visto que
- a atualiza&ccedil;&atilde;o da Cole&ccedil;&atilde;o de
- <literal>Ports</literal> do FreeBSD &eacute; muito
- freq&uuml;ente, e novos programas s&atilde;o
- constantemente adicionados, e outros s&atilde;o
- atualizados. &Eacute; sempre bom verificar periodicamente
- quais pacotes est&atilde;o dispon&iacute;veis no servidor
+ estar disponíveis em formato de pacotes, visto que
+ a atualização da Coleção de
+ <literal>Ports</literal> do FreeBSD é muito
+ freq&uuml;ente, e novos programas são
+ constantemente adicionados, e outros são
+ atualizados. É sempre bom verificar periodicamente
+ quais pacotes estão disponíveis no servidor
FTP mestre do projeto FreeBSD, o <ulink
url="ftp://ftp.FreeBSD.org/pub/FreeBSD/">ftp.FreeBSD.org.</ulink>
</para>
@@ -6030,10 +6030,10 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
</question>
<answer>
- <para>Voc&ecirc; est&aacute; tentando usar um pacote
- constru&iacute;do para o FreeBSD 2.2 ou para
- vers&otilde;es posteriores, em um sistema 2.1.X. Por
- gentileza, d&ecirc; uma olhada na se&ccedil;&atilde;o
+ <para>Você está tentando usar um pacote
+ construído para o FreeBSD 2.2 ou para
+ versões posteriores, em um sistema 2.1.X. Por
+ gentileza, dê uma olhada na seção
anterior e pegue o <literal>port</literal>/pacote correto
para o seu sistema.</para>
</answer>
@@ -6047,10 +6047,10 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
</question>
<answer>
- <para>Acidentalmente voc&ecirc; pegou um pacote
- constru&iacute;do para FreeBSD 4.X ou para o 5.X e
- est&aacute; tentando instala-lo no seu FreeBSD 2.X ou 3.X.
- Por favor, pegue a vers&atilde;o correta dos
+ <para>Acidentalmente você pegou um pacote
+ construído para FreeBSD 4.X ou para o 5.X e
+ está tentando instala-lo no seu FreeBSD 2.X ou 3.X.
+ Por favor, pegue a versão correta dos
pacotes.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -6062,21 +6062,21 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
</question>
<answer>
- <para>Deixe-me adivinhar. Voc&ecirc; n&atilde;o tem um
- co-processador matem&aacute;tico, certo? Ser&aacute;
- necess&aacute;rio adicionar um co-processador
- matem&aacute;tico alternativo ao seu
- <foreignphrase>kernel</foreignphrase>; voc&ecirc; pode
+ <para>Deixe-me adivinhar. Você não tem um
+ co-processador matemático, certo? Será
+ necessário adicionar um co-processador
+ matemático alternativo ao seu
+ <foreignphrase>kernel</foreignphrase>; você pode
fazer isso adicionando a seguinte linha no arquivo de
- configura&ccedil;&atilde;o do seu
+ configuração do seu
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>, e depois
- recompil&aacute;-lo:</para>
+ recompilá-lo:</para>
<programlisting>options GPL_MATH_EMULATE</programlisting>
<note>
- <para>Quando voc&ecirc fizer isto, ser&aacute;
- necess&aacute;rio remover a op&ccedil;&atilde;o
+ <para>Quando voc&ecirc fizer isto, será
+ necessário remover a opção
<literal>MATH_EMULATE</literal></para>
</note>
</answer>
@@ -6084,28 +6084,28 @@ kern.timecounter.hardware: TSC -&gt; i8254</screen>
<qandaentry>
<question id="sco-socksys">
- <para>Por que aplica&ccedil;&otilde;es do SCO/iBCS2
+ <para>Por que aplicações do SCO/iBCS2
bombardeiam o ``socksys''? (FreeBSD 3.0 e anteriores,
apenas).</para>
</question>
<answer>
- <para>Primeiro, &eacute; necess&aacute;rio editar o arquivo
+ <para>Primeiro, é necessário editar o arquivo
<filename>/etc/sysconfig</filename> (ou
<filename>/etc/rc.conf</filename>, veja o &man.rc.conf.5;)
- e modificar a &uacute;ltima se&ccedil;&atilde;o, alterando
+ e modificar a última seção, alterando
para <literal>YES</literal> a seguinte
- vari&aacute;vel:</para>
+ variável:</para>
<programlisting># Set to YES if you want ibcs2 (SCO) emulation loaded at startup
ibcs2=NO</programlisting>
- <para>Essa altera&ccedil;&atilde;o far&aacute; o sistema
- carregar os m&oacute;dulos de
+ <para>Essa alteração fará o sistema
+ carregar os módulos de
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> do ibcs2 na
- inicializa&ccedil;&atilde;o.</para>
+ inicialização.</para>
- <para>Depois, ser&aacute; necess&aacute;rio alterar o
+ <para>Depois, será necessário alterar o
/compat/ibcs2/dev para parecer com:</para>
<screen>lrwxr-xr-x 1 root wheel 9 Oct 15 22:20 X0R@ -&gt; /dev/null
@@ -6114,25 +6114,25 @@ lrwxr-xr-x 1 root wheel 7 Oct 15 22:20 nfsd@ -&gt; socksys
lrwxr-xr-x 1 root wheel 9 Oct 15 22:20 socksys@ -&gt; /dev/null
crw-rw-rw- 1 root wheel 41, 1 Oct 15 22:14 spx</screen>
- <para>&Eacute; necess&aacute;rio que o socksys aponte para
+ <para>É necessário que o socksys aponte para
<devicename>/dev/null</devicename> (veja &man.null.4;) para
fingir o processo de abertura e fechamento do device. O
- c&oacute;digo mais recente (<literal>-CURRENT</literal>)
- se encarregar&aacute; dos outros detalhes. Essa maneira
- de trabalhar o socksys &eacute; bem mais limpa do que a
- forma que era usada anteriormente. Se voc&ecirc; quer que
+ código mais recente (<literal>-CURRENT</literal>)
+ se encarregará dos outros detalhes. Essa maneira
+ de trabalhar o socksys é bem mais limpa do que a
+ forma que era usada anteriormente. Se você quer que
o driver <devicename>spx</devicename> fique
- dispon&iacute;vel para um socket X local, defina a
- op&ccedil;&atilde;o <literal>SPX_HACK</literal> no
+ disponível para um socket X local, defina a
+ opção <literal>SPX_HACK</literal> no
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> do FreeBSD quando
- voc&ecirc; o recompilar.</para>
+ você o recompilar.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="configure-inn">
<para> Como eu configuro um sistema de INN (Internet News)
- na minha esta&ccedil;&atilde;o?
+ na minha estação?
</para>
</question>
@@ -6140,9 +6140,9 @@ crw-rw-rw- 1 root wheel 41, 1 Oct 15 22:14 spx</screen>
<para>Depois de instalar o pacote <filename
role="package">news/inn</filename> ou o
<literal>port</literal>, um excelente lugar para iniciar
- &eacute; <ulink
+ é <ulink
url="http://www.cis.ohio-state.edu/~barr/INN.html">Dave
- Barr's INN Page</ulink> onde vo&ccedil;e
+ Barr's INN Page</ulink> onde voçe
encontrar&aacute o <literal>FAQ</literal> do INN.
</para>
</answer>
@@ -6150,15 +6150,15 @@ crw-rw-rw- 1 root wheel 41, 1 Oct 15 22:14 spx</screen>
<qandaentry>
<question id="ms-frontpage">
- <para>Qual vers&atilde;o do Microsoft FrontPage eu devo
+ <para>Qual versão do Microsoft FrontPage eu devo
usar?</para>
</question>
<answer>
<para>Use os <literal>Ports</literal>, Luke! Uma
- vers&atilde;o previamente corrigida do Apache,<filename
- role="package">apache13-fp</filename>, est&aacute;
- dispon&iacute;vel na &aacute;rvore do
+ versão previamente corrigida do Apache,<filename
+ role="package">apache13-fp</filename>, está
+ disponível na árvore do
<literal>Ports</literal>.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -6169,7 +6169,7 @@ crw-rw-rw- 1 root wheel 41, 1 Oct 15 22:14 spx</screen>
</question>
<answer>
- <para>Veja a p&aacute;gina <ulink
+ <para>Veja a página <ulink
url="../../../../java/index.html">
http://www.FreeBSD.org/java/</ulink>.</para>
</answer>
@@ -6177,25 +6177,25 @@ crw-rw-rw- 1 root wheel 41, 1 Oct 15 22:14 spx</screen>
<qandaentry>
<question id="ports-3x">
- <para>Por que eu n&atilde;o consigo compilar determinado
- <literal>port</literal> na minha esta&ccedil;&atilde;o
+ <para>Por que eu não consigo compilar determinado
+ <literal>port</literal> na minha estação
3.X-STABLE?</para>
</question>
<answer>
- <para>Caso esteja usando uma vers&atilde;o do FreeBSD
+ <para>Caso esteja usando uma versão do FreeBSD
significativamente mais velha do que o -CURRENT ou o
- -STABLE, ser&aacute; necess&aacute;rio usar o kit de
- atualiza&ccedil;&atilde;o dos <literal>Ports</literal>,
- dispon&iacute;vel em <ulink
+ -STABLE, será necessário usar o kit de
+ atualização dos <literal>Ports</literal>,
+ disponível em <ulink
url="../../../../ports/index.html">http://www.FreeBSD.org/ports/</ulink>.
- Caso esteja atualizado mas ainda assim voc&ecirc; tem
- dificuldades, &eacute; prov&aacute;vel que algu&eacute;m
- disponibilizou uma vers&atilde;o do programa que funciona
- perfeitamente no -CURRENT mas que n&atilde;o compila
+ Caso esteja atualizado mas ainda assim você tem
+ dificuldades, é provável que alguém
+ disponibilizou uma versão do programa que funciona
+ perfeitamente no -CURRENT mas que não compila
corretamente no -STABLE. Por gentileza, envie um
- Relat&oacute;rio de Problemas com o comando &man.send-pr.1;
- porque a cole&ccedil;&atilde;o de <literal>Ports</literal>
+ Relatório de Problemas com o comando &man.send-pr.1;
+ porque a coleção de <literal>Ports</literal>
deve funcionar tanto no -STABLE quanto no -CURRENT.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -6206,18 +6206,18 @@ crw-rw-rw- 1 root wheel 41, 1 Oct 15 22:14 spx</screen>
</question>
<answer>
- <para>Algumas aplica&ccedil;&otilde;es cujo formato
- bin&aacute;rio &eacute; o a.out, como o Netscape
+ <para>Algumas aplicações cujo formato
+ binário é o a.out, como o Netscape
Navigator, necessitam das bibliotecas a.out. Uma
- vers&atilde;o do FreeBSD nativamente constru&iacute;do com
- bibliotecas ELF n&atilde;o instala as bibliotecas a.out
- por padr&atilde;o. Voc&ecirc; ter&aacute; problemas por
- n&atilde;o ter o <filename>/usr/libexec/ld.so</filename>,
+ versão do FreeBSD nativamente construído com
+ bibliotecas ELF não instala as bibliotecas a.out
+ por padrão. Você terá problemas por
+ não ter o <filename>/usr/libexec/ld.so</filename>,
se esse for o caso do seu sistema. Estas bibliotecas
- est&atilde;o dispon&iacute;veis embutidas na
- distribui&ccedil;&atilde;o compat22. Utilize o
- &man.sysinstall.8; para instal&aacute;-los. Pode-se
- instal&aacute;-lo apartir do c&oacute;digo fonte do
+ estão disponíveis embutidas na
+ distribuição compat22. Utilize o
+ &man.sysinstall.8; para instalá-los. Pode-se
+ instalá-lo apartir do código fonte do
FreeBSD:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>cd /usr/src/lib/compat/compat22</userinput>
@@ -6228,10 +6228,10 @@ crw-rw-rw- 1 root wheel 41, 1 Oct 15 22:14 spx</screen>
world</command>, edite
<filename>/etc/make.conf</filename> para incluir
<varname>COMPAT22=YES</varname>. Bibliotecas de
- compatibilidade antigas raramente sofrem mudan&ccedil;as ,
- as vezes nunca, ent&atilde;o geralmente n&atilde;o
- &eacute; necess&aacute;rio.</para>
- <para> Tamb&eacute;m veja as p&aacute;ginas de ERRATAS para
+ compatibilidade antigas raramente sofrem mudanças ,
+ as vezes nunca, então geralmente não
+ é necessário.</para>
+ <para> Também veja as páginas de ERRATAS para
o 3.1-RELEASE e 3.2-RELEASE.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -6243,58 +6243,58 @@ crw-rw-rw- 1 root wheel 41, 1 Oct 15 22:14 spx</screen>
</question>
<answer>
- <para>FreeBSD n&atilde;o inclui uma ferramenta de
- atualiza&ccedil;&atilde;o do <literal>ports</literal>, mas
+ <para>FreeBSD não inclui uma ferramenta de
+ atualização do <literal>ports</literal>, mas
existem algumas ferramentas que tornam o processo de
- atualiza&ccedil;&atilde;o dos <literal>Ports</literal> uma
- tarefa, digamos, f&aacute;cil. &Eacute; poss&iacute;vel
+ atualização dos <literal>Ports</literal> uma
+ tarefa, digamos, fácil. É possível
ainda instalar algumas ferramentas adicionais que
facilitam o gerenciamento dos <literal>Ports</literal>
instalados</para>
<para>O comando &man.pkg.version.1; pode gerar um script que
- atualizar&aacute; os <literal>ports</literal> instalados
- para as &uacute;ltimas vers&otilde;es da &aacute;rvore de
+ atualizará os <literal>ports</literal> instalados
+ para as últimas versões da árvore de
<literal>Ports</literal>.</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>pkg_version <option>-c</option> > <replaceable>/tmp/myscript</replaceable></userinput></screen>
- <para>O script de sa&iacute;da <emphasis>deve</emphasis> ser
- editado manualmente antes de ser usado. As vers&otilde;es
- mais recentes do &man.pkg.version.1; for&ccedil;am a
- edi&ccedil;&atilde;o do arquivo, colocando um &man.exit.1;
- no come&ccedil;o do script.</para>
-
- <para>A sa&iacute;da do script deve ser salva pois ela gera
- informa&ccedil;&otilde;es sobre os pacotes que s&atilde;o
- depend&ecirc;ncias dos que est&atilde;o sendo atualizados.
- Tais depend&ecirc;ncias podem precisar ser atualizadas ou
- n&atilde;o, dependendo de cada uma delas. Os casos comuns
- onde as depend&ecirc;ncias precisam ser atualizadas
- &eacute; quando a vers&atilde;o das bibliotecas
+ <para>O script de saída <emphasis>deve</emphasis> ser
+ editado manualmente antes de ser usado. As versões
+ mais recentes do &man.pkg.version.1; forçam a
+ edição do arquivo, colocando um &man.exit.1;
+ no começo do script.</para>
+
+ <para>A saída do script deve ser salva pois ela gera
+ informações sobre os pacotes que são
+ dependências dos que estão sendo atualizados.
+ Tais dependências podem precisar ser atualizadas ou
+ não, dependendo de cada uma delas. Os casos comuns
+ onde as dependências precisam ser atualizadas
+ é quando a versão das bibliotecas
compartilhadas foram alteradas, portanto o
<literal>port</literal> que usava aquela biblioteca
- precisa ser atualizado para que a nova vers&atilde;o seja
+ precisa ser atualizado para que a nova versão seja
usada.</para>
- <para>Caso tenha espa&ccedil;o o bastante em disco , pode
+ <para>Caso tenha espaço o bastante em disco , pode
ser interessante usar a ferramenta
<command>portupgrade</command> para automatizar o processo
- de atualiza&ccedil;&atilde;o das aplica&ccedil;&otilde;es
+ de atualização das aplicações
instalados por meio de <literal>ports</literal> ou
pacotes. Posto que ele foi programado em Ruby, o
- <command>portupgrade</command> &eacute; um candidato
- improv&aacute;vel &agrave; se tornar parte da
- &aacute;rvore principal do FreeBSD. Mas isso n&atilde;o
+ <command>portupgrade</command> é um candidato
+ improvável à se tornar parte da
+ árvore principal do FreeBSD. Mas isso não
evita que qualquer pessoa use o programa. Alias, ele
- &eacute; uma &oacute;tima ferramenta. Ele est&aacute;
- dispon&iacute;vel em <filename
+ é uma ótima ferramenta. Ele está
+ disponível em <filename
role="package">sysutils/portupgrade</filename>.</para>
- <para>Se a esta&ccedil;&atilde;o fica constantemente
- conectada, &eacute; interessante usar o sistema
- &man.periodic.8; para gerar um relat&oacute;rio semanal
- sobre as vers&otilde;es do <literal>Ports</literal> que
+ <para>Se a estação fica constantemente
+ conectada, é interessante usar o sistema
+ &man.periodic.8; para gerar um relatório semanal
+ sobre as versões do <literal>Ports</literal> que
podem ser atualizadas. Pra configurar o sistema para
isso, insira a linha
<literal>weekly_status_pkg_enable="YES"</literal> no
@@ -6304,58 +6304,58 @@ crw-rw-rw- 1 root wheel 41, 1 Oct 15 22:14 spx</screen>
<qandaentry>
<question id="minimal-sh">
- <para>Por que o <command>/bin/sh</command> &eacute;
- t&atilde;o pequeno? Por que o FreeBSD n&atilde;o usa o
+ <para>Por que o <command>/bin/sh</command> é
+ tão pequeno? Por que o FreeBSD não usa o
<command>bash</command> ou outro interpretador de comandos
(<foreignphrase>shell</foreignphrase>)?</para>
</question>
<answer>
- <para>Porque o POSIX diz que &eacute; assim que deve ser um
+ <para>Porque o POSIX diz que é assim que deve ser um
interpretador de comandos
(<foreignphrase>shell</foreignphrase>)?</para>
<para>A reposta mais complicada: muitas pessoas precisam
escrever scripts <foreignphrase>shell</foreignphrase> que
- sejam port&aacute;veis atrav&eacute;s de muitos sistemas.
- &Eacute; por isso que o POSIX especifica o interpretador
+ sejam portáveis através de muitos sistemas.
+ É por isso que o POSIX especifica o interpretador
de comandos (<foreignphrase>shell</foreignphrase>) e
- comandos utilit&aacute;rios com tanto detalhe. A maioria
- dos scripts s&atilde;o escritos para o interpretador de
+ comandos utilitários com tanto detalhe. A maioria
+ dos scripts são escritos para o interpretador de
comandos Bourne (Bourne
- <foreignphrase>shell</foreignphrase>), e v&aacute;rias
- interfaces importantes de programa&ccedil;&atilde;o
+ <foreignphrase>shell</foreignphrase>), e várias
+ interfaces importantes de programação
(&man.make.1;, &man.system.3;, &man.popen.3; e
- an&aacute;logos em linguagens de alto-n&iacute;vel como
+ análogos em linguagens de alto-nível como
Perl e Tcl) o usam como interpretador de comandos
- (<foreignphrase>shell</foreignphrase>) padr&atilde;o. Por
- ser t&atilde;o amplamente utilizado &eacute; importante
+ (<foreignphrase>shell</foreignphrase>) padrão. Por
+ ser tão amplamente utilizado é importante
que o interpretador de comandos
(<foreignphrase>shell</foreignphrase>) Bourne seja
- r&aacute;pido para carregar, seja determin&iacute;stico em
+ rápido para carregar, seja determinístico em
seu comportamento, e que tenha uma pequena
- aloca&ccedil;&atilde;o de mem&oacute;ria.
+ alocação de memória.
</para>
- <para>A implementa&ccedil;&atilde;o atual &eacute; o nosso
- melhor esfor&ccedil;o para encontrar a maior parte destes
+ <para>A implementação atual é o nosso
+ melhor esforço para encontrar a maior parte destes
requerimentos simultaneamente. Como forma de manter o
<command>/bin/sh</command> do menor tamanho
- poss&iacute;vel, n&atilde;o inclu&iacute;mos muitas das
- caracter&iacute;sticas convenientes que outros
+ possível, não incluímos muitas das
+ características convenientes que outros
interpretadores de comando
- (<foreignphrase>shell</foreignphrase>) possuem. &Eacute;
- por isso que a Cole&ccedil;&atilde;o de
+ (<foreignphrase>shell</foreignphrase>) possuem. É
+ por isso que a Coleção de
<literal>Ports</literal> disponibiliza outros
interpretadores de comandos
(<foreignphrase>shell</foreignphrase>) com
- caracter&iacute;sticas mais abrangentes, como o bash, o
- csh, o tcsh, e o zsh. (Voc&ecirc; pode comparar a
- utiliza&ccedil;&atilde;o de mem&oacute;ria entre todos
+ características mais abrangentes, como o bash, o
+ csh, o tcsh, e o zsh. (Você pode comparar a
+ utilização de memória entre todos
esses interpretadores de comandos
(<foreignphrase>shell</foreignphrase>), analisando as
colunas <quote>VSZ</quote> e <quote>RSS</quote> na
- sa&iacute;da do comando <command>ps -u</command>.)</para>
+ saída do comando <command>ps -u</command>.)</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -6366,50 +6366,50 @@ crw-rw-rw- 1 root wheel 41, 1 Oct 15 22:14 spx</screen>
</question>
<answer>
- <para>A resposta tradicional &eacute; que o DNS no seu
- computador est&aacute; mal configurado. O Netscape e o
- Opera fazem verifica&ccedil;&atilde;o de DNS ao iniciar, e
- por isso n&atilde;o se tornar&atilde;o dispon&iacute;veis
- at&eacute; que obtenham uma resposta do servidor DNS ou
- at&eacute; que eles determinem que a esta&ccedil;&atilde;o
- n&atilde;o est&aacute; conectada na rede.</para>
+ <para>A resposta tradicional é que o DNS no seu
+ computador está mal configurado. O Netscape e o
+ Opera fazem verificação de DNS ao iniciar, e
+ por isso não se tornarão disponíveis
+ até que obtenham uma resposta do servidor DNS ou
+ até que eles determinem que a estação
+ não está conectada na rede.</para>
</answer>
</qandaentry>
</qandaset>
</chapter>
<chapter id="kernelconfig">
- <title>Configura&ccedil;&atilde;ao do
+ <title>Configuraçãao do
<foreignphrase>Kernel</foreignphrase></title>
<qandaset>
<qandaentry>
<question id="make-kernel">
<para>Eu gostaria de configurar meu
- <foreignphrase>kernel</foreignphrase>. &Eacute;
- dif&iacute;cil?</para>
+ <foreignphrase>kernel</foreignphrase>. É
+ difícil?</para>
</question>
<answer>
<para>De modo algum! Veja a <ulink
- url="../handbook/kernelconfig.html">se&ccedil;&atilde;o
+ url="../handbook/kernelconfig.html">seção
"kernel config" do &a.ptbr.p.handbook;</ulink>.</para>
<note>
- <para>Recomenda-se que voc&ecirc; fa&ccedil;a uma
- c&oacute;pia datada do seu <filename>kernel</filename>
+ <para>Recomenda-se que você faça uma
+ cópia datada do seu <filename>kernel</filename>
na forma <filename>/kernel.AAMMDD</filename> e o
- diret&oacute;rio <filename>/modules</filename> para
+ diretório <filename>/modules</filename> para
<filename>/modules.AAMMDD</filename> depois que estiver
- tudo funcionando. Desta forma se voc&ecirc; fizer
+ tudo funcionando. Desta forma se você fizer
alguma bobagem quando mexer com a sua
- configura&ccedil;&atilde;o, pode-se iniciar aquele
- <foreignphrase>kernel</foreignphrase> ao inv&eacute;s de
+ configuração, pode-se iniciar aquele
+ <foreignphrase>kernel</foreignphrase> ao invés de
ter que desfazer tudo novamente no
- <filename>kernel.GENERIC</filename>. Isso &eacute;
- particularmente importante se voc&ecirc; estiver dando
- boot em um equipamento n&atilde;o suportado pelo
- <foreignphrase>kernel</foreignphrase> gen&eacute;rico
+ <filename>kernel.GENERIC</filename>. Isso é
+ particularmente importante se você estiver dando
+ boot em um equipamento não suportado pelo
+ <foreignphrase>kernel</foreignphrase> genérico
(<literal>GENERIC</literal>).</para>
</note>
</answer>
@@ -6417,22 +6417,22 @@ crw-rw-rw- 1 root wheel 41, 1 Oct 15 22:14 spx</screen>
<qandaentry>
<question id="missing-hw-float">
- <para>A compila&ccedil;&atilde;o do meu
+ <para>A compilação do meu
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> falha porque
- est&aacute; faltando o <literal>_hw_float</literal>. Como
+ está faltando o <literal>_hw_float</literal>. Como
eu resolvo o problema?</para>
</question>
<answer>
- <para>Deixa eu adivinhar. Voc&ecirc; removeu o
+ <para>Deixa eu adivinhar. Você removeu o
<devicename>npx0</devicename> (veja &man.npx.4;) do
- arquivo de configura&ccedil;&atilde;o do
- <foreignphrase>kernel</foreignphrase> porque voc&ecirc;
- n&atilde;o possui um co-processador aritm&eacute;tico,
+ arquivo de configuração do
+ <foreignphrase>kernel</foreignphrase> porque você
+ não possui um co-processador aritmético,
certo? Errado! :-) O <devicename>npx0</devicename>
- &eacute; <emphasis>OBRIGAT&Oacute;RIO</emphasis>. Mesmo
- que voc&ecirc; n&atilde;o tenha um co-processador
- aritm&eacute;tico, o dispositivo
+ é <emphasis>OBRIGATÓRIO</emphasis>. Mesmo
+ que você não tenha um co-processador
+ aritmético, o dispositivo
<devicename>npx0</devicename> <emphasis>deve</emphasis>
ser incluido.</para>
</answer>
@@ -6441,55 +6441,55 @@ crw-rw-rw- 1 root wheel 41, 1 Oct 15 22:14 spx</screen>
<qandaentry>
<question id="why-kernel-big">
<para>Por que meu <foreignphrase>kernel</foreignphrase>
- &eacute; t&atilde;o grande (cerca de 10MB)?</para>
+ é tão grande (cerca de 10MB)?</para>
</question>
<answer>
<para>Provavelmente, seu
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> foi compilado em
- <emphasis>modo de depura&ccedil;&atilde;o
+ <emphasis>modo de depuração
(<literal>debug</literal>)</emphasis>. Um
- <foreignphrase>kernel</foreignphrase> constru&iacute;do em
- modo de depura&ccedil;&atilde;o (<literal>debug</literal>)
- cont&ecirc;m muitos s&iacute;mbolos usados para
- depura&ccedil;&atilde;o que aumentam muito o seu tamanho.
- Note que se voc&ecirc; est&aacute; executando um FreeBSD
- 3.0 ou superior, ter&aacute; pouca, ou nenhuma, perda de
+ <foreignphrase>kernel</foreignphrase> construído em
+ modo de depuração (<literal>debug</literal>)
+ contêm muitos símbolos usados para
+ depuração que aumentam muito o seu tamanho.
+ Note que se você está executando um FreeBSD
+ 3.0 ou superior, terá pouca, ou nenhuma, perda de
performance por usar um
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> em modo de
- depura&ccedil;&atilde;o (<literal>debug</literal>), sendo
- &uacute;til ter um para o caso de pane no sistema.
+ depuração (<literal>debug</literal>), sendo
+ útil ter um para o caso de pane no sistema.
</para>
- <para>Entretanto, se voc&ecirc; possui pouco espa&ccedil;o
- em disco, ou simplesmente n&atilde;o quer executar um
+ <para>Entretanto, se você possui pouco espaço
+ em disco, ou simplesmente não quer executar um
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> para
- depura&ccedil;&atilde;o, certifique-se que os dois itens
+ depuração, certifique-se que os dois itens
abaixo sejam verdadeiros:</para>
<itemizedlist>
<listitem>
- <para>N&atilde;o existe a seguinte linha no arquivo de
- configura&ccedil;&atilde;o do
+ <para>Não existe a seguinte linha no arquivo de
+ configuração do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase></para>
<programlisting>makeoptions DEBUG=-g</programlisting>
</listitem>
<listitem>
- <para>Voc&ecirc; n&atilde;o est&aacute; executando
- &man.config.8; com a op&ccedil;&atilde;o
+ <para>Você não está executando
+ &man.config.8; com a opção
<option>-g</option>.</para>
</listitem>
</itemizedlist>
- <para>Ambas as situa&ccedil;&otilde;es acima fazem com que o
+ <para>Ambas as situações acima fazem com que o
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> seja compilado no
- modo de depura&ccedil;&atilde;o
- (<literal>debug</literal>). T&atilde;o logo voc&ecirc;
- tenha certeza que n&atilde;o se enquadra naqueles itens, o
- <foreignphrase>kernel</foreignphrase> poder&aacute; ser
- compilado normalmente e notadamente diminuir&aacute; o
+ modo de depuração
+ (<literal>debug</literal>). Tão logo você
+ tenha certeza que não se enquadra naqueles itens, o
+ <foreignphrase>kernel</foreignphrase> poderá ser
+ compilado normalmente e notadamente diminuirá o
tamanho; a maioria dos
<foreignphrase>kernels</foreignphrase> tendem a ficar em
torno de 1.5MB a 2MB.</para>
@@ -6498,25 +6498,25 @@ crw-rw-rw- 1 root wheel 41, 1 Oct 15 22:14 spx</screen>
<qandaentry>
<question id="multiport-serial-interrupts">
- <para>Porque est&atilde;o ocorrendo conflitos de
- interrup&ccedil;&atilde;o com portas multi-seriais?</para>
+ <para>Porque estão ocorrendo conflitos de
+ interrupção com portas multi-seriais?</para>
</question>
<answer>
<para>Quando se compila um
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> com suporte a porta
multi-serial, ele avisa que somente a primeira porta
- &eacute; testada e as demais s&atilde;o ignoradas devido a
- conflitos de interrup&ccedil;&atilde;o. Como eu conserto
+ é testada e as demais são ignoradas devido a
+ conflitos de interrupção. Como eu conserto
isto?</para>
- <para>O problema, neste caso, &eacute; que o FreeBSD possui
- c&oacute;digo para evitar que o
+ <para>O problema, neste caso, é que o FreeBSD possui
+ código para evitar que o
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> fique com lixo
(<foreignphrase>trashed kernel</foreignphrase>) por causa
de conflitos de hardware ou software. A maneira de
- corrigir isto &eacute; excluindo as
- defini&ccedil;&otilde;s de IRQ em todas as portas exceto
+ corrigir isto é excluindo as
+ definiçõs de IRQ em todas as portas exceto
uma. Veja o exemplo:</para>
<programlisting>#
@@ -6532,35 +6532,35 @@ device sio5 at isa? port 0x2b8 tty flags 0x501 vector siointr</programlisting>
<qandaentry>
<question id="generic-kernel-build-failure">
<para>Porque todo <foreignphrase>kernel</foreignphrase> que
- eu tento construir falha na compila&ccedil;&atilde;o,
+ eu tento construir falha na compilação,
mesmo o GENERIC?</para>
</question>
<answer>
- <para>Existem v&aacute;rias causas poss&iacute;veis para
- esse problema. Elas s&atilde;o, sem uma ordem particular:
+ <para>Existem várias causas possíveis para
+ esse problema. Elas são, sem uma ordem particular:
</para>
<itemizedlist>
<listitem>
- <para>Voc&ecirc; n&atilde;o est&aacute; usando os
+ <para>Você não está usando os
comandos <command>make buildkernel</command> e
<command>make installkernel</command>, e seus fontes
- est&atilde;o estruturados de forma diferente daqueles
+ estão estruturados de forma diferente daqueles
usados para construir o sistema atual (por exemplo,
- est&aacute; sendo um 4.3-RELEASE em um sistema
+ está sendo um 4.3-RELEASE em um sistema
4.0-RELEASE). Se estiver sendo feita uma
- atualiza&ccedil;&atilde;o, leia o arquivo
+ atualização, leia o arquivo
<filename>/usr/src/UPDATING</filename>, prestando
- aten&ccedil;&atilde;o ao final da se&ccedil;&atilde;o
+ atenção ao final da seção
<quote>COMMON ITEMS</quote>.</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>Voc&ecirc; est&aacute; usando os comandos
+ <para>Você está usando os comandos
<command>make buildkernel</command> e <command>make
- installkernel</command>, mas n&atilde;o garantiu a
- correta finaliza&ccedil;&atilde;o do comando
+ installkernel</command>, mas não garantiu a
+ correta finalização do comando
<command>make buildworld</command>. O <command>make
buildkernel</command> depende de arquivos gerados
pelo <command>make buildworld</command> para fazer seu
@@ -6568,19 +6568,19 @@ device sio5 at isa? port 0x2b8 tty flags 0x501 vector siointr</programlisting>
</listitem>
<listitem>
- <para>Mesmo que voc&ecirc; esteja tentando construir um
- <link linkend="stable">FreeBSD-STABLE</link>, &eacute;
- poss&iacute;vel que os fontes tenham sido pegos quando
+ <para>Mesmo que você esteja tentando construir um
+ <link linkend="stable">FreeBSD-STABLE</link>, é
+ possível que os fontes tenham sido pegos quando
estavam sendo modificados, ou inconsistentes por
- alguma outra raz&atilde;o; somente os releases
- s&atilde;o absolutamente garantidos de serem
+ alguma outra razão; somente os releases
+ são absolutamente garantidos de serem
compilados, embora o <link
linkend="stable">FreeBSD-STABLE</link> possa ser
compilado com sucesso na grande maioria das vezes.
- Caso j&aacute; n&atilde;o tenha conseguido, tente
+ Caso já não tenha conseguido, tente
buscar os fontes novamente e veja se o problema
- j&aacute; n&atilde;o foi resolvido. Tente um servidor
- diferente, para o caso daquele que est&aacute; sendo
+ já não foi resolvido. Tente um servidor
+ diferente, para o caso daquele que está sendo
usado estar com problemas.</para>
</listitem>
</itemizedlist>
@@ -6591,19 +6591,19 @@ device sio5 at isa? port 0x2b8 tty flags 0x501 vector siointr</programlisting>
<chapter id="disks">
<title>Discos, Sistemas de Arquivos e Carregadores de
- Inicializa&ccedil;&atilde;o (<foreignphrase>Boot
+ Inicialização (<foreignphrase>Boot
Loaders</foreignphrase>)</title>
<qandaset>
<qandaentry>
<question id="adding-disks">
<para>Como procedo para adicionar um novo disco
- r&iacute;gido no FreeBSD?</para>
+ rígido no FreeBSD?</para>
</question>
<answer>
- <para>Veja o Tutorial sobre a Formata&ccedil;&atilde;o de
- Discos no s&iacute;tio<ulink
+ <para>Veja o Tutorial sobre a Formatação de
+ Discos no sítio<ulink
url="../../articles/formatting-media/index.html">
www.FreeBSD.org</ulink>.</para>
</answer>
@@ -6617,115 +6617,115 @@ device sio5 at isa? port 0x2b8 tty flags 0x501 vector siointr</programlisting>
<answer>
<para>A melhor maneira de migrar seu sistema de um disco
- para o outro &eacute; reinstalar completamente o SO na
+ para o outro é reinstalar completamente o SO na
nova unidade de armazenamento e depois migrar os dados dos
- usu&aacute;rios do disco antigo para nova
- instala&ccedil;&atilde;o. Essa forma &eacute; a mais
+ usuários do disco antigo para nova
+ instalação. Essa forma é a mais
recomendada, caso o sistema tenha sido -STABLE por mais de
- uma vers&atilde;o, ou caso tenha atualizado um Release ao
- inv&eacute;s de ter instalado um novo sistema. O booteasy
+ uma versão, ou caso tenha atualizado um Release ao
+ invés de ter instalado um novo sistema. O booteasy
pode ser facilmente instalado com o comando
&man.boot0cfg.8;, de forma a permitir que o sistema possa
- iniciar dois sistemas distintos, at&eacute; que voc&ecirc;
+ iniciar dois sistemas distintos, até que você
esteja satisfeito com o novo sistema. Pule o
- pr&oacute;ximo par&aacute;grafo para saber algumas formas
- seguras de migrar os dados dos usu&aacute;rios para o novo
+ próximo parágrafo para saber algumas formas
+ seguras de migrar os dados dos usuários para o novo
disco.</para>
- <para>Voc&ecirc; pode ter decidido por n&atilde;o refazer
- uma nova instala&ccedil;&atilde;o; nesse caso ser&aacute;
- necess&aacute;rio reparticionar o novo disco com o
+ <para>Você pode ter decidido por não refazer
+ uma nova instalação; nesse caso será
+ necessário reparticionar o novo disco com o
<filename>/stand/sysinstall</filename>, ou &man.fdisk.8;
- ou &man.disklabel.8;. Tamb&eacute;m &eacute;
- necess&aacute;rio instalar o booteasy em ambas as unidades
- com o comando &man.boot0cfg.8;, de forma que voc&ecirc;
- possa alternar a inicializa&ccedil;&atilde;o entre o novo
- sistema e a configura&ccedil;&atilde;o atual do mesmo,
- at&eacute; que a c&oacute;pia dos dados tenha sido
+ ou &man.disklabel.8;. Também é
+ necessário instalar o booteasy em ambas as unidades
+ com o comando &man.boot0cfg.8;, de forma que você
+ possa alternar a inicialização entre o novo
+ sistema e a configuração atual do mesmo,
+ até que a cópia dos dados tenha sido
efetuada. Veja o artigo <ulink
url="../../articles/formatting-media/index.html">
- </ulink>referente a formata&ccedil;&atilde;o de
- m&iacute;dias para obter mais detalhes quanto a esse
+ </ulink>referente a formatação de
+ mídias para obter mais detalhes quanto a esse
processo.</para>
- <para>Agora, com um novo disco configurado, voc&ecirc;
- est&aacute; pronto para come&ccedil;ar a mover os dados da
+ <para>Agora, com um novo disco configurado, você
+ está pronto para começar a mover os dados da
antiga para nova unidade de armazenamento. Infelizmente
- os dados n&atilde;o podem simplesmente ser copiados ao
+ os dados não podem simplesmente ser copiados ao
acaso. Existem alguns arquivos especiais (como os
arquivos de dispositivos <filename>/dev</filename>),
- flags, e links que tendem a n&atilde;o funcionar no novo
+ flags, e links que tendem a não funcionar no novo
sistema, visto que esses arquivos ocupam inodes ou tem
- informa&ccedil;&otilde;es espec&iacute;ficas da unidade, e
- por isso n&atilde;o podem ser copiados como um arquivo
- comum. &Eacute; necess&aacute;rio usar ferramentas que
+ informações específicas da unidade, e
+ por isso não podem ser copiados como um arquivo
+ comum. É necessário usar ferramentas que
entendam esse comportamento. Isso significa que
- voc&ecirc; ter&aacute; que usar o &man.dump.8;. &Eacute;
- sempre uma boa id&eacute;ia realizar esse processo de
- c&oacute;pia de dados em modo mono-usu&aacute;rio, contudo
- tal precau&ccedil;&atilde;o n&atilde;o &eacute;
- obrigat&oacute;ria - &eacute; apenas sinal de
+ você terá que usar o &man.dump.8;. É
+ sempre uma boa idéia realizar esse processo de
+ cópia de dados em modo mono-usuário, contudo
+ tal precaução não é
+ obrigatória - é apenas sinal de
cuidado.</para>
- <para>N&atilde;o &eacute; aconselh&aacute;vel usar nenhuma
- outra ferramenta a n&atilde;o ser o &man.dump.8; e
+ <para>Não é aconselhável usar nenhuma
+ outra ferramenta a não ser o &man.dump.8; e
&man.restore.8; para copiar o sistema de arquivos da
- parti&ccedil;&atilde;o raiz (&quot;/&quot;). O
- &man.tar.1; pode funcionar de forma satisfat&oacute;ria,
- mas pode ser que n&atilde;o. Tamb&eacute;m &eacute;
- &oacute;tima id&eacute;ia usar o &man.dump.8; e
+ partição raiz (&quot;/&quot;). O
+ &man.tar.1; pode funcionar de forma satisfatória,
+ mas pode ser que não. Também é
+ ótima idéia usar o &man.dump.8; e
&man.restore.8; para copiar (ou mover completamente) os
- dados em uma parti&ccedil;&atilde;o para uma outra
- parti&ccedil;&atilde;o vazia. Os passos
- necess&aacute;rios para usar o dump para copiar os dados
- de uma parti&ccedil;&atilde;o existente para uma nova
- parti&ccedil;&atilde;o s&atilde;o:</para>
+ dados em uma partição para uma outra
+ partição vazia. Os passos
+ necessários para usar o dump para copiar os dados
+ de uma partição existente para uma nova
+ partição são:</para>
<procedure>
<step>
<para>Crie um novo sistema de arquivos com o
- &man.newfs.8 na nova parti&ccedil;&atilde;o.</para>
+ &man.newfs.8 na nova partição.</para>
</step>
<step>
- <para>Monte a parti&ccedil;&atilde;o em um ponto de
- montagem tempor&aacute;rio.</para>
+ <para>Monte a partição em um ponto de
+ montagem temporário.</para>
</step>
<step>
<para>Entre (cd) no ponto de montagem em
- quest&atilde;o.</para>
+ questão.</para>
</step>
<step>
- <para>Finalmente mova os dados da parti&ccedil;&atilde;o
- existente para a nova parti&ccedil;&atilde;o com o
+ <para>Finalmente mova os dados da partição
+ existente para a nova partição com o
&man.dump.8;.</para>
</step>
</procedure>
- <para>Por exemplo, se a inten&ccedil;&atilde;o &eacute;
- copiar os dados da parti&ccedil;&atilde;o raiz para a
- parti&ccedil;&atilde;o
+ <para>Por exemplo, se a intenção é
+ copiar os dados da partição raiz para a
+ partição
<devicename>/dev/ad1s1a</devicename>, cujo ponto de
- montagem tempor&aacute;rio &eacute; o
- <filename>/mnt</filename>, fa&ccedil;a o seguinte:</para>
+ montagem temporário é o
+ <filename>/mnt</filename>, faça o seguinte:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>newfs /dev/ad1s1a</userinput>
&prompt.root; <userinput>mount /dev/ad1s1a /mnt</userinput>
&prompt.root; <userinput>cd /mnt</userinput>
&prompt.root; <userinput>dump 0af - / | restore xf -</userinput></screen>
- <para>Redefinir a estrutura das parti&ccedil;&otilde;es com
- o &man.dump.8 &eacute; um processo um pouco mais
- trabalhoso. Caso voc&ecirc; queira, por exemplo, unir o
- conte&uacute;do da parti&ccedil;&atilde;o
- <filename>/var</filename> com as parti&ccedil;&otilde;es
- de n&iacute;vel acima, crie uma parti&ccedil;&atilde;o que
- seja grande o bastante para alocar o conte&uacute;do de
- ambas, copie a parti&ccedil;&atilde;o principal como no
+ <para>Redefinir a estrutura das partições com
+ o &man.dump.8 é um processo um pouco mais
+ trabalhoso. Caso você queira, por exemplo, unir o
+ conteúdo da partição
+ <filename>/var</filename> com as partições
+ de nível acima, crie uma partição que
+ seja grande o bastante para alocar o conteúdo de
+ ambas, copie a partição principal como no
exemplo descrito acima e depois copie as
- sub-parti&ccedil;&otilde;es para os diret&oacute;rios
+ sub-partições para os diretórios
vazios que o primeiro comando deve ter criado:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>newfs /dev/ad1s1a</userinput>
@@ -6735,18 +6735,18 @@ device sio5 at isa? port 0x2b8 tty flags 0x501 vector siointr</programlisting>
&prompt.root; <userinput>cd var</userinput>
&prompt.root; <userinput>dump 0af - /var | restore xf -</userinput></screen>
- <para>Para separar um diret&oacute;rio de sua estrutura
+ <para>Para separar um diretório de sua estrutura
atual, ou seja, no mesmo exemplo ainda, alocar os dados de
- <filename>/var</filename> em uma parti&ccedil;&atilde;o
- pr&oacute;pria quando na defini&ccedil;&atilde;o atual o
- /var &eacute; apenas um diret&oacute;rio comum, &eacute;
- necess&aacute;rio montar a sub parti&ccedil;&atilde;o no
- diret&oacute;rio apropriado do ponto de montagem
- tempor&aacute;rio, simulando assim o sistema de arquivos a
- ser criado a partir da raiz (montada no diret&oacute;rio
- tempor&aacute;rio), depois basta copiar os dados do
- diret&oacute;rio antigo para nova
- parti&ccedil;&atilde;o:</para>
+ <filename>/var</filename> em uma partição
+ própria quando na definição atual o
+ /var é apenas um diretório comum, é
+ necessário montar a sub partição no
+ diretório apropriado do ponto de montagem
+ temporário, simulando assim o sistema de arquivos a
+ ser criado a partir da raiz (montada no diretório
+ temporário), depois basta copiar os dados do
+ diretório antigo para nova
+ partição:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>newfs /dev/ad1s1a</userinput>
&prompt.root; <userinput>newfs /dev/ad1s1d</userinput>
@@ -6756,12 +6756,12 @@ device sio5 at isa? port 0x2b8 tty flags 0x501 vector siointr</programlisting>
&prompt.root; <userinput>cd /mnt</userinput>
&prompt.root; <userinput>dump 0af - / | restore xf -</userinput></screen>
- <para>Talvez voc&ecirc; prefira usar &man.cpio.1;,
- &man.pax.1;, &man.tar.1; ao inv&eacute;s de &man.dump.8;
- na hora de copiar os dados de usu&aacute;rios. Quando
+ <para>Talvez você prefira usar &man.cpio.1;,
+ &man.pax.1;, &man.tar.1; ao invés de &man.dump.8;
+ na hora de copiar os dados de usuários. Quando
este <literal>FAQ</literal> foi escrito, esses comandos
costumavam perder atributos especiais dos arquivos ou
- mesmo alterar algumas permiss&otilde;es ou autoridade
+ mesmo alterar algumas permissões ou autoridade
(dono dos arquivos), portanto use esses comandos com
cuidado.</para>
</answer>
@@ -6770,159 +6770,159 @@ device sio5 at isa? port 0x2b8 tty flags 0x501 vector siointr</programlisting>
<qandaentry>
<question id="dangerously-dedicated">
<para>Um disco no modo <quote>dangerously dedicated</quote>
- pode ser prejudicial a minha sa&uacute;de?</para>
+ pode ser prejudicial a minha saúde?</para>
</question>
<answer>
<para><anchor id="dedicate"/>O processo de
- instala&ccedil;&atilde;o permite a escolha entre dois
+ instalação permite a escolha entre dois
modos distintos de particionar o(s) disco(s)
- r&iacute;gido. A maneira tradicional permite que outros
- sistemas operacionais na mesma esta&ccedil;&atilde;o
- possam acessar essas parti&ccedil;&otilde;es, criando
+ rígido. A maneira tradicional permite que outros
+ sistemas operacionais na mesma estação
+ possam acessar essas partições, criando
entradas na tabela do fdisk (entradas chamadas de
<quote>slices</quote> no FreeBSD) sob uma
- parti&ccedil;&atilde;o FreeBSD pr&oacute;pria. Uma
- caracter&iacute;stica desse particionamento &eacute;
- permitir m&uacute;ltiplos sistemas operacionais e permitir
- a instala&ccedil;&atilde;o de um gerenciador de
- inicializa&ccedil;&atilde;o
+ partição FreeBSD própria. Uma
+ característica desse particionamento é
+ permitir múltiplos sistemas operacionais e permitir
+ a instalação de um gerenciador de
+ inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) para alternar entre
esses sistemas. A segunda maneira, a alternativa ao modo
tradicional faz uso do disco todo para o FreeBSD e
- n&atilde;o faz esfor&ccedil;os para se tornar
- compat&iacute;vel com outros sistemas operacionais.</para>
+ não faz esforços para se tornar
+ compatível com outros sistemas operacionais.</para>
- <para>Ent&atilde;o, por que esse modo &eacute; chamado de
+ <para>Então, por que esse modo é chamado de
<quote>modo perigosamente dedicado</quote>? Um disco
- particionado dessa forma n&atilde;o tem algumas
- caracter&iacute;sticas tradicionais que os PCs poderiam
- considerar entradas v&aacute;lidas do fdisk. Dependendo
- das circunst&acirc;ncias o PC pode reclamar e gerar
- advert&ecirc;ncias sobre o disco em quest&atilde;o, assim
+ particionado dessa forma não tem algumas
+ características tradicionais que os PCs poderiam
+ considerar entradas válidas do fdisk. Dependendo
+ das circunstâncias o PC pode reclamar e gerar
+ advertências sobre o disco em questão, assim
que o primeiro contato com essa unidade seja feito, ou
pior, o PC pode ainda danificar o processo de
- inicializa&ccedil;&atilde;o
+ inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) do BSD
(<foreignphrase>bootstrap</foreignphrase>) sem pedir
- confirma&ccedil;&atilde;o da altera&ccedil;&atilde;o ou
- at&eacute; mesmo sem avisar o usu&aacute;rio dessa
- mudan&ccedil;a. O <quote>modo perigosamente
- dedicado</quote> ainda costuma confundir v&aacute;rias
+ confirmação da alteração ou
+ até mesmo sem avisar o usuário dessa
+ mudança. O <quote>modo perigosamente
+ dedicado</quote> ainda costuma confundir várias
BIOS, inclusive as BIOS AWARD (encontradas, por exemplo no
HP Netserver e em sistemas Micronics assim como em muitos
- outros) e as BIOS Symbios/NCR (da popular s&eacute;rie
- 53C8xx de controladoras SCSI). N&atilde;o s&atilde;o
+ outros) e as BIOS Symbios/NCR (da popular série
+ 53C8xx de controladoras SCSI). Não são
apenas esses dois modelos que podem apresentar
dificuldades com esse modo de particionamento de disco, a
- lista completa &eacute; ainda maior. O principal sintoma
- desse tipo de confus&atilde;o &eacute; a presen&ccedil;a
+ lista completa é ainda maior. O principal sintoma
+ desse tipo de confusão é a presença
de mensagens de <errorname>read error</errorname>
apresentada pelo <foreignphrase>bootstrap</foreignphrase>
do FreeBSD quando ele tem dificuldades de encontrar-se;
- outro sintoma &eacute; a falta de sistema operacional no
- momento da inicializa&ccedil;&atilde;o do PC.</para>
+ outro sintoma é a falta de sistema operacional no
+ momento da inicialização do PC.</para>
- <para>Ent&atilde;o porque esse modo de particionamento de
+ <para>Então porque esse modo de particionamento de
disco existe? Esse modo economiza o uso de alguns poucos
- kbytes de espa&ccedil;o em disco, e pode, em contrapartida
+ kbytes de espaço em disco, e pode, em contrapartida
gerar grandes problemas em uma nova
- instala&ccedil;&atilde;o do sistema. O modo
+ instalação do sistema. O modo
<quote>perigosamente dedicado</quote> em sua origem
- &eacute; um desejo antigo dos usu&aacute;rios do FreeBSD,
- especialmente durante a instala&ccedil;&atilde;o, que
- &eacute; simplesmente poder ignorar a
+ é um desejo antigo dos usuários do FreeBSD,
+ especialmente durante a instalação, que
+ é simplesmente poder ignorar a
<quote>geometria</quote> de disco reconhecida pela BIOS e
usar o disco todo de forma independente, sem prestar
- satisfa&ccedil;&atilde;o ao sistema b&aacute;sico de
- entrada/sa&iacute;da do PC.</para>
+ satisfação ao sistema básico de
+ entrada/saída do PC.</para>
- <para>O conceito de <quote>Geometria</quote> &eacute;
+ <para>O conceito de <quote>Geometria</quote> é
ultrapassado, mas infelizmente ainda faz parte do
- cora&ccedil;&atilde;o da BIOS dos Computadores Pessoais,
- sendo extremamente necess&aacute;rio para a
- intera&ccedil;&atilde;o do computador com seus discos.
- Quando o FreeBSD cria as parti&ccedil;&otilde;es, ele tem
- que gravar sua localiza&ccedil;&atilde;o de forma
- correspondente a maneira que a BIOS ir&aacute;
- procur&aacute;-la. Se essa informa&ccedil;&atilde;o
- n&atilde;o &eacute; acess&iacute;vel &agrave; BIOS, pode
- ser que o sistema n&atilde;o consiga iniciar-se.</para>
+ coração da BIOS dos Computadores Pessoais,
+ sendo extremamente necessário para a
+ interação do computador com seus discos.
+ Quando o FreeBSD cria as partições, ele tem
+ que gravar sua localização de forma
+ correspondente a maneira que a BIOS irá
+ procurá-la. Se essa informação
+ não é acessível à BIOS, pode
+ ser que o sistema não consiga iniciar-se.</para>
<para><quote>O modo Dangerously dedicated</quote> tenta
- evitar esse desconforto fazendo a opera&ccedil;&atilde;o
+ evitar esse desconforto fazendo a operação
se tornar mais simples. Em muitos casos essa forma de
particionamento funciona, mas ela foi criada para ser
- usada como &uacute;ltima alternativa &agrave; necessidade
+ usada como última alternativa à necessidade
de definir a geometria do disco - em 99% dos casos existem
formas mais vantajosas de resolver problemas com
geometria.</para>
- <para>Mas ent&atilde;o, como evitar a necessidade do modo
- <quote>DD</quote> na instala&ccedil;&atilde;o do sistema?
+ <para>Mas então, como evitar a necessidade do modo
+ <quote>DD</quote> na instalação do sistema?
Comece anotando os valores pra geometria que a BIOS diz
estar usando pros discos locais. Esses valores podem ser
apresentados pelo kernel do FreeBSD, especificando a
- op&ccedil;&atilde;o <option>-v</option> no prompt de
+ opção <option>-v</option> no prompt de
<literal>boot:</literal> usando <command>boot
- -v</command> nas configura&ccedil;&otilde;es do loader
+ -v</command> nas configurações do loader
do sistema operacional. Antes do programa de
- instala&ccedil;&atilde;o ser carregado o kernel apresenta
+ instalação ser carregado o kernel apresenta
a listagem dos valores para a Geometria de discos
- reconhecida pela BIOS do computador; n&atilde;o se
- precipite nem se preocupe, essas informa&ccedil;&otilde;es
+ reconhecida pela BIOS do computador; não se
+ precipite nem se preocupe, essas informações
podem ser visualizadas paginando a tela para as
- nota&ccedil;&otilde;es anteriores, sendo poss&iacute;vel
+ notações anteriores, sendo possível
assim verificar esses valores. Normalmente as unidades de
- disco da BIOS s&atilde;o apresentadas na mesma ordem que o
+ disco da BIOS são apresentadas na mesma ordem que o
FreeBSD as encontra, sendo primeiro as unidades IDE
seguido das SCSI.</para>
<para>No momento do particionamento do disco, verifique se a
geometria apresentada pelo FDISK corresponde ao valor
- apresentado pela BIOS; caso n&atilde;o corresponda use a
+ apresentado pela BIOS; caso não corresponda use a
tecla <keycap>g</keycap> para redefinir esses valores.
- Tamb&eacute;m pode ser necess&aacute;rio definir a
+ Também pode ser necessário definir a
geometria manualmente em casos onde o disco em
- quest&atilde;o est&aacute; vazio e sem nenhum outro tipo
- de parti&ccedil;&atilde;o criada, ou se o disco foi
+ questão está vazio e sem nenhum outro tipo
+ de partição criada, ou se o disco foi
instalado em um outro computador e foi colocado na
- esta&ccedil;&atilde;o atual recentemente. Note que esse
- tipo de complica&ccedil;&atilde;o n&atilde;o &eacute;
+ estação atual recentemente. Note que esse
+ tipo de complicação não é
comum, e quando acontece, acontece apenas com o disco onde
- o FreeBSD est&aacute; iniciando; Qualquer outro disco
- existente no computador ser&aacute; controlado
+ o FreeBSD está iniciando; Qualquer outro disco
+ existente no computador será controlado
perfeitamente pelo FreeBSD em qualquer
- situa&ccedil;&atilde;o.</para>
+ situação.</para>
- <para>Uma vez existindo a concord&acirc;ncia de Geometria
+ <para>Uma vez existindo a concordância de Geometria
entre a BIOS e o FreeBSD, com certeza seus problemas
- ter&atilde;o acabado, e n&atilde;o existia a necessidade
+ terão acabado, e não existia a necessidade
de usar o modo <quote>DD</quote>. Contudo, se em casos
extremos ainda ocorrerem erros de <errorname>read
- error</errorname> ent&atilde;o pode cruzar os dedos e
- usar o modo dedicado (DD), afinal n&atilde;o h&aacute;
+ error</errorname> então pode cruzar os dedos e
+ usar o modo dedicado (DD), afinal não há
nada a perder, visto que das formas tradicionais sua BIOS
- insiste em n&atilde;o cooperar de forma correta.</para>
+ insiste em não cooperar de forma correta.</para>
<para>Para voltar um disco particionado em modo
<quote>dangerously dedicated</quote> para uso normal em um
- PC existem duas alternativas. A primeira &eacute; alocar
+ PC existem duas alternativas. A primeira é alocar
dados nulos (NULL bytes) o bastante na MBR do disco, de
- forma que qualquer instala&ccedil;&atilde;o posterior
- acredite que o disco est&aacute; vazio. Isso pode ser
+ forma que qualquer instalação posterior
+ acredite que o disco está vazio. Isso pode ser
feito, por exemplo, da seguinte maneira:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>dd if=/dev/zero of=/dev/rda0 count=15</userinput></screen>
<para>E a segunda forma, a
- <quote>op&ccedil;&atilde;o</quote> n&atilde;o documentada
+ <quote>opção</quote> não documentada
do DOS:</para>
<screen><prompt>C:\&gt;</prompt> <userinput>fdisk /mbr</userinput></screen>
- <para>instalar&aacute; um novo registro mestre de
- inicializa&ccedil;&atilde;o no disco em quest&atilde;o,
+ <para>instalará um novo registro mestre de
+ inicialização no disco em questão,
sobrepondo inclusive o
<foreignphrase>bootstrap</foreignphrase> do BSD.</para>
</answer>
@@ -6930,144 +6930,144 @@ device sio5 at isa? port 0x2b8 tty flags 0x501 vector siointr</programlisting>
<qandaentry>
<question id="safe-softupdates">
- <para>Em quais parti&ccedil;&otilde;es podemos seguramente
+ <para>Em quais partições podemos seguramente
usar o softupdates? Eu tenho ouvido falar de problemas em
- se usar o softupdates na parti&ccedil;&atilde;o
+ se usar o softupdates na partição
<filename>/</filename>?</para>
</question>
<answer>
<para>A resposta breve: o softupdates pode ser usado com
- seguran&ccedil;a em todas as
- parti&ccedil;&otilde;es.</para>
+ segurança em todas as
+ partições.</para>
<para>A resposta mais completa: existiam algumas
- restri&ccedil;&otilde;es quanto ao uso do softupdates na
- parti&ccedil;&atilde;o raiz do sistema. Tais
- restri&ccedil;&otilde;es se deviam a duas
- caracter&iacute;sticas causadas pelo softupdates, que eram
- a pouqu&iacute;ssima chance de perder alguns dados da
- parti&ccedil;&atilde;o raiz se acontecesse algum system
+ restrições quanto ao uso do softupdates na
+ partição raiz do sistema. Tais
+ restrições se deviam a duas
+ características causadas pelo softupdates, que eram
+ a pouquíssima chance de perder alguns dados da
+ partição raiz se acontecesse algum system
crash; apesar das probabilidades de perda de dados serem
- m&iacute;nimas, elas existem; n&atilde;o existe uma
- danifica&ccedil;&atilde;o ou corros&atilde;o do sistema de
+ mínimas, elas existem; não existe uma
+ danificação ou corrosão do sistema de
arquivos, apenas alguns arquivos podem ser simplesmente
- perdidos. E a segunda caracter&iacute;stica &eacute; a
- diminui&ccedil;&atilde;o tempor&aacute;ria de
- espa&ccedil;o em disco.</para>
+ perdidos. E a segunda característica é a
+ diminuição temporária de
+ espaço em disco.</para>
- <para>Quando o softupdates est&aacute; ativado o kernel pode
- levar at&eacute; trinta segundos para realmente escrever
+ <para>Quando o softupdates está ativado o kernel pode
+ levar até trinta segundos para realmente escrever
alguns dados fisicamente em disco. Caso algum arquivo
grande seja apagado, ela permanece temporariamente em
- disco at&eacute; que o kernel realmente o apague, o que
- pode causar uma condi&ccedil;&atilde;o de corrida
+ disco até que o kernel realmente o apague, o que
+ pode causar uma condição de corrida
simples(simple race condition). Imagine, apenas para
- ilustrar, que voc&ecirc; apague um arquivo enorme do
- disco, e logo em seguida crie um outro arquivo t&atilde;o
- grande quanto o primeiro; a grava&ccedil;&atilde;o de
- metadados no disco pode n&atilde;o ter sido realizada
- ainda quando o segundo arquivo &eacute; criado, ou seja o
- primeiro n&atilde;o foi realmente definido como um arquivo
- apagado. Nesse caso &eacute; prov&aacute;vel que
- voc&ecirc; receba uma mensagem dizendo que n&atilde;o
- existe espa&ccedil;o o bastante em disco para o segundo
- arquivo, quando voc&ecirc; tem certeza absoluta que o
- espa&ccedil;o que acabou de ser liberado ao apagar o
- primeiro arquivo &eacute; o suficiente para alocar o
- segundo! A&iacute; voc&ecirc; tenta gravar o segundo
+ ilustrar, que você apague um arquivo enorme do
+ disco, e logo em seguida crie um outro arquivo tão
+ grande quanto o primeiro; a gravação de
+ metadados no disco pode não ter sido realizada
+ ainda quando o segundo arquivo é criado, ou seja o
+ primeiro não foi realmente definido como um arquivo
+ apagado. Nesse caso é provável que
+ você receba uma mensagem dizendo que não
+ existe espaço o bastante em disco para o segundo
+ arquivo, quando você tem certeza absoluta que o
+ espaço que acabou de ser liberado ao apagar o
+ primeiro arquivo é o suficiente para alocar o
+ segundo! Aí você tenta gravar o segundo
arquivo mais uma vez, alguns meros segundos depois, e o
- processo de cria&ccedil;&atilde;o do mesmo, simplesmente
+ processo de criação do mesmo, simplesmente
funciona como esperado. Esse tipo de comportamento
- j&aacute; levou mais de um usu&aacute;rio a
- balan&ccedil;ar sua cabe&ccedil;a e duvidar de sua
- pr&oacute;pria sanidade, ou mesmo da sanidade do sistema
+ já levou mais de um usuário a
+ balançar sua cabeça e duvidar de sua
+ própria sanidade, ou mesmo da sanidade do sistema
de arquivos do FreeBSD; em caso extremos, de
- d&uacute;vidas do bom estado de ambos, a sanidade do
- sistema de arquivos e do pr&oacute;prio usu&aacute;rio
+ dúvidas do bom estado de ambos, a sanidade do
+ sistema de arquivos e do próprio usuário
;-)</para>
<para>Se o sistema falhar antes do kernel aceitar um
conjunto de dados que tem que ser escrito no disco antes
- do mesmo ser gravado, &eacute; prov&aacute;vel que exista
- perda dos dados em quest&atilde;o. Esse risco &eacute;
- extremamente baixo, e geralmente &eacute;
- contorn&aacute;vel. O uso, por exemplo, das
- op&ccedil;&otilde;es de cache de grava&ccedil;&atilde;o
- das unidades de disco IDE &eacute; um fator que causa a
- possibilidade desse tipo de desconforto, portanto &eacute;
- altamente recomend&aacute;vel que essa op&ccedil;&atilde;o
+ do mesmo ser gravado, é provável que exista
+ perda dos dados em questão. Esse risco é
+ extremamente baixo, e geralmente é
+ contornável. O uso, por exemplo, das
+ opções de cache de gravação
+ das unidades de disco IDE é um fator que causa a
+ possibilidade desse tipo de desconforto, portanto é
+ altamente recomendável que essa opção
seja desativada nos discos IDE quando for usar o
softupdates.</para>
<para>Esse comportamento afeta todas as
- parti&ccedil;&otilde;es que estiverem com softupdates.
- Portanto, o que isso implica para a parti&ccedil;&atilde;o
+ partições que estiverem com softupdates.
+ Portanto, o que isso implica para a partição
raiz?</para>
- <para>A maioria das informa&ccedil;&otilde;es vitais da
- parti&ccedil;&atilde;o raiz mudam com pouqu&iacute;ssima
- freq&uuml;&ecirc;ncia. Arquivos como o
- <filename>/kernel</filename> e o conte&uacute;do do
- <filename>/etc</filename> s&atilde;o alterados apenas
- durante a manuten&ccedil;&atilde;o do sistema operacional,
- ou quando os usu&aacute;rios alteram suas senhas. Caso o
+ <para>A maioria das informações vitais da
+ partição raiz mudam com pouquíssima
+ freq&uuml;ência. Arquivos como o
+ <filename>/kernel</filename> e o conteúdo do
+ <filename>/etc</filename> são alterados apenas
+ durante a manutenção do sistema operacional,
+ ou quando os usuários alteram suas senhas. Caso o
sistema falhe durante essa janela de trinta segundos,
- depois que uma dessas altera&ccedil;&otilde;es foi feita,
- &eacute; poss&iacute;vel que alguns dados sejam perdidos.
- Esse risco &eacute; baix&iacute;ssimo e praticamente
- indiferente para maioria das aplica&ccedil;&otilde;es, mas
+ depois que uma dessas alterações foi feita,
+ é possível que alguns dados sejam perdidos.
+ Esse risco é baixíssimo e praticamente
+ indiferente para maioria das aplicações, mas
deve-se atentar que o risco existe. Caso seu sistema
- n&atilde;o tolere nem uma possibilidade t&atilde;o baixa
- de riscos, n&atilde;o use o softupdates na
- parti&ccedil;&atilde;o raiz!</para>
-
- <para>A <filename>/</filename> normalmente &eacute; uma das
- menores parti&ccedil;&otilde;es do sistema. Por
- padr&atilde;o o FreeBSD coloca o diret&oacute;rio
- <filename>/tmp</filename> na parti&ccedil;&atilde;o
+ não tolere nem uma possibilidade tão baixa
+ de riscos, não use o softupdates na
+ partição raiz!</para>
+
+ <para>A <filename>/</filename> normalmente é uma das
+ menores partições do sistema. Por
+ padrão o FreeBSD coloca o diretório
+ <filename>/tmp</filename> na partição
<filename>/</filename>, comportamento este que pode ser
modificado por administradores de sistemas mais
experientes. Caso seu <filename>/tmp</filename> costume
- ocupar muito espa&ccedil;o, pode ser criado um link
- simb&oacute;lico para o <filename>/var/tmp</filename>, o
- comportamento inverso tamb&eacute;m &eacute; v&aacute;lido
+ ocupar muito espaço, pode ser criado um link
+ simbólico para o <filename>/var/tmp</filename>, o
+ comportamento inverso também é válido
e bastante seguro, caso o /tmp seja uma
- parti&ccedil;&atilde;o grande o bastante para alocar os
- dados do /var/tmp tamb&eacute;m.</para>
+ partição grande o bastante para alocar os
+ dados do /var/tmp também.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="inappropriate-ccd">
- <para>O que &eacute; inapropriado no meu ccd?</para>
+ <para>O que é inapropriado no meu ccd?</para>
</question>
<answer>
- <para>Os sintomas desse tipo de d&uacute;vida:</para>
+ <para>Os sintomas desse tipo de dúvida:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>ccdconfig -C</userinput>
ccdconfig: ioctl (CCDIOCSET): /dev/ccd0c: Inappropriate file type or format</screen>
<para>Esse problema normalmente ocorre quando se tenta
- concatenar as parti&ccedil;&otilde;es <literal>c</literal>
- cujo tipo padr&atilde;o &eacute;
+ concatenar as partições <literal>c</literal>
+ cujo tipo padrão é
<literal>unused</literal>. O ccd requer que a
- parti&ccedil;&atilde;o que ele esteja usando seja do tipo
- FS_BSDFFS. Edite o disklabel dos discos em quest&atilde;o
- e altere o tipo das parti&ccedil;&otilde;es para
+ partição que ele esteja usando seja do tipo
+ FS_BSDFFS. Edite o disklabel dos discos em questão
+ e altere o tipo das partições para
<literal>4.2BSD</literal>.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="ccd-disklabel">
- <para>Porque eu n&atilde;o posso editar o disklabel do meu
+ <para>Porque eu não posso editar o disklabel do meu
ccd?</para>
</question>
<answer>
- <para>Os sintomas desse tipo de d&uacute;vida:</para>
+ <para>Os sintomas desse tipo de dúvida:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>disklabel ccd0</userinput>
(it prints something sensible here, so let us try to edit it)
@@ -7077,8 +7077,8 @@ disklabel: ioctl DIOCWDINFO: No disk label on disk;
use "disklabel -r" to install initial label</screen>
<para>Isso acontece por que o disklabel que o ccd retorna
- &eacute; na verdade um valor <quote>falso</quote>, que
- n&atilde;o est&aacute; realmente gravado no disco. Esse
+ é na verdade um valor <quote>falso</quote>, que
+ não está realmente gravado no disco. Esse
problema pode ser resolvido ao reescrever explicitamente
esse dado, da seguinte forma:</para>
@@ -7091,7 +7091,7 @@ use "disklabel -r" to install initial label</screen>
<qandaentry>
<question id="mount-foreign-fs">
- <para>Posso montar outros tipos de parti&ccedil;&otilde;es
+ <para>Posso montar outros tipos de partições
externas sobre FreeBSD?</para>
</question>
@@ -7102,11 +7102,11 @@ use "disklabel -r" to install initial label</screen>
<listitem>
<para>CDROMs do tipo UFS podem ser montados
- diretamente no FreeBSD, j&aacute; a montagem de
- parti&ccedil;&otilde;es de disco do Digital UNIX que
+ diretamente no FreeBSD, já a montagem de
+ partições de disco do Digital UNIX que
usam o UFS pode ser um pouco mais complexa,
dependendo dos detalhes do particionamento de disco
- para o sistema operacional em quest&atilde;o.</para>
+ para o sistema operacional em questão.</para>
</listitem>
</varlistentry>
@@ -7115,10 +7115,10 @@ use "disklabel -r" to install initial label</screen>
<listitem>
<para>A partir do 2.2, o FreeBSD suporta
- parti&ccedil;&otilde;es do tipo
+ partições do tipo
<literal>ext2fs</literal>. Veja o
&man.mount.ext2fs.8; para obter mais
- informa&ccedil;&otilde;es.</para>
+ informações.</para>
</listitem>
</varlistentry>
@@ -7127,34 +7127,34 @@ use "disklabel -r" to install initial label</screen>
<listitem>
<para>Existe suporte somente-leitura as
- parti&ccedil;&otilde;es NTFS no FreeBSD. Para obter
- mais informa&ccedil;&otilde;es leia esse tutorial,
+ partições NTFS no FreeBSD. Para obter
+ mais informações leia esse tutorial,
escrito por Mark Ovens em <ulink
url="http://ukug.uk.FreeBSD.org/~mark/ntfs_install.html">http://ukug.uk.FreeBSD.org/~mark/ntfs_install.html</ulink>.</para>
</listitem>
</varlistentry>
</variablelist>
- <para>Mais informa&ccedil;&otilde;es sobre esse assunto
+ <para>Mais informações sobre esse assunto
seriam bem vindas :-)</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="mount-dos">
- <para>Como montar uma parti&ccedil;&atilde;o DOS
- secund&aacute;ria?</para>
+ <para>Como montar uma partição DOS
+ secundária?</para>
</question>
<answer>
- <para>As parti&ccedil;&otilde;es secund&aacute;rias do DOS
- s&atilde;o encontradas depois que TODAS as
- parti&ccedil;&otilde;es prim&aacute;rias foram definidas.
- Por exemplo, se voc&ecirc; tem a parti&ccedil;&atilde;o
- <quote>E</quote> como a segunda parti&ccedil;&atilde;o
- DOS no segundo disco SCSI, ser&aacute; necess&aacute;rio
+ <para>As partições secundárias do DOS
+ são encontradas depois que TODAS as
+ partições primárias foram definidas.
+ Por exemplo, se você tem a partição
+ <quote>E</quote> como a segunda partição
+ DOS no segundo disco SCSI, será necessário
criar um arquivo especial para essa <quote>quinta
- parti&ccedil;&atilde;o</quote> (slice 5) no /dev, depois
+ partição</quote> (slice 5) no /dev, depois
montar /dev/da1s5:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>cd /dev</userinput>
@@ -7182,20 +7182,20 @@ use "disklabel -r" to install initial label</screen>
</question>
<answer>
- <para>Esse procedimento &eacute; um pouco diferente entre o
- FreeBSD 2.2.X e o 3.X (que tem um sistema de inic&iacute;o
+ <para>Esse procedimento é um pouco diferente entre o
+ FreeBSD 2.2.X e o 3.X (que tem um sistema de inicío
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) de 3 fases).</para>
- <para>A id&eacute;ia geral se consiste em copiar os
- primeiros setores da parti&ccedil;&atilde;o raiz nativa do
+ <para>A idéia geral se consiste em copiar os
+ primeiros setores da partição raiz nativa do
FreeBSD e transforma-los em um arquivo, para ser colocado
- dentro da parti&ccedil;&atilde;o DOS/NT. Se assumir-mos
- que voc&ecirc; vai chamar esse arquivo de
+ dentro da partição DOS/NT. Se assumir-mos
+ que você vai chamar esse arquivo de
<filename>c:\bootsect.bsd</filename> (inspirado por
<filename>c:\bootsect.dos</filename>), pode-se
- ent&atilde;o editar o arquivo
+ então editar o arquivo
<filename>c:\boot.ini</filename> de forma a
- carreg&aacute;, mais ou menos assim:</para>
+ carregá, mais ou menos assim:</para>
<programlisting>[boot loader]
timeout=30
@@ -7207,13 +7207,13 @@ C:\="DOS"</programlisting>
<para>No 2.2.X esse procedimento assume que o DOS, o NT, o
FreeBSD, ou o que quer que seja, tenha sido instalado em
- suas parti&ccedil;&otilde;es respectivas do fdisk no
+ suas partições respectivas do fdisk no
<emphasis>mesmo</emphasis> disco. Esse exemplo foi
testado em um sistema onde o DOS &amp; NT estavam
- instalados na primeira parti&ccedil;&atilde;o do fdisk, e
+ instalados na primeira partição do fdisk, e
o FreeBSD na segunda. O FreeBSD havia sido configurado
- para iniciar a partir de sua parti&ccedil;&atilde;o
- nativa, e n&atilde;o pela MBR do disco.</para>
+ para iniciar a partir de sua partição
+ nativa, e não pela MBR do disco.</para>
<para>Monte um disquete formatado em DOS (caso ele tenha
sido convertido para NTFS) ou em FAT, por exemplo, sob o
@@ -7225,7 +7225,7 @@ C:\="DOS"</programlisting>
copie o arquivo <filename>bootsect.bsd</filename> e/ou
arquivo <filename>bootsect.lnx</filename> do disquete para
<filename>C:\</filename>. Modifique os atributos
- originais(permiss&otilde;es) do
+ originais(permissões) do
<filename>boot.ini</filename> com:</para>
<screen><prompt>C:\&gt;</prompt> <userinput>attrib -s -r c:\boot.ini</userinput></screen>
@@ -7239,55 +7239,55 @@ C:\="DOS"</programlisting>
<para>Se o FreeBSD estiver inicializando pela MBR,
reconstrua-a com o comando <command>fdisk</command> do DOS
depois de configurar os sistemas para iniciar a partir de
- suas parti&ccedil;&otilde;es nativas.</para>
+ suas partições nativas.</para>
- <para>No FreeBSD 3.X esse procedimento &eacute; mais
+ <para>No FreeBSD 3.X esse procedimento é mais
simples.</para>
<para>Se o FreeBSD estiver instalado no mesmo disco que a
- parti&ccedil;&atilde;o de inicializa&ccedil;&atilde;o
- (<foreignphrase>boot</foreignphrase>) do NT est&aacute;
+ partição de inicialização
+ (<foreignphrase>boot</foreignphrase>) do NT está
instalada, copie o <filename>/boot/boot1</filename> para
<filename>C:\BOOTSECT.BSD</filename>. Contundo, se o
- FreeBSD estiver em uma parti&ccedil;&atilde;o distinta, o
- <filename>/boot/boot1</filename> n&atilde;o ir&aacute;
+ FreeBSD estiver em uma partição distinta, o
+ <filename>/boot/boot1</filename> não irá
funcionar, nesse caso, o <filename>/boot/boot0</filename>
- ser&aacute; necess&aacute;rio.
+ será necessário.
<warning>
<para>N&Atilde;O COPIE SIMPLESMENTE O
<filename>/boot/boot0</filename> NO LUGAR DO
<filename>/boot/boot1</filename>, POIS A TABELA DE
- PARTI&Ccedil;&Atilde;O SER&Aacute; REESCRITA, E O
- COMPUTADOR SE TORNAR&Aacute; N&Atilde;O
- INICIALIZ&Aacute;VEL!!</para>
+ PARTI&Ccedil;&Atilde;O SERÁ REESCRITA, E O
+ COMPUTADOR SE TORNARÁ N&Atilde;O
+ INICIALIZÁVEL!!</para>
</warning> O <filename>/boot/boot0</filename> precisa ser
instalado com o sysinstall, selecionando o gerenciador de
- inicializa&ccedil;&atilde;o
+ inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) do FreeBSD na tela
- que o programa pergunta se voc&ecirc; deseja usar um
- gerenciador de inicializa&ccedil;&atilde;o(boot manager).
+ que o programa pergunta se você deseja usar um
+ gerenciador de inicialização(boot manager).
Isso se deve ao fato que o
- <filename>/boot/boot0</filename> cont&eacute;m
- informa&ccedil;&otilde;es sobre a &aacute;rea da tabela de
- parti&ccedil;&otilde;es definidas como caracteres nulos,
- mas o sysinstall copia a tabela de parti&ccedil;&otilde;es
+ <filename>/boot/boot0</filename> contém
+ informações sobre a área da tabela de
+ partições definidas como caracteres nulos,
+ mas o sysinstall copia a tabela de partições
antes de copiar o <filename>/boot/boot0</filename> para a
MBR.</para>
- <para>Quando o gerenciador de inicializa&ccedil;&atilde;o
- (<foreignphrase>boot</foreignphrase>) do FreeBSD &eacute;
- executado, ele grava qual &uacute;ltimo sistema
+ <para>Quando o gerenciador de inicialização
+ (<foreignphrase>boot</foreignphrase>) do FreeBSD é
+ executado, ele grava qual último sistema
operacional foi carregado, definindo uma flag de sistema
- ativo na tabela de parti&ccedil;&atilde;o referente aquele
+ ativo na tabela de partição referente aquele
sistema, e depois ele escreve todos os 512 bytes do
- pr&oacute;prio gerenciador de inicializa&ccedil;&atilde;o
+ próprio gerenciador de inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) de volta na MBR,
portanto se o <filename>/boot/boot0</filename>
simplesmente for copiado para
- <filename>C:\BOOTSECT.BSD</filename> ser&aacute; definida
- uma tabela de parti&ccedil;&atilde;o vazia com a flag de
- parti&ccedil;&atilde;o ativa, na MBR.</para>
+ <filename>C:\BOOTSECT.BSD</filename> será definida
+ uma tabela de partição vazia com a flag de
+ partição ativa, na MBR.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -7299,10 +7299,10 @@ C:\="DOS"</programlisting>
<answer>
<para>Caso o FreeBSD e o Linux estejam no mesmo disco, basta
- seguir as instru&ccedil;&otilde;es de
- instala&ccedil;&atilde;o do LILO para carregar sistemas
- operacionais n&atilde;o-Linux. De forma breve, tais
- instru&ccedil;&otilde;es s&atilde;o</para>
+ seguir as instruções de
+ instalação do LILO para carregar sistemas
+ operacionais não-Linux. De forma breve, tais
+ instruções são</para>
<para>Carregue o Linux e adicione as seguintes linhas no
<filename>/etc/lilo.conf</filename>:</para>
@@ -7311,14 +7311,14 @@ C:\="DOS"</programlisting>
table=/dev/hda
label=FreeBSD</programlisting>
- <para>(A defini&ccedil;&atilde;o acima assume que a sua
- parti&ccedil;&atilde;o FreeBSD &eacute; conhecida pelo
+ <para>(A definição acima assume que a sua
+ partição FreeBSD é conhecida pelo
Linux como <devicename>/dev/hda2</devicename>; altere esse
valor para sua necessidade). Depois basta executar o
- comando <command>lilo</command> como usu&aacute;rio
+ comando <command>lilo</command> como usuário
<username>root</username> e deve estar pronto.</para>
- <para>Caso o FreeBSD esteja em um outro disco, ser&aacute;
+ <para>Caso o FreeBSD esteja em um outro disco, será
preciso criar uma entrada
<literal>loader=/boot/chain.b</literal> no LILO. Por
exemplo:</para>
@@ -7328,27 +7328,27 @@ C:\="DOS"</programlisting>
loader=/boot/chain.b
label=FreeBSD</programlisting>
- <para>Em alguns casos &eacute; necess&aacute;rio especificar
- o n&uacute;mero da unidade da BIOS para que o loader do
+ <para>Em alguns casos é necessário especificar
+ o número da unidade da BIOS para que o loader do
FreeBSD consiga carregar o sistema com sucesso, a partir
do segundo disco. Por exemplo, caso o disco SCSI com o
FreeBSD seja reconhecido pela BIOS como o disco 1, na tela
- do carregadir de inicializa&ccedil;&atilde;o
+ do carregadir de inicialização
(<foreignphrase>boot loader</foreignphrase>) do FreeBSD
- ser&aacute; necess&aacute;rio definir:</para>
+ será necessário definir:</para>
<screen>Boot: <userinput>1:da(0,a)/kernel</userinput></screen>
<para>No FreeBSD 2.2.5 e posteriores, o &man.boot.8; pode
ser configurado para que ele automaticamente defina essa
- informa&ccedil;&atilde;o na hora da
- inicializa&ccedil;&atilde;o
+ informação na hora da
+ inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>).</para>
<para>The <ulink
url="http://sunsite.unc.edu/LDP/HOWTO/mini/Linux+FreeBSD.html">
- Linux+FreeBSD mini-HOWTO</ulink> &eacute; uma boa
- refer&ecirc;ncia sobre a utiliza&ccedil;&atilde;o do
+ Linux+FreeBSD mini-HOWTO</ulink> é uma boa
+ referência sobre a utilização do
FreeBSD com o Linux.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -7360,37 +7360,37 @@ C:\="DOS"</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>Instale o LILO no come&ccedil;o da sua
- parti&ccedil;&atilde;o de inicializa&ccedil;&atilde;o
+ <para>Instale o LILO no começo da sua
+ partição de inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) do Linux ao
- inv&eacute;s de instala-lo na MBR. Agora o LILO pode ser
+ invés de instala-lo na MBR. Agora o LILO pode ser
carregado a partir do BootEasy.</para>
- <para>Com Windows 9x e Linux essa &eacute; uma
- a&ccedil;&atilde;o recomendada sempre, para garantir que o
- Linux possa ser iniciado de forma mais f&aacute;cil caso
- seja necess&aacute;rio reinstalar o Windows (que &eacute;
- um sistema operacional que n&atilde;o espera nenhum outro
+ <para>Com Windows 9x e Linux essa é uma
+ ação recomendada sempre, para garantir que o
+ Linux possa ser iniciado de forma mais fácil caso
+ seja necessário reinstalar o Windows (que é
+ um sistema operacional que não espera nenhum outro
sistema na MBR).</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="changing-bootprompt">
- <para>Como eu altero a tela de inicializa&ccedil;&atilde;o
+ <para>Como eu altero a tela de inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) de
<literal>???</literal> para algo mais
significativo?</para>
</question>
<answer>
- <para>Voc&ecirc; n&atilde;o pode alterar esse comportamento
- no gerenciador de inicializa&ccedil;&atilde;o
- (<foreignphrase>boot</foreignphrase>) padr&atilde;o sem
- reescreve-lo. Existem in&uacute;meros outros
- gerenciadores de inicializa&ccedil;&atilde;o
+ <para>Você não pode alterar esse comportamento
+ no gerenciador de inicialização
+ (<foreignphrase>boot</foreignphrase>) padrão sem
+ reescreve-lo. Existem inúmeros outros
+ gerenciadores de inicialização
(<foreignphrase>boot</foreignphrase>) na categoria
- <filename>sysutils</filename> da da cole&ccedil;&atilde;o
+ <filename>sysutils</filename> da da coleção
de <literal>ports</literal>, que oferecem esse
recurso.</para>
</answer>
@@ -7398,76 +7398,76 @@ C:\="DOS"</programlisting>
<qandaentry>
<question id="removable-drives">
- <para>Possuo uma nova unidade de disco remov&iacute;vel,
+ <para>Possuo uma nova unidade de disco removível,
como posso usa-la?</para>
</question>
<answer>
- <para>Ainda que seja uma unidade remov&iacute;vel como um
- ZIP Drive, um EZ Drive (ou at&eacute; um disquete, caso
+ <para>Ainda que seja uma unidade removível como um
+ ZIP Drive, um EZ Drive (ou até um disquete, caso
queira usa-lo dessa maneira), ou um novo disco, uma vez
instalado e reconhecido pelo sistema e assim que o
cartucho/disquete/outra-coisa esteja ligado a unidade em
- quest&atilde;o, as coisas passam a funcionar da mesma
+ questão, as coisas passam a funcionar da mesma
forma para qualquer tipo de dispositivo.</para>
- <para><anchor id="disklabel"/>(essa se&ccedil;&atilde;o
- &eacute; baseada no <ulink
+ <para><anchor id="disklabel"/>(essa seção
+ é baseada no <ulink
url="http://www.vmunix.com/mark/FreeBSD/ZIP-FAQ.html">ZIP
<literal>FAQ</literal> de Mark Mayo</ulink>)</para>
<para>Caso o dispositivo seja um ZIP Drive ou um disquete
- cujo sistema de arquivos j&aacute; tenha sido criado como
- sendo do tipo DOS, o seguinte comando &eacute; o bastante
- para mont&aacute;-lo:</para>
+ cujo sistema de arquivos já tenha sido criado como
+ sendo do tipo DOS, o seguinte comando é o bastante
+ para montá-lo:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>mount -t msdos /dev/fd0c /floppy</userinput></screen>
- <para>caso seja um disquete, ou ent&atilde;o:</para>
+ <para>caso seja um disquete, ou então:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>mount -t msdos /dev/da2s4 /zip</userinput></screen>
<para>caso seja um disco ZIP com as
- configura&ccedil;&otilde;es de f&aacute;brica.</para>
+ configurações de fábrica.</para>
- <para>Para outros tipos de disco, veja como eles s&atilde;o
+ <para>Para outros tipos de disco, veja como eles são
tratados, usando o &man.fdisk.8; ou
&man.sysinstall.8;.</para>
- <para>Os pr&oacute;ximos exemplos ser&atilde;o para um ZIP
+ <para>Os próximos exemplos serão para um ZIP
Drive controlado pela device da2, ou seja, correspondente
ao terceiro disco SCSI.</para>
- <para>A n&atilde;o ser que se trate de um disquete ou de um
- disco remov&iacute;vel que se planeje compartilhar com
- outras pessoas, provavelmente &eacute; mais sensata a
- id&eacute;ia de colocar um sistema de arquivos do tipo BSD
+ <para>A não ser que se trate de um disquete ou de um
+ disco removível que se planeje compartilhar com
+ outras pessoas, provavelmente é mais sensata a
+ idéia de colocar um sistema de arquivos do tipo BSD
nesse disco. Um sistema de arquivos desse tipo
possibilita usar o suporte a nomes longos de arquivos, ter
uma performance de, pelo menos 2x, e oferece muito mais
- estabilidade e confian&ccedil;a. O primeiro passo
- &eacute; redefinir a parti&ccedil;&atilde;o DOS da unidade
- remov&iacute;vel de forma que a mesma passe a ser do tipo
+ estabilidade e confiança. O primeiro passo
+ é redefinir a partição DOS da unidade
+ removível de forma que a mesma passe a ser do tipo
BSD; o &man.fdisk.8; ou
<filename>/stand/sysinstall</filename> podem ser usados
- para esse fim, em um disco pequeno onde n&atilde;o se
- queira preocupa&ccedil;&otilde;es quanto a possibilidade
- de manter suporte a m&uacute;ltiplos sistemas
+ para esse fim, em um disco pequeno onde não se
+ queira preocupações quanto a possibilidade
+ de manter suporte a múltiplos sistemas
operacionais. Nesse caso simplesmente elimine toda a
- parti&ccedil;&atilde;o FAT do disco e use o particionador
+ partição FAT do disco e use o particionador
do BSD:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>dd if=/dev/zero of=/dev/rda2 count=2</userinput>
&prompt.root; <userinput>disklabel -Brw da2 auto</userinput></screen>
<para>O disklabel ou <filename>/stand/sysinstall</filename>
- podem ser usados para criar m&uacute;ltiplas
- parti&ccedil;&otilde;es do tipo BSD. Certamente o
- usu&aacute;rio vai querer criar mais de uma
- parti&ccedil;&atilde;o BSD se a inten&ccedil;&atilde;o for
- criar espa&ccedil;o de Swap. De qualquer forma, esse tipo
- de a&ccedil;&atilde;o &eacute; irrelevante em um disco
- remov&iacute;vel do tipo ZIP.</para>
+ podem ser usados para criar múltiplas
+ partições do tipo BSD. Certamente o
+ usuário vai querer criar mais de uma
+ partição BSD se a intenção for
+ criar espaço de Swap. De qualquer forma, esse tipo
+ de ação é irrelevante em um disco
+ removível do tipo ZIP.</para>
<para>Finalmente, crie um novo sistema de arquivos como
esse, que usa todo o disco em um ZIP Drive:</para>
@@ -7478,10 +7478,10 @@ C:\="DOS"</programlisting>
<screen>&prompt.root; <userinput>mount /dev/da2c /zip</userinput></screen>
- <para>provavelmente &eacute; uma boa id&eacute;ia adicionar
+ <para>provavelmente é uma boa idéia adicionar
uma entrada no <filename>/etc/fstab</filename> para
facilitar o processo de montagem dessa unidade(veja
- &man.fstab.5;)de forma que seja apenas necess&aacute;rio
+ &man.fstab.5;)de forma que seja apenas necessário
digitar o comando <command>mount /zip</command> no
futuro:</para>
@@ -7496,13 +7496,13 @@ C:\="DOS"</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>&Eacute; necess&aacute;rio avisar ao &man.mount.8; que
- tipo de unidade est&aacute; sendo montada. Essa
- defini&ccedil;&atilde;o &eacute; tratada com mais detalhes
+ <para>É necessário avisar ao &man.mount.8; que
+ tipo de unidade está sendo montada. Essa
+ definição é tratada com mais detalhes
em <ulink url="../handbook/creating-cds.html"> na
- se&ccedil;&atilde;o de m&iacute;dias &oacute;pticas do
+ seção de mídias ópticas do
&a.ptbr.p.handbook; </ulink>, mais precisamente na
- se&ccedil;&atilde;o <ulink
+ seção <ulink
url="../handbook/creating-cds.html#MOUNTING-CD">Usando
CDs de Dados</ulink>.</para>
</answer>
@@ -7516,37 +7516,37 @@ C:\="DOS"</programlisting>
<answer>
<para>Geralmente esse tipo de comportamento indica que
- n&atilde;o existe nenhum CD na unidade de CDROM, ou
- ent&atilde;o, que o CD em quest&atilde;o n&atilde;o
- &eacute; vis&iacute;vel ao barramento de dados do seu PC,
- comum quando um CD-RW n&atilde;o pode ser lido por um
+ não existe nenhum CD na unidade de CDROM, ou
+ então, que o CD em questão não
+ é visível ao barramento de dados do seu PC,
+ comum quando um CD-RW não pode ser lido por um
drive tradicional. Por gentileza, queira referir-se a
<ulink
url="../handbook/creating-cds.html#MOUNTING-CD">Usando
- CDs de Dados </ulink> da se&ccedil;&atilde;o do
- &a.ptbr.p.handbook; para uma discuss&atilde;o mais
+ CDs de Dados </ulink> da seção do
+ &a.ptbr.p.handbook; para uma discussão mais
detalhada sobre esse assunto.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="cdrom-unicode-filenames">
- <para>Porque todos caracteres n&atilde;o-Ingl&ecirc;s
- s&atilde;o apresentados como <quote>?</quote> no sistema
+ <para>Porque todos caracteres não-Inglês
+ são apresentados como <quote>?</quote> no sistema
de arquivos do CD que acabou de ser montado no
FreeBSD?</para>
</question>
<answer>
- <para>Provavelmente seu CDROM usa extens&otilde;es
+ <para>Provavelmente seu CDROM usa extensões
<quote>Joliet</quote> para armazenar
- informa&ccedil;&otilde;es sobre tipos de arquivos e
- diret&oacute;rios. Esse assunto &eacute; discutido no
- cap&iacute;tulo de <ulink
+ informações sobre tipos de arquivos e
+ diretórios. Esse assunto é discutido no
+ capítulo de <ulink
url="../handbook/creating-cds.html">
- Cria&ccedil;&atilde;o e Uso de CDROMs do
+ Criação e Uso de CDROMs do
&a.ptbr.p.handbook;</ulink>, mais precisamente na
- se&ccedil;&atilde;o <ulink
+ seção <ulink
url="../handbook/creating-cds.html#MOUNTING-CD">de Uso
de CDs de Dados</ulink>.</para>
</answer>
@@ -7555,18 +7555,18 @@ C:\="DOS"</programlisting>
<qandaentry>
<question id="burncd-isofs">
<para>Eu queimei um CD no FreeBSD e agora esse disco
- n&atilde;o pode ser lido em nenhum outro sistema
+ não pode ser lido em nenhum outro sistema
operacional. Por que?</para>
</question>
<answer>
- <para>Provavelmente voc&ecirc; queimou um CD de forma crua
- (usando raw mode) no seu sistema, ao inv&eacute;s de criar
- um sistema de arquivos do tipo ISO 9660. D&ecirc; uma
+ <para>Provavelmente você queimou um CD de forma crua
+ (usando raw mode) no seu sistema, ao invés de criar
+ um sistema de arquivos do tipo ISO 9660. Dê uma
olhada no <ulink url="../handbook/creating-cds.html">
- Cap&iacute;tulo de Cria&ccedil;&atilde;o de CDROMs do
- &a.ptbr.p.handbook;</ulink>, em espec&iacute;fico na
- se&ccedil;&atilde;o <ulink
+ Capítulo de Criação de CDROMs do
+ &a.ptbr.p.handbook;</ulink>, em específico na
+ seção <ulink
url="../handbook/creating-cds.html#RAWDATA-CD">criando
CDS de dados puros</ulink>.</para>
</answer>
@@ -7578,74 +7578,74 @@ C:\="DOS"</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>A cria&ccedil;&atilde;o de imagens de CDs de dados
- &eacute; discutida na se&ccedil;&atilde;o <ulink
+ <para>A criação de imagens de CDs de dados
+ é discutida na seção <ulink
url="../handbook/creating-cds.html#IMAGING-CD">duplicando
CDs de dados do &a.ptbr.p.handbook;</ulink>. Para mais
- informa&ccedil;&otilde;es sobre unidades &oacute;pticas,
- por gentileza, queira referir-se a se&ccedil;&atilde;o
+ informações sobre unidades ópticas,
+ por gentileza, queira referir-se a seção
<ulink url="../handbook/creating-cds.html">
- Cria&ccedil;&atilde;o de CDs</ulink> no cap&iacute;tulo
+ Criação de CDs</ulink> no capítulo
de Armazenamento do &a.ptbr.p.handbook;.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="mount-audio-CD">
- <para>Por que um CD de &aacute;udio n&atilde;o pode ser
+ <para>Por que um CD de áudio não pode ser
montado com o comando <command>mount</command>?</para>
</question>
<answer>
- <para>Ao tentar montar um CD de &aacute;udio, o mais
- prov&aacute;vel &eacute; que ocorra um erro do tipo
+ <para>Ao tentar montar um CD de áudio, o mais
+ provável é que ocorra um erro do tipo
<errorname>cd9660: /dev/acd0c: Invalid
argument</errorname>. Isso se deve ao fato que o
comando <command>mount</command> trabalha exclusivamente
- com sistema de arquivos, o que n&atilde;o &eacute; o caso
- de CDs de &aacute;udio. CDs de &aacute;udio cont&eacute;m
- apenas dados, e por isso &eacute; necess&aacute;rio alguma
- aplica&ccedil;&atilde;o capaz de ler tais CDs. Use algum
+ com sistema de arquivos, o que não é o caso
+ de CDs de áudio. CDs de áudio contém
+ apenas dados, e por isso é necessário alguma
+ aplicação capaz de ler tais CDs. Use algum
programa como o <filename
role="package">audio/xmcd</filename>na
- cole&ccedil;&atilde;o de <literal>Ports</literal> do
+ coleção de <literal>Ports</literal> do
FreeBSD para ler dados em CDs desse tipo.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="multi-session-CD">
- <para>Como eu monto um CD com m&uacute;ltiplas
- sess&otilde;es de grava&ccedil;&atilde;o?</para>
+ <para>Como eu monto um CD com múltiplas
+ sessões de gravação?</para>
</question>
<answer>
- <para>Por padr&atilde;o, o &man.mount.8; tenta montar a
- &uacute;ltima trilha de dados (sess&atilde;o) de um CD.
- Caso queira montar uma sess&atilde;o anterior pode-se usar
+ <para>Por padrão, o &man.mount.8; tenta montar a
+ última trilha de dados (sessão) de um CD.
+ Caso queira montar uma sessão anterior pode-se usar
o argumento <option>-s</option> na linha de comando em
- quest&atilde;o. Por gentileza, refira-se a p&aacute;gina
+ questão. Por gentileza, refira-se a página
de manual do comando &man.mount.cd9660.8; para obter
- exemplos espec&iacute;ficos do uso dessa e de outras
- op&ccedil;&otilde;es.</para>
+ exemplos específicos do uso dessa e de outras
+ opções.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="user-floppymount">
- <para>Como posso permitir que usu&aacute;rios comuns montem
- disquetes, CDROMs e outros tipos de m&iacute;dia
- remov&iacute;vel?</para>
+ <para>Como posso permitir que usuários comuns montem
+ disquetes, CDROMs e outros tipos de mídia
+ removível?</para>
</question>
<answer>
- <para>Usu&aacute;rios comuns podem ter a permiss&atilde;o de
+ <para>Usuários comuns podem ter a permissão de
montar dispositivos. Veja como:</para>
<procedure>
<step>
<para>Como <username>root</username> defina a
- vari&aacute;vel <varname>vfs.usermount</varname> do
+ variável <varname>vfs.usermount</varname> do
sysctl para <literal>1</literal>.</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>sysctl -w vfs.usermount=1</userinput></screen>
@@ -7653,17 +7653,17 @@ C:\="DOS"</programlisting>
<step>
<para>Como <username>root</username> defina as
- permiss&otilde;es apropriadas nos dispositivos
- associados ao controle da m&iacute;dia
- remov&iacute;vel.</para>
+ permissões apropriadas nos dispositivos
+ associados ao controle da mídia
+ removível.</para>
- <para>Por exemplo, para permitir que os usu&aacute;rios
+ <para>Por exemplo, para permitir que os usuários
possam montar a primeira unidade de disquete,
use:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>chmod 666 /dev/fd0</userinput></screen>
- <para>Para permitir que os usu&aacute;rios do grupo
+ <para>Para permitir que os usuários do grupo
<groupname>operator</groupname> montem a unidade de
CDROM, use:</para>
@@ -7673,42 +7673,42 @@ C:\="DOS"</programlisting>
<step>
<para>Finalmente, para tornar essa
- altera&ccedil;&atilde;o permanente, adicione a linha
+ alteração permanente, adicione a linha
<literal><varname> vfs.usermount</varname>=1</literal>
no arquivo
<filename>/etc/sysctl.conf</filename>.</para>
</step>
</procedure>
- <para>Agora todos os usu&aacute;rios podem montar qualquer
+ <para>Agora todos os usuários podem montar qualquer
disquete no <devicename>/dev/fd0</devicename> em algum
- ponto de montagem que lhes perten&ccedil;a:</para>
+ ponto de montagem que lhes pertença:</para>
<screen>&prompt.user; <userinput>mkdir ~/my-mount-point</userinput>
&prompt.user; <userinput>mount -t msdos /dev/fd0 ~/my-mount-point</userinput></screen>
- <para>Os usu&aacute;rios no grupo
- <groupname>operator</groupname> agora tem permiss&atilde;o
+ <para>Os usuários no grupo
+ <groupname>operator</groupname> agora tem permissão
para montar os CDs no <devicename>/dev/cd0c</devicename>
em qualquer ponto de montagem que lhes
- perten&ccedil;a:</para>
+ pertença:</para>
<screen>&prompt.user; <userinput>mkdir ~/my-mount-point</userinput>
&prompt.user; <userinput>mount -t msdos /dev/cd0c ~/my-mount-point</userinput></screen>
- <para>Desmontar o dispositivo &eacute; extremamente
+ <para>Desmontar o dispositivo é extremamente
simples:</para>
<screen>&prompt.user; <userinput>umount <filename>~/my-mount-point</filename></userinput></screen>
- <para>Contudo, habilitar a op&ccedil;&atilde;o
+ <para>Contudo, habilitar a opção
<varname>vfs.usermount</varname>, contudo, causa algumas
- implic&acirc;ncias quanto ao quesito seguran&ccedil;a;. A
- forma mais racional de acessar m&iacute;dia do tipo MSDOS
- no FreeBSD &eacute; usando a aplica&ccedil;&atilde;o
+ implicâncias quanto ao quesito segurança;. A
+ forma mais racional de acessar mídia do tipo MSDOS
+ no FreeBSD é usando a aplicação
<ulink
url="http://www.FreeBSD.org/cgi/ports.cgi?query=%5Emtools-&amp;stype=name">mtools
- </ulink>, dispon&iacute;vel na Cole&ccedil;&atilde;o de
+ </ulink>, disponível na Coleção de
<literal>Ports</literal>.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -7717,96 +7717,96 @@ C:\="DOS"</programlisting>
<question id="du-vs-df">
<para>Os comandos <command>du</command> e
<command>df</command> apresentam quantias distintas de
- espa&ccedil;o em disco dispon&iacute;vel. O que
- est&aacute; havendo?</para>
+ espaço em disco disponível. O que
+ está havendo?</para>
</question>
<answer>
- <para>&Eacute; necess&aacute;rio entender o que os comandos
+ <para>É necessário entender o que os comandos
<command>du</command> e <command>df</command> realmente
- fazem. O <command>du</command> percorre a &aacute;rvore
- de diret&oacute;rios medindo o tamanho de cada arquivo e
+ fazem. O <command>du</command> percorre a árvore
+ de diretórios medindo o tamanho de cada arquivo e
apresentando o total da soma de todos os arquivos
- encontrados em um dado diret&oacute;rio, e posteriormente
- apresentando a soma de ambos subdiret&oacute;rios no
- diret&oacute;rio de n&iacute;vel seguinte,
+ encontrados em um dado diretório, e posteriormente
+ apresentando a soma de ambos subdiretórios no
+ diretório de nível seguinte,
<command>df</command> simplesmente pergunta ao sistema de
- arquivos quanto espa&ccedil;o ainda lhe resta. Parece o
+ arquivos quanto espaço ainda lhe resta. Parece o
mesmo comportamento, mas um arquivo alocado fora de um
- diret&oacute;rio, por exemplo, afeta os dados apresentados
- pelo <command>df</command>, mas n&atilde;o afeta o
+ diretório, por exemplo, afeta os dados apresentados
+ pelo <command>df</command>, mas não afeta o
<command>du</command>.</para>
- <para>Quando um programa est&aacute; usando algum arquivo, e
- este &eacute; apagado, o arquivo n&atilde;o &eacute;
- retirado do sistema de arquivos at&eacute; que o programa
- em quest&atilde;o pare de us&aacute;-lo. Contudo, esse
- arquivo &eacute; imediatamente deletado da listagem de
- diret&oacute;rios; isso pode ser mais bem observado com
+ <para>Quando um programa está usando algum arquivo, e
+ este é apagado, o arquivo não é
+ retirado do sistema de arquivos até que o programa
+ em questão pare de usá-lo. Contudo, esse
+ arquivo é imediatamente deletado da listagem de
+ diretórios; isso pode ser mais bem observado com
algum paginador como o <command>more</command>. Por
exemplo, assuma que existe um arquivo grande o bastante
- que sua presen&ccedil;a seja percept&iacute;vel claramente
- na sa&iacute;da dos comandos <command>du</command> e
+ que sua presença seja perceptível claramente
+ na saída dos comandos <command>du</command> e
<command>df</command>. (Considerando que hoje em dia os
- discos s&atilde;o bem grandes, o arquivo em quest&atilde;o
+ discos são bem grandes, o arquivo em questão
deve ser um arquivo de tamanho <emphasis>extremamente
- consider&aacute;vel!</emphasis>) Caso o arquivo seja
+ considerável!</emphasis>) Caso o arquivo seja
apagado em quanto ele esteja sendo paginado com o
<command>more</command>, pode-se perceber que o
- <command>more</command> n&atilde;o passa a reclamar que o
- arquivo n&atilde;o pode mais ser visualizado no mesmo
- instante. Contudo, a listagem, do diret&oacute;rio em
- quest&atilde;o n&atilde;o apresentar&aacute; mais esse
- arquivo, de forma que nenhum usu&aacute;rio ou outro
- programa possa acess&aacute;-lo. A entrada do arquivo no
- diret&oacute;rio &eacute; simplesmente removida. O
+ <command>more</command> não passa a reclamar que o
+ arquivo não pode mais ser visualizado no mesmo
+ instante. Contudo, a listagem, do diretório em
+ questão não apresentará mais esse
+ arquivo, de forma que nenhum usuário ou outro
+ programa possa acessá-lo. A entrada do arquivo no
+ diretório é simplesmente removida. O
<command>du</command> vai mostrar que esse arquivo
- n&atilde;o existe mais &mdash; -- afinal, o du percorreu
- todo o diret&oacute;rio e n&atilde;o encontrou esse
+ não existe mais &mdash; -- afinal, o du percorreu
+ todo o diretório e não encontrou esse
arquivo listado -- contudo o <command>df</command> mostra
que o arquivo continua no disco, pois o sistema de
arquivos sabe que o <command>more</command> continua
- usando aquele espa&ccedil;o de dados que se encontram no
- disco. Uma vez terminada a sess&atilde;o do
+ usando aquele espaço de dados que se encontram no
+ disco. Uma vez terminada a sessão do
<command>more</command>,<command>du</command> e
- <command>df</command> concordar&atilde;o entre si.</para>
+ <command>df</command> concordarão entre si.</para>
<para>Note que em sistemas de arquivos com softupdates, a
- libera&ccedil;&atilde;o de espa&ccedil;o em disco
- tamb&eacute;m pode ser atrasada em at&eacute; 30 segundos
- dependendo da situa&ccedil;&atilde;o; apenas depois desse
- tempo, a altera&ccedil;&atilde;o em disco ser&aacute;
- vis&iacute;vel!</para>
-
- <para>Esse comportamento &eacute; comum e f&aacute;cil de
- ser observado em Servidores Web. Muitos usu&aacute;rios
+ liberação de espaço em disco
+ também pode ser atrasada em até 30 segundos
+ dependendo da situação; apenas depois desse
+ tempo, a alteração em disco será
+ visível!</para>
+
+ <para>Esse comportamento é comum e fácil de
+ ser observado em Servidores Web. Muitos usuários
configuram algum Servidor Web no FreeBSD e se esquecem de
- rotacionar os arquivos de log da aplica&ccedil;&atilde;o,
+ rotacionar os arquivos de log da aplicação,
os quais entopem o <filename>/var</filename>. O novo
administrador do sistema deleta os arquivos de log em
- quest&atilde;o, mas o sistema operacional continua
- reclamando que a parti&ccedil;&atilde;o est&aacute; cheia,
- at&eacute; que o Servidor Web seja desligado e religado,
- de forma que a aplica&ccedil;&atilde;o libera o arquivo e
+ questão, mas o sistema operacional continua
+ reclamando que a partição está cheia,
+ até que o Servidor Web seja desligado e religado,
+ de forma que a aplicação libera o arquivo e
permite que o sistema apague o arquivo, recuperando o
- espa&ccedil;o em disco em quest&atilde;o. Para prevenir
+ espaço em disco em questão. Para prevenir
que isso ocorra, configure o &man.newsyslog.8;.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="add-swap-space">
- <para>Como eu posso adicionar mais espa&ccedil;o para
+ <para>Como eu posso adicionar mais espaço para
<foreignphrase>swap</foreignphrase>?</para>
</question>
<answer>
- <para>No cap&iacute;tulo <ulink
- url="../handbook/config-tuning.html">Configura&ccedil;&atilde;o
+ <para>No capítulo <ulink
+ url="../handbook/config-tuning.html">Configuração
e Ajuste Fino
(<foreignphrase>Tuning</foreignphrase>)</ulink> do
&a.ptbr.p.handbook;, pode ser encontrada uma <ulink
- url="../handbook/adding-swap-space.html">se&ccedil;&atilde;o
+ url="../handbook/adding-swap-space.html">seção
</ulink> descrevendo como fazer isto.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -7814,37 +7814,37 @@ C:\="DOS"</programlisting>
</chapter>
<chapter id="admin">
- <title>Administra&ccedil;&atilde;o do Sistema</title>
+ <title>Administração do Sistema</title>
<qandaset>
<qandaentry>
<question id="startup-config-files">
- <para>Onde est&atilde;o os arquivos que configuram a
- inicializa&ccedil;&atilde;o do sistema ?</para>
+ <para>Onde estão os arquivos que configuram a
+ inicialização do sistema ?</para>
</question>
<answer>
- <para>Do FreeBSD 2.0.5R at&eacute; o 2.2.1R, o arquivo de
- configura&ccedil;&otilde;es prim&aacute;rio &eacute; o
+ <para>Do FreeBSD 2.0.5R até o 2.2.1R, o arquivo de
+ configurações primário é o
<filename>/etc/sysconfig</filename>. Todas as
- op&ccedil;&otilde;es devem ser definidas nesse arquivo ou
- ent&atilde;o em outros, como o
+ opções devem ser definidas nesse arquivo ou
+ então em outros, como o
<filename>/etc/rc</filename> (veja o manual para o
&man.rc.8;) e o <filename>/etc/netstart</filename></para>
- <para>D&ecirc; uma olhada no
+ <para>Dê uma olhada no
<filename>/etc/sysconfig</filename> e altere as
- vari&aacute;veis de acordo com o que voc&ecirc; quer
- configurar no seu sistema. O arquivo &eacute; repleto de
- coment&aacute;rios que auxiliam a correta
- defini&ccedil;&atilde;o dos valores a serem
+ variáveis de acordo com o que você quer
+ configurar no seu sistema. O arquivo é repleto de
+ comentários que auxiliam a correta
+ definição dos valores a serem
definidos.</para>
- <para>A partir do 2.2.1 at&eacute; o 3.0, o
+ <para>A partir do 2.2.1 até o 3.0, o
<filename>/etc/sysconfig</filename> foi renomeado para
- &man.rc.conf.5;, que &eacute; auto-descritivo, e cuja
+ &man.rc.conf.5;, que é auto-descritivo, e cuja
sintaxe foi melhorada no processo de
- substitui&ccedil;&atilde;o. O
+ substituição. O
<filename>/etc/netstart</filename> agora se chama
<filename>/etc/rc.network</filename>, de forma que todos
os arquivos possam ser copiados com um simples comando
@@ -7853,46 +7853,46 @@ C:\="DOS"</programlisting>
<para>E depois, a partir do FreeBSD 3.1, o
<filename>/etc/rc.conf</filename> foi alterado para o
<filename>/etc/defaults/rc.conf</filename>.
- <emphasis>N&atilde;o edite esse arquivo!</emphasis> Ao
- inv&eacute;s disso, para todas as entradas que voc&ecirc;
+ <emphasis>Não edite esse arquivo!</emphasis> Ao
+ invés disso, para todas as entradas que você
queira alterar no
<filename>/etc/defaults/rc.conf</filename>, basta apenas
- copiar a linha relativa &agrave; essa entrada para o
+ copiar a linha relativa à essa entrada para o
<filename>/etc/rc.conf</filename> e depois modificar seu
valor.</para>
<para>Por exemplo, caso deseje iniciar o named, o servidor
- DNS dispon&iacute;vel no FreeBSD, a partir do FreeBSD 3.1
+ DNS disponível no FreeBSD, a partir do FreeBSD 3.1
basta fazer isso:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>echo named_enable="YES" &gt;&gt; /etc/rc.conf</userinput></screen>
- <para>Para iniciar servi&ccedil;os locais no FreeBSD 3.1 e
+ <para>Para iniciar serviços locais no FreeBSD 3.1 e
posteriores, basta colocar os scripts shell de
- inicializa&ccedil;&atilde;o desses servi&ccedil;os no
- diret&oacute;rio <filename>/usr/local/etc/rc.d</filename>.
- Tais shell scripts devem ser execut&aacute;veis e
- terminarem com a extens&atilde;o .sh. No FreeBSD 3.0 ou
+ inicialização desses serviços no
+ diretório <filename>/usr/local/etc/rc.d</filename>.
+ Tais shell scripts devem ser executáveis e
+ terminarem com a extensão .sh. No FreeBSD 3.0 ou
anteriores, o arquivo <filename>/etc/rc.local</filename>
- era a &uacute;nica op&ccedil;&atilde;o para iniciar
- servi&ccedil;os/processos locais automaticamente.</para>
+ era a única opção para iniciar
+ serviços/processos locais automaticamente.</para>
- <para>O arquivo <filename>/etc/rc.serial</filename> &eacute;
- usado para a inicializa&ccedil;&atilde;o de portas seriais
- (por exemplo, para definir as caracter&iacute;sticas das
+ <para>O arquivo <filename>/etc/rc.serial</filename> é
+ usado para a inicialização de portas seriais
+ (por exemplo, para definir as características das
portas, e assim por diante).</para>
- <para>O arquivo <filename>/etc/rc.i386</filename> &eacute;
- usado para configura&ccedil;&otilde;es espec&iacute;ficas
- de sistemas Intel e compat&iacute;veis, como por exemplo,
- emula&ccedil;&atilde;o iBCS2 ou defini&ccedil;&otilde;es
+ <para>O arquivo <filename>/etc/rc.i386</filename> é
+ usado para configurações específicas
+ de sistemas Intel e compatíveis, como por exemplo,
+ emulação iBCS2 ou definições
do sistema de console dos PC.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="adding-users">
- <para>Como posso adicionar um usu&aacute;rio de forma
+ <para>Como posso adicionar um usuário de forma
simples?</para>
</question>
@@ -7901,9 +7901,9 @@ C:\="DOS"</programlisting>
mais complexa (e mais completa), use o comando
&man.pw.8;.</para>
- <para>Para remover o usu&aacute;rio do sistema, use o
+ <para>Para remover o usuário do sistema, use o
comando &man.rmuser.8;. Mais uma vez, o &man.pw.8;
- tamb&eacute;m funciona muito bem nesse caso.</para>
+ também funciona muito bem nesse caso.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -7915,50 +7915,50 @@ C:\="DOS"</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>Normalmente esse &eacute; um problema causado ao se
+ <para>Normalmente esse é um problema causado ao se
editar o crontab do sistema
(<filename>/etc/crontab</filename>) e depois usar o
&man.crontab.1; para instala-lo:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>crontab /etc/crontab</userinput></screen>
- <para>Essa n&atilde;o &eacute; a forma correta de fazer as
+ <para>Essa não é a forma correta de fazer as
coisas. O crontab do sistema tem um formato distinto do
- crontab dos usu&aacute;rios, o qual o &man.crontab.1;
+ crontab dos usuários, o qual o &man.crontab.1;
atualiza (o manual do &man.crontab.5; explica tais
- diferen&ccedil;as de forma mais detalhada).</para>
+ diferenças de forma mais detalhada).</para>
- <para>Caso voc&ecirc; tenha cometido esse engano, o novo
- crontab &eacute; uma simples c&oacute;pia do
+ <para>Caso você tenha cometido esse engano, o novo
+ crontab é uma simples cópia do
<filename>/etc/crontab</filename>, ou seja, com um formato
errado. Apague-o com o comando:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>crontab -r</userinput></screen>
- <para>Da pr&oacute;xima vez que editar o
+ <para>Da próxima vez que editar o
<filename>/etc/crontab</filename>, nenhuma
- a&ccedil;&atilde;o precisa ser tomada para avisar o
- &man.cron.8; das altera&ccedil;&otilde;es. Ele vai
- perceber as mudan&ccedil;as automaticamente.</para>
+ ação precisa ser tomada para avisar o
+ &man.cron.8; das alterações. Ele vai
+ perceber as mudanças automaticamente.</para>
- <para>Caso queira executar alguma tarefa di&aacute;ria,
- semanal ou mensal, &eacute; mais indicado adicionar alguns
+ <para>Caso queira executar alguma tarefa diária,
+ semanal ou mensal, é mais indicado adicionar alguns
scripts de shell sob o
<filename>/usr/local/etc/periodic</filename> e deixar o
programa &man.periodic.8;, chamado a partir da tabela cron
do sistema, cuidar das suas tarefas assim como ele faz com
as outras tarefas pertinentes ao sistema.</para>
- <para>A &uacute;nica raz&atilde;o para esse erro &eacute;
+ <para>A única razão para esse erro é
que a tabela de cron do sistema tem um campo a mais, que
- especifica o usu&aacute;rio que deve executar o comando.
- No crontab do sistema padr&atilde;o do FreeBSD, esse
- usu&aacute;rio &eacute; o <username>root</username>, em
- todas as entradas. Quando essa crontab &eacute; usada
+ especifica o usuário que deve executar o comando.
+ No crontab do sistema padrão do FreeBSD, esse
+ usuário é o <username>root</username>, em
+ todas as entradas. Quando essa crontab é usada
como a tabela de cron do <username>root</username> (que
- &eacute; diferente da tabela de cron do sistema), o
+ é diferente da tabela de cron do sistema), o
&man.cron.8; assume que a string <username>root</username>
- fosse um primeiro comando, mas esse comando n&atilde;o
+ fosse um primeiro comando, mas esse comando não
existe, por isso ocorre o erro.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -7971,24 +7971,24 @@ C:\="DOS"</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>Essa &eacute; uma caracter&iacute;stica de
- seguran&ccedil;a do FreeBSD. Para se tornar
+ <para>Essa é uma característica de
+ segurança do FreeBSD. Para se tornar
<username>root</username> com o su (ou qualquer outro
- usu&aacute;rio com privil&eacute;gios de super
- usu&aacute;rio), &eacute; preciso fazer parte do grupo
+ usuário com privilégios de super
+ usuário), é preciso fazer parte do grupo
<groupname>wheel</groupname>. Sem essa
- caracter&iacute;stica, qualquer usu&aacute;rio com uma
- conta v&aacute;lida no sistema que soubesse a senha de
- <username>root</username> poderia obter privil&eacute;gios
- de super usu&aacute;rio. Por causa do comportamento
- atual, essa afirma&ccedil;&atilde;o n&atilde;o &eacute;
- verdadeira, uma vez que o su n&atilde;o vai nem permitir
- que o usu&aacute;rio d&ecirc; a senha de
- <username>root</username>, caso ele n&atilde;o esteja no
+ característica, qualquer usuário com uma
+ conta válida no sistema que soubesse a senha de
+ <username>root</username> poderia obter privilégios
+ de super usuário. Por causa do comportamento
+ atual, essa afirmação não é
+ verdadeira, uma vez que o su não vai nem permitir
+ que o usuário dê a senha de
+ <username>root</username>, caso ele não esteja no
grupo <groupname>wheel</groupname>.</para>
- <para>Para permitir que algum usu&aacute;rio se torne
- <username>root</username>, basta que ele fa&ccedil;a parte
+ <para>Para permitir que algum usuário se torne
+ <username>root</username>, basta que ele faça parte
do grupo <groupname>wheel</groupname>.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -7996,43 +7996,43 @@ C:\="DOS"</programlisting>
<qandaentry>
<question id="rcconf-readonly">
<para>Cometi um erro no <filename>rc.conf</filename>, ou em
- algum outro arquivo de inicializa&ccedil;&atilde;o, e
- agora n&atilde;o posso corrigir essa
- altera&ccedil;&atilde;o porque o sistema de arquivos
- &eacute; apenas-leitura. O que devo fazer?</para>
+ algum outro arquivo de inicialização, e
+ agora não posso corrigir essa
+ alteração porque o sistema de arquivos
+ é apenas-leitura. O que devo fazer?</para>
</question>
<answer>
- <para>Nessa situa&ccedil;&atilde;o, o comportamento esperado
- &eacute; que o sistema entre em modo monousu&aacute;rio e
- pe&ccedil;a o caminho completo para o seu interpretador de
+ <para>Nessa situação, o comportamento esperado
+ é que o sistema entre em modo monousuário e
+ peça o caminho completo para o seu interpretador de
comandos (sua shell). Basta confirmar a shell
- padr&atilde;o, que ele oferece, com um simples
+ padrão, que ele oferece, com um simples
<literal>ENTER</literal>, e depois executar um
<command>mount /</command> para remontar o sistema de
arquivos raiz ( / ) em modo leitura/escrita (rw).
- Tamb&eacute;m pode ser necess&aacute;rio executar um
+ Também pode ser necessário executar um
<command>mount -a -t ufs</command> para montar o sistema
de arquivos onde o seu editor de texto preferido vai estar
- dispon&iacute;vel. Caso seu editor esteja em um sistema
- de arquivos da rede, ser&aacute; necess&aacute;rio
+ disponível. Caso seu editor esteja em um sistema
+ de arquivos da rede, será necessário
configurar a rede manualmente, ou usar um editor
- dispon&iacute;vel localmente, como o &man.ed.1;.</para>
+ disponível localmente, como o &man.ed.1;.</para>
<para>Caso queira usar um editor de tela inteira como o
- &man.vi.1; ou &man.emacs.1;, ser&aacute; necess&aacute;rio
- definir a vari&aacute;vel de ambiente TERM como do tipo
+ &man.vi.1; ou &man.emacs.1;, será necessário
+ definir a variável de ambiente TERM como do tipo
cons25, bastando um simples export TERM=cons25, de forma
que tais editores possam carregar as
- informa&ccedil;&otilde;es corretas da base de dados do
+ informações corretas da base de dados do
&man.termcap.5;.</para>
<para>Depois disso, o <filename>/etc/rc.conf</filename> pode
- ser editado normalmente, e a sintaxe problem&aacute;tica,
+ ser editado normalmente, e a sintaxe problemática,
corrigida. A mensagem de erro apresentada imediatamente
- ap&oacute;s o carregamento do
+ após o carregamento do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> indica o
- n&uacute;mero da linha e o arquivo onde o erro
+ número da linha e o arquivo onde o erro
aconteceu.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -8044,22 +8044,22 @@ C:\="DOS"</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>Por gentileza, d&ecirc; uma olhada nas p&aacute;ginas
- sobre impress&atilde;o do &a.ptbr.p.handbook;. O
- documento deve responder a maioria de suas d&uacute;vidas.
+ <para>Por gentileza, dê uma olhada nas páginas
+ sobre impressão do &a.ptbr.p.handbook;. O
+ documento deve responder a maioria de suas dúvidas.
Veja a entrada sobre <ulink
- url="../handbook/printing.html">Impress&atilde;o no
+ url="../handbook/printing.html">Impressão no
&a.ptbr.p.handbook;</ulink>.</para>
<para>Algumas impressoras precisam de um driver local,
- baseado em esta&ccedil;&otilde;es, para prover qualquer
- tipo de impress&atilde;o. Essas impressoras s&atilde;o
- chamadas de <quote>WinPrinters</quote> e n&atilde;o
- s&atilde;o suportadas nativamente pelo FreeBSD. Se sua
- impressora n&atilde;o funciona sob DOS ou com Windows NT
- 4.0, provavelmente ela &eacute; uma WinPrinter. A
- &uacute;nica esperan&ccedil;a de se obter uma impressora
- desse tipo funcionando, &eacute; verificar se o
+ baseado em estações, para prover qualquer
+ tipo de impressão. Essas impressoras são
+ chamadas de <quote>WinPrinters</quote> e não
+ são suportadas nativamente pelo FreeBSD. Se sua
+ impressora não funciona sob DOS ou com Windows NT
+ 4.0, provavelmente ela é uma WinPrinter. A
+ única esperança de se obter uma impressora
+ desse tipo funcionando, é verificar se o
<literal>port</literal> <filename
role="package">print/pnm2ppa</filename> tem suporte para
ela.</para>
@@ -8073,12 +8073,12 @@ C:\="DOS"</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>Por gentileza, refira-se &agrave; se&ccedil;&atilde;o
+ <para>Por gentileza, refira-se à seção
usando <ulink
- url="../handbook/using-localization.html">localiza&ccedil;&atilde;o
+ url="../handbook/using-localization.html">localização
do &a.ptbr.p.handbook;</ulink>, mais precisamente na
parte sobre a <ulink
- url="../handbook/using-localization.html#SETTING-CONSOLE">configura&ccedil;&atilde;o
+ url="../handbook/using-localization.html#SETTING-CONSOLE">configuração
do console</ulink>.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -8087,42 +8087,42 @@ C:\="DOS"</programlisting>
<question id="pnp-resources">
<para>O que causa mensagens como: <errorname>unknown:
&lt;PNP0303&gt; can't assign resources</errorname> na
- inicializa&ccedil;&atilde;o do sistema?</para>
+ inicialização do sistema?</para>
</question>
<answer>
- <para>O trecho a seguir &eacute; cita&ccedil;&atilde;o de
+ <para>O trecho a seguir é citação de
uma mensagem enviada na lista freebsd-current.</para>
<blockquote>
<attribution>&a.wollman;, 24 Abril 2001</attribution>
<para>A mensagem <quote>can't assign resources</quote>
- indica que os equipamentos em quest&atilde;o s&atilde;o
- do tipo ISA, e que n&atilde;o existem entradas indicando
- drivers n&atilde;o-PnP compiladas no
+ indica que os equipamentos em questão são
+ do tipo ISA, e que não existem entradas indicando
+ drivers não-PnP compiladas no
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>. Esses
equipamentos podem ser controladoras de teclados,
- controladora de interrup&ccedil;&atilde;o
- program&aacute;vel e v&aacute;rias outras pe&ccedil;as
- da infra-estrutura padr&atilde;o do sistema. Os
- recursos n&atilde;o podem ser atribu&iacute;dos por
- j&aacute; existirem drivers usando tais
- endere&ccedil;os.</para>
+ controladora de interrupção
+ programável e várias outras peças
+ da infra-estrutura padrão do sistema. Os
+ recursos não podem ser atribuídos por
+ já existirem drivers usando tais
+ endereços.</para>
</blockquote>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="user-quotas">
- <para>Porque eu n&atilde;o consigo fazer as quotas de
- usu&aacute;rios funcionarem de forma correta?</para>
+ <para>Porque eu não consigo fazer as quotas de
+ usuários funcionarem de forma correta?</para>
</question>
<answer>
<orderedlist>
<listitem>
- <para>N&atilde;o habilite quotas na
+ <para>Não habilite quotas na
<filename>/</filename>,</para>
</listitem>
@@ -8175,23 +8175,23 @@ C:\="DOS"</programlisting>
<answer>
<para>Sim, o FreeBSD suporta IPC ao estilo do System V.
- Esse suporte inclui compartilhamento de mem&oacute;ria,
- mensagens e sem&aacute;foros. &Eacute; necess&aacute;rio
+ Esse suporte inclui compartilhamento de memória,
+ mensagens e semáforos. É necessário
adicionar as seguintes linhas no arquivo de
- configura&ccedil;&otilde;es do seu
+ configurações do seu
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>, para ativar o
suporte:</para>
- <programlisting>options SYSVSHM # habilita mem&oacute;ria compartilhada
-options SYSVSEM # habilita sem&aacute;foros
+ <programlisting>options SYSVSHM # habilita memória compartilhada
+options SYSVSEM # habilita semáforos
options SYSVMSG # habilita mensagens</programlisting>
<note>
<para>No FreeBSD 3.2 e posteriores, tais
- op&ccedil;&otilde;es j&aacute; fazem parte do
+ opções já fazem parte do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>
<emphasis>GENERIC</emphasis>, o que significa que tal
- suporte j&aacute; deve estar compilado no seu
+ suporte já deve estar compilado no seu
sistema.</para>
</note>
@@ -8207,62 +8207,62 @@ options SYSVMSG # habilita mensagens</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>A configura&ccedil;&atilde;o do sendmail
- dispon&iacute;vel por padr&atilde;o no FreeBSD &eacute;
- direcionada para sites que estejam conectados &agrave;
+ <para>A configuração do sendmail
+ disponível por padrão no FreeBSD é
+ direcionada para sites que estejam conectados à
Internet. Servidores que pretendem entregar suas
mensagens via UUCP devem instalar um novo arquivo de
- configura&ccedil;&otilde;es do sendmail.</para>
+ configurações do sendmail.</para>
<para>Alterar o <filename>/etc/mail/sendmail.cf</filename>
- manualmente &eacute; considerado tarefa para os mais
- puristas. A vers&atilde;o 8 do sendmail tem uma nova
- abordagem de arquivos de configura&ccedil;&atilde;o por
- meio de pr&eacute; processamento com o &man.m4.1;, onde os
- modelos de configura&ccedil;&atilde;o s&atilde;o
- manipulados em um n&iacute;vel mais alto de
- abstra&ccedil;&atilde;o. Use os arquivos de
- configura&ccedil;&atilde;o dispon&iacute;veis sob
+ manualmente é considerado tarefa para os mais
+ puristas. A versão 8 do sendmail tem uma nova
+ abordagem de arquivos de configuração por
+ meio de pré processamento com o &man.m4.1;, onde os
+ modelos de configuração são
+ manipulados em um nível mais alto de
+ abstração. Use os arquivos de
+ configuração disponíveis sob
/usr/src/usr.sbin/sendmail/cf.</para>
- <para>Caso seu sistema n&atilde;o tenha sido instalado com
- os fontes, os arquivos de configura&ccedil;&atilde;o do
+ <para>Caso seu sistema não tenha sido instalado com
+ os fontes, os arquivos de configuração do
sendmail foram divididos em pacotes separados. Assumindo
- que voc&ecirc; tenha o CDROM do FreeBSD montado,
- fa&ccedil;a o seguinte:</para>
+ que você tenha o CDROM do FreeBSD montado,
+ faça o seguinte:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>cd /cdrom/src</userinput>
&prompt.root; <userinput>cat scontrib.?? | tar xzf - -C /usr/src contrib/sendmail</userinput></screen>
- <para>N&atilde;o se desespere, s&atilde;o apenas algumas
+ <para>Não se desespere, são apenas algumas
centenas de Kilobytes em tamanho. O arquivo README no
- diret&oacute;rio cf serve de introdu&ccedil;&atilde;o
- b&aacute;sica ao uso do m4.</para>
+ diretório cf serve de introdução
+ básica ao uso do m4.</para>
<para>Para entregar mensagens via UUCP, o melhor conselho
- &eacute; usar o <literal>mailtertable</literal>. Trata-se
+ é usar o <literal>mailtertable</literal>. Trata-se
de uma base de dados que o sendmail usa para basear suas
- decis&otilde;es de roteamento de mensagens.</para>
+ decisões de roteamento de mensagens.</para>
- <para>Primeiro, &eacute; necess&aacute;rio criar seu arquivo
- <filename>.mc</filename>. O diret&oacute;rio
+ <para>Primeiro, é necessário criar seu arquivo
+ <filename>.mc</filename>. O diretório
<filename>/usr/src/usr.sbin/sendmail/cf/cf</filename>
- &eacute; o diret&oacute;rio home para esse tipo de
- arquivo. D&ecirc; uma olhada, j&aacute; existem alguns
- exemplos dispon&iacute;veis por l&aacute;. Se assumirmos
- que voc&ecirc; chamou o arquivo de
+ é o diretório home para esse tipo de
+ arquivo. Dê uma olhada, já existem alguns
+ exemplos disponíveis por lá. Se assumirmos
+ que você chamou o arquivo de
<filename>foo.mc</filename>, para converte-lo para um
- arquivo <filename>sendmail.cf</filename> v&aacute;lido
+ arquivo <filename>sendmail.cf</filename> válido
basta:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>cd /usr/src/usr.sbin/sendmail/cf/cf</userinput>
&prompt.root; <userinput>make foo.cf</userinput>
&prompt.root; <userinput>cp foo.cf /etc/mail/sendmail.cf</userinput></screen>
- <para>Um arquivo <filename>.mc</filename> t&iacute;pico, se
+ <para>Um arquivo <filename>.mc</filename> típico, se
parece com algo mais ou menos assim:</para>
- <programlisting>VERSIONID(`<replaceable>N&uacute;mero da sua vers&atilde;o</replaceable>')
+ <programlisting>VERSIONID(`<replaceable>Número da sua versão</replaceable>')
OSTYPE(bsd4.4)
FEATURE(accept_unresolvable_domains)
@@ -8285,19 +8285,19 @@ Cw <replaceable>youruucpnodename.UUCP</replaceable></programlisting>
<literal>nocanonify</literal>, e
<literal>confDONT_PROBE_INTERFACES</literal> previnem o
uso do DNS durante a entrega das mensagens. A
- cl&aacute;usula <literal>UUCP_RELAY</literal> &eacute;
- necess&aacute;ria por raz&otilde;es bizarras, nem pergunte
- quais. Apenas coloque o nome de uma esta&ccedil;&atilde;o
- que possa manipular endere&ccedil;os com
- pseudo-dom&iacute;nio .UUCP; normalmente o
- endere&ccedil;o de relay de e-mail do seu Provedor de
- Servi&ccedil;o Internet deve servir.</para>
-
- <para>Depois disso, &eacute; necess&aacute;rio usar o
+ cláusula <literal>UUCP_RELAY</literal> é
+ necessária por razões bizarras, nem pergunte
+ quais. Apenas coloque o nome de uma estação
+ que possa manipular endereços com
+ pseudo-domínio .UUCP; normalmente o
+ endereço de relay de e-mail do seu Provedor de
+ Serviço Internet deve servir.</para>
+
+ <para>Depois disso, é necessário usar o
arquivo <filename>/etc/mail/mailertable</filename>. Caso
exista apenas um link para fora, por onde todos os e-mails
- s&atilde;o roteados, as seguintes defini&ccedil;&otilde;es
- s&atilde;o o bastante:</para>
+ são roteados, as seguintes definições
+ são o bastante:</para>
<programlisting>#
# makemap hash /etc/mail/mailertable.db &lt; /etc/mail/mailertable
@@ -8317,47 +8317,47 @@ if-bus.UUCP uucp-dom:if-bus
. uucp-dom:</programlisting>
<para>Como pode-se perceber, se trata de um arquivo usado na
- vida real. As primeiras tr&ecirc;s linhas tratam
- situa&ccedil;&otilde;es especiais onde as mensagens
- endere&ccedil;adas aquele dom&iacute;nio n&atilde;o devem
- ser roteadas pela sa&iacute;da padr&atilde;o, mas ao
- inv&eacute;s disso, ser entregues para algum servidor UUCP
+ vida real. As primeiras três linhas tratam
+ situações especiais onde as mensagens
+ endereçadas aquele domínio não devem
+ ser roteadas pela saída padrão, mas ao
+ invés disso, ser entregues para algum servidor UUCP
vizinho, de forma a encurtar o caminho para entrega dos
e-mails. A linha seguinte trata mensagens para rede
- Ethernet local, para dom&iacute;nios onde os mails possam
+ Ethernet local, para domínios onde os mails possam
ser entregues via SMTP. Finalmente, os vizinhos UUCP
- s&atilde;o mencionados na nota&ccedil;&atilde;o do
- pseudo-dom&iacute;nio .UUCP, que permite um
+ são mencionados na notação do
+ pseudo-domínio .UUCP, que permite um
<literal><replaceable>uucp-neighbor</replaceable>!<replaceable>recipient</replaceable></literal>
- sobrescrever as regras padr&atilde;o. A &uacute;ltima
- linha &eacute; sempre um ponto, que indica que todos os
- e-mails que n&atilde;o foram tratados pelas entradas
+ sobrescrever as regras padrão. A última
+ linha é sempre um ponto, que indica que todos os
+ e-mails que não foram tratados pelas entradas
anteriores cuja entrega seja do tipo UUCP, devem ser
tratados por um dos vizinhos UUCP que sirva como gateway
universal com o resto do mundo. Todas as
- esta&ccedil;&otilde;es antecedendo a entrada
+ estações antecedendo a entrada
<literal>uucp-dom:</literal> devem ser nomes de vizinhos
- UUCP v&aacute;lidos, que podem ser checados com o comando
+ UUCP válidos, que podem ser checados com o comando
<literal>uuname</literal>.</para>
<para>Para lembrar que esse arquivo precisa ser convertido
- em base de dados do tipo DBM, o comando necess&aacute;rio
- para tomar essa a&ccedil;&atilde;o est&aacute; comentado
- no in&iacute;cio do arquivo mailertable. Esse comando
+ em base de dados do tipo DBM, o comando necessário
+ para tomar essa ação está comentado
+ no início do arquivo mailertable. Esse comando
deve ser executado sempre que o mailertable for
alterado.</para>
- <para>Dica final: caso tenha d&uacute;vidas se uma rota de
- e-mail em particular ir&aacute; funcionar, lembre-se que a
- op&ccedil;&atilde;o <option>-bt</option> do sendmail
+ <para>Dica final: caso tenha dúvidas se uma rota de
+ e-mail em particular irá funcionar, lembre-se que a
+ opção <option>-bt</option> do sendmail
permite que ele seja iniciado em modo de testes de
- endere&ccedil;o; simplesmente digite
- <literal>3,0</literal> seguido do endere&ccedil;o que
- voc&ecirc; quer testar o roteamento de mensagens. A
- &uacute;ltima linha ir&aacute; indicar o agente de
- transfer&ecirc;ncia interno que foi usado, a
- esta&ccedil;&atilde;o de destino com a qual esse agente de
- entrega ir&aacute; se comunicar, e o seu endere&ccedil;o.
+ endereço; simplesmente digite
+ <literal>3,0</literal> seguido do endereço que
+ você quer testar o roteamento de mensagens. A
+ última linha irá indicar o agente de
+ transferência interno que foi usado, a
+ estação de destino com a qual esse agente de
+ entrega irá se comunicar, e o seu endereço.
Para sair desse modo, digite Control-D.</para>
<screen>&prompt.user; <userinput>sendmail -bt</userinput>
@@ -8373,41 +8373,41 @@ parse returns: $# uucp-dom $@ <replaceable>your.uucp.relay</replaceab
<qandaentry>
<question id="ispmail">
- <para>Como eu configuro e-mail em uma conex&atilde;o dialup
+ <para>Como eu configuro e-mail em uma conexão dialup
com a rede?</para>
</question>
<answer>
- <para>Se a sua conex&atilde;o discada lhe atribui um
- endere&ccedil;o IP est&aacute;tico, n&atilde;o &eacute;
- necess&aacute;rio configurar nenhuma op&ccedil;&atilde;o
- extra. Ajuste o nome da sua esta&ccedil;&atilde;o para o
+ <para>Se a sua conexão discada lhe atribui um
+ endereço IP estático, não é
+ necessário configurar nenhuma opção
+ extra. Ajuste o nome da sua estação para o
nome que a identifica na Internet, e o sendmail
- far&aacute; o resto.</para>
-
- <para>Mas se a conex&atilde;o PPP lhe atribui
- endere&ccedil;os din&acirc;micos, provavelmente o seu
- Provedor de Servi&ccedil;o Internet oferece uma conta de
- correio eletr&ocirc;nico em seus servidores. Vamos
- assumir que o nome do dom&iacute;nio do seu provedor
- &eacute; <hostid role="domainname">example.net</hostid>, e
- que o nome do seu usu&aacute;rio &eacute;
- <username>user</username>. Vamos assumir tamb&eacute;m
- que o nome da sua esta&ccedil;&atilde;o seja <hostid
+ fará o resto.</para>
+
+ <para>Mas se a conexão PPP lhe atribui
+ endereços dinâmicos, provavelmente o seu
+ Provedor de Serviço Internet oferece uma conta de
+ correio eletrônico em seus servidores. Vamos
+ assumir que o nome do domínio do seu provedor
+ é <hostid role="domainname">example.net</hostid>, e
+ que o nome do seu usuário é
+ <username>user</username>. Vamos assumir também
+ que o nome da sua estação seja <hostid
role="fqdn">bsd.home</hostid> e que o Provedor de
- Servi&ccedil;o Internet defina que o endere&ccedil;o
+ Serviço Internet defina que o endereço
<hostid role="fqdn">relay.example.net</hostid> deva ser
- usado para relay de mensagens eletr&ocirc;nicas.</para>
+ usado para relay de mensagens eletrônicas.</para>
<para>Para acessar as mensagens da sua caixa de correio,
- &eacute; necess&aacute;rio usar um agente de busca. O
- <application>Fetchmail</application> &eacute; uma boa
- escolha, j&aacute; que ele suporta v&aacute;rios
+ é necessário usar um agente de busca. O
+ <application>Fetchmail</application> é uma boa
+ escolha, já que ele suporta vários
protocolos distintos. Normalmente o provedor em
- quest&atilde;o oferece servi&ccedil;o de POP3. Caso sua
- conex&atilde;o PPP seja estabelecida &agrave; n&iacute;vel
- de usu&aacute;rio (user-PPP), para acessar suas mensagens
- automaticamente ao estabelecer-se uma conex&atilde;o com a
+ questão oferece serviço de POP3. Caso sua
+ conexão PPP seja estabelecida à nível
+ de usuário (user-PPP), para acessar suas mensagens
+ automaticamente ao estabelecer-se uma conexão com a
rede, basta adicionar a seguinte entrada no arquivo
<filename>/etc/ppp/ppp/linkup</filename>:</para>
@@ -8417,44 +8417,44 @@ parse returns: $# uucp-dom $@ <replaceable>your.uucp.relay</replaceab
<para>Caso esteja usando o
<application>sendmail</application> (como foi descrito
anteriormente) para entregar suas mensagens para
- endere&ccedil;os n&atilde;o-locais, insira o
+ endereços não-locais, insira o
comando:</para>
<programlisting> !bg su user -c "sendmail -q"</programlisting>
<para>depois da entrada apresentada anteriormente. Esse
- comando ir&aacute; for&ccedil;ar o
+ comando irá forçar o
<application>sendmail</application> a processar sua fila
- de e-mail t&atilde;o logo uma conex&atilde;o com a&nbsp;
+ de e-mail tão logo uma conexão com a&nbsp;
rede seja estabelecida.</para>
<para>Assumindo que exista uma conta para o
- <username>user</username> na m&aacute;quina <hostid
- role="fqdn">bsd.home</hostid>. No diret&oacute;rio home
- do <username>user</username> na esta&ccedil;&atilde;o
+ <username>user</username> na máquina <hostid
+ role="fqdn">bsd.home</hostid>. No diretório home
+ do <username>user</username> na estação
<hostid role="fqdn">bsd.home</hostid>, crie um arquivo
<filename>.fetchmailrc</filename> com o seguinte
- conte&uacute;do:</para>
+ conteúdo:</para>
<programlisting>poll example.net protocol pop3 fetchall pass MySecret</programlisting>
- <para>Esse arquivo n&atilde;o deve ter permiss&atilde;o de
- leitura para nenhum outro usu&aacute;rio, a n&atilde;o ser
- o <username>user</username> j&aacute; que ele
- cont&eacute;m a <literal>sua senha</literal>.</para>
+ <para>Esse arquivo não deve ter permissão de
+ leitura para nenhum outro usuário, a não ser
+ o <username>user</username> já que ele
+ contém a <literal>sua senha</literal>.</para>
- <para>Para garantir que o cabe&ccedil;alho
- <literal>from:</literal> esteja sempre correto, &eacute;
- necess&aacute;rio indicar ao
- <application>sendmail</application> que o endere&ccedil;o
+ <para>Para garantir que o cabeçalho
+ <literal>from:</literal> esteja sempre correto, é
+ necessário indicar ao
+ <application>sendmail</application> que o endereço
<literal>user@example.net</literal> deve ser usado ao
- inv&eacute;s de <literal>user@bsd.home</literal>.
- Tamb&eacute;m &eacute; interessante configurar o
+ invés de <literal>user@bsd.home</literal>.
+ Também é interessante configurar o
<application>sendmail</application> para entregar suas
mensagens via <hostid
role="fqdn">relay.example.net</hostid>, permitindo
- transmiss&atilde;o de mensagens de forma mais
- r&aacute;pida.</para>
+ transmissão de mensagens de forma mais
+ rápida.</para>
<para>O seguinte arquivo <filename>.mc</filename> deve ser o
bastante:</para>
@@ -8476,11 +8476,11 @@ Dmbsd.home
define(`confDOMAIN_NAME',`bsd.home')dnl
define(`confDELIVERY_MODE',`deferred')dnl</programlisting>
- <para>Por gentileza, refira-se &agrave; se&ccedil;&atilde;o
+ <para>Por gentileza, refira-se à seção
anterior para obter detalhes sobre como transformar esse
arquivo <filename>.mc</filename> em um arquivo
- <filename>sendmail.cf</filename>. N&atilde;o se
- esque&ccedil;a tamb&eacute;m de reiniciar o
+ <filename>sendmail.cf</filename>. Não se
+ esqueça também de reiniciar o
<application>sendmail</application> depois de alterar o
<filename>sendmail.cf</filename>.</para>
</answer>
@@ -8488,21 +8488,21 @@ define(`confDELIVERY_MODE',`deferred')dnl</programlisting>
<qandaentry>
<question id="sendmail-alternative">
- <para>Que outros servidores de correio eletr&ocirc;nico
+ <para>Que outros servidores de correio eletrônico
posso usar no lugar do Sendmail?</para>
</question>
<answer>
<para>O <ulink
- url="http://www.sendmail.org/">Sendmail</ulink> &eacute;
- o programa servidor de correio eletr&ocirc;nico
- padr&atilde;o no FreeBSD, mas ele pode ser facilmente
- substitu&iacute;do por qualquer outro MTA (por
- inst&acirc;ncia, um MTA instalado a partir do
+ url="http://www.sendmail.org/">Sendmail</ulink> é
+ o programa servidor de correio eletrônico
+ padrão no FreeBSD, mas ele pode ser facilmente
+ substituído por qualquer outro MTA (por
+ instância, um MTA instalado a partir do
<literal>ports</literal>).</para>
- <para>Existem v&aacute;rios MTA's que servem de alternativa
- ao Sendmail na Cole&ccedil;&atilde;o de
+ <para>Existem vários MTA's que servem de alternativa
+ ao Sendmail na Coleção de
<literal>Ports</literal> do FreeBSD, sendo o <filename
role="package">mail/exim</filename>, <filename
role="package">mail/postfix</filename>, <filename
@@ -8510,56 +8510,56 @@ define(`confDELIVERY_MODE',`deferred')dnl</programlisting>
role="package">mail/zmailer</filename>, os mais
populares.</para>
- <para>A diversidade &eacute; sempre uma boa
- indica&ccedil;&atilde;o, e o fato de ter v&aacute;rios
- servidores de e-mail dispon&iacute;veis &eacute;
- &oacute;timo. Conte&uacute;do, evite perguntas como
- <quote>O Sendmail &eacute; melhor que o Qmail?</quote> nas
- listas de discuss&atilde;o. Se voc&ecirc; realmente quer
- saber, procure no hist&oacute;rico das listas. As
- vantagens e desvantagens de cada MTA j&aacute; foram
- discutidas in&uacute;meras vezes.</para>
+ <para>A diversidade é sempre uma boa
+ indicação, e o fato de ter vários
+ servidores de e-mail disponíveis é
+ ótimo. Conteúdo, evite perguntas como
+ <quote>O Sendmail é melhor que o Qmail?</quote> nas
+ listas de discussão. Se você realmente quer
+ saber, procure no histórico das listas. As
+ vantagens e desvantagens de cada MTA já foram
+ discutidas inúmeras vezes.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="forgot-root-pw">
- <para>Esqueci a senha de root! O que eu fa&ccedil;o?</para>
+ <para>Esqueci a senha de root! O que eu faço?</para>
</question>
<answer>
- <para>Em primeiro lugar, n&atilde;o entre em p&acirc;nico!
+ <para>Em primeiro lugar, não entre em pânico!
Reinicie o seu FreeBSD, digite <userinput>boot
-s</userinput> na tela do Boot: (ou apenas
- <userinput>-s</userinput> para as vers&otilde;es
- anteriores &agrave; 3.2 do FreeBSD) para entrar e modo
- monousu&aacute;rio. Quando o sistema perguntar sobre que
- shell usar, aperte ENTER. Voc&ecirc; estar&aacute; em uma
+ <userinput>-s</userinput> para as versões
+ anteriores à 3.2 do FreeBSD) para entrar e modo
+ monousuário. Quando o sistema perguntar sobre que
+ shell usar, aperte ENTER. Você estará em uma
prompt de comandos; digite <command>mount -u /</command>
para montar o sistema de arquivos raiz com
leitura/escrita, e depois <command>mount -a</command> para
remontar todos os seus sistemas de arquivos. Execute o
comando <command>passwd root</command> para modificar a
senha de root do sistema, e depois digite &man.exit.1;
- para continuar &nbsp;a inicializa&ccedil;&atilde;o em modo
- multiusu&aacute;rio.</para>
+ para continuar &nbsp;a inicialização em modo
+ multiusuário.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="CAD-reboot">
- <para>Como posso evitar que a seq&uuml;&ecirc;ncia de teclas
+ <para>Como posso evitar que a seq&uuml;ência de teclas
<keycombo
action="simul"><keycap>Control</keycap><keycap>Alt</keycap><keycap>Delete</keycap></keycombo>
reinicie o sistema?</para>
</question>
<answer>
- <para>Caso esteja usando o syscons (o driver padr&atilde;o
+ <para>Caso esteja usando o syscons (o driver padrão
para o console) em um sistema FreeBSD 2.2.7 ou posterior,
construa e instale um novo
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> com a
- op&ccedil;&atilde;o:</para>
+ opção:</para>
<programlisting>options SC_DISABLE_REBOOT</programlisting>
@@ -8568,17 +8568,17 @@ define(`confDELIVERY_MODE',`deferred')dnl</programlisting>
<programlisting>options PCVT_CTRL_ALT_DEL</programlisting>
- <para>Em vers&otilde;es anteriores &agrave;s citadas, edite
+ <para>Em versões anteriores às citadas, edite
o mapeamento do seu teclado, usado para o console, e
substitua a palavra <literal>boot</literal> por
<literal>nop</literal>. O mapeamento de teclado
- padr&atilde;o est&aacute; em
+ padrão está em
<filename>/usr/share/syscons/keymaps/us.iso.kbd</filename>.
O <filename>/etc/rc.conf</filename> deve ser
- instru&iacute;do de forma que esse arquivo seja lido. Se
- voc&ecirc; estiver usando um outro mapa espec&iacute;fico
- para o seu pa&iacute;s, edite esse mapa ao inv&eacute;s do
- padr&atilde;o.</para>
+ instruído de forma que esse arquivo seja lido. Se
+ você estiver usando um outro mapa específico
+ para o seu país, edite esse mapa ao invés do
+ padrão.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -8595,20 +8595,20 @@ define(`confDELIVERY_MODE',`deferred')dnl</programlisting>
<para>onde <literal>file</literal> indica o arquivo ou
arquivos a serem processados. As
- modifica&ccedil;&otilde;es s&atilde;o feitas no
- pr&oacute;prio arquivo e o original &eacute; salvo com a
- extens&atilde;o .bak.</para>
+ modificações são feitas no
+ próprio arquivo e o original é salvo com a
+ extensão .bak.</para>
- <para>O comando &man.tr.1; tamb&eacute;m pode ser
+ <para>O comando &man.tr.1; também pode ser
usado:</para>
<screen>&prompt.user; <userinput>tr -d '\r' &lt; <replaceable>dos-text-file</replaceable> &gt; <replaceable>unix-file</replaceable></userinput></screen>
- <para>Onde <replaceable>dos-text-file</replaceable> &eacute;
+ <para>Onde <replaceable>dos-text-file</replaceable> é
o arquivo com o texto em formato DOS, enquanto o
- <replaceable>unix-file</replaceable> armazenar&aacute; a
- sa&iacute;da convertida. Usar o &man.tr.1; &eacute; um
- pouco mais r&aacute;pido do que usar o perl.</para>
+ <replaceable>unix-file</replaceable> armazenará a
+ saída convertida. Usar o &man.tr.1; é um
+ pouco mais rápido do que usar o perl.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -8624,19 +8624,19 @@ define(`confDELIVERY_MODE',`deferred')dnl</programlisting>
<qandaentry>
<question id="root-acl">
- <para>Por que motivos o su est&aacute; me atazanando pelo
- fato de n&atilde;o pertencer &agrave; ACL do
+ <para>Por que motivos o su está me atazanando pelo
+ fato de não pertencer à ACL do
<username>root</username>?</para>
</question>
<answer>
- <para>Esse erro &eacute; proveniente do sistema de
- autentica&ccedil;&atilde;o da distri&ccedil;&atilde;o do
- Kerberos. O problema n&atilde;o &eacute; uma
- perturba&ccedil;&atilde;o fatal. Basta executar o su com
- a op&ccedil;&atilde;o -K ou ent&atilde;o desinstalar o
- Kerberos, como ser&aacute; descrito na pr&oacute;xima
- quest&atilde;o.</para>
+ <para>Esse erro é proveniente do sistema de
+ autenticação da distrição do
+ Kerberos. O problema não é uma
+ perturbação fatal. Basta executar o su com
+ a opção -K ou então desinstalar o
+ Kerberos, como será descrito na próxima
+ questão.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -8647,15 +8647,15 @@ define(`confDELIVERY_MODE',`deferred')dnl</programlisting>
<answer>
<para>Para remover o Kerberos do sistema, reinstale a
- distribui&ccedil;&atilde;o <literal>bin</literal> da
- vers&atilde;o que est&aacute; sendo usada. Caso tenha o
+ distribuição <literal>bin</literal> da
+ versão que está sendo usada. Caso tenha o
CDROM do FreeBSD, monte-o (vamos assumir, em /cdrom) e
execute os comandos:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>cd /cdrom/bin</userinput>
&prompt.root; <userinput>./install.sh</userinput></screen>
- <para>Ou ent&atilde;o, apague todas as op&ccedil;&otilde;es
+ <para>Ou então, apague todas as opções
<quote>MAKE_KERBEROS</quote> do
<filename>/etc/make.conf</filename> e recompile todo o
sistema com um build world.</para>
@@ -8669,11 +8669,11 @@ define(`confDELIVERY_MODE',`deferred')dnl</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>Caso tenha in&uacute;meras conex&otilde;es telnet,
- ssh, X, ou tela de usu&aacute;rio, &eacute;
- prov&aacute;vel que voc&ecirc; atingir&aacute; o limite
- dos seus pseudo-terminais. Aqui est&atilde;o as
- instru&ccedil;&otilde;es de como adicionar mais
+ <para>Caso tenha inúmeras conexões telnet,
+ ssh, X, ou tela de usuário, é
+ provável que você atingirá o limite
+ dos seus pseudo-terminais. Aqui estão as
+ instruções de como adicionar mais
pseudo-terminais:</para>
<procedure>
@@ -8683,7 +8683,7 @@ define(`confDELIVERY_MODE',`deferred')dnl</programlisting>
linha</para>
<programlisting>pseudo-device pty 256</programlisting>
<para>em seu arquivo de
- configura&ccedil;&otilde;es.</para>
+ configurações.</para>
</step>
<step>
@@ -8697,13 +8697,13 @@ define(`confDELIVERY_MODE',`deferred')dnl</programlisting>
<step>
<para>Edite o <filename>/etc/ttys</filename> e adicione
uma linha para cada um dos 256 terminais. Tais
- entradas devem ter o formato correspondente &agrave;s
- entradas j&aacute; existentes, por exemplo:</para>
+ entradas devem ter o formato correspondente às
+ entradas já existentes, por exemplo:</para>
<programlisting>ttyqc none network</programlisting>
- <para>A ordem de defini&ccedil;&atilde;o das letras
- &eacute; expressa como
+ <para>A ordem de definição das letras
+ é expressa como
<literal>tty[pqrsPQRS][0-9a-v]</literal>, ao
- ilustrarmos em express&otilde;es regulares.</para>
+ ilustrarmos em expressões regulares.</para>
</step>
<step>
@@ -8717,14 +8717,14 @@ define(`confDELIVERY_MODE',`deferred')dnl</programlisting>
<qandaentry>
<question id="create-snd0">
- <para>Por que motivo n&atilde;o consigo criar a device
+ <para>Por que motivo não consigo criar a device
snd0?</para>
</question>
<answer>
- <para>Simples, porque n&atilde;o existe a device
- <devicename>snd</devicename>. Esse nome &eacute; usado
- para identificar o conjunto de devices que comp&otilde;em
+ <para>Simples, porque não existe a device
+ <devicename>snd</devicename>. Esse nome é usado
+ para identificar o conjunto de devices que compõem
os drivers de som do FreeBSD, como as devices
<devicename>mixer</devicename>,
<devicename>sequencer</devicename>, e
@@ -8745,10 +8745,10 @@ define(`confDELIVERY_MODE',`deferred')dnl</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>V&aacute; para o modo monousu&aacute;rio e volte para
- o modo multiusu&aacute;rio.</para>
+ <para>Vá para o modo monousuário e volte para
+ o modo multiusuário.</para>
- <para>&Eacute; simples; no console, fa&ccedil;a:</para>
+ <para>É simples; no console, faça:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>shutdown now</userinput>
(Note: without -r or -h)
@@ -8760,136 +8760,136 @@ define(`confDELIVERY_MODE',`deferred')dnl</programlisting>
<qandaentry>
<question id="sandbox">
- <para>O que &eacute; uma sandbox?</para>
+ <para>O que é uma sandbox?</para>
</question>
<answer>
- <para><quote>Sandbox</quote> &eacute; um jarg&atilde;o usado
- em discuss&otilde;es pertinentes &agrave; seguran&ccedil;a
+ <para><quote>Sandbox</quote> é um jargão usado
+ em discussões pertinentes à segurança
de sistemas. Pode significar duas coisas:</para>
<itemizedlist>
<listitem>
<para>Um processo enquadrado em um conjunto de paredes
- virtuais que s&atilde;o criadas para prevenir que
- algum usu&aacute;rio, ao explorar alguma
- inconformidade do processo, possa tamb&eacute;m
- explorar e obter privil&eacute;gios no sistema
+ virtuais que são criadas para prevenir que
+ algum usuário, ao explorar alguma
+ inconformidade do processo, possa também
+ explorar e obter privilégios no sistema
operacional como um todo.</para>
<para>O processo deve conseguir <quote>rodar</quote>
dentro dessas paredes, ou seja, nada que o processo
- possa fazer ao executar seu c&oacute;digo, pode ser
- capaz de violar tais paredes. Dessa forma n&atilde;o
- &eacute; necess&aacute;ria uma auditoria detalhada do
- c&oacute;digo e das a&ccedil;&otilde;es do processo
+ possa fazer ao executar seu código, pode ser
+ capaz de violar tais paredes. Dessa forma não
+ é necessária uma auditoria detalhada do
+ código e das ações do processo
para que se possa realizar algumas
- afirma&ccedil;&otilde;es pertinentes &agrave;
- seguran&ccedil;a de tal sistema.</para>
+ afirmações pertinentes à
+ segurança de tal sistema.</para>
<para>Tais paredes podem ser a
- identifica&ccedil;&atilde;o de um usu&aacute;rio
- (userid), por exemplo. Essa &eacute; a
- defini&ccedil;&atilde;o de sandbox usada nas
- p&aacute;ginas de manuais do named e de
+ identificação de um usuário
+ (userid), por exemplo. Essa é a
+ definição de sandbox usada nas
+ páginas de manuais do named e de
security.</para>
- <para>Observe o servi&ccedil;o <literal>ntalk</literal>,
+ <para>Observe o serviço <literal>ntalk</literal>,
como exemplo (veja o /etc/inetd.conf). Esse
- servi&ccedil;o costumava ser executado com userid do
+ serviço costumava ser executado com userid do
<username>root</username>. Hoje em dia o processo
roda com o userid do <username>tty</username>. O
- usu&aacute;rio <username>tty</username>, portanto,
- &eacute; uma sandbox criada para dificultar qualquer
- atividade de um usu&aacute;rio malicioso que por
+ usuário <username>tty</username>, portanto,
+ é uma sandbox criada para dificultar qualquer
+ atividade de um usuário malicioso que por
ventura consiga acesso ao sistema por meio do ntalk.
- Com essa sandbox, uma viola&ccedil;&atilde;o de
- seguran&ccedil;a bem sucedida via
+ Com essa sandbox, uma violação de
+ segurança bem sucedida via
<literal>ntalk</literal> dificultaria qualquer
- a&ccedil;&atilde;o tomada al&eacute;m das
- poss&iacute;veis com o userid do
+ ação tomada além das
+ possíveis com o userid do
<username>tty</username>.</para>
</listitem>
<listitem>
<para>Um processo criado dentro de um ambiente de
- simula&ccedil;&atilde;o. Essa &eacute; uma
- situa&ccedil;&atilde;o mais complexa. Basicamente
- implica que qualquer pessoa m&aacute; intencionada que
- consiga explorar tal processo, acreditar&aacute; que
- pode obter acesso &agrave; todo o ambiente, nas na
- verdade, estar&aacute; apenas acessando um sistema de
- simula&ccedil;&atilde;o, n&atilde;o alterando nenhum
+ simulação. Essa é uma
+ situação mais complexa. Basicamente
+ implica que qualquer pessoa má intencionada que
+ consiga explorar tal processo, acreditará que
+ pode obter acesso à todo o ambiente, nas na
+ verdade, estará apenas acessando um sistema de
+ simulação, não alterando nenhum
dado real.</para>
<para>A forma mais comum de conseguir criar um ambiente
- simulado como esse, &eacute; criando um
- subdiret&oacute;rio &agrave; partir de onde o processo
- consiga acessar (uma c&oacute;pia de) qualquer arquivo
+ simulado como esse, é criando um
+ subdiretório à partir de onde o processo
+ consiga acessar (uma cópia de) qualquer arquivo
do sistema que por ventura ele precise, e executar
- esse processo simulando um diret&oacute;rio raiz (ou
+ esse processo simulando um diretório raiz (ou
seja, para o processo, o <filename>/</filename>
- ser&aacute; o subdiret&oacute;rio determinado, e
- n&atilde;o o verdadeiro <filename>/</filename> do
+ será o subdiretório determinado, e
+ não o verdadeiro <filename>/</filename> do
sistema).</para>
- <para>Outra situa&ccedil;&atilde;o comum &eacute; montar
+ <para>Outra situação comum é montar
um sistema de arquivos base com apenas
- permiss&atilde;o de leitura, e depois criar um outro
+ permissão de leitura, e depois criar um outro
sistema de arquivos em uma camada superior, com acesso
de escrita/leitura, dando ao processo a
- impress&atilde;o de poder ler/escrever em todo o
+ impressão de poder ler/escrever em todo o
sistema de arquivos. Apenas o processo em
- quest&atilde;o percebe esse ambiente, enquanto os
- outros n&atilde;o s&atilde;o necessariamente
+ questão percebe esse ambiente, enquanto os
+ outros não são necessariamente
ludibriados.</para>
- <para>A inten&ccedil;&atilde;o &eacute; que tais sandbox
- sejam t&atilde;o transparentes que qualquer
- usu&aacute;rio (ou hacker) n&atilde;o consiga perceber
- que est&aacute; dentro de uma.</para>
+ <para>A intenção é que tais sandbox
+ sejam tão transparentes que qualquer
+ usuário (ou hacker) não consiga perceber
+ que está dentro de uma.</para>
</listitem>
</itemizedlist>
<para>Os sistemas Unix costumam implementar esses dois
- principais tipos de sandbox, um em n&iacute;vel de
- processo e o outro, muito comum, em n&iacute;vel de
+ principais tipos de sandbox, um em nível de
+ processo e o outro, muito comum, em nível de
userid.</para>
- <para>Cada processo Unix &eacute; completamente separado dos
+ <para>Cada processo Unix é completamente separado dos
outros, por meio de algum tipo de parede de
- seguran&ccedil;a. Um processo nunca modifica o
- espa&ccedil;o de endere&ccedil;amento de outro, diferente
+ segurança. Um processo nunca modifica o
+ espaço de endereçamento de outro, diferente
do ambiente Windows onde cada processo pode facilmente
- sobrescrever endere&ccedil;os de outros processos, fazendo
+ sobrescrever endereços de outros processos, fazendo
o sistema travar.</para>
- <para>Cada processo Unix &eacute; de propriedade de um
- userid em particular. Caso o userid n&atilde;o seja do
+ <para>Cada processo Unix é de propriedade de um
+ userid em particular. Caso o userid não seja do
<username>root</username>, ele serve de parede de
- seguran&ccedil;a em rela&ccedil;&atilde;o aos processos
- pertencentes a outros usu&aacute;rios. Os userid
- tamb&eacute;m s&atilde;o usados para proteger dados
+ segurança em relação aos processos
+ pertencentes a outros usuários. Os userid
+ também são usados para proteger dados
armazenados em disco.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="securelevel">
- <para>O que &eacute; <literal>securelevel</literal>
- (n&iacute;vel de seguran&ccedil;a do sistema)?</para>
+ <para>O que é <literal>securelevel</literal>
+ (nível de segurança do sistema)?</para>
</question>
<answer>
- <para><literal>securelevel</literal> (n&iacute;vel de
- seguran&ccedil;a do sistema) &eacute; um mecanismo de
- seguran&ccedil;a implementado no
+ <para><literal>securelevel</literal> (nível de
+ segurança do sistema) é um mecanismo de
+ segurança implementado no
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> do FreeBSD.
Basicamente, quando o <literal>securelevel</literal>
- &eacute; positivo, o <foreignphrase>kernel</foreignphrase>
+ é positivo, o <foreignphrase>kernel</foreignphrase>
restringe algumas tarefas do sistema; nem mesmo o
- superusu&aacute;rio (por exemplo, o
- <username>root</username>) tem permiss&atilde;o de
+ superusuário (por exemplo, o
+ <username>root</username>) tem permissão de
realizar tais tarefas. Na data que este
<literal>FAQ</literal> foi escrito, o mecanismo de
<literal>securelevel</literal> do FreeBSD era capaz de,
@@ -8903,14 +8903,14 @@ define(`confDELIVERY_MODE',`deferred')dnl</programlisting>
</listitem>
<listitem>
- <para>escrever na mem&oacute;ria do
+ <para>escrever na memória do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> por meio do
<devicename>/dev/mem</devicename> e
<devicename>/dev/kmem</devicename>,</para>
</listitem>
<listitem>
- <para>carregar m&oacute;dulos do
+ <para>carregar módulos do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>, e</para>
</listitem>
@@ -8921,92 +8921,92 @@ define(`confDELIVERY_MODE',`deferred')dnl</programlisting>
</itemizedlist>
<para>Para verificar o estado do
- <literal>securelevel</literal> (n&iacute;vel de
- seguran&ccedil;a do sistema) em um sistema em funcionando,
+ <literal>securelevel</literal> (nível de
+ segurança do sistema) em um sistema em funcionando,
simplesmente execute o seguinte comando:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>sysctl kern.securelevel</userinput></screen>
- <para>A sa&iacute;da apresentar&aacute; o nome da
- vari&aacute;vel do &man.sysctl.8; (nesse caso,
- <varname>kern.securelevel</varname>) e um n&uacute;mero.
- Esse &uacute;ltimo ser&aacute; o valor atual do
- n&iacute;vel de seguran&ccedil;a do
+ <para>A saída apresentará o nome da
+ variável do &man.sysctl.8; (nesse caso,
+ <varname>kern.securelevel</varname>) e um número.
+ Esse último será o valor atual do
+ nível de segurança do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> do FreeBSD. Caso
esse valor seja positivo (maior que 0), ao menos algumas
- das caracter&iacute;sticas dos n&iacute;veis de
- seguran&ccedil;a estar&atilde;o habilitadas.</para>
-
- <para>Os n&iacute;veis de seguran&ccedil;a n&atilde;o podem
- ser diminu&iacute;dos em um sistema que est&aacute;
- funcionando se isso fosse poss&iacute;vel o
- <literal>securelevel</literal> (n&iacute;vel de
- seguran&ccedil;a do sistema) perderia sua funcionalidade.
- Caso seja necess&aacute;rio executar alguma tarefa que
- necessite que o n&iacute;vel de seguran&ccedil;a seja
- n&atilde;o-positivo (por exemplo, um
+ das características dos níveis de
+ segurança estarão habilitadas.</para>
+
+ <para>Os níveis de segurança não podem
+ ser diminuídos em um sistema que está
+ funcionando se isso fosse possível o
+ <literal>securelevel</literal> (nível de
+ segurança do sistema) perderia sua funcionalidade.
+ Caso seja necessário executar alguma tarefa que
+ necessite que o nível de segurança seja
+ não-positivo (por exemplo, um
<maketarget>installworld</maketarget> ou alterar a data do
- sistema) ser&aacute; preciso alterar as
- defini&ccedil;&otilde;es de <literal>securelevel</literal>
- (n&iacute;vel de seguran&ccedil;a do sistema) no
+ sistema) será preciso alterar as
+ definições de <literal>securelevel</literal>
+ (nível de segurança do sistema) no
<filename>/etc/rc.conf</filename> (mais precisamente, as
- vari&aacute;veis <varname>kern_securelevel</varname> e
+ variáveis <varname>kern_securelevel</varname> e
<varname>kern_securelevel_enable</varname>) e reiniciar o
sistema.</para>
- <para>Para obter mais informa&ccedil;&otilde;es quanto aos
- n&iacute;veis de seguran&ccedil;a e sobre as
- fun&ccedil;&otilde;es espec&iacute;ficas de cada
- n&iacute;vel, por gentileza, consulte a p&aacute;gina de
+ <para>Para obter mais informações quanto aos
+ níveis de segurança e sobre as
+ funções específicas de cada
+ nível, por gentileza, consulte a página de
manual do &man.init.8;.</para>
<warning>
- <para>O <literal>securelevel</literal> (n&iacute;vel de
- seguran&ccedil;a do sistema) n&atilde;o &eacute; uma
- bala de prata; ele tem v&aacute;rias defici&ecirc;ncias
- &oacute;bvias. A mais frequ&ecirc;nte &eacute; provocar
- uma falsa sensa&ccedil;&atilde;o de
- seguran&ccedil;a.</para>
+ <para>O <literal>securelevel</literal> (nível de
+ segurança do sistema) não é uma
+ bala de prata; ele tem várias deficiências
+ óbvias. A mais frequênte é provocar
+ uma falsa sensação de
+ segurança.</para>
<para>Um dos maiores problemas, e portanto que deve ser
- bem observada pelo administrador do sistema, &eacute;
+ bem observada pelo administrador do sistema, é
que, para que o <literal>securelevel</literal>
- (n&iacute;vel de seguran&ccedil;a do sistema) se torne
+ (nível de segurança do sistema) se torne
efetivo, todos os arquivos usados pelo processo de
- inicializa&ccedil;&atilde;o at&eacute; que os
- n&iacute;veis de seguran&ccedil;a se tornem positivos,
- devem estar seguros. Se um usu&aacute;rio que deseja
- atacar o sistema, conseguir que seu c&oacute;digo seja
- executado antes que o n&iacute;vel de seguran&ccedil;a
+ inicialização até que os
+ níveis de segurança se tornem positivos,
+ devem estar seguros. Se um usuário que deseja
+ atacar o sistema, conseguir que seu código seja
+ executado antes que o nível de segurança
seja definido (o que ocorre pouco depois do processo de
- inicializa&ccedil;&atilde;o, visto que algumas
- fun&ccedil;&otilde;es que o sistema precisa realizar,
- n&atilde;o podem ser iniciadas com um n&iacute;vel
- elevado de seguran&ccedil;a), a prote&ccedil;&atilde;o
- do <literal>securelevel</literal> (n&iacute;vel de
- seguran&ccedil;a do sistema) ser&aacute; invalidada.
+ inicialização, visto que algumas
+ funções que o sistema precisa realizar,
+ não podem ser iniciadas com um nível
+ elevado de segurança), a proteção
+ do <literal>securelevel</literal> (nível de
+ segurança do sistema) será invalidada.
Por outro lado, a tarefa de assegurar que todos os
- arquivos necess&aacute;rios pelo processo de
- inicializa&ccedil;&atilde;o estejam em conformidade,
- n&atilde;o &eacute; tecnicamente imposs&iacute;vel, mas,
- O processo de manuten&ccedil;&atilde;o de um ambiente em
- tais condi&ccedil;&otilde;es se tornaria um pesadelo,
- visto que seria necess&aacute;rio baixar o sistema, no
- m&iacute;nimo para modo monousu&aacute;rio sempre que
- fosse necess&aacute;rio modificar os arquivos de
- configura&ccedil;&atilde;o do mesmo.</para>
-
- <para>Esse e outros pontos s&atilde;o freq&uuml;entemente
+ arquivos necessários pelo processo de
+ inicialização estejam em conformidade,
+ não é tecnicamente impossível, mas,
+ O processo de manutenção de um ambiente em
+ tais condições se tornaria um pesadelo,
+ visto que seria necessário baixar o sistema, no
+ mínimo para modo monousuário sempre que
+ fosse necessário modificar os arquivos de
+ configuração do mesmo.</para>
+
+ <para>Esse e outros pontos são freq&uuml;entemente
discutidos nas listas do FreeBSD, em especial na
freebsd-security. Por gentileza, queira fazer uma busca
- no hist&oacute;rico da lista, <ulink
+ no histórico da lista, <ulink
url="../../../../search/index.html">clicando
- aqui</ulink>, para uma discuss&atilde;o extensa sobre
- o assunto. Algumas pessoas est&atilde;o
- esperan&ccedil;osas de que o securelevel logo
- ser&aacute; afastado, em favor de um mecanismo de
- seguran&ccedil;a mais refinado, mas as coisas ainda
- est&atilde;o confusas a este respeito.</para>
+ aqui</ulink>, para uma discussão extensa sobre
+ o assunto. Algumas pessoas estão
+ esperançosas de que o securelevel logo
+ será afastado, em favor de um mecanismo de
+ segurança mais refinado, mas as coisas ainda
+ estão confusas a este respeito.</para>
<para>Considere-se advertido.</para>
</warning>
@@ -9015,69 +9015,69 @@ define(`confDELIVERY_MODE',`deferred')dnl</programlisting>
<qandaentry>
<question id="release-candidate">
- <para>Tentei atualizar meu sistema para o &uacute;ltimo
+ <para>Tentei atualizar meu sistema para o último
-STABLE, mas ele se tornou -RC ou -PRERELEASE! O que
- est&aacute; havendo?</para>
+ está havendo?</para>
</question>
<answer>
- <para>A resposta mais curta: &Eacute; s&oacute; um nome, RC
- &eacute; um acr&ocirc;nimo para <quote>Release
- Candidate</quote>. Significa que uma nova vers&atilde;o
- est&aacute; eminente. No FreeBSD, -PRERELEASE &eacute;
- tipicamente um sinonimo de c&oacute;digo congelado antes
- de uma nova vers&atilde;o. (Em algumas vers&otilde;es, o
- t&iacute;tulo -BETA foi usado sob as mesmas
- circunst&acirc;ncias em que o -PRERELEASE seria).</para>
+ <para>A resposta mais curta: É só um nome, RC
+ é um acrônimo para <quote>Release
+ Candidate</quote>. Significa que uma nova versão
+ está eminente. No FreeBSD, -PRERELEASE é
+ tipicamente um sinonimo de código congelado antes
+ de uma nova versão. (Em algumas versões, o
+ título -BETA foi usado sob as mesmas
+ circunstâncias em que o -PRERELEASE seria).</para>
<para>A resposta longa: O FreeBSD normalmente deriva suas
- vers&otilde;es de duas fontes de origem. As
- vers&otilde;es principais, ponto-zero, como o 3.0-RELEASE
- e o 4.0-RELEASE que s&atilde;o marcadas inicialmente como
+ versões de duas fontes de origem. As
+ versões principais, ponto-zero, como o 3.0-RELEASE
+ e o 4.0-RELEASE que são marcadas inicialmente como
o topo da cadeia de desenvolvimento, normalmente chamados
de <link linkend="current">-CURRENT</link>. As
- vers&otilde;es menores (como 3.1-RELEASE ou 4.2-RELEASE),
- s&atilde;o criados a partir do
+ versões menores (como 3.1-RELEASE ou 4.2-RELEASE),
+ são criados a partir do
<foreignphrase>snapshot</foreignphrase> mais recente da
- ramifica&ccedil;&atilde;o ativa marcada como <link
+ ramificação ativa marcada como <link
linkend="stable">-STABLE</link>. A partir do
- 4.3-RELEASE, cada vers&atilde;o conta tamb&eacute;m com
- sua pr&oacute;pria ramifica&ccedil;&atilde;o, que pode ser
- acessada por usu&aacute;rios que queiram apenas um
- n&iacute;vel extremamente conservador de desenvolvimento
+ 4.3-RELEASE, cada versão conta também com
+ sua própria ramificação, que pode ser
+ acessada por usuários que queiram apenas um
+ nível extremamente conservador de desenvolvimento
(tipicamente, apenas consultores de
- seguran&ccedil;a).</para>
+ segurança).</para>
- <para>Quando uma vers&atilde;o est&aacute; para ser criada,
- a ramifica&ccedil;&atilde;o de onde ela se derivar&aacute;
+ <para>Quando uma versão está para ser criada,
+ a ramificação de onde ela se derivará
deve passar por um certo processo. Parte desse processo
- &eacute; o congelamento do c&oacute;digo. Quando o
- processo de congelamento do c&oacute;digo se inicia, o
- nome desta ramifica&ccedil;&atilde;o &eacute; alterado
- para indicar que ela est&aacute; para se tornar uma
- vers&atilde;o. Por exemplo, se a
- ramifica&ccedil;&atilde;o usada chamava-se 4.5-STABLE, ela
+ é o congelamento do código. Quando o
+ processo de congelamento do código se inicia, o
+ nome desta ramificação é alterado
+ para indicar que ela está para se tornar uma
+ versão. Por exemplo, se a
+ ramificação usada chamava-se 4.5-STABLE, ela
passa a se chamar 4.6-PRERELEASE para indicar que o
- c&oacute;digo est&aacute; congelado, e indicar que testes
- extras, pr&eacute; vers&atilde;o, est&atilde;o
- acontecendo. Durante esse per&iacute;odo
- altera&ccedil;&otilde;es pertinentes a
- corre&ccedil;&otilde;es de problemas s&atilde;o
- realizadas. Quando o novo c&oacute;digo est&aacute;
- pronto para ser lan&ccedil;ado, ele passa a ser chamado de
+ código está congelado, e indicar que testes
+ extras, pré versão, estão
+ acontecendo. Durante esse período
+ alterações pertinentes a
+ correções de problemas são
+ realizadas. Quando o novo código está
+ pronto para ser lançado, ele passa a ser chamado de
-RC (nesse exemplo, 4.6-RC), indicando que provavelmente a
- nova vers&atilde;o ser&aacute; criada a partir do
- c&oacute;digo atual. Nesse est&aacute;gio, apenas os
- problemas mais s&eacute;rios s&atilde;o corrigidos.
- Depois que a vers&atilde;o &eacute; finalmente
- lan&ccedil;ado (4.6-RELEASE nesse exemplo) e a nova
- ramifica&ccedil;&atilde;o com o nome dessa vers&atilde;o
+ nova versão será criada a partir do
+ código atual. Nesse estágio, apenas os
+ problemas mais sérios são corrigidos.
+ Depois que a versão é finalmente
+ lançado (4.6-RELEASE nesse exemplo) e a nova
+ ramificação com o nome dessa versão
foi criada, ela passa a se chamar -STABLE; 4.6-STABLE no
nosso exemplo.</para>
- <para>Para obter mais informa&ccedil;&otilde;es sobre a
- numera&ccedil;&atilde;o das vers&otilde;es e sobre as
- v&aacute;rias ramifica&ccedil;&otilde;es CVS, por
+ <para>Para obter mais informações sobre a
+ numeração das versões e sobre as
+ várias ramificações CVS, por
gentileza, refira-se ao artigo sobre a <ulink
url="../../articles/releng/article.html">Engenharia de
Releases</ulink>.</para>
@@ -9092,104 +9092,104 @@ define(`confDELIVERY_MODE',`deferred')dnl</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>A resposta curta: provavelmente voc&ecirc; est&aacute;
- com o <literal>securelevel</literal> (n&iacute;vel de
- seguran&ccedil;a do sistema) acima do 0. Reinicie o
- sistema em modo mono usu&aacute;rio e instale o
+ <para>A resposta curta: provavelmente você está
+ com o <literal>securelevel</literal> (nível de
+ segurança do sistema) acima do 0. Reinicie o
+ sistema em modo mono usuário e instale o
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>.</para>
- <para>A resposta mais completa: O FreeBSD n&atilde;o permite
+ <para>A resposta mais completa: O FreeBSD não permite
que as flags do sistema sejam alteradas caso o
- <literal>securelevel</literal> (n&iacute;vel de
- seguran&ccedil;a do sistema) seja maior que 0. O
- n&iacute;vel atual do <literal>securelevel</literal>
- (n&iacute;vel de seguran&ccedil;a do sistema) pode ser
+ <literal>securelevel</literal> (nível de
+ segurança do sistema) seja maior que 0. O
+ nível atual do <literal>securelevel</literal>
+ (nível de segurança do sistema) pode ser
verificado com o comando:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>sysctl kern.securelevel</userinput></screen>
- <para>O <literal>securelevel</literal> (n&iacute;vel de
- seguran&ccedil;a do sistema) n&atilde;o pode ser
- diminu&iacute;do; &eacute; necess&aacute;rio iniciar o
- sistema em modo mono usu&aacute;rio, ou alterar o
- n&iacute;vel de seguran&ccedil;a em
+ <para>O <literal>securelevel</literal> (nível de
+ segurança do sistema) não pode ser
+ diminuído; é necessário iniciar o
+ sistema em modo mono usuário, ou alterar o
+ nível de segurança em
<filename>/etc/rc.conf</filename>, depois reiniciar. Veja
- a p&aacute;gina de manual do &man.init.8; para obter
- informa&ccedil;&otilde;es mais detalhadas sobre o
- <literal>securelevel</literal> (n&iacute;vel de
- seguran&ccedil;a do sistema), e veja tamb&eacute;m o
+ a página de manual do &man.init.8; para obter
+ informações mais detalhadas sobre o
+ <literal>securelevel</literal> (nível de
+ segurança do sistema), e veja também o
<filename>/etc/defaults/rc.conf</filename> e a
- p&aacute;gina de manual do &man.rc.conf.5; para obter mais
- informa&ccedil;&otilde;es quanto ao rc.conf.</para>
+ página de manual do &man.rc.conf.5; para obter mais
+ informações quanto ao rc.conf.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="kernel-securelevel-time">
- <para>N&atilde;o consigo alterar mais de um segundo na hora
+ <para>Não consigo alterar mais de um segundo na hora
no meu sistema. O que posso fazer?</para>
</question>
<answer>
- <para>A resposta curta: provavelmente o sistema est&aacute;
- com <literal>securelevel</literal> (n&iacute;vel de
- seguran&ccedil;a do sistema) acima do 1. Reinicie o
- sistema em modo mono usu&aacute;rio e altere a
+ <para>A resposta curta: provavelmente o sistema está
+ com <literal>securelevel</literal> (nível de
+ segurança do sistema) acima do 1. Reinicie o
+ sistema em modo mono usuário e altere a
data.</para>
- <para>A resposta mais completa: O FreeBSD n&atilde;o permite
+ <para>A resposta mais completa: O FreeBSD não permite
que a hora do sistema seja alterada por mais de um segundo
- quando o <literal>securelevel</literal> (n&iacute;vel de
- seguran&ccedil;a do sistema) do
- <foreignphrase>kernel</foreignphrase> &eacute; maior que
- 1. O n&iacute;vel atual do <literal>securelevel</literal>
- (n&iacute;vel de seguran&ccedil;a do sistema) pode ser
+ quando o <literal>securelevel</literal> (nível de
+ segurança do sistema) do
+ <foreignphrase>kernel</foreignphrase> é maior que
+ 1. O nível atual do <literal>securelevel</literal>
+ (nível de segurança do sistema) pode ser
verificado com o comando:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>sysctl kern.securelevel</userinput></screen>
- <para>O <literal>securelevel</literal> (n&iacute;vel de
- seguran&ccedil;a do sistema) n&atilde;o pode ser
- diminu&iacute;do; &eacute; necess&aacute;rio iniciar o
- sistema em modo mono usu&aacute;rio, ou alterar o
- n&iacute;vel de seguran&ccedil;a em
+ <para>O <literal>securelevel</literal> (nível de
+ segurança do sistema) não pode ser
+ diminuído; é necessário iniciar o
+ sistema em modo mono usuário, ou alterar o
+ nível de segurança em
<filename>/etc/rc.conf</filename>, depois reiniciar. Veja
- a p&aacute;gina de manual do &man.init.8; para obter
- informa&ccedil;&otilde;es mais detalhadas sobre o
- <literal>securelevel</literal> (n&iacute;vel de
- seguran&ccedil;a do sistema), e veja tamb&eacute;m o
+ a página de manual do &man.init.8; para obter
+ informações mais detalhadas sobre o
+ <literal>securelevel</literal> (nível de
+ segurança do sistema), e veja também o
<filename>/etc/defaults/rc.conf</filename> e a
- p&aacute;gina de manual do &man.rc.conf.5; para obter mais
- informa&ccedil;&otilde;es quanto ao rc.conf.</para>
+ página de manual do &man.rc.conf.5; para obter mais
+ informações quanto ao rc.conf.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="statd-mem-leak">
<para>Por que motivo o <command>rpc.statd</command>
- est&aacute; usando 256 megabytes de mem&oacute;ria?</para>
+ está usando 256 megabytes de memória?</para>
</question>
<answer>
- <para>N&atilde;o, m&atilde;o existe nenhuma falha no uso da
- mem&oacute;ria, e ele n&atilde; &eacute; usando 256MB de
+ <para>Não, mão existe nenhuma falha no uso da
+ memória, e ele nã é usando 256MB de
RAM. Ele simplesmente gosta de (ele sempre faz isso)
- mapear uma quantia obscena de mem&oacute;ria em seu
- endere&ccedil;amento, simplesmente por conveni&ecirc;ncia.
- N&atilde;o existe nada terrivelmente errado com esse
- comportamento, de um ponto de vista t&eacute;cnico; a
- &uacute;nica quest&atilde;o &eacute; que assim o
+ mapear uma quantia obscena de memória em seu
+ endereçamento, simplesmente por conveniência.
+ Não existe nada terrivelmente errado com esse
+ comportamento, de um ponto de vista técnico; a
+ única questão é que assim o
&man.top.1; e o &man.ps.1; ficam completamente
perdidos.</para>
<para>O &man.rpc.statd.8; mapeia seu arquivo de status
(localizado sob o <filename>/var</filename>) no seu
- endere&ccedil;amento para economiza
- preocupa&ccedil;&otilde;es sobre esse remapeamento em um
+ endereçamento para economiza
+ preocupações sobre esse remapeamento em um
segundo momento, quando o arquivo precisa crescer. O
- mapeamento &eacute; feito a um valor enorme. Analisando o
- c&oacute;digo fonte, podemos evidenciar que o tamanho do
- argumento do &man.mmap.2; &eacute;
+ mapeamento é feito a um valor enorme. Analisando o
+ código fonte, podemos evidenciar que o tamanho do
+ argumento do &man.mmap.2; é
<literal>0x10000000</literal>, ou exatos 256MB em sistemas
de arquitetura IA32.</para>
</answer>
@@ -9197,44 +9197,44 @@ define(`confDELIVERY_MODE',`deferred')dnl</programlisting>
<qandaentry>
<question id="unsetting-schg">
- <para>Por que eu n&atilde;o posso retirar a flag
+ <para>Por que eu não posso retirar a flag
<literal>schg</literal> dos arquivos?</para>
</question>
<answer>
- <para>O sistema est&aacute; sendo executado em um
- n&iacute;vel de seguran&ccedil;a elevado (maior que 0).
- Diminua o n&iacute;vel de seguran&ccedil;a e tente
- novamente. Para obter mais informa&ccedil;&otilde;es, por
- gentileza, refira-se &agrave; se&ccedil;&atilde;o sobre
+ <para>O sistema está sendo executado em um
+ nível de segurança elevado (maior que 0).
+ Diminua o nível de segurança e tente
+ novamente. Para obter mais informações, por
+ gentileza, refira-se à seção sobre
<link linkend="securelevel"><literal>securelevel</literal>
- (n&iacute;vel de seguran&ccedil;a do sistema)</link> do
- <literal>FAQ</literal>, e &agrave; p&aacute;gina de manual
+ (nível de segurança do sistema)</link> do
+ <literal>FAQ</literal>, e à página de manual
do &man.init.8;</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="ssh-shosts">
- <para>Por que a autentica&ccedil;&atilde;o do SSH via
- <filename>.shosts</filename> n&atilde;o funciona por
- padr&atilde;o nas vers&otilde;es recentes do
+ <para>Por que a autenticação do SSH via
+ <filename>.shosts</filename> não funciona por
+ padrão nas versões recentes do
FreeBSD?</para>
</question>
<answer>
- <para>O motivo &eacute; simples. A
- autentica&ccedil;&atilde;o via
- <filename>.shosts</filename> n&atilde;o funciona mais por
- padr&atilde;o porque o &man.ssh.1; n&atilde;o est&aacute;
- instalado com suid de root por padr&atilde;o.
- Raz&otilde;es &oacute;bvias de seguran&ccedil;a. Para
+ <para>O motivo é simples. A
+ autenticação via
+ <filename>.shosts</filename> não funciona mais por
+ padrão porque o &man.ssh.1; não está
+ instalado com suid de root por padrão.
+ Razões óbvias de segurança. Para
<quote>corrigir</quote> isto, pode-se fazer o
seguinte:</para>
<itemizedlist>
<listitem>
- <para>Para uma altera&ccedil;&atilde;o permanente,
+ <para>Para uma alteração permanente,
defina <makevar>ENABLE_SUID_SSH</makevar> como
<literal>true</literal> no arquivo
<filename>/etc/make.conf</filename> e recompile o ssh
@@ -9242,15 +9242,15 @@ define(`confDELIVERY_MODE',`deferred')dnl</programlisting>
</listitem>
<listitem>
- <para>Uma corre&ccedil;&atilde;o tempor&aacute;ria pode
- ser mudar os modos de permiss&atilde;o do&nbsp;
+ <para>Uma correção temporária pode
+ ser mudar os modos de permissão do&nbsp;
<filename>/usr/bin/ssh</filename> para
<literal>4555</literal> simplesmente executando o
comando <command>chmod 4555 /usr/bin/ssh</command>
logado como <username>root</username>. Depois, defina
<makevar>ENABLE_SUID_SSH= true</makevar> no
<filename>/etc/make.conf</filename> para que as
- altera&ccedil;&otilde;es tenham efeito todas as vezes
+ alterações tenham efeito todas as vezes
que um make world for feito.</para>
</listitem>
</itemizedlist>
@@ -9259,16 +9259,16 @@ define(`confDELIVERY_MODE',`deferred')dnl</programlisting>
<qandaentry>
<question id="vnlru">
- <para>O que &eacute; o <literal>vnlru</literal>?</para>
+ <para>O que é o <literal>vnlru</literal>?</para>
</question>
<answer>
<para>O <literal>vnlru</literal> limpa e libera os vnodes
quando o sistema atinge o limite do
<varname>kern.maxvnodes</varname>. Essa thread do
- <foreignphrase>kernel</foreignphrase> se mant&eacute;m
- inativa a maior parte do tempo, e s&oacute; se inicia caso
- exista uma grande quantidade de mem&oacute;ria RAM, e o
+ <foreignphrase>kernel</foreignphrase> se mantém
+ inativa a maior parte do tempo, e só se inicia caso
+ exista uma grande quantidade de memória RAM, e o
sistema esteja acessando dezenas de milhares de arquivos
pequenos.</para>
</answer>
@@ -9277,31 +9277,31 @@ define(`confDELIVERY_MODE',`deferred')dnl</programlisting>
</chapter>
<chapter id="x">
- <title>O sistema X, sistema de interface gr&aacute;fica e os
+ <title>O sistema X, sistema de interface gráfica e os
Consoles Virtuais</title>
<qandaset>
<qandaentry>
<question id="running-X">
- <para>Quero rodar a interface gr&aacute;fica X, como
+ <para>Quero rodar a interface gráfica X, como
procedo?</para>
</question>
<answer>
- <para>A maneira mais f&aacute;cil &eacute; simplesmente
+ <para>A maneira mais fácil é simplesmente
especificar o desejo de usar o X durante o processo de
- instala&ccedil;&atilde;o do FreeBSD.</para>
+ instalação do FreeBSD.</para>
- <para>Depois disso, leia e siga as instru&ccedil;&otilde;es
+ <para>Depois disso, leia e siga as instruções
documentadas na ferramenta <command>xf86config</command>,
- que auxilia o usu&aacute;rio a configurar o XFree86 para
- os diversos monitores, placas de v&iacute;deo, mouse e
+ que auxilia o usuário a configurar o XFree86 para
+ os diversos monitores, placas de vídeo, mouse e
etc, suportados pelo X, sistema de interface
- gr&aacute;fica.</para>
+ gráfica.</para>
- <para>Tamb&eacute;m pode ser interessante dar uma olhada no
- servidor Xaccel. Confira a se&ccedil;&atilde;o do
- <literal>FAQ</literal> pertinente &agrave; <link
+ <para>Também pode ser interessante dar uma olhada no
+ servidor Xaccel. Confira a seção do
+ <literal>FAQ</literal> pertinente à <link
linkend="xig">Xi Graphics</link> ou <link
linkend="metrox">Metro Link</link> para obter mais
detalhes.</para>
@@ -9318,47 +9318,47 @@ define(`confDELIVERY_MODE',`deferred')dnl</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>Seu sistema est&aacute; rodando com um
- <literal>securelevel</literal> (n&iacute;vel de
- seguran&ccedil;a do sistema) elevado, n&atilde;o
- est&aacute;? &Eacute; imposs&iacute;vel iniciar o X com um
+ <para>Seu sistema está rodando com um
+ <literal>securelevel</literal> (nível de
+ segurança do sistema) elevado, não
+ está? É impossível iniciar o X com um
secureleve elevado. Para saber exatamente os motivos
dessa inviabilidade, por gentileza, de uma olhada na
- p&aacute;gina de manual do &man.init.8;.</para>
+ página de manual do &man.init.8;.</para>
- <para>Ent&atilde;o, a pergunta pode ser sobre o que
- voc&ecirc; deve fazer nesse caso; basicamente, existem
+ <para>Então, a pergunta pode ser sobre o que
+ você deve fazer nesse caso; basicamente, existem
duas escolhas: diminua seu <literal>securelevel</literal>
- (n&iacute;vel de seguran&ccedil;a do sistema), colocando-o
+ (nível de segurança do sistema), colocando-o
de volta para zero (normalente via
- <filename>/etc/rc.conf</filename>), ou ent&atilde;o inicie
+ <filename>/etc/rc.conf</filename>), ou então inicie
o &man.xdm.1; durante o processo de
- inicializa&ccedil;&atilde;o do sistema (antes que o
- <literal>securelevel</literal> (n&iacute;vel de
- seguran&ccedil;a do sistema) seja elevado).</para>
+ inicialização do sistema (antes que o
+ <literal>securelevel</literal> (nível de
+ segurança do sistema) seja elevado).</para>
<para>Veja a pergunta <xref linkend="xdm-boot"/>, para obter
- mais informa&ccedil;&otilde;es sobre como iniciar o
+ mais informações sobre como iniciar o
&man.xdm.1; durante o boot.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="x-and-moused">
- <para>Por que meu mouse n&atilde;o funciona com o X?</para>
+ <para>Por que meu mouse não funciona com o X?</para>
</question>
<answer>
- <para>Caso esteja usando o syscons (o driver padr&atilde;o
+ <para>Caso esteja usando o syscons (o driver padrão
do console), o FreeBSD pode ser configurado para suportar
um cursor de mouse em cada tela virtual. Com o
- int&uacute;ito de evitar conflitos com o X, o syscons
+ intúito de evitar conflitos com o X, o syscons
suporta um dispositivo virtual, chamado
<devicename>/dev/sysmouse</devicename>. Todos os eventos
- relacionados ao mouse, que o sistema recebe, s&atilde;o
+ relacionados ao mouse, que o sistema recebe, são
antes enviados para o device sysmouse, por meio do moused.
- Se a inten&ccedil;&atilde;o &eacute; usar o mouse em um ou
- mais consoles virtuais, e tamb&eacute;m usar o X, leia
+ Se a intenção é usar o mouse em um ou
+ mais consoles virtuais, e também usar o X, leia
<xref linkend="moused" remap="another section"/> e
configure o moused.</para>
@@ -9371,17 +9371,17 @@ Device "/dev/sysmouse"
.....</programlisting>
<para>O exemplo acima refere-se ao XFree86 3.3.2 e
- posteriores. Para vers&otilde;es anteriores, a
- cl&aacute;usula <emphasis>Protocol</emphasis> deve ser
- substitu&iacute;da por
+ posteriores. Para versões anteriores, a
+ cláusula <emphasis>Protocol</emphasis> deve ser
+ substituída por
<emphasis>MouseSystems</emphasis>.</para>
<para>Alguns preferem usar a device
<devicename>/dev/mouse</devicename> sob o X. Para que
- isso funcione, fa&ccedil;a um link de
+ isso funcione, faça um link de
<devicename>/dev/mouse</devicename> para
<devicename>/dev/sysmouse</devicename> (veja a
- p&aacute;gina de manual do &man.sysmouse.4;).</para>
+ página de manual do &man.sysmouse.4;).</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>cd /dev</userinput>
&prompt.root; <userinput>rm -f mouse</userinput>
@@ -9392,12 +9392,12 @@ Device "/dev/sysmouse"
<qandaentry>
<question id="x-and-wheel">
<para>Meu mouse possui aquela bolinha (esfera)
- simp&aacute;tica de scroll. Posso usa-lo no X?</para>
+ simpática de scroll. Posso usa-lo no X?</para>
</question>
<answer>
- <para>Pode, mas &eacute; necess&aacute;rio customizar os
- programas do X. Veja a p&aacute;gina do Colas Nahaboo
+ <para>Pode, mas é necessário customizar os
+ programas do X. Veja a página do Colas Nahaboo
sobre o assunto (<ulink
url="http://www.inria.fr/koala/colas/mouse-wheel-scroll/">
http://www.inria.fr/koala/colas/mouse-wheel-scroll/</ulink>.</para>
@@ -9410,56 +9410,56 @@ Device "/dev/sysmouse"
<listitem>
<para>Traduza os eventos da esfera de scroll:</para>
<para>O programa <application>imwheel</application>
- funciona assim: ele traduz os bot&otilde;es 4 e 5 do
+ funciona assim: ele traduz os botões 4 e 5 do
mouse em eventos do teclado do computador. Dessa
- forma &eacute; necess&aacute;rio assegurar que o
+ forma é necessário assegurar que o
driver do mouse esteja traduzindo os eventos da esfera
- de scroll para os eventos dos bot&otilde;es 4 e 5, ou
- seja assimilar suas fun&ccedil;&otilde;es. Existem
- duas formas de fazer isso, a primeira &eacute; usando
+ de scroll para os eventos dos botões 4 e 5, ou
+ seja assimilar suas funções. Existem
+ duas formas de fazer isso, a primeira é usando
o &man.moused.8; para fazer essas
- assimila&ccedil;&otilde;es, e a segunda, &eacute; usar
- o pr&oacute;prio X para traduzir os eventos.</para>
+ assimilações, e a segunda, é usar
+ o próprio X para traduzir os eventos.</para>
<orderedlist>
<listitem>
<para>Usando o &man.moused.8; para traduzir os
eventos da bolinha de scroll.</para>
- <para>Para que o &man.moused.8; fa&ccedil;a as
- assimila&ccedil;&otilde;es de eventos, basta
- adicionar as op&ccedil;&otilde;es <option>-z
- 4</option> nas op&ccedil;&otilde;es de linhas de
+ <para>Para que o &man.moused.8; faça as
+ assimilações de eventos, basta
+ adicionar as opções <option>-z
+ 4</option> nas opções de linhas de
comando, usadas para iniciar o &man.moused.8;.
- Por exemplo, se normalmente voc&ecirc; inicia o
+ Por exemplo, se normalmente você inicia o
&man.moused.8; via <command>moused -p
/dev/psm0</command> basta substituir o comando
por <command>moused -p /dev/psm0 -z 4</command>.
- Se o &man.moused.8; &eacute; executado
+ Se o &man.moused.8; é executado
automaticamente durante o processo de
- inicializa&ccedil;&atilde;o do FreeBSD, por meio
+ inicialização do FreeBSD, por meio
das entradas definidas no
<filename>/etc/rc.conf</filename>, basta adicionar
- <option>-z 4</option> na vari&aacute;vel
+ <option>-z 4</option> na variável
<varname>moused_flags</varname> do
<filename>/etc/rc.conf</filename>.</para>
- <para>Voc&ecirc; precisa agora dizer para o X que
- voc&ecirc; tem o bot&atilde;o 5 no mouse. Para
+ <para>Você precisa agora dizer para o X que
+ você tem o botão 5 no mouse. Para
fazer isto, simplesmente adicione a linha
<literal>Buttons 5</literal> para a
- se&ccedil;&atilde;o <quote>Pointer</quote> do
+ seção <quote>Pointer</quote> do
<filename>/etc/XF86Config</filename>. Por
- exemplo, voc&ecirc; pode seguir a
- se&ccedil;&atilde;o <quote>Pointer</quote> em
+ exemplo, você pode seguir a
+ seção <quote>Pointer</quote> em
<filename>/etc/XF86Config</filename>.</para>
<example>
- <title>Se&ccedil;&atilde;o <quote>Pointer</quote>
+ <title>Seção <quote>Pointer</quote>
no XF86Config para o mouse com bolinha de
- scroll, da s&eacute;rie 3.3.x do XFree86, usando
- a tradu&ccedil;&atilde;o se;rie 3.3.x do
- XFree86, usando a tradu&ccedil;&atilde;o por
+ scroll, da série 3.3.x do XFree86, usando
+ a tradução se;rie 3.3.x do
+ XFree86, usando a tradução por
meio do moused</title>
<programlisting>Section "Pointer"
@@ -9470,10 +9470,10 @@ EndSection</programlisting>
</example>
<example>
- <title>Se&ccedil;&atilde;o
+ <title>Seção
<quote>InputDevice</quote> do XF86Config para
- usar a tradu&ccedil;&atilde;o do X Server na
- s&eacute;rie 4.X do XFree86.</title>
+ usar a tradução do X Server na
+ série 4.X do XFree86.</title>
<programlisting>Section "InputDevice"
Identifier "Mouse1"
@@ -9499,40 +9499,40 @@ EndSection</programlisting>
<para>Usando o X Server para traduzir os eventos da
esfera de scroll.</para>
- <para>Se voc&ecirc; n&atilde;o usa o &man.moused.8;
- ou simplesmente n&atilde;o quer que ele
- fa&ccedil;a a tradu&ccedil;&atilde;o de eventos,
- &eacute; poss&iacute;vel que o servidor X
- fa&ccedil;a o trabalho, no lugar do
- &man.moused.8;. Essa a&ccedil;&atilde;o requer
- algumas altera&ccedil;&otilde;es no seu arquivo
+ <para>Se você não usa o &man.moused.8;
+ ou simplesmente não quer que ele
+ faça a tradução de eventos,
+ é possível que o servidor X
+ faça o trabalho, no lugar do
+ &man.moused.8;. Essa ação requer
+ algumas alterações no seu arquivo
<filename>/etc/XF86Config</filename>. Primeiro,
- &eacute; necess&aacute;rio definir o protocolo
+ é necessário definir o protocolo
apropriado para o mouse. A maioria dos mouses com
esferas de scroll usam o protocolo
<quote>IntelliMouse</quote>. De qualquer forma, o
- XFree86 n&atilde;o suporta outros protocolos como
+ XFree86 não suporta outros protocolos como
o <quote>MouseManPlusPS/2</quote> dos MouseMan+
Logitechfor. Uma vez definido o protocolo,
- &eacute; necess&aacute;rio criar uma entrada
- apropriada na se&ccedil;&atilde;o
+ é necessário criar uma entrada
+ apropriada na seção
<quote>Pointer</quote>.</para>
- <para>Depois, &eacute; preciso definir que o
+ <para>Depois, é preciso definir que o
servidor X deve remapear os eventos 4 e 5 do
- mouse. A op&ccedil;&atilde;o
- <varname>ZAxisMapping</varname> &eacute; usada
+ mouse. A opção
+ <varname>ZAxisMapping</varname> é usada
para essa finalidade.</para>
- <para>Por exemplo, caso n&atilde;o estejas usando o
+ <para>Por exemplo, caso não estejas usando o
&man.moused.8; e exista um IntelliMouse ligado na
PS/2 do seu computador, use o seguinte, no
<filename>/etc/XF86Config</filename>.</para>
<example>
- <title>Se&ccedil;&atilde;o <quote>Pointer</quote>
+ <title>Seção <quote>Pointer</quote>
do <filename>XF86Config</filename> com um mouse
- com scroll na s&eacute;rie 3.3.x do
+ com scroll na série 3.3.x do
XFree86.</title>
<programlisting>Section "Pointer"
@@ -9543,10 +9543,10 @@ EndSection</programlisting>
</example>
<example>
- <title>Se&ccedil;&atilde;o
+ <title>Seção
<quote>InputDevice</quote> do
<filename>XF86Config</filename> com um mouse com
- scroll na s&eacute;rie 4.x do XFree86.</title>
+ scroll na série 4.x do XFree86.</title>
<programlisting>Section "InputDevice"
Identifier "Mouse1"
@@ -9575,28 +9575,28 @@ EndSection</programlisting>
<application>imwheel</application></para>
<para>Depois, instale o
- <application>imwheel</application> &agrave; partir da
- cole&ccedil;&atilde;o de <literal>ports</literal> do
+ <application>imwheel</application> à partir da
+ coleção de <literal>ports</literal> do
FreeBSD; ele pode ser encontrado sob a categoria
<filename>x11</filename>. A finalidade desse programa
- &eacute; assimilar os eventos dos bot&otilde;es 4 e 5
+ é assimilar os eventos dos botões 4 e 5
do mouse, com os eventos de alguma tecla do teclado.
Por exemplo, o programa deve enviar o evento da tecla
<keycap>Page Up</keycap> quando a esfera for deslocada
para frente. O <application>imwheel</application> usa
- um arquivo de configura&ccedil;&otilde;es para
- assimilar esses eventos &agrave; uma tecla, de forma
- que possam ser configuradas a&ccedil;&otilde;es
+ um arquivo de configurações para
+ assimilar esses eventos à uma tecla, de forma
+ que possam ser configuradas ações
diferentes (teclas diferentes) para
- aplica&ccedil;&otilde;es diferentes. O arquivo de
- configura&ccedil;&atilde;o padr&atilde;o do
- <application>imwheel</application> &eacute; instalado
+ aplicações diferentes. O arquivo de
+ configuração padrão do
+ <application>imwheel</application> é instalado
em <filename>/usr/X11R6/etc/imwheelrc</filename>. Ele
pode ser copiado para
<filename>~/.imwheelrc</filename> e editado, caso se
deseja customizar o arquivo de
- configura&ccedil;&atilde;o. O formato esperado para o
- arquivo &eacute; documentado na p&aacute;gina de
+ configuração. O formato esperado para o
+ arquivo é documentado na página de
manual do &man.imwheel.1;.</para>
</listitem>
@@ -9606,17 +9606,17 @@ EndSection</programlisting>
<application>Imwheel</application>
(<emphasis>optional</emphasis>)</para>
- <para>Se voc&ecirc; usa o
+ <para>Se você usa o
<application>emacs</application> ou o
- <application>Xemacs</application>, ser&aacute;
- necess&aacute;rio adicionar uma breve
- se&ccedil;&atilde;o ao arquivo
+ <application>Xemacs</application>, será
+ necessário adicionar uma breve
+ seção ao arquivo
<filename>~/.emacs</filename>. No
<application>emacs</application>, adicione o
seguinte:</para>
<example>
- <title>Configura&ccedil;&atilde;o do
+ <title>Configuração do
<application>Emacs</application> para
<application>Imwheel</application></title>
@@ -9638,7 +9638,7 @@ EndSection</programlisting>
<filename>~/.emacs</filename>:</para>
<example>
- <title>Configura&ccedil;&atilde;o do
+ <title>Configuração do
<application>Xemacs</application> para
<application>Imwheel</application></title>
@@ -9667,13 +9667,13 @@ EndSection</programlisting>
Caso queira sempre iniciar o
<application>imwheel</application>, basta adicionar o
comando no seu arquivo <filename>.xinitrc</filename>
- ou no <filename>.xsession</filename>. &Eacute;
- poss&iacute;vel que o
+ ou no <filename>.xsession</filename>. É
+ possível que o
<application>imwheel</application> mostre algumas
- mensagens de advert&ecirc;ncia sobre arquivos PID;
+ mensagens de advertência sobre arquivos PID;
elas podem ser seguramente ignoradas, visto que
- s&atilde;o mensagens que se aplicam &agrave;
- vers&atilde;o para Linux.</para>
+ são mensagens que se aplicam à
+ versão para Linux.</para>
</listitem>
</orderedlist>
</answer>
@@ -9681,8 +9681,8 @@ EndSection</programlisting>
<qandaentry>
<question id="window-menu-weird">
- <para>Por qu&ecirc; os menus e caixas de di&aacute;logo do
- X, sistema de interface gr&aacute;fica n&atilde;o
+ <para>Por quê os menus e caixas de diálogo do
+ X, sistema de interface gráfica não
funcionam direito?</para>
</question>
@@ -9690,10 +9690,10 @@ EndSection</programlisting>
<para>Tente desativar a tecla <keycap>Num
Lock</keycap>.</para>
- <para>Se por padr&atilde;o seu <keycap>Num Lock</keycap>
- &eacute; ativo na hora do processo de
- inicializa&ccedil;&atilde;o, adicione a seguinte linha a
- se&ccedil;&atilde;o <literal>Keyboard</literal> do seu
+ <para>Se por padrão seu <keycap>Num Lock</keycap>
+ é ativo na hora do processo de
+ inicialização, adicione a seguinte linha a
+ seção <literal>Keyboard</literal> do seu
arquivo <filename>XF86Config</filename>.</para>
<programlisting># Deixar o servidor fazer o trabalho do NumLock. Deve ser usado apenas em versoes anteriores a R6
@@ -9703,44 +9703,44 @@ EndSection</programlisting>
<qandaentry>
<question id="virtual-console">
- <para>O que &eacute; um console virtual, e como eu crio mais
+ <para>O que é um console virtual, e como eu crio mais
consoles?</para>
</question>
<answer>
<para>Consoles virtuais simplesmente permitem que se tenha
- v&aacute;rias sess&otilde;es simult&acirc;neas em uma
- mesma m&aacute;quina, sem a necessidade de fazer nada
+ várias sessões simultâneas em uma
+ mesma máquina, sem a necessidade de fazer nada
complicado como configurar uma rede ou usar um servidor
X.</para>
- <para>Quando o sistema &eacute; iniciado, a primeira
- a&ccedil;&atilde;o &eacute; apresentar um prompt de login
- na tela do usu&aacute;rio, t&atilde;o logo todas as
- mensagens do processo de inicializa&ccedil;&atilde;o sejam
- apresentadas. Nesse momento &eacute; poss&iacute;vel
- entrar com seu nome de usu&aacute;rio e senha para
- come&ccedil;ar trabalhar (ou brincar!) no primeiro console
+ <para>Quando o sistema é iniciado, a primeira
+ ação é apresentar um prompt de login
+ na tela do usuário, tão logo todas as
+ mensagens do processo de inicialização sejam
+ apresentadas. Nesse momento é possível
+ entrar com seu nome de usuário e senha para
+ começar trabalhar (ou brincar!) no primeiro console
virtual.</para>
- <para>Em algum momento, &eacute; prov&aacute;vel que se
- deseje iniciar uma outra sess&atilde;o, talvez para ler a
- documenta&ccedil;&atilde;o de alguma
- aplica&ccedil;&atilde;o que est&aacute; sendo usada, ou
- para ler e-mail enquanto a transfer&ecirc;ncia FTP se
- concl&uacute;i, enfim, qualquer a&ccedil;&atilde;o
- (a)t&iacute;pica de um sistema multitarefa. Nesse caso,
+ <para>Em algum momento, é provável que se
+ deseje iniciar uma outra sessão, talvez para ler a
+ documentação de alguma
+ aplicação que está sendo usada, ou
+ para ler e-mail enquanto a transferência FTP se
+ conclúi, enfim, qualquer ação
+ (a)típica de um sistema multitarefa. Nesse caso,
basta pressionar <keycombo
action="simul"><keycap>Alt</keycap><keycap>F2</keycap></keycombo>
(segure a tecla <keycap>Alt</keycap> e depois aperte a
tecla <keycap>F2</keycap>), e outro prompt de login
- estar&aacute; esperando voc&ecirc; no segundo
+ estará esperando você no segundo
<quote>console virtual</quote>! Quando quizer alternar de
- volta &agrave; sess&atilde;o original, digite <keycombo
+ volta à sessão original, digite <keycombo
action="simul"><keycap>Alt</keycap><keycap>F1</keycap></keycombo>.</para>
- <para>A instala&ccedil;&atilde;o padr&atilde;o do FreeBSD
- oferece tr&ecirc;s consoles virtuais j&aacute; habilitados
+ <para>A instalação padrão do FreeBSD
+ oferece três consoles virtuais já habilitados
(8 a partir do 3.3-RELEASE), e as teclas <keycombo
action="simul"><keycap>Alt</keycap><keycap>F1</keycap></keycombo>,
@@ -9748,13 +9748,13 @@ EndSection</programlisting>
action="simul"><keycap>Alt</keycap><keycap>F2</keycap></keycombo>,
e <keycombo
action="simul"><keycap>Alt</keycap><keycap>F3</keycap></keycombo>
- ir&aacute; alternar entre esses consoles.</para>
+ irá alternar entre esses consoles.</para>
<para>Para habilitar mais consoles, edite o
- <filename>/etc/ttys</filename> (veja a p&aacute;gina de
+ <filename>/etc/ttys</filename> (veja a página de
manual do &man.ttys.5;) e adicione as entradas da
- <devicename>ttyv4</devicename> &agrave;
- <devicename>ttyvc</devicename> depois do coment&aacute;rio
+ <devicename>ttyv4</devicename> à
+ <devicename>ttyvc</devicename> depois do comentário
sobre <quote>Virtual terminals</quote>:</para>
<programlisting># Edite as entradas existentes para ttyv3 e mude de "off" para "on"
@@ -9769,29 +9769,29 @@ ttyva "/usr/libexec/getty Pc" cons25 on secure
ttyvb "/usr/libexec/getty Pc" cons25 on secure</programlisting>
<para>Use quantos consoles desejar. Quanto mais, maior o
- uso de recursos; essa &eacute; uma
- considera&ccedil;&atilde;o relevante quando se tem 8MB de
- RAM ou menos. Tamb&eacute;m pode ser interessante mudar o
+ uso de recursos; essa é uma
+ consideração relevante quando se tem 8MB de
+ RAM ou menos. Também pode ser interessante mudar o
terminal de <literal>secure</literal> para
<literal>insecure</literal>.</para>
<important>
- <para>Caso se deseje usar um servidor X, &eacute;
- necess&aacute;rio garantir que exista ao menos um
+ <para>Caso se deseje usar um servidor X, é
+ necessário garantir que exista ao menos um
terminal virtual fora de uso (ou desligado). Com isso,
- entenda que, se sua inte&ccedil;&atilde;o for usar
+ entenda que, se sua inteção for usar
consoles virtuais nas suas doze teclas de
- fun&ccedil;&otilde;es, nada feito; apenas onze
- poder&atilde;o ser usadas caso deseje-se usar o X na
- mesma m&aacute;quina.</para>
+ funções, nada feito; apenas onze
+ poderão ser usadas caso deseje-se usar o X na
+ mesma máquina.</para>
</important>
<para>A maneira mais simples de desabilitar um console,
- &eacute; desligando-o. Por exemplo, caso existam 12
+ é desligando-o. Por exemplo, caso existam 12
terminais definidos, como mencionado na
- situa&ccedil;&atilde;o acima, e se queira usar o servidor
- X, o mais interessante &eacute; mudar as
- configura&ccedil;&otilde;es do terminal 12 de:</para>
+ situação acima, e se queira usar o servidor
+ X, o mais interessante é mudar as
+ configurações do terminal 12 de:</para>
<programlisting>ttyvb "/usr/libexec/getty Pc" cons25 on secure</programlisting>
@@ -9800,8 +9800,8 @@ ttyvb "/usr/libexec/getty Pc" cons25 on secure</programlisting>
<programlisting>ttyvb "/usr/libexec/getty Pc" cons25 off secure</programlisting>
<para>Caso seu teclado tenha apenas dez teclas de
- fun&ccedil;&otilde;es, basta encerrar as
- defini&ccedil;&otilde;es com:</para>
+ funções, basta encerrar as
+ definições com:</para>
<programlisting>ttyv9 "/usr/libexec/getty Pc" cons25 off secure
ttyva "/usr/libexec/getty Pc" cons25 off secure
@@ -9811,26 +9811,26 @@ ttyvb "/usr/libexec/getty Pc" cons25 off secure</programlisting>
apagadas.)</para>
<para>Uma vez editado o <filename>/etc/ttys</filename>, o
- passo seguinte &eacute; garantir que existam devices o
+ passo seguinte é garantir que existam devices o
bastante pros terminais virtuais. A forma mais
- f&aacute;cil de fazer isso &eacute;:</para>
+ fácil de fazer isso é:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>cd /dev</userinput>
&prompt.root; <userinput>sh MAKEDEV vty12</userinput></screen>
- <para>Em seguida, a maneira mais f&aacute;cil (e mais limpa)
- de ativar cada um dos consoles virtuais &eacute; reiniciar
- o sistema. Mas se reiniciar o FreeBSD n&atilde;o &eacute;
- a inten&ccedil;&atilde;o, basta desligar o servidor X,
- sistema de interface gr&aacute;fica e executar (logado
+ <para>Em seguida, a maneira mais fácil (e mais limpa)
+ de ativar cada um dos consoles virtuais é reiniciar
+ o sistema. Mas se reiniciar o FreeBSD não é
+ a intenção, basta desligar o servidor X,
+ sistema de interface gráfica e executar (logado
como <username>root</username>):</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>kill -HUP 1</userinput></screen>
- <para>&Eacute; obrigat&oacute;rio tirar por completo o X,
- sistema de interface gr&aacute;fica do ar antes de dar
+ <para>É obrigatório tirar por completo o X,
+ sistema de interface gráfica do ar antes de dar
esse comando, caso o X esteja sendo usado. Se isso
- n&atilde;o for feito, o sistema vai parecer que
+ não for feito, o sistema vai parecer que
travou.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -9861,83 +9861,83 @@ ttyvb "/usr/libexec/getty Pc" cons25 off secure</programlisting>
</keycombo> normalmente, para alternar entre os consoles
virtuais.</para>
- <para>Pra voltar para sess&atilde;o X basta alternar para o
- console virtual onde o X est&aacute; sendo executado.
+ <para>Pra voltar para sessão X basta alternar para o
+ console virtual onde o X está sendo executado.
Caso o X tenha sido iniciado por linha de comando (por
exemplo, com o comando <command>startx</command>) a
- sess&atilde;o ter&aacute; sido assimilada ao
- pr&oacute;ximo console virtual fora de uso, e n&atilde;o
+ sessão terá sido assimilada ao
+ próximo console virtual fora de uso, e não
ao console onde o comando foi digitado. Caso existam oito
- terminais virtuais ativos, o X estar&aacute; sendo
+ terminais virtuais ativos, o X estará sendo
executado no nono. Nesse caso as teclas
<keycombo action="simul">
<keycap>Alt</keycap>
<keycap>F9</keycap>
- </keycombo> retornar&atilde;o ao sistema
- gr&aacute;fico.</para>
+ </keycombo> retornarão ao sistema
+ gráfico.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="xdm-boot">
<para>Como eu inicio o XDM no processo de
- inicializa&ccedil;&atilde;o?</para>
+ inicialização?</para>
</question><answer>
- <para>Existem duas formas cl&aacute;ssicas de iniciar o
+ <para>Existem duas formas clássicas de iniciar o
<ulink
url="http://www.FreeBSD.org/cgi/man.cgi?manpath=xfree86&amp;query=xdm">xdm</ulink>.
- A primeira consiste em inci&aacute;-lo a partir do
- <filename>/etc/ttys</filename> (veja a p&aacute;gina de
- manual do &man.ttys.5;) usando o exemplo dispon&iacute;vel
- no arquivo; a segunda forma &eacute; simplesmente executar
+ A primeira consiste em inciá-lo a partir do
+ <filename>/etc/ttys</filename> (veja a página de
+ manual do &man.ttys.5;) usando o exemplo disponível
+ no arquivo; a segunda forma é simplesmente executar
o xdm a partir do <filename>rc.local</filename> (veja a
- p&aacute;gina de manual do &man.rc.8;) ou ent&atilde;o por
+ página de manual do &man.rc.8;) ou então por
um script <filename>X.sh</filename> em
<filename>/usr/local/etc/rc.d</filename>. As duas
- maneiras s&atilde;o igualmente v&aacute;lidas, mas algumas
+ maneiras são igualmente válidas, mas algumas
podem ser mais eficientes em algumas
- situa&ccedil;&otilde;es, onde a outra forma n&atilde;o
- seria ideal. Nos dois casos, o resultado ser&aacute; o
- mesmo: o X iniciar&aacute; o mostrando uma tela de login:
- gr&aacute;fica.</para>
+ situações, onde a outra forma não
+ seria ideal. Nos dois casos, o resultado será o
+ mesmo: o X iniciará o mostrando uma tela de login:
+ gráfica.</para>
- <para>O m&eacute;todo de inicializa&ccedil;&atilde;o via
+ <para>O método de inicialização via
ttys oferece a vantagem de definir explicitamente em qual
- vtyX o servidor gr&aacute;fico vai ser carregado, passando
- a responsabilidade da reinicializa&ccedil;&atilde;o do X
- para o init, no momento do logout. O m&eacute;todo via
- rc.local oferece facilidades caso seja necess&aacute;rio
+ vtyX o servidor gráfico vai ser carregado, passando
+ a responsabilidade da reinicialização do X
+ para o init, no momento do logout. O método via
+ rc.local oferece facilidades caso seja necessário
encerrar o processo xdm, no caso, por exemplo, de
ocorrerem problemas ao carregar o servidor
- gr&aacute;fico.</para>
+ gráfico.</para>
<para>Ao usar o rc.local para carregar o
- <command>xdm</command>, ele n&atilde;o deve ser
+ <command>xdm</command>, ele não deve ser
acompanhado de nenhum argumento (deve ser iniciado como um
- daemon e deve ser iniciado DEPOIS que o getty j&aacute;
- estiver em execuss&atilde;o, sen&atilde;o &eacute;
- prov&aacute;vel que ocorram conflitos entre ambos, podendo
+ daemon e deve ser iniciado DEPOIS que o getty já
+ estiver em execussão, senão é
+ provável que ocorram conflitos entre ambos, podendo
travar o console. A melhor forma de assegurar o correto
- funcionamento desse m&eacute;todo &eacute; fazer com que o
+ funcionamento desse método é fazer com que o
script espere 10 segundos (por exemplo, com um sleep 10;)
antes de iniciar o xdm.</para>
- <para>Se a inte&ccedil;&atilde;o &eacute; iniciar o
+ <para>Se a inteção é iniciar o
<command>xdm</command> a partir do
<filename>/etc/ttys</filename>, ainda existe a
probabilidade de conflitos entre o <command>xdm</command>
e o &man.getty.8;. Uma forma interessante de evitar esse
- tipo de desconforto, &eacute; definir, no arquivo
+ tipo de desconforto, é definir, no arquivo
<filename>/usr/X11R6/lib/X11/xdm/Xservers</filename>, o
- n&uacute;mero do <literal>vt</literal> onde o X deve ser
+ número do <literal>vt</literal> onde o X deve ser
iniciado, da seguinte forma:</para>
<programlisting>:0 local /usr/X11R6/bin/X vt4</programlisting>
- <para>O exemplo acima indica que o servidor X ser&aacute;
+ <para>O exemplo acima indica que o servidor X será
ativado no <devicename>/dev/ttyv3</devicename>. Note que
- existe um offset de um vt, j&aacute; que o X come&ccedil;a
+ existe um offset de um vt, já que o X começa
a contar os terminais (vty) a partir do um, enquando o
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> do FreeBSD os conta
a partir do zero.</para>
@@ -9952,19 +9952,19 @@ ttyvb "/usr/libexec/getty Pc" cons25 off secure</programlisting>
<answer>
<para>Se o <application>X</application> for iniciado com um
- <command>startx</command>, as permiss&otilde;es do
- <devicename>/dev/console</devicename> n&atilde;o
- ser&atilde;o redefinidas, resultando em
- situa&ccedil;&otilde;es onde um <command>xterm
+ <command>startx</command>, as permissões do
+ <devicename>/dev/console</devicename> não
+ serão redefinidas, resultando em
+ situações onde um <command>xterm
-C</command> ou mesmo o <command>xconsole</command>
- n&atilde;o funcionar&atilde;o corretamente.</para>
+ não funcionarão corretamente.</para>
- <para>O motivo disso &eacute; a forma como as
- permiss&otilde;es s&atilde;o definidas por padr&atilde;o.
- Em sistemas multiusu&aacute;rio, normalmente n&atilde;o se
+ <para>O motivo disso é a forma como as
+ permissões são definidas por padrão.
+ Em sistemas multiusuário, normalmente não se
espera que qualquer pessoa possa escrever no console do
- sistema. Para os usu&aacute;rios que est&atilde;o se
- logando diretamente na m&aacute;quina, em algum VTY,
+ sistema. Para os usuários que estão se
+ logando diretamente na máquina, em algum VTY,
existe o arquivo &man.fbtab.5; que resolve esse tipo de
problema.</para>
@@ -9974,77 +9974,77 @@ ttyvb "/usr/libexec/getty Pc" cons25 off secure</programlisting>
<programlisting>/dev/ttyv0 0600 /dev/console</programlisting>
<para>No arquivo <filename>/etc/fbtab</filename> (veja a
- p&aacute;gina de manual do &man.fbtab.5;). Essa linha
- garantir&aacute; que qualquer usu&aacute;rio que se logar
- no <devicename>/dev/ttyv0</devicename> ser&aacute;
- tamb&eacute;m propriet&aacute;rio do console.</para>
+ página de manual do &man.fbtab.5;). Essa linha
+ garantirá que qualquer usuário que se logar
+ no <devicename>/dev/ttyv0</devicename> será
+ também proprietário do console.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="xfree86-root">
<para>Antes eu conseguia usar o XFree86 com um
- usu&aacute;rio sem privil&eacute;gios. Porque agora o
+ usuário sem privilégios. Porque agora o
servidor diz que eu tenho que ser
<username>root</username>?</para>
</question>
<answer>
- <para>Todo servidor gr&aacute;fico precisa ser executado
+ <para>Todo servidor gráfico precisa ser executado
como <username>root</username> para que o sistema permita
- acesso direto aos equipamentos de v&iacute;deo. Acontece
- que nas vers&otilde;es mais antigas, o XFree86
- (vers&otilde;es &lt;= 3.3.6) instalava o servidor de forma
+ acesso direto aos equipamentos de vídeo. Acontece
+ que nas versões mais antigas, o XFree86
+ (versões &lt;= 3.3.6) instalava o servidor de forma
que ele era automaticamente executado como
<username>root</username> (setuid de
- <username>root</username>). &Oacute;bviamente esse
- comportamente implica em riscos de seguran&ccedil;a em
- qualquer caso onde o programa em quest&atilde;o seja
- complexo e grande; esse &eacute; o caso dos servidores X.
- As vers&otilde;es mais atuais do XFree86 n&atilde;o
- instalam os servidores gr&aacute;ficos com todo esse
+ <username>root</username>). Óbviamente esse
+ comportamente implica em riscos de segurança em
+ qualquer caso onde o programa em questão seja
+ complexo e grande; esse é o caso dos servidores X.
+ As versões mais atuais do XFree86 não
+ instalam os servidores gráficos com todo esse
poder, exatamente por esse motivo.</para>
- <para>&Eacute; claro que rodar o X como usu&aacute;rio
- <username>root</username> n&atilde;o &eacute; uma
- id&eacute;ia muito aceit&aacute;vel, especialmente em
- rela&ccedil;&atilde;o &agrave; seguran&ccedil;a. Existem
- duas formas de usar o X como usu&aacute;rio comum. A
- primeira &eacute; usar o <command>xdm</command> ou
+ <para>É claro que rodar o X como usuário
+ <username>root</username> não é uma
+ idéia muito aceitável, especialmente em
+ relação à segurança. Existem
+ duas formas de usar o X como usuário comum. A
+ primeira é usar o <command>xdm</command> ou
qualquer outro gerenciador de display (como o
- <command>kdm</command>); a segunda &eacute; usar o
+ <command>kdm</command>); a segunda é usar o
<command>Xwrapper</command>.</para>
- <para>O <command>xdm</command> &eacute; um daemon que
- controla logins gr&aacute;ficos. Normalmente ele &eacute;
- iniciado no processo de inicializa&ccedil;&atilde;o e
- &eacute; respons&aacute;vel pela
- autentica&ccedil;&atilde;o dos usu&aacute;rios, e por
- inciar suas sess&otilde;es; essencialmente &eacute; a
- uni&atilde;o gr&aacute;fica do &man.getty.8; como o
- &man.login.1;. Para mais informa&ccedil;&otilde;es sobre
+ <para>O <command>xdm</command> é um daemon que
+ controla logins gráficos. Normalmente ele é
+ iniciado no processo de inicialização e
+ é responsável pela
+ autenticação dos usuários, e por
+ inciar suas sessões; essencialmente é a
+ união gráfica do &man.getty.8; como o
+ &man.login.1;. Para mais informações sobre
o <command>xdm</command>, por gentileza, refira-se
- &agrave; <ulink
- url="http://www.xfree86.org/support.html">documenta&ccedil;&atilde;o
- do XFree86</ulink> e &agrave; quest&atilde;o do <link
+ à <ulink
+ url="http://www.xfree86.org/support.html">documentação
+ do XFree86</ulink> e à questão do <link
linkend="xdm-boot"><literal>FAQ</literal> sobre
xdm</link>.</para>
- <para>O <command>Xwrapper</command> &eacute; um
- intermediador do servidor gr&aacute;fico; &eacute; um
+ <para>O <command>Xwrapper</command> é um
+ intermediador do servidor gráfico; é um
programa bem pequeno que possibilita a
- inicializa&ccedil;&atilde;o manual do servidor
- gr&aacute;fico por qualquer usu&aacute;rio, garantindo
- razo&aacute;vel seguran&ccedil;a &agrave;
- opera&ccedil;&atilde;o. O programa ainda faz algumas
- verifica&ccedil;&otilde;es na linha de comando definida
- pelo usu&aacute;rio, para garantir a sanidade das
- inten&ccedil;&otilde;es do mesmo. Se todas as
- inten&ccedil;&otilde;es forem aprovadas, ele executa o X.
- Se por qualquer raz&atilde;o, a id&eacute;ia de usar um
- gerenciador de displays n&atilde;o te agrada, o
- <command>Xwrapper</command> &eacute; feito para
- voc&ecirc;. Caso a cole&ccedil;&atilde;o de
+ inicialização manual do servidor
+ gráfico por qualquer usuário, garantindo
+ razoável segurança à
+ operação. O programa ainda faz algumas
+ verificações na linha de comando definida
+ pelo usuário, para garantir a sanidade das
+ intenções do mesmo. Se todas as
+ intenções forem aprovadas, ele executa o X.
+ Se por qualquer razão, a idéia de usar um
+ gerenciador de displays não te agrada, o
+ <command>Xwrapper</command> é feito para
+ você. Caso a coleção de
<literal>Ports</literal> esteja instalada, o programa pode
ser encontrado em
<filename>/usr/ports/x11/wrapper</filename>.</para>
@@ -10053,7 +10053,7 @@ ttyvb "/usr/libexec/getty Pc" cons25 off secure</programlisting>
<qandaentry>
<question id="ps2-x">
- <para>Por que meu mouse PS/2 n&atilde;o se comporta
+ <para>Por que meu mouse PS/2 não se comporta
corretamente no X?</para>
</question>
@@ -10061,58 +10061,58 @@ ttyvb "/usr/libexec/getty Pc" cons25 off secure</programlisting>
<para>O seu mouse e a device que o controla devem ter
desincronizado.</para>
- <para>Nas vers&otilde;es 2.2.5 e anteriores, a simples
- altern&acirc;ncia entre o X e o terminal, e voltar para o
- X, for&ccedil;a a resincroniza&ccedil;&atilde;o do mouse.
- Se o problema se tornar frequ&ecirc;nte, adicione a
- seguinte op&ccedil;&atilde;o ao arquivo de
- configura&ccedil;&atilde;o do seu
+ <para>Nas versões 2.2.5 e anteriores, a simples
+ alternância entre o X e o terminal, e voltar para o
+ X, força a resincronização do mouse.
+ Se o problema se tornar frequênte, adicione a
+ seguinte opção ao arquivo de
+ configuração do seu
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>, e o
recompile:</para>
<programlisting>options PSM_CHECKSYNC</programlisting>
- <para>Veja a se&ccedil;&atilde;o sobre a <link
- linkend="make-kernel">compila&ccedil;&atilde;o do
+ <para>Veja a seção sobre a <link
+ linkend="make-kernel">compilação do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase></link>, caso
- voc&ecirc; n&atilde;o tenha experi&ecirc;ncia com
+ você não tenha experiência com
isso.</para>
- <para>Com essa op&ccedil;&atilde;o as chances de ter
- problemas com a sincronia do mouse s&atilde;o bem
+ <para>Com essa opção as chances de ter
+ problemas com a sincronia do mouse são bem
pequenas. Contudo, se ainda assim o problema persistir,
- clique em qualquer bot&atilde;o durante o movimento do
- mouse. &Eacute; o bastante para resincroniza-lo.</para>
+ clique em qualquer botão durante o movimento do
+ mouse. É o bastante para resincroniza-lo.</para>
- <para>Infelizmente essa op&ccedil;&atilde;o pode n&atilde;o
+ <para>Infelizmente essa opção pode não
funcionar em alguns sistemas, dependendo de qual driver
controle o seu mouse PS/2; especialmente se a device de
controle for do tipo ALPS GlidePoint.</para>
- <para>Na vers&atilde;o 2.2.6 e posteriores, a
- verifica&ccedil;&atilde;o de sincronia se tornou
- razo&aacute;velmente melhor, e &eacute; padr&atilde;o nos
+ <para>Na versão 2.2.6 e posteriores, a
+ verificação de sincronia se tornou
+ razoávelmente melhor, e é padrão nos
mouses PS/2. Deve funcionar corretamente com GlidePoint,
- inclusive (como o c&oacute;digo de
- verifica&ccedil;&atilde;o de sincronia ter se tornado
- padr&atilde;o, a op&ccedil;&atilde;o PSM_CHECKSYNC
- n&atilde;o existe mais). Contudo, em
- situa&ccedil;&otilde;es muito raras, o driver de controle
- do mouse pode, err&ocirc;neamente reportar problemas de
- sincroniza&ccedil;&atilde;o, mostrando a seguinte mensagem
+ inclusive (como o código de
+ verificação de sincronia ter se tornado
+ padrão, a opção PSM_CHECKSYNC
+ não existe mais). Contudo, em
+ situações muito raras, o driver de controle
+ do mouse pode, errôneamente reportar problemas de
+ sincronização, mostrando a seguinte mensagem
do <foreignphrase>kernel</foreignphrase>:</para>
<programlisting>psmintr: out of sync (xxxx != yyyy)</programlisting>
- <para>Pensando que seu mouse n&atilde;o est&aacute;
+ <para>Pensando que seu mouse não está
funcionando corretamente.</para>
- <para>Se for o caso, desligue o c&oacute;digo de
- verifica&ccedil;&atilde;o de sincronia do mouse PS/2,
+ <para>Se for o caso, desligue o código de
+ verificação de sincronia do mouse PS/2,
definindo a flag 0x100 na device de controle do mesmo.
Entre no modo <emphasis>UserConfig</emphasis> definindo a
- op&ccedil;&atilde;o <option>-c</option> na tela do
- processo de inicializa&ccedil;&atilde;o:</para>
+ opção <option>-c</option> na tela do
+ processo de inicialização:</para>
<screen>boot: <userinput>-c</userinput></screen>
@@ -10126,27 +10126,27 @@ UserConfig&gt; <userinput>quit</userinput></screen>
<qandaentry>
<question id="ps2-mousesystems">
- <para>Por que meu mouse PS/2 da MouseSystems n&atilde;o
+ <para>Por que meu mouse PS/2 da MouseSystems não
funciona?</para>
</question>
<answer>
- <para>Existem not&iacute;cias que alguns modelos de mouse
+ <para>Existem notícias que alguns modelos de mouse
PS/2 da MouseSystems funcionam corretamente apenas em modo
- de alta resolu&ccedil;&atilde;o. Do contr&aacute;rio, o
+ de alta resolução. Do contrário, o
cursor do mouse costuma pular para diagonal superior
- esquerda da tela com certa frequ&ecirc;ncia.</para>
+ esquerda da tela com certa frequência.</para>
- <para>Infelizmente n&atilde;o existe solu&ccedil;&atilde;o
- &agrave; esse problema, nas vers&otilde;es 2.0.X e 2.1.X.
- Contudo, das vers&otilde;es 2.2 &agrave; 2.2.5, basta
+ <para>Infelizmente não existe solução
+ à esse problema, nas versões 2.0.X e 2.1.X.
+ Contudo, das versões 2.2 à 2.2.5, basta
aplicar o seguinte patch, no
<filename>/sys/i386/isa/psm.c</filename> e recompilar o
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>. Veja a
- se&ccedil;&atilde;o sobre <link linkend="make-kernel">
- compila&ccedil;&atilde;o do
+ seção sobre <link linkend="make-kernel">
+ compilação do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase></link> caso
- n&atilde;o tenha experi&ecirc;ncia com o assunto.</para>
+ não tenha experiência com o assunto.</para>
<programlisting>@@ -766,6 +766,8 @@
if (verbose &gt;= 2)
@@ -10158,13 +10158,13 @@ UserConfig&gt; <userinput>quit</userinput></screen>
set_mouse_scaling(sc-&gt;kbdc); /* 1:1 scaling */
set_mouse_mode(sc-&gt;kbdc); /* stream mode */</programlisting>
- <para>Na vers&atilde;o 2.2.6 e vers&otilde;es posteriores,
+ <para>Na versão 2.2.6 e versões posteriores,
basta especificar a flag 0x04 para device de controle do
mouse PS/2, colocando-o em modo de alta
- resolu&ccedil;&atilde;o. Entre no modo
- <emphasis>UserConfig</emphasis> com a op&ccedil;&atilde;p
+ resolução. Entre no modo
+ <emphasis>UserConfig</emphasis> com a opçãp
<option>-c</option> na tela do processo de
- inicializa&ccedil;&atilde;o:</para>
+ inicialização:</para>
<screen>boot: <userinput>-c</userinput></screen>
@@ -10175,45 +10175,45 @@ UserConfig&gt; <userinput>quit</userinput></screen>
UserConfig&gt; <userinput>quit</userinput></screen>
<para>Veja a pergunta anterior, sobre outra causa
- poss&iacute;vel de problemas com o mouse.</para>
+ possível de problemas com o mouse.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="imake-tmpl">
- <para>Ao compilar uma aplica&ccedil;&atilde;o X, o
- <command>imake</command> n&atilde;o consegue encontrar o
+ <para>Ao compilar uma aplicação X, o
+ <command>imake</command> não consegue encontrar o
<filename>Imake.tmpl</filename>. Onde ele
- est&aacute;?</para>
+ está?</para>
</question>
<answer>
- <para>O <filename>Imake.tmpl</filename> &eacute; parte do
- pacote Imake, uma aplica&ccedil;&atilde;o padr&atilde;o
- para constru&ccedil;&atilde;o de aplica&ccedil;&otilde;es
- gr&aacute;ficas. O <filename>Imake.tmpl</filename>, assim
- como v&aacute;rios outros arquivos de cabe&ccedil;alhos
- necess&aacute;rios para compilar aplica&ccedil;&otilde;es
- gr&aacute;ficas, &eacute; parte da
- distribui&ccedil;&atilde;o do X. Eles podem ser
+ <para>O <filename>Imake.tmpl</filename> é parte do
+ pacote Imake, uma aplicação padrão
+ para construção de aplicações
+ gráficas. O <filename>Imake.tmpl</filename>, assim
+ como vários outros arquivos de cabeçalhos
+ necessários para compilar aplicações
+ gráficas, é parte da
+ distribuição do X. Eles podem ser
instalados pelo sysinstall ou manualmente a partir dos
- arquivos da distribui&ccedil;&atilde;o.</para>
+ arquivos da distribuição.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="xfree86-version">
- <para>Estou construindo uma aplica&ccedil;&atilde;o
- gr&aacute;fica que depende do XFree86 3.3.X, mas eu estou
+ <para>Estou construindo uma aplicação
+ gráfica que depende do XFree86 3.3.X, mas eu estou
com o XFree86 4.X instalado. O que fazer?</para>
</question>
<answer>
- <para>Pra definir que a constru&ccedil;&atilde;o do
- <literal>Port</literal> deve ser linkada &agrave;s
+ <para>Pra definir que a construção do
+ <literal>Port</literal> deve ser linkada às
bibliotecas do XFree86 4.X, adicione o seguinte, no seu
<filename>/etc/make.conf</filename>, (se o arquivo
- n&atilde;o existir, crie-o):</para>
+ não existir, crie-o):</para>
<programlisting>XFREE86_VERSION= 4</programlisting>
</answer>
@@ -10221,12 +10221,12 @@ UserConfig&gt; <userinput>quit</userinput></screen>
<qandaentry>
<question id="mouse-button-reverse">
- <para>Como posso inverter as fun&ccedil;&otilde;es dos
- bot&otilde;es do mouse?</para>
+ <para>Como posso inverter as funções dos
+ botões do mouse?</para>
</question>
<answer>
<para>Execute o comando <command>xmodmap -e "pointer = 3 2
- 1"</command> &agrave; partir do
+ 1"</command> à partir do
<filename>.xinitrc</filename> ou do
<filename>.xsession</filename>.</para>
</answer>
@@ -10239,31 +10239,31 @@ UserConfig&gt; <userinput>quit</userinput></screen>
</question>
<answer>
- <para>A partir da lan&ccedil;amento do FreeBSD 3.1, uma nova
- caracter&iacute;stica foi adicionada ao sistema,
+ <para>A partir da lançamento do FreeBSD 3.1, uma nova
+ característica foi adicionada ao sistema,
permitindo que alguns arquivos de imagens sejam usados
como <quote>Splash Screens</quote> durante as mensagens do
- processo de inicializa&ccedil;&atilde;o. Tais imagens
+ processo de inicialização. Tais imagens
devem ser arquivos do tipo bitmap com 256 cores
- (<filename>*.BMP</filename>) ou ent&atilde;o ZSoft PCX
+ (<filename>*.BMP</filename>) ou então ZSoft PCX
(<filename>*.PCX</filename>). Devem ainda ter
- resolu&ccedil;&atilde;o de 320x200 pixels (ou menos), para
- funcionarem corretamente em adaptadores de v&iacute;deo
+ resolução de 320x200 pixels (ou menos), para
+ funcionarem corretamente em adaptadores de vídeo
VGA tradicionais. Caso o
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> tenha sido compilado
- com suporte &agrave; VESA, ent&atilde;o podem ser usados
- bitmaps maiores, at&eacute; 1024.768 px. O suporte
- &agrave; VESA pode ser diretamente compilado no
+ com suporte à VESA, então podem ser usados
+ bitmaps maiores, até 1024.768 px. O suporte
+ à VESA pode ser diretamente compilado no
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>, com a
- op&ccedil;&atilde;o VESA no arquivo de
- configura&ccedil;&atilde;o, ou carregado como
- m&oacute;dulo, com o kld, durante o processo de
- inicializa&ccedil;&atilde;o do sistema.</para>
+ opção VESA no arquivo de
+ configuração, ou carregado como
+ módulo, com o kld, durante o processo de
+ inicialização do sistema.</para>
<para>Para definir a <quote>Splash Screens</quote>, basta
- modificar alguns arquivos de inicializa&ccedil;&atilde;o
- que controlam o processo de inicializa&ccedil;&atilde;o do
- FreeBSD. Tais arquivos foram alterados na vers&atilde;o
+ modificar alguns arquivos de inicialização
+ que controlam o processo de inicialização do
+ FreeBSD. Tais arquivos foram alterados na versão
3.2 do FreeBSD, existindo portanto duas formas de carregar
uma <quote>Splash Screens</quote>:</para>
@@ -10271,12 +10271,12 @@ UserConfig&gt; <userinput>quit</userinput></screen>
<listitem>
<para>No FreeBSD 3.1</para>
- <para>O primeiro passo &eacute; escolher o seu bitmap, e
- sua vers&atilde;o. At&eacute; o FreeBSD 3.1, apenas
+ <para>O primeiro passo é escolher o seu bitmap, e
+ sua versão. Até o FreeBSD 3.1, apenas
os bitmaps do tipo Windows eram suportados. Assim que
escolher (ou criar) sua <quote>Splash Screens</quote>,
copie-a para <filename>/boot/splash.bmp</filename>.
- Depois, basta editar (ou criar, caso n&atilde;o
+ Depois, basta editar (ou criar, caso não
exista) o arquivo <filename>/boot/loader.rc</filename>
e adicionar as seguintes linhas:</para>
@@ -10289,19 +10289,19 @@ autoboot</programlisting>
<listitem>
<para>No FreeBSD 3.2 e posteriores</para>
- <para>Al&eacute;m de adicionar suporte a <quote>Splash
+ <para>Além de adicionar suporte a <quote>Splash
Screens</quote> de formato PCX, o FreeBSD 3.2 passou
a oferecer uma maneira mais interessante de configurar
- o processo de inicializa&ccedil;&atilde;o. Caso
- prefira, o m&eacute;todo descrito acima, para o
- FreeBSD 3.1 tamb&eacute;m funciona. Nesse caso, se a
+ o processo de inicialização. Caso
+ prefira, o método descrito acima, para o
+ FreeBSD 3.1 também funciona. Nesse caso, se a
imagem for do tipo PCX basta substituir a entrada
<literal>splash_bmp</literal> por
<literal>splash_pcx</literal>. Caso queira usar a
- nova configura&ccedil;&atilde;o do processo de
- inicializa&ccedil;&atilde;o, basta criar um arquivo
+ nova configuração do processo de
+ inicialização, basta criar um arquivo
<filename>/boot/loader.rc</filename> com o seguinte
- conte&uacute;do:</para>
+ conteúdo:</para>
<programlisting>include /boot/loader.4th
start</programlisting>
@@ -10313,7 +10313,7 @@ start</programlisting>
<programlisting>splash_bmp_load="YES"
bitmap_load="YES"</programlisting>
- <para>Essa configura&ccedil;&atilde;o assume que o
+ <para>Essa configuração assume que o
<filename>/boot/splash.bmp</filename> deve ser usado
como sua <quote>Splash Screens</quote>. Caso prefira
usar um arquivo PCX, copie para o
@@ -10329,9 +10329,9 @@ bitmap_name="/boot/splash.pcx"</programlisting>
</listitem>
</itemizedlist>
- <para>Agora voc&ecirc; s&oacute; precisa de uma imagem, para
+ <para>Agora você só precisa de uma imagem, para
servir de <quote>Splash Screens</quote>. Pra isso,
- d&ecirc; uma navegada na galeria dispon&iacute;vel em
+ dê uma navegada na galeria disponível em
<ulink
url="http://www.baldwin.cx/splash/">http://www.baldwin.cx/splash/</ulink>.</para>
</answer>
@@ -10345,12 +10345,12 @@ bitmap_name="/boot/splash.pcx"</programlisting>
<answer>
<para>Pode. Basta usar o &man.xmodmap.1; para redefinir a
- fun&ccedil;&atilde;o das teclas.</para>
+ função das teclas.</para>
<para>Assumindo que todos os teclados <quote><trademark
class="registered">Windows</trademark></quote> sejam
- padr&atilde;o, os c&oacute;digos de mapeamento pras 3
- teclas s&atilde;o:</para>
+ padrão, os códigos de mapeamento pras 3
+ teclas são:</para>
<itemizedlist>
<listitem>
@@ -10361,7 +10361,7 @@ bitmap_name="/boot/splash.pcx"</programlisting>
<listitem>
<para>116 - <trademark
- class="registered">Windows</trademark>, &agrave;
+ class="registered">Windows</trademark>, à
direita a tecla AltGr.</para>
</listitem>
@@ -10372,22 +10372,22 @@ bitmap_name="/boot/splash.pcx"</programlisting>
</itemizedlist>
<para>Por exemplo, para fazer com que a tecla Windows&reg;
- esquerda imprima uma v&iacute;rgula, fa&ccedil;a o
+ esquerda imprima uma vírgula, faça o
seguinte:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>xmodmap -e "keycode 115 = comma"</userinput></screen>
- <para>&Eacute; prov&aacute;vel que seu gerenciador de
+ <para>É provável que seu gerenciador de
janelas tenha que ser reiniciado, para visualizar o
resultado.</para>
- <para>Pra for&ccedil;ar o carregamento autom&aacute;tico do
+ <para>Pra forçar o carregamento automático do
mapeamento das teclas <trademark
class="registered">Windows</trademark>, coloque os
comandos do <command>xmodmap</command> no arquivo
- <filename>~/.xinitrc</filename> ou de prefer&ecirc;ncia,
+ <filename>~/.xinitrc</filename> ou de preferência,
crie um arquivo <filename>~/.xmodmaprc</filename> e inclua
- as op&ccedil;&otilde;es do <command>xmodmap</command> uma
+ as opções do <command>xmodmap</command> uma
por linha, nesse arquivo. Depois adicione:</para>
<programlisting>xmodmap $HOME/.xmodmaprc</programlisting>
@@ -10395,34 +10395,34 @@ bitmap_name="/boot/splash.pcx"</programlisting>
<para>No seu <filename>~/.xinitrc</filename>.</para>
<para>Por exemplo, pode-se mapear as 3 teclas em
- quest&atilde;o para fazer o papel das teclas
+ questão para fazer o papel das teclas
<keycap>F13</keycap>, <keycap>F14</keycap>, e
<keycap>F15</keycap>, respectivamente. Dessa forma, seria
- f&aacute;cil mapear as aplica&ccedil;&otilde;es de forma
- que as teclas tivessem a&ccedil;&otilde;es no seu sistema,
+ fácil mapear as aplicações de forma
+ que as teclas tivessem ações no seu sistema,
como veremos agora.</para>
- <para>Adicione o seguinte conte&uacute;do, no arquivo
+ <para>Adicione o seguinte conteúdo, no arquivo
<filename>~/.xmodmaprc</filename>.</para>
<programlisting>keycode 115 = F13
keycode 116 = F14
keycode 117 = F15</programlisting>
- <para>Se o gerenciador de janelas em quest&atilde;o for o
+ <para>Se o gerenciador de janelas em questão for o
<command>fvwm2</command>, por exemplo, pode-se mapear as
teclas de forma que o <keycap>F13</keycap> minimize (ou
- maximize) a janela que o cursor est&aacute; apontando, a
+ maximize) a janela que o cursor está apontando, a
tecla <keycap>F14</keycap> de forma que ela traga a janela
marcada pelo cursor para frente (ou volte para
- tr&aacute;s, caso j&aacute; esteja &agrave; frente), e o
- <keycap>F15</keycap> pode alternar o menu da &aacute;rea
- detrabalho principal, o que &eacute; bem &uacute;til
- quando a tela n&atilde;o &eacute; vis&iacute;vel.</para>
+ trás, caso já esteja à frente), e o
+ <keycap>F15</keycap> pode alternar o menu da área
+ detrabalho principal, o que é bem útil
+ quando a tela não é visível.</para>
- <para>As seguintes defini&ccedil;&otilde;es no
+ <para>As seguintes definições no
<filename>~/.fvwmrc</filename> implementam a
- configura&ccedil;&atilde;o acima descrita:</para>
+ configuração acima descrita:</para>
<programlisting>Key F13 FTIWS A Iconify
Key F14 FTIWS A RaiseLower
@@ -10432,29 +10432,29 @@ Key F15 A A Menu Workplace Nop</programlisting>
<qandaentry>
<question id="x-3d-acceleration">
- <para>Como posso obter a acelera&ccedil;&atilde;o de
+ <para>Como posso obter a aceleração de
equipamentos 3D para o OpenGL?</para>
</question>
<answer>
- <para>A disponibilidade da acelera&ccedil;&atilde;o 3D
- depende da vers&atilde;o do XFree86 e da placa de
- v&iacute;deo. Caso a placa seja NVIDIA, verifique a
- p&aacute;gina da <ulink
+ <para>A disponibilidade da aceleração 3D
+ depende da versão do XFree86 e da placa de
+ vídeo. Caso a placa seja NVIDIA, verifique a
+ página da <ulink
url="http://nvidia.netexplorer.org/">Iniciativa de
Driver NVIDIA para o FreeBSD</ulink>, que discute a
- acelera&ccedil;&atilde;o 3D em chips NVIDIA com XFree86-4.
+ aceleração 3D em chips NVIDIA com XFree86-4.
Pra outras placas em conjunto com o XFree86-4, incluindo a
Matrox G200/G400, a ATI Rage 128/Radeon, as 3dfx Voodoo 3,
- 4, 5, e Banshee, refira-se &agrave; p&aacute;gina sobre
+ 4, 5, e Banshee, refira-se à página sobre
<ulink
- url="http://gladstone.uoregon.edu/~eanholt/dri/">Renderiza&ccedil;&atilde;o
- Direta do XFree86-4 no FreeBSD</ulink>. Usu&aacute;rios
- do XFree86 na vers&atilde;o 3.3 podem usar o
+ url="http://gladstone.uoregon.edu/~eanholt/dri/">Renderização
+ Direta do XFree86-4 no FreeBSD</ulink>. Usuários
+ do XFree86 na versão 3.3 podem usar o
<literal>port</literal> do Utah-GLX que pode ser
encontrado em <filename
role="package">graphics/utah-glx</filename> para
- conseguir alguma (limitada) acelera&ccedil;&atilde;o 3D
+ conseguir alguma (limitada) aceleração 3D
para o OpenGL em placas Matrox Gx00, ATI Rage Pro, SiS
6326, i810, Savage, e algumas NVIDIA antigas.</para>
</answer>
@@ -10468,19 +10468,19 @@ Key F15 A A Menu Workplace Nop</programlisting>
<qandaset>
<qandaentry>
<question id="diskless-booting">
- <para>Onde obter informa&ccedil;&otilde;es a respeito do
- processo de processo de inicializa&ccedil;&atilde;o sem
- disco r&iacute;gido (<foreignphrase>diskless
+ <para>Onde obter informações a respeito do
+ processo de processo de inicialização sem
+ disco rígido (<foreignphrase>diskless
booting</foreignphrase>)?</para>
</question>
<answer>
- <para>O processo de processo de inicializa&ccedil;&atilde;o
- sem disco implica na possibilidade de uma m&aacute;quina
- FreeBSD ser inicializada atrav&eacute;s da rede, lendo os
- arquivos necess&aacute;rios &agrave; partir de um
- servidor, ao inv&eacute;s de um disco r&iacute;gido. Para
- maiores detalhes, por favor, consulte o &iacute;tem <ulink
+ <para>O processo de processo de inicialização
+ sem disco implica na possibilidade de uma máquina
+ FreeBSD ser inicializada através da rede, lendo os
+ arquivos necessários à partir de um
+ servidor, ao invés de um disco rígido. Para
+ maiores detalhes, por favor, consulte o ítem <ulink
url="../handbook/diskless.html"><foreignphrase>diskless
booting</foreignphrase> no
&a.ptbr.p.handbook;</ulink>.</para>
@@ -10494,11 +10494,11 @@ Key F15 A A Menu Workplace Nop</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>Pode. Por gentileza, refira-se &agrave; <ulink
- url="../handbook/routing.html">documenta&ccedil;&atilde;o
- do &a.ptbr.p.handbook; sobre configura&ccedil;&otilde;es
- avan&ccedil;adas de rede</ulink>, mais especificamente,
- a se&ccedil;&atilde;o sobre <ulink
+ <para>Pode. Por gentileza, refira-se à <ulink
+ url="../handbook/routing.html">documentação
+ do &a.ptbr.p.handbook; sobre configurações
+ avançadas de rede</ulink>, mais especificamente,
+ a seção sobre <ulink
url="../handbook/routing.html#DEDICATED-ROUTER">roteamento
e gateways</ulink>.</para>
</answer>
@@ -10506,43 +10506,43 @@ Key F15 A A Menu Workplace Nop</programlisting>
<qandaentry>
<question id="win95-connection">
- <para>Posso conectar minha m&aacute;quina com Win95 &agrave;
- Internet, atrav&eacute;s do meu FreeBSD?</para>
+ <para>Posso conectar minha máquina com Win95 à
+ Internet, através do meu FreeBSD?</para>
</question>
<answer>
- <para>Normalmente, as pessoas que prop&otilde;em esse tipo
- de quest&atilde;o possuem dois computadores em casa, um
- com FreeBSD e outro com Win95. A id&eacute;ia &eacute;
- utilizar a maquina com FreeBSD para se conectar &agrave;
- Internet, e ent&atilde;o oferecer acesso Internet a
- m&aacute;quina Win95 atrav&eacute;s do FreeBSD. Essa
- &eacute; apenas uma extens&atilde;o especial da
- quest&atilde;o anterior.</para>
+ <para>Normalmente, as pessoas que propõem esse tipo
+ de questão possuem dois computadores em casa, um
+ com FreeBSD e outro com Win95. A idéia é
+ utilizar a maquina com FreeBSD para se conectar à
+ Internet, e então oferecer acesso Internet a
+ máquina Win95 através do FreeBSD. Essa
+ é apenas uma extensão especial da
+ questão anterior.</para>
- <para>... e a resposta &eacute; sim! No FreeBSD 3.x, o
- &man.ppp.8; em modo usu&aacute;rio oferece a
- op&ccedil;&atilde;o <option>-nat</option>. Se o
- &man.ppp.8; for executado com essa op&ccedil;&atilde;o,
- basta definir a vari&aacute;vel
+ <para>... e a resposta é sim! No FreeBSD 3.x, o
+ &man.ppp.8; em modo usuário oferece a
+ opção <option>-nat</option>. Se o
+ &man.ppp.8; for executado com essa opção,
+ basta definir a variável
<literal>gateway_enable</literal> para
<emphasis>YES</emphasis> no arquivo
<filename>/etc/rc.conf</filename>, e configurar
- corretamente a m&aacute;quina Windows. Isso &eacute; o
+ corretamente a máquina Windows. Isso é o
bastante.</para>
- <para>Para obter mais informa&ccedil;&otilde;es, por
- gentileza, refira-se a p&aacute;gina de manual do
+ <para>Para obter mais informações, por
+ gentileza, refira-se a página de manual do
&man.ppp.8;</para>
<para>Se o &man.ppp.8; estiver sendo usado em modo
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>
(<foreignphrase>kernel-mode</foreignphrase>) ou a
- conex&atilde;o com a Internet for via Ethernet, a
- op&ccedil;&atilde;o mais vi&aacute;vel ser&aacute;
+ conexão com a Internet for via Ethernet, a
+ opção mais viável será
utilizar o &man.natd.8;. Por favor, consulte a
- se&ccedil;&atilde;o <link linkend="natd">natd</link> dessa
- documenta&ccedil;&atilde;o.</para>
+ seção <link linkend="natd">natd</link> dessa
+ documentação.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -10552,26 +10552,26 @@ Key F15 A A Menu Workplace Nop</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>Claro. Veja as p&aacute;ginas de manual do
+ <para>Claro. Veja as páginas de manual do
&man.slattach.8;, &man.sliplogin.8;, &man.ppp.8;, e
&man.pppd.8;. O &man.ppp.8; e o &man.pppd.8; oferecem
- suporte &agrave; conex&otilde;es entrantes e de
- sa&iacute;da (conex&otilde;es incoming/outgoing), enquanto
- o &man.slattach.8; &agrave; conex&otilde;es de
- sa&iacute;da (outgoing).</para>
-
- <para>Para obter mais informa&ccedil;&otilde;es sobre a
- correta utiliza&ccedil;&atilde;o desses recursos, por
- gentileza, refira-se ao Cap&iacute;tulo sobre <ulink
+ suporte à conexões entrantes e de
+ saída (conexões incoming/outgoing), enquanto
+ o &man.slattach.8; à conexões de
+ saída (outgoing).</para>
+
+ <para>Para obter mais informações sobre a
+ correta utilização desses recursos, por
+ gentileza, refira-se ao Capítulo sobre <ulink
url="../handbook/ppp-and-slip.html">PPP e SLIP do
&a.ptbr.p.handbook;</ulink>.</para>
- <para>Se o seu acesso &agrave; Internet for apenas por meio
+ <para>Se o seu acesso à Internet for apenas por meio
de uma conta Shell, pode ser interessante dar uma olhada
- no <literal>port</literal> da aplica&ccedil;&atilde;o
+ no <literal>port</literal> da aplicação
<filename role="package">net/slirp</filename>. Esse
- <literal>port</literal> oferece acesso (limitado) &agrave;
- servi&ccedil;os como FTP e HTTP direto da m&aacute;quina
+ <literal>port</literal> oferece acesso (limitado) à
+ serviços como FTP e HTTP direto da máquina
local.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -10583,30 +10583,30 @@ Key F15 A A Menu Workplace Nop</programlisting>
<answer>
<para>Se no seu caso, existe uma subrede (uma ou mais
- m&aacute;quinas locais interconectadas em rede), mas o seu
+ máquinas locais interconectadas em rede), mas o seu
Provedor de Internet disponibiliza apenas um IP (ou se o
- endere&ccedil;o IP em quest&atilde;o &eacute;
- din&acirc;mico), com certeza &eacute; interessante dar uma
+ endereço IP em questão é
+ dinâmico), com certeza é interessante dar uma
olhada no &man.natd.8;. O &man.natd.8; possibilita que
- uma subrede inteira acesse a Internet atrav&eacute;s de um
- &uacute;nico endere&ccedil;o IP.</para>
+ uma subrede inteira acesse a Internet através de um
+ único endereço IP.</para>
- <para>O &man.ppp.8; oferece suporte interno &agrave; essa
- mesma funcionalidade, atrav&eacute;s da
- op&ccedil;&atilde;o <option>-nat</option> do programa. A
- biblioteca &man.libalias.3; &eacute; usada tanto pelo
+ <para>O &man.ppp.8; oferece suporte interno à essa
+ mesma funcionalidade, através da
+ opção <option>-nat</option> do programa. A
+ biblioteca &man.libalias.3; é usada tanto pelo
&man.ppp.8; quanto pelo &man.natd.8;.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="parallel-connect">
- <para>Como posso conectar duas esta&ccedil;&otilde;es
+ <para>Como posso conectar duas estações
FreeBSD por linha paralela, usando o PLIP?</para>
</question>
<answer>
- <para>Por gentileza, refira-se &agrave; se&ccedil;&atilde;o
+ <para>Por gentileza, refira-se à seção
sobre <ulink url="../handbook/plip.html">PLIP do
&a.ptbr.p.handbook;</ulink>.</para>
</answer>
@@ -10614,25 +10614,25 @@ Key F15 A A Menu Workplace Nop</programlisting>
<qandaentry>
<question id="create-dev-net">
- <para>Por que eu n&atilde;o posso criar um dispositivo
+ <para>Por que eu não posso criar um dispositivo
/dev/ed0?</para>
</question>
<answer>
- <para>Porque n&atilde;o &eacute; preciso! Na estrutura de
- redes de Berkeley, as interfaces de rede s&atilde;o
- acessadas somente (e diretamente) pelo c&oacute;digo do
+ <para>Porque não é preciso! Na estrutura de
+ redes de Berkeley, as interfaces de rede são
+ acessadas somente (e diretamente) pelo código do
<foreignphrase>kernel</foreignphrase>. Por favor
verifique o arquivo <filename>/etc/rc.network</filename> e
- as p&aacute;ginas do manual para os diversos programas de
+ as páginas do manual para os diversos programas de
rede ali mencionados, para maiores
- informa&ccedil;&otilde;es. Se isto deix&aacute;-lo
+ informações. Se isto deixá-lo
completamente confuso, consulte um livro que descreva a
- administra&ccedil;&atilde;o de rede em um outro sistema
+ administração de rede em um outro sistema
operacional baseado no modelo BSD. Com poucas
- exce&ccedil;&otilde;es significativas, a
- administra&ccedil;&atilde;o de rede em sistemas FreeBSD
- &eacute; basicamente a mesma da utilizada em sistemas como
+ exceções significativas, a
+ administração de rede em sistemas FreeBSD
+ é basicamente a mesma da utilizada em sistemas como
o SunOS 4.0 ou o Ultrix.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -10644,16 +10644,16 @@ Key F15 A A Menu Workplace Nop</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>Se a inten&ccedil;&atilde;o &eacute; definir um
+ <para>Se a intenção é definir um
apelido IP para uma subrede previamente configurada, basta
- adicionar a m&aacute;scara <literal>0xffffffff</literal>
- junto &agrave; sintaxe usual para defini&ccedil;&atilde;o
+ adicionar a máscara <literal>0xffffffff</literal>
+ junto à sintaxe usual para definição
de alias no &man.ifconfig.8;:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>ifconfig ed0 alias 192.0.2.2 netmask 0xffffffff</userinput></screen>
- <para>Do contr&aacute;rio, basta definir o endere&ccedil;o
- de rede e a netmask em quest&atilde;o, da forma
+ <para>Do contrário, basta definir o endereço
+ de rede e a netmask em questão, da forma
tradicional:</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>ifconfig ed0 alias 172.16.141.5 netmask 0xffffff00</userinput></screen>
@@ -10663,18 +10663,18 @@ Key F15 A A Menu Workplace Nop</programlisting>
<qandaentry>
<question id="port-3c503">
<para>Como eu configuro minha placa 3Com 3C503 para utilizar
- outra interface de conex&atilde;o ?</para>
+ outra interface de conexão ?</para>
</question>
<answer>
- <para>Se voc&ecirc; deseja utilizar uma outra interface de
- conex&atilde;o, dever&aacute; especificar alguns
- par&acirc;metros adicionais na linha de comando do
- &man.ifconfig.8;. A porta padr&atilde;o &eacute; a
+ <para>Se você deseja utilizar uma outra interface de
+ conexão, deverá especificar alguns
+ parâmetros adicionais na linha de comando do
+ &man.ifconfig.8;. A porta padrão é a
<literal>link0</literal>. Para usar a porta AUI ao
- inv&eacute;s da porta BNC utilize a flag
+ invés da porta BNC utilize a flag
<literal>link2</literal>. Tais flags devem ser definidas
- atrav&eacute;s das vari&aacute;veis ifconfig_* no arquivo
+ através das variáveis ifconfig_* no arquivo
<filename>/etc/rc.conf</filename>. (consulte o
&man.rc.conf.5;).</para>
</answer>
@@ -10686,27 +10686,27 @@ Key F15 A A Menu Workplace Nop</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>Certas interfaces de rede para PC s&atilde;o melhores
+ <para>Certas interfaces de rede para PC são melhores
do que outras (para adotarmos um eufemismo) e as vezes
- podem causar problemas em aplica&ccedil;&otilde;es que
+ podem causar problemas em aplicações que
utilizam a rede de modo intensivo, como o NFS.</para>
<para>Consulte o item <ulink
url="../handbook/nfs.html">NFS</ulink> do
&a.ptbr.p.handbook; para obter mais
- informa&ccedil;&otilde;es sobre o assunto.</para>
+ informações sobre o assunto.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="nfs-linux">
- <para>Por que n&atilde;o &eacute; poss&iacute;vel montar
- sistemas de arquivos NFS de m&aacute;quinas Linux?</para>
+ <para>Por que não é possível montar
+ sistemas de arquivos NFS de máquinas Linux?</para>
</question>
<answer>
- <para>Algumas vers&otilde;es do c&oacute;digo NFS do Linux
- aceitam requisi&ccedil;&otilde;es de montagem provenientes
+ <para>Algumas versões do código NFS do Linux
+ aceitam requisições de montagem provenientes
apenas de portas privilegiadas, experimente o
comando:</para>
@@ -10716,13 +10716,13 @@ Key F15 A A Menu Workplace Nop</programlisting>
<qandaentry>
<question id="nfs-sun">
- <para>Por que n&atilde;o &eacute; poss&iacute;vel montar
- sistemas de arquivos NFS de m&aacute;quinas Sun?</para>
+ <para>Por que não é possível montar
+ sistemas de arquivos NFS de máquinas Sun?</para>
</question>
<answer>
- <para>Esta&ccedil;&otilde;es de trabalho Sun rodando SunOS
- 4.X aceitam requisi&ccedil;&otilde;es de montagem
+ <para>Estações de trabalho Sun rodando SunOS
+ 4.X aceitam requisições de montagem
provenientes apenas de portas privilegiadas, experimente o
comando:</para>
@@ -10740,35 +10740,35 @@ Key F15 A A Menu Workplace Nop</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>O problema mais freq&uuml;ente &eacute; o n&atilde;o
+ <para>O problema mais freq&uuml;ente é o não
entendimento correto do formato do arquivo
<filename>/etc/exports</filename>. Por gentileza, leia
- com aten&ccedil;&atilde;o a p&aacute;gina de manual do
- &man.exports.5; e a documenta&ccedil;&atilde;o sobre
+ com atenção a página de manual do
+ &man.exports.5; e a documentação sobre
<ulink url="../handbook/nfs.html">NFS</ulink> no
- &a.ptbr.p.handbook;, especialmente a se&ccedil;&atilde;o
+ &a.ptbr.p.handbook;, especialmente a seção
sobre a <ulink
- url="../handbook/nfs.html#CONFIGURING-NFS">configura&ccedil;&atilde;o
+ url="../handbook/nfs.html#CONFIGURING-NFS">configuração
do NFS</ulink>.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="ppp-nextstep">
- <para>Por que existem problemas na comunica&ccedil;&atilde;o
- (via protocolo PPP) com m&aacute;quinas NeXTStep?</para>
+ <para>Por que existem problemas na comunicação
+ (via protocolo PPP) com máquinas NeXTStep?</para>
</question>
<answer>
- <para>Experimente desabilitar a vari&aacute;vel TCP
+ <para>Experimente desabilitar a variável TCP
extensions no arquivo <filename>/etc/rc.conf</filename>
- (consulte &man.rc.conf.5;) alterando a vari&aacute;vel
+ (consulte &man.rc.conf.5;) alterando a variável
abaixo para NO:</para>
<programlisting>tcp_extensions=NO</programlisting>
- <para>M&aacute;quinas Annex da Xylogic tamb&eacute;m
- apresentam um problema similar neste aspecto, e voc&ecirc;
- deve adotar a mesma solu&ccedil;&atilde;o para conectar-se
+ <para>Máquinas Annex da Xylogic também
+ apresentam um problema similar neste aspecto, e você
+ deve adotar a mesma solução para conectar-se
a estes sistemas.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -10779,42 +10779,42 @@ Key F15 A A Menu Workplace Nop</programlisting>
</question>
<answer>
- <para>Desde o FreeBSD 2.0 que opera&ccedil;&otilde;es
- Multicast s&atilde;o completamente suportadas por
- padr&atilde;o. Se a iten&ccedil;&atilde;o &eacute; fazer
+ <para>Desde o FreeBSD 2.0 que operações
+ Multicast são completamente suportadas por
+ padrão. Se a itenção é fazer
o sistema FreeBSD atuar como um roteador multicast,
- ser&aacute; necess&aacute;rio que o
+ será necessário que o
<foreignphrase>kernel</foreignphrase> do sistema seja
- recompilado com a op&ccedil;&atilde;o
+ recompilado com a opção
<literal>MROUTING</literal> e que o &man.mrouted.8; seja
- executado. O FreeBSD, &agrave; partir da vers&atilde;o
+ executado. O FreeBSD, à partir da versão
2.2, pode iniciar o &man.mrouted.8; durante o processo de
- inicializa&ccedil;&atilde;o se a vari&aacute;vel
+ inicialização se a variável
<literal>mrouted_enable</literal> estiver configurada com
- o par&acirc;metro <literal>"YES"</literal> no arquivo
+ o parâmetro <literal>"YES"</literal> no arquivo
<filename>/etc/rc.conf</filename>.</para>
- <para>As ferramentas MBONE est&atilde;o dispon&iacute;veis
- em sua pr&oacute;pria categoria na cole&ccedil;&atilde;o
+ <para>As ferramentas MBONE estão disponíveis
+ em sua própria categoria na coleção
de <literal>ports</literal>, <ulink
url="http://www.FreeBSD.org/ports/mbone.html">mbone</ulink>.
- Se voc&ecirc; est&aacute; procurando as ferramentas de
- confer&ecirc;ncia <command>vic</command> e
+ Se você está procurando as ferramentas de
+ conferência <command>vic</command> e
<command>vat</command>, procure neste
- diret&oacute;rio!</para>
+ diretório!</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="dec-pci-chipset">
- <para>Quais interfaces de rede s&atilde;o baseadas no
+ <para>Quais interfaces de rede são baseadas no
chipset DEC PCI?</para>
</question>
<answer>
- <para>Esta &eacute; uma lista compilada por Glen Foster
+ <para>Esta é uma lista compilada por Glen Foster
<email>gfoster@driver.nsta.org</email>, com algumas
- adi&ccedil;&otilde;es recentes:</para>
+ adições recentes:</para>
<table>
<title>Interfaces de rede baseadas no chipset DEC
@@ -10936,60 +10936,60 @@ Key F15 A A Menu Workplace Nop</programlisting>
<qandaentry>
<question id="fqdn-hosts">
<para>Por que preciso utilizar um FQDN (Nomes de
- dom&iacute;nio completamente qualificados) pras
- esta&ccedil;&otilde;es da minha rede?</para>
+ domínio completamente qualificados) pras
+ estações da minha rede?</para>
</question>
<answer>
- <para>Provavelmente voc&ecirc; vai estar trabalhando com
- esta&ccedil;&otilde;es em dom&iacute;nios diferentes. Por
- exemplo, se voc&ecirc; esta em foo.bar.edu e deseja
- alcan&ccedil;ar uma esta&ccedil;&atilde;o chamada
- <hostid>mumble</hostid> no dom&iacute;nio <hostid
- role="domainname">foo.bar.edu</hostid>, dever&aacute;
- referir-se &agrave; essa esse host atrav&eacute;s do seu
- nome de dom&iacute;nio qualificado, <hostid
- role="fqdn">mumble.foo.bar.edu</hostid>, ao inv&eacute;s
+ <para>Provavelmente você vai estar trabalhando com
+ estações em domínios diferentes. Por
+ exemplo, se você esta em foo.bar.edu e deseja
+ alcançar uma estação chamada
+ <hostid>mumble</hostid> no domínio <hostid
+ role="domainname">foo.bar.edu</hostid>, deverá
+ referir-se à essa esse host através do seu
+ nome de domínio qualificado, <hostid
+ role="fqdn">mumble.foo.bar.edu</hostid>, ao invés
de apenas <hostid>mumble</hostid>.</para>
- <para>Normalmente era poss&iacute;vel alcan&ccedil;ar a
- esta&ccedil;&atilde;o apenas por seu nome. Essa
- fun&ccedil;&atilde;o era realizada pelos resolvedores BIND
- do ISC. Contudo, as vers&otilde;es atuais do
+ <para>Normalmente era possível alcançar a
+ estação apenas por seu nome. Essa
+ função era realizada pelos resolvedores BIND
+ do ISC. Contudo, as versões atuais do
<application>BIND</application> (veja o &man.named.8;) que
- acompanham o FreeBSD n&atilde;o oferecem mais
- abrevia&ccedil;&otilde;es padr&atilde;o para
- dom&iacute;nios que n&atilde;o sejam FQDN, com a
- &uacute;nica exce&ccedil;&atilde;o do dom&iacute;nio que
- sua pr&oacute;pria esta&ccedil;&atilde;o faz parte. Dessa
- forma, o host <hostid>mumble</hostid>, se n&atilde;o for
+ acompanham o FreeBSD não oferecem mais
+ abreviações padrão para
+ domínios que não sejam FQDN, com a
+ única exceção do domínio que
+ sua própria estação faz parte. Dessa
+ forma, o host <hostid>mumble</hostid>, se não for
localizado como <hostid
- role="fqdn">mumble.foo.bar.edu</hostid>, ser&aacute;
- localizado atrav&eacute;s de uma busca direta &agrave;
+ role="fqdn">mumble.foo.bar.edu</hostid>, será
+ localizado através de uma busca direta à
partir da raiz dos servidores de
- resolu&ccedil;&atilde;o.</para>
+ resolução.</para>
- <para>Este comportamento &eacute; diferente do verificado
- anteriormente onde a pesquisa continuaria atrav&eacute;s
+ <para>Este comportamento é diferente do verificado
+ anteriormente onde a pesquisa continuaria através
de <hostid role="domainname">mumble.bar.edu</hostid> e
<hostid role="domainname">mumble.edu</hostid>. Consulte a
- RFC 1535 para descobrir porque isso &eacute; considerado
- uma pr&aacute;tica ru&iacute;m, e at&eacute; mesmo uma
- brecha de seguran&ccedil;a.</para>
+ RFC 1535 para descobrir porque isso é considerado
+ uma prática ruím, e até mesmo uma
+ brecha de segurança.</para>
- <para>Uma alternativa &eacute; adicionar a linha
+ <para>Uma alternativa é adicionar a linha
abaixo:</para>
<programlisting>search foo.bar.edu bar.edu</programlisting>
- <para>ao inv&eacute;s da linha previamente existente</para>
+ <para>ao invés da linha previamente existente</para>
<programlisting>domain foo.bar.edu</programlisting>
<para>em seu arquivo <filename>/etc/resolv.conf</filename>
(consulte &man.resolv.conf.5;). Contudo verifique se a
- ordem de pesquisa n&atilde;o vai al&eacute;m da fronteira
- entre a administra&ccedil;&atilde;o p&uacute;blica e a
+ ordem de pesquisa não vai além da fronteira
+ entre a administração pública e a
local, conforme definido na RFC 1535.</para>
</answer>
</qandaentry>
@@ -10998,108 +10998,108 @@ Key F15 A A Menu Workplace Nop</programlisting>
<question id="network-permission-denied">
<para>Por que obtenho o erro, <errorname>Permission
denied</errorname>, para todas as
- opera&ccedil;&otilde;es de rede?</para>
+ operações de rede?</para>
</question>
<answer>
<para>Se o <foreignphrase>kernel</foreignphrase> do seu
- FreeBSD foi compilado com a op&ccedil;&atilde;o
- <literal>IPFIREWALL</literal>, voc&ecirc; deve compreender
- que a pol&iacute;tica padr&atilde;o, &agrave; partir da
- vers&atilde;o 2.1.7 (atualmente alterada durante o
- desenvolvimento da vers&atilde;o 2.1-STABLE) &eacute;
- negar todos os pacotes que n&atilde;o forem explicitamente
+ FreeBSD foi compilado com a opção
+ <literal>IPFIREWALL</literal>, você deve compreender
+ que a política padrão, à partir da
+ versão 2.1.7 (atualmente alterada durante o
+ desenvolvimento da versão 2.1-STABLE) é
+ negar todos os pacotes que não forem explicitamente
permitidos.</para>
<para>A seu firewall foi erroneamente configurado, de forma
- n&atilde;o intencional, a operacionalidade do sistema pode
+ não intencional, a operacionalidade do sistema pode
ser restaurada, simplesmente digitando o seguinte
(conectado como <username>root</username>):</para>
<screen>&prompt.root; <userinput>ipfw add 65534 allow all from any to any</userinput></screen>
- <para>A vari&aacute;vel
- <literal>firewall_type="open"</literal> tamb&eacute;m pode
+ <para>A variável
+ <literal>firewall_type="open"</literal> também pode
ser definida, no arquivo
<filename>/etc/rc.conf</filename>.</para>
- <para>Para maiores informa&ccedil;&otilde;es sobre a
- configura&ccedil;&atilde;o de firewall, por gentileza,
- consulte a se&ccedil;&atilde;o correspondente no <ulink
+ <para>Para maiores informações sobre a
+ configuração de firewall, por gentileza,
+ consulte a seção correspondente no <ulink
url="../handbook/firewalls.html">&a.ptbr.p.handbook;</ulink>.</para>
</answer>
</qandaentry>
<qandaentry>
<question id="ipfw-overhead">
- <para>Qual o acr&eacute;scimo de sobrecarga ocasionado pelo
+ <para>Qual o acréscimo de sobrecarga ocasionado pelo
IPFW?</para>
</question>
<answer>
- <para>Por gentileza, refira-se ao cap&iacute;tulo sobre
+ <para>Por gentileza, refira-se ao capítulo sobre
<ulink url="../handbook/firewalls.html">Firewalls</ulink>
- do &a.ptbr.p.handbook; mais espec&iacute;ficamente, a
- se&ccedil;&atilde;o sobre <ulink
+ do &a.ptbr.p.handbook; mais específicamente, a
+ seção sobre <ulink
url="../handbook/firewalls.html#IPFW-OVERHEA